quinta-feira, 7 de agosto de 2014

SOBRENOMES SEFARDITAS (JUDEUS DE PORTUGAL, ESPANHA, ANDORRA E GIBRALTAR)

(Mapa do Território Sefardita na antiguidade)
Os judeus Sefarditas (do hebraico Sefardim, no singular Sefardi) são todos provenientes da Península Ibérica (Sefarad), por muitos séculos foram perseguidos durante o período da Inquisição Católica. E por este motivo, fugiram para países como Holanda e Reino Unido; além dos países do Norte da África e da América como: Brasil, Argentina, México e EUA; e desse modo, tiveram que seguir suas tradições secretamente como cripto judeus ou até mesmo abrir mãos das Tradições do Judaísmo, tudo em busca da sobrevivência. Sendo que alguns ainda tiveram que se converter forçadamente ao Cristianismo Católico.
Neste caso, a partir da Inquisição espanhola de 1478 até 1834, em que Judeus e inúmeros outros indivíduos, foram julgados por possíveis atos contra os preceitos da Igreja. Sendo que os Judeus foram expulsos da Espanha no ano de 1492. (9 de AV) 

Sobre o 9 de AV:
  • A destruição do Primeiro Templo
  • A destruição do Segundo Templo
  • O império romano arou todo o Monte do Templo destruindo todo vestígio que poderia ser identificado do Templo
  • Édito de Expulsão dos Judeus de Espanha, pelos Reis Católicos, Fernando de Aragão e Isabel de Castela, em 1492.

Perseguidos e desamparados, os Judeus espanhóis tiveram que se refugiar em Portugal. Estando lá, foram feitos escravos, embora conquistassem a liberdade em 1495, beneficiados com a Lei promulgada por D. Manoel ao subir ao trono. Mas em 1496, assinou um acordo que expulsaria todos os Judeus Sefarditas (ou Marranos) que não se sujeitassem ao batismo Católico. Sendo que no ano seguinte, as crianças Judias de até 14 anos foram obrigadas a se batizarem e em seguida adotadas por famílias Católicas.

Com a descoberta das terras brasileiras em 1500, pela a esquadra de Cabral, a sorte de muitos Judeus mudaria. Pois em 1503, o Judeu Fernando de Noronha com uma considerável lista de Judeus, apresenta o projeto de Colonização a D. Manoel. Porém, o Povo Judeu ainda passaria por mais um triste episódio, quando em 1506, milhares de Judeus foram mortos e queimados pelo Progom da capital portuguesa. Além de tais Judeus (Cristãos Novos) terem presenciado o contraditório D. Manoel estabelecer a lei que dava os liberdade e os mesmos direitos dos Católicos, em 01 de março de 1507. O mesmo D. Manoel que em 1515 solicita ao papa um sistema de Inquisição. semelhante ao espanhol.

E desse modo, a solução para estes Judeus Marranos, foram a de aderirem ao movimento de Colonização do Brasil, quando em 1516, D. Manoel distribui ferramentas gratuitamente a quem quisesse tentar a vida na Colônia.

Em 1524, D. João III confirma a Lei de D. Manoel (de 1507), que consolida a lei de direitos iguais aos convertidos à força. No ano de 1531, Martin Afonso de Souza (aluno do Judeu Pedro Nunes), recebe de D. João III a autorização de colonizar o Brasil sistematicamente. Em que 1533, o mesmo funda o primeiro engenho no Brasil.

Durante um bom tempo, os Judeus passaram por inúmeras revira-voltas quanto a benefícios, confiscos, inclusive a morte. Porém, os mesmos gozaram de plena liberdade religiosa durante o domínio holandês de 1637 a 1644 (na gestão de Maurício de Nassau), quando fundaram a primeira sinagoga no Brasil, a Zur Israel. Mas, com a retomada portuguesa em 1654, os Judeus foram de fato expulsos e alguns migraram para outros países.

No período de 1770 a 1824, os Judeus passam por mais uma fase de aceitação; sendo que em 25 de maio de 1773, é estabelecida a abolição dos termos Cristãos Novos (Judeus) e Cristãos Velhos (Católicos), passando todos a terem os mesmos benefícios e sem distinções.

A partir de 1824 os Judeus Sefarditas ou Marranos, passam por um período de “assimilação profunda”, isto é, inicia-se uma fase parcial esquecimento de suas Tradições, devido a séculos de repressão e pelo contato direto e extensivo com uma cultura etnocêntrica, que mesmo os aceitando perante as leis, tratavam-nos com desprezo e repressão. A solução mesmo, partiu do pressuposto do esquecimento e sectarismo, o que permitiu com que várias gerações crescessem sem ter uma real noção de suas legitimas raízes.

Desse modo, estima-se que no Brasil, vivam cerca de um décimo (1/10) ou até mesmo 35 milhões de Judeus Sefarditas, entre eles os Judeus Asquenazitas (provenientes da Europa Central e Oriental).
Assim, segue-se abaixo uma lista com os principais sobrenomes Sefarditas habitantes da Península Ibérica, e no decorrer do continente Americano, a exemplo do Brasil:        

 Sobrenomes Judaico-Sefarditas oriundos das regiões portuguesas de Alentejo, Beira-Baixa e Trás-os-Montes:
Judiaria na região de Trás-os-Montes

Amorim; Azevedo; Álvares; Avelar; Almeida; Barros; Basto; Belmonte; Bravo; Cáceres; Caetano; Campos; Carneiro; Carvalho; Crespo; Cruz; Dias; Duarte; Elias; Estrela; Ferreira; Franco; Gaiola; Gonçalves; Guerreiro; Henriques; Josué; Leão; Lemos; Lobo; Lombroso; Lopes; Lousada; Macias; Machado; Martins; Mascarenhas; Mattos; Meira; Mello e Canto; Mendes da Costa; Miranda; Montesino; Morão; Moreno; Morões; Mota; Moucada; Negro; Nunes; Oliveira; Ozório; Paiva; Pardo; Pilão; Pina; Pinto; Pessoa; Preto; Pizzarro; Ribeiro; Robles; Rodrigues; Rosa; Salvador; Souza; Torres; Vaz; Viana e Vargas.

Sobrenomes de famílias Judaico-Sefarditas na Diáspora para Holanda, Reino Unido e Américas:
Abrantes; Aguilar; Andrade; Brandão; Brito; Bueno; Cardoso; Carvalho; Castro; Costa; Coutinho; Dourado; Fonseca; Furtado; Gomes; Gouveia; Granjo; Henriques; Lara; Marques; Melo e Prado; Mesquita; Mendes; Neto; Nunes; Pereira; Pinheiro; Rodrigues; Rosa; Sarmento; Silva; Soares; Teixeira e Teles.

Sobrenomes judaico-Sefarditas na América Latina:
Almeida; Avelar; Bravo; Carvajal; Crespo; Duarte; Ferreira; Franco; Gato; Gonçalves; Guerreiro; Léon; Leão; Lopes; Leiria; Lobo; Lousada; Machorro; Martins; Montesino; Moreno; Mota; Macias; Miranda; Oliveira; Osório; Pardo; Pina; Pinto; Pimentel; Pizzarro; Querido; Rei; Ribeiro; Robles; Salvador; Solva; Torres e Viana.

Principais exemplos de Sobrenomes extraídos do Dicionário Sefarad:
A – Abreu; Abrunhosa; Affonseca; Affonso; Aguiar; Ayres; Alam; Alberto; Albuquerque; Alfaro; Almeida; Alonso; Alvade; Alvarado; Alvarenga; Álvares/Alvarez; Alvelos; Alveres; Alves; Alvim; Alvorada; Alvres; Amado; Amaral; Andrada; Andrade; Anta; Antonio; Antunes; Araújo; Arrabaca; Arroyo; Arroja; Aspalhão; Assumção; Athayde; Ávila; Avis; Azeda; Azeitado; Azeredo; Azevedo; B – Bacelar; Balão; Balboa; Balieyro; Baltiero; Bandes; Baptista; Barata; Barbalha; Barboza/Barbosa; Bareda; Barrajas; Barreira; Baretta; Baretto; Barros; Bastos; Bautista; Beirão; Belinque; Belmonte; Bello; Bentes; Bernal; Bernardes; Bezzera; Bicudo; Bispo; Bivar; Boccoro; Boned; Bonsucesso; Borges; Borralho; Botelho; Bragança; Brandão; Bravo; Brites; Brito; Brum; Bueno; Bulhão; C –Cabaço; Cabral; Cabreira; Cáceres; Caetano; Calassa; Caldas; Caldeira; Caldeyrão; Callado; Camacho; Câmara; Camejo; Caminha; Campo; Campos; Candeas; Capote; Cárceres; Cardozo/Cardoso; Carlos; Carneiro; Carranca; Carnide; Carreira; Carrilho; Carrollo; Carvalho; Casado; Casqueiro; Casseres; Castenheda; Castanho; Castelo; Castelo Branco; Castelhano; Castilho; Castro; Cazado; Cazales; Ceya; Céspedes; Chacla; Chacon; Chaves; Chito; Cid; Cobilhos; Coche; Coelho; Collaco; Contreiras; Cordeiro; Corgenaga; Coronel; Correa; Cortez; Corujo; Costa; Coutinho; Couto; Covilha; Crasto; Cruz; Cunha; D – Damas; Daniel; Datto; Delgado; Devet; Diamante; Dias; Diniz; Dionísio; Dique; Doria; Dorta; Dourado; Drago; Duarte; Duraes; E – Eliate; Escobar; Espadilha; Espinhosa; Espinoza; Esteves; Évora; F – Faísca; Falcão; Faria; Farinha; Faro; Farto; Fatexa; Febos; Feijão; Feijó; Fernandes; Ferrão; Ferraz; Ferreira; Ferro; Fialho; Fidalgo; Figueira; Figueiredo; Figueiro; Figueiroa; Flores; Fogaca; Fonseca; Fontes; Forro; Fraga; Fragozo; Franca; Francês; Francisco; Franco; Freire; Freitas; Froes/Frois; Furtado; G – Gabriel; Gago; Galante; Galego; Galeno; Gallo; Galvão; Gama; Gamboa; Gancoso; Ganso; Garcia; Gasto; Gavilao; Gil; Godinho; Godins; Góes; Gomes; Gonçalves; Gouvêa; Gracia; Gradis; Gramacho; Guadalupe; Guedes; Gueybara; Gueiros; Guerra; Guerreiro; Gusmão; Guterres; H – Henriques; Homem; I – Idanha; Iscol; Isidro; J – Jordão; Jorge; Jubim; Julião; L – Lafaia; Lago; Laguna; Lamy; Lara; Lassa; Leal; Leão; Ledesma; Leitão; Leite; Lemos; Lima; Liz; Lobo; Lopes; Loução; Loureiro; Lourenço; Louzada; Lucena; Luiz; Luna; Luzarte; M – Macedo; Machado; Machuca; Madeira; Madureira; Magalhães; Maia; Maioral; Maj; Maldonado; Malheiro; Manem; Manganês; Manhanas; Manoel; Manzona; Marca; Marques; Martins; Mascarenhas; Mattos; Matoso; Medalha; Medeiros; Medina; Melão; Mello; Mendanha; Mendes; Mendonça; Menezes; Mesquita; Mezas; Milão; Miles; Miranda; Moeda; Mogadouro; Mogo; Molina; Monforte; Monguinho; Moniz; Monsanto; Montearroyo; Monteiro; Montes; Montezinhos; Moraes; Morales; Morão; Morato; Moreas; Moreira; Moreno; Motta; Moura; Mouzinho; Munhoz; – Nabo; Nagera; Navarro; Negrão; Neves; Nicolao; Nobre; Nogueira; Noronha; Novaes; Nunes; O –Oliva; Olivares; Oliveira; Oróbio; – Pacham/Pachão/Paixão; Pacheco; Paes; Paiva; Palancho; Palhano; Pantoja; Pardo; Paredes; Parra; Páscoa; Passos; Paz; Pedrozo; Pegado; Peinado; Penalvo; Penha; Penso; Penteado; Peralta; Perdigão; Pereira; Peres; Pessoa; Pestana; Picanço; Pilar; Pimentel; Pina; Pineda; Pinhão; Pinheiro; Pinto; Pires; Pisco; Pissarro; Piteyra; Pizarro; Pombeiro; Ponte; Porto; Pouzado; Prado; Preto; Proença; Q – Quadros; Quaresma; Queiroz; Quental; R –Rabelo; Rabocha; Raphael; Ramalho; Ramires; Ramos; Rangel; Raposo; Rasquete; Rebello; Rego; Reis; Rezende; Ribeiro; Rios; Robles; Rocha; Rodriguez; Roldão; Romão; Romeiro; Rosário; Rosa; Rosas; Rozado; Ruivo; Ruiz; S – Sá; Salvador; Samora; Sampaio; Samuda; Sanches; Sandoval; Santarém; Santiago; Santos; Saraiva; Sarilho; Saro; Sarzedas; Seixas; Sena; Semedo; Sequeira; Seralvo; Serpa; Serqueira; Serra; Serrano; Serrão; Serveira; Silva; Silveira; Simão; Simões; Soares; Siqueira; Sodenha; Sodré; Soeyro; Sueyro; Soeiro; Sola; Solis; Sondo; Soutto; SouzaT – Tagarro; Tareu; Tavares; Taveira; Teixeira; Telles; Thomas; Toloza; Torres; Torrones; Tota; Tourinho; Tovar; Trigillos; Trigueiros; TrindadeU –Uchoa; V – Valladolid; Vale; Valle; Valença; Valente; Vareda; Vargas; Vasconcellos; Vasques; Vaz; Veiga; Veyga; Velasco; Vélez; Vellez; Velho; Veloso; Vergueiro; Viana; Vicente; Viegas; Vieyra; Viera; Vigo; Vilhalva; Vilhegas; Vilhena; Villa; Villalao; Villa-Lobos; Villanova; Villar; Villa Real; Villella; Vilela; Vizeu; X – Xavier; Ximinez; Z – Zuriaga.

Desse modo, vemos claramente que os Judeus fazem parte de uma enorme frente de formação da Península Ibérica, Norte da África e América. O que nos coloca em contato direto com um contexto cripto-judaico.

Como confirmar a descendência judaica?

Evidentemente que, nem sempre aqui no Brasil, ter o sobrenome judaico lhe dá a condição de Judeu descendente. Pois, havemos de concordar, que o país passou por inúmeros casos concernentes a erros de sobrenomes, no que diz respeito a grandes falhas nos cartórios responsáveis pelo registro de nomes e sobrenomes.

Assim, a melhor opção para quem se identifica com um sobrenome Judeu, é observar os seguintes fatores:

Os casamentos entre familiares (pois era uma forma de manter os bens entre as famílias judias e os pontos de vista em comum).

Tradições de cunho ligado à cultura hebraica em relação ao Cristianismo (considerando que o Cristianismo para esses era seguido por aparências, pois ambos foram convertidos forçadamente à religião Cristã Católica);

O levantamento histórico-genealógico (para confirmar se houve ou não alterações nos sobrenomes ao longo das gerações).

CONCLUSÃO
Portanto, fica evidente a existência de uma grandiosa cripto-Comunidade Judaica na Península Ibérica (Portugal e Espanha), assim como nos países do continente americano (a exemplo do Brasil) e africano. E com isso, percebemos o quanto à segregação e o etnocentrismo promovem a destruição de princípios, gerando um “câncer” na liberdade individual e conjunta, como também, na tradição religiosa. O que aglutina ainda mais a odiosidade entre as Religiões e os Povos, que se distanciam ainda mais de possíveis e saudáveis diálogos baseados no bom senso.    

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DESCENDENTES DE JUDEUS DA INQUISIÇÃO. Cronologia histórica da etnia judaica Ibero-Brasileira. Disponível em:. Acesso realizado em: 19 abr. 2009. 
CRUZ, Carla & RIBEIRO, Uirá. Metodologia cientifica: teoria e prática. 2ª ed. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil, 2004.
LAMECH144. Judeus Anussins: nossa origem comum [mensagem geral: triangulodourado – yahoogrupos]. Mensagem recebida por em 23 dez. 2007.
WIKIPÉDIA. Sefardita. Disponpivel em: . Acesso realizado em: 18 abr. 2009.
Contribuição de José Ribeiro da Silva Júnior.

fonte: http://www.bneianussimbrasil.com/2012/10/sobrenomes-sefarditas.html

55 comentários:

  1. Glória á Deus, pertenço ás famílias Andrade, Lima, Silveira, Silva, Passos,Santos! não

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, o sangue dos patriarcas corre em suas veias, Baruch HaShem.

      Excluir
  2. Shalom. Tenho o sobrenome Goncalves e Azevedo e ja desconfiava das origens judaicas. Desde criança sempre tive um amor muito grande por Israel, mesmo sem saber a historia do Pais. Esse amor foi crescendo tanto que, mesmo antes de ir a Israel eu ja sentia saudade daquela terra. Hoje tenho certeza porque amo muito esse Pais. Baruch HaShem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom! Com o tempo esse amor vai se estreitando, de tal forma, que nos faz ir mais fundo no conhecimento, cultura e fé de nossos antepassados. Shavuá Tóv!

      Excluir
  3. E os sobrenomes que não estão marcados o que significa não entendi porque uns estão grifados ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Não há nada de especial nos grifos, além de ressaltar alguns sobrenomes de pessoas que acessaram o Blog e queriam confirmar sua genealogia. Shalom uvrachá!

      Excluir
  4. Olá, meu sobrenome é Trindade (sobrenome materno, pois não tenho pai no registro), fui criada por outra familia, mais não mexeram no meu nome e nos meus documentos, estou conhecendo meus parentes agora, vi que tenho possibilidades de pertencer a linhagem de Abraão, meus bisavós são nordestinos, Ceará, mais como não conheço a familia ainda, é dificil pesquisar, ouvi dizer que tem um mapeamento genético que mostra se tem o Gene predominante no povo Israelita, vc sabe algo a respeito? tem isso no Brasil? Amo Israel, Amo povo judeu, seria uma Grande Honra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Aline. Meus antepassados também são do Ceará e, comprovadamente, há muitos B'nei Anussim (filhos dos forçados). O site abaixo pode ajudá-la a esclarecer algumas de suas dúvidas e, no vídeo abaixo, o pesquisador Roberto Grobman fala sobre o DNA de Abraão (teste genético).
      https://www.youtube.com/watch?v=R5LA-ixphj8
      http://www.vidapraticajudaica.com/single-post/2016/02/15/Exame-de-DNA-Tudo-o-Que-Voce-Precisa-Saber
      http://www.anussim.com.br/genealogia/genealogia-por-dna.php
      Espero ter ajudado. Fico ao dispor.
      Que O Eterno possa ajudá-la em sua busca. Shalom.

      Excluir
  5. Olá, estive pesquisando e descobri que meu sobrenome Abreu além de constar na lista de sobrenomes sefarditas significa na linguá ocitana e no provençal: Hebreu e que minha família da parte materna também tem os Rocha e Pereira que constam da mesma lista já os da parte paterna que inclui os Silva e Paranhos só se casavam entre eles mesmo. Como posso aprofundar mais esse estudo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Yad. Poucos sabem, mas, mais de 40% dos brasileiros tem ascendência Judaica. Infelizmente, o antissemitismo plantado na época da colonização, fez com muitos de nossos antepassados fossem obrigados a se converterem ao cristianismo e abandonarem a fé de seus pais.
      Baruch HaShem, muitos têm sido despertos e a história está sendo revista. Ainda falta muito, mas, passo a passo retornaremos às Veredas Antigas.
      Há muitas publicações, hoje, que podem nos auxiliar nessa busca. Um deles é o livro de Anita Novinsky, chamado “Livro dos Culpados”, onde menciona exatos 1.819 sobrenomes de cristãos-novos detidos, só no século XVIII. (Reportagem: http://oglobo.globo.com/brasil/o-mito-sobre-origem-de-sobrenomes-de-judeus-convertidos-5227424), o livro “Raízes judaicas no Brasil”, de Flávio Mendes de Carvalho, entre outros inúmeros existentes. O PDF, abaixo, trata de uma lista contendo 1853 sobrenomes usados por judeus, sefarditas durante séculos em Portugal, Espanha e Itália e encontrados no Brasil.
      http://www.comunidadedeisrael.com.br/ebooks3/Oliveira%20Brasileira.pdf
      HaShem o abençoe em sua busca!
      Espero ter ajudado.
      Shalom uvrachá!

      Excluir
  6. Meu sobrenome é Carvalho, mas proveniente da família Gomes de Carvalho, estou pesquisando nossas origens, será que cheguei até aqui e ainda ir a mais longe nos ancestrais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, André. Acredito que ainda pode se surpreender muito! Minha busca começou nos Inhamuns (CE) e Portugal; passou por Israel, França e me levou à Tunísia rs. Certamente, nossos antepassados, ficariam muito felizes ao nos verem nessa busca, resgatando as raízes da fé, pela qual, muitos deram suas vidas. HaShem o conduza em sua busca e teshuvá. Shalom uvrachá!

      Excluir
  7. Oi. Muito bom o blog. Achei por meio de um vídeo no Youtube. Meu sobrenome é Pereira Novais (com I, embora em minha família tenha novais com E também). Sei que meu bisavô era português e o pai de minha mãe parece que era português também. Como faço para saber se tenho família em Portugal? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Alex. Como mencionado em comentários acima, há muitas publicações que podem nos auxiliar nessa busca. Uma delas é o livro de Anita Novinsky, chamado “Livro dos Culpados”, onde menciona exatos 1.819 sobrenomes de cristãos-novos detidos, só no século XVIII. (Reportagem: http://oglobo.globo.com/brasil/o-mito-sobre-origem-de-sobrenomes-de-judeus-convertidos-5227424), o livro “Raízes judaicas no Brasil”, de Flávio Mendes de Carvalho, entre outros. No site http://www.anussim.com.br/genealogia/genealogia-por-dna.php, você vai encontrar muitos dados genealógicos que certamente poderão auxiliá-lo em sua pesquisa. Anexo PDF de uma lista contendo 1853 sobrenomes usados por judeus sefarditas (termo usado para se referir aos descendentes de judeus originários de Portugal e Espanha) durante séculos em Portugal, Espanha e Itália e encontrados no Brasil.
      http://www.comunidadedeisrael.com.br/ebooks3/Oliveira%20Brasileira.pdf
      Espero ter ajudado!

      Excluir
  8. Olá,tive olhando essa lista e vi que meu sobrenomes estão na lista,meu nome é Daiane de Siqueira Almeida e eu estou usando a conta do meu pai.O curioso,é que meus avós paternos e maternos também possuíam sobrenomes que estão nesta lista;Costa,Vasconcellos e Rosa.Será que somos descendentes de judeus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom Heini. Desde cedo aprendemos na escola que o povo brasileiro foi formado pela mistura de três raças: indígena, branca e negra. Todavia, os historiadores omitiram um detalhe importantíssimo - o grupo dos brancos (portugueses) era composto, basicamente, por judeus expulsos de Portugal pela Inquisição promovida por Isabel de Castela, rainha católica da Espanha, com o respaldo do clero. Isabel, através de contrato de casamento, estendeu a Inquisição à Portugal, obrigando o Rei a livrar-se dos judeus, mandados para o Brasil sob pena de crime por prática do judaísmo. Muito provavelmente você e milhões de brasileiros, como eu, tenha ascendência judaica.
      O link abaixo traz uma interessante reportagem sobre o assunto. Que O Eterno a conduza em sua busca, fazendo-a encontrar suas raízes e resgatar sua herança.
      Shavuá Tóv.
      http://www.coisasjudaicas.com/2011/01/notas-sobre-contribuicao-judaica-para.html

      Excluir
  9. Meu Senhor!! Tô me sentindo super felizzzz!!
    Tenho 4 sobrenomes (provavelmente, de origem judaica) na família, por parte de pai e de mãe: Abreu, Alves, Lopes e Ferreira ❤
    Já sabia da minha descendência portuguesa, que até onde eu sei, começou com meu tataravô. Talvez, eu tenha realmente uma longínqua descendência israelita, mas isso já me deixa muitoooo feliz, já que sou tão ligada a minha família e minhas raízes. Muito obrigada!
    Shalom Adonai!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shaom, Beca. Que O Eterno Elohim de nossos antepassados a conduza de volta a Seus braços. Neshkot.

      Excluir
  10. Sou Antonio da silva Siqueira tenho chance de ser descedente de judeus pois amo a cultura e a torah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Antonio! A família Siqueira está inserida na relação de nomes com possível ascendência judaica. Costumo dizer, que somos atraídos pelo nosso DNA espiritual rs. Se aprofunde em sua busca... vai se surpreender!

      Excluir
  11. Meu nome é noemi santos de brito na lista está 4 sobre nome da família do meu pai e da minha mãe marquês, Brito ,Miranda, Barreto será que é posso ser decendente de judeus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Noemi. Como mencionado em comentários acima, fomos ensinados na escola que o povo brasileiro foi formado pela mistura de três raças: indígena, branca e negra. Todavia, os historiadores omitiram um detalhe importantíssimo - o grupo dos brancos (portugueses) era composto, basicamente, por judeus expulsos de Portugal pela Inquisição promovida por Isabel de Castela, rainha católica da Espanha, com o respaldo do clero. Isabel, através de contrato de casamento, estendeu a Inquisição à Portugal, obrigando o Rei a livrar-se dos judeus, mandados para o Brasil sob pena de crime por prática do judaísmo. Muito provavelmente você e milhões de brasileiros, como eu ou como você, tenha ascendência judaica.
      Os links, abaixo, trazem interessantes relatos sobre o assunto:
      http://www.coisasjudaicas.com/2011/01/notas-sobre-contribuicao-judaica-para.html Há muitas publicações que podem nos auxiliar nessa busca. Uma delas é o livro de Anita Novinsky, chamado “Livro dos Culpados”, que menciona exatos 1.819 sobrenomes de cristãos-novos detidos, só no século XVIII. (Reportagem: http://oglobo.globo.com/brasil/o-mito-sobre-origem-de-sobrenomes-de-judeus-convertidos-5227424), o livro “Raízes judaicas no Brasil”, de Flávio Mendes de Carvalho, entre outros. No site http://www.anussim.com.br/genealogia/genealogia-por-dna.php, você vai encontrar muitos dados genealógicos que certamente poderão auxiliá-la em sua pesquisa. Anexo PDF de uma lista contendo 1853 sobrenomes usados por judeus sefarditas (termo usado para se referir aos descendentes de judeus originários de Portugal e Espanha) durante séculos em Portugal, Espanha e Itália e encontrados no Brasil.
      http://www.comunidadedeisrael.com.br/ebooks3/Oliveira%20Brasileira.pdf
      Espero ter ajudado!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  12. Meu sobrenome é Ribeiro de Oliveira, sou cristão protestante e sempre nutri um profundo amor por Israel e sua história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Isnar. Como pode ver, muitos de nós temos ascendência judaica/israelita, portanto, esse "profundo amor por Israel" está em nosso DNA. Obrigada por comentar.

      Excluir
  13. Muito bom essa página meu sobrenome é coutinho mas nós já sabiamos nossa origem este é um trabalho muito importante o resgate de suas origens.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Jonyclaey. Conhecer nossa identidade nos dá significado; o pertencer a um povo; o povo do Todo Poderoso de Israel. Agradecemos a participação.

      Excluir
  14. Tenho bastante interesse sobre árvore genealógica e significado dos sobrenomes, não tenho conhecimento dessa religião e não sigo nenhuma meu nome é Bruno Reis. Gostaria de saber se meu sobrenome representa algo..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Reis. Como dito nos comentários anteriores, muitos brasileiros desconhecem sua ascendência, principalmente, por conta do antissemitismo instalado no Brasil, desde o descobrimento. Todavia, algumas pesquisas foram desenvolvidas e alguns sobrenomes ditos portugueses ou espanhóis foram sendo relacionados aos nossos antepassados que fugiram da inquisição. O site abaixo, traz uma lista com mais sobrenomes; inclusive o seu (Rei, Reis, Rey, Reys, que pode ter origem na Península Ibérica.
      Quanto à questão religiosa (judaica) de nossos antepassados, o que posso ressaltar é que o judaísmo (Torah ou Antigo Testamento) é a religião de onde os escritores do Novo Testamente se basearam para fundamentar o cristianismo.
      Espero que possa se aprofundar mais e mais em suas pesquisas. É importante conhecer nossas raízes e poder desmistificar o período de trevas no qual nossa ascendência ficou imersa por tantos séculos.

      https://tokdehistoria.com.br/2014/03/23/sobrenomes-de-judeus-expulsos-da-espanha-em-1492-veja-se-o-seu-esta-na-lista/

      Shalom.

      Excluir
  15. Olá!
    Gostatia de saber como faço para conseguir o levantamento histórico genealógico pois meu sobrenome está na lista.

    Grata desde já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom Carolina! Nas respostas aos comentários acima (por exemplo, no da Noemi e outros), menciono uma série de sites e livros que poderão auxiliá-la, tanto se o seu sobrenome for português, quanto espanhol. Que O Eterno a conduza em sua busca. Um grande abraço! Shalom.

      Excluir
  16. Meu nome é Kaoan Yan Ribeiro e desconfio ter ascendência judaica. Será que eu tenho chance?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Kaon. Ribeiro, consagradamente, é um sobrenome de origem judaica. Você poderia começar sua busca pelo sobrenome de seus avós paternos e maternos, procurando saber seu país de origem, data de chegada. Depois, verificar se na sua cidade existe algo como o Museu do Imigrante, onde poderá confirmar de onde e quando chegaram ao Brasil. Fora isso, há os inúmeros sites e livros que citei em outras respostas, acima. Que O Eterno o conduza em sua busca. Shalom.

      Excluir
    2. Shalom,a única coisa que sei sobre meus antepassados é que meu sobrenome vem de meu bisavô paterno: João da Silva Ribeiro e que ele era baiano. Vale lembrar que meu pai o homenageou ao registrar-me, já que Yan é a equivalente russa de João. Isso ajuda a identificar uma possibilidade de origem judaica?

      Excluir
    3. Shalom, Kaon. Ribeiro é um dos sobrenomes que constam da relação de judeus Sefaraditas (Espanha e Portugal). João, em hebraico, é Yochanan (Yan, portanto, pode ser um diminutivo), aí, já teríamos mais um indício. Recomendo que leia os comentários anteriores onde cito uma série de links e livros que poderão ajudá-lo em sua pesquisa. Shavuá Tóv.

      Excluir
  17. Shalom, é verdade que cerca de 80% das pessoas pardas ou negras com o sobrenome Ribeiro são de origem judaica?

    ResponderExcluir
  18. Shalom! É importante ressaltar que não podemos afirmar que todo brasileiro, cujo sobrenome conste da lista acima, tenha ascendência judaica (portuguesa ou espanhol).
    http://anussim.org.br/voce-sabia-que-muitos-brasileiros-sao-descendentes-de-judeus/
    Para saber-se ao certo, seria necessária uma pesquisa mais ampla, estudando a árvore genealógica das famílias, o que pode ser feito com base nos registros disponíveis nos cartórios.
    Índios, negros, Silvas e Santos
    Os índios, bem como os africanos que vieram para o Brasil como escravos e dos quais tantos descendem, foram obrigados a deixar para trás seu passado, seu nome e a identificação de sua origem tribal, para serem batizados com um nome cristão. Os sobrenomes que recebiam muitas vezes eram os mesmos de seus senhores. Quando isso não ocorria, os senhores lhes davam sobrenomes de origem religiosa, como Batista, de Jesus, do Espírito Santo, Santos, Silva, etc. O que significava que, a pessoa assim denominada, tinha origem imprecisa (não se sabia ao certo de que cidade ou região ela procedia) ou não traziam consigo um nome de família (leia sobre a inquisição no Brasil).
    É sabido que há muitas africanos com usos e costumes judaicos (Etiópia.África do Sul e outros recentemente descobertos); algumas das tribos já foram recebidos pela comunidade judaica em Israel.
    Veja o link a seguir: http://oglobo.globo.com/sociedade/religiao/a-nacao-africana-do-deserto-de-israel-12444637
    Mas, com certeza, o Brasil tem no seu sangue e nas suas raízes os traços marcantes deste povo muito mais do que se imagina, quer na sua espiritualidade, religiosidade ou mesmo em muitos costumes. Devido à miscigenação, talvez apenas um teste de DNA possa comprovar verdadeiramente a ascendência daqueles que não tem uma árvore genealógica familiar.
    Que O Eterno o conduza em sua busca. Shalom!

    ResponderExcluir
  19. Fiquei muito feliz em saber que meu sobrenome Moreno é de origem judaica, isso explica minha vontade natural em conhecer mais sobre o judaismo e o mais interessante que meu pai sempre falou da região de Tras-os-montes.

    Muito obrigado pela ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renan... Agradecemos o comentário. Abaixo, um texto muito interessante para incrementar seu estudo: https://www.portugalpost.de/2014/05/21/o-%C3%AAxodo-portugu%C3%AAs-para-o-imp%C3%A9rio-otomano/
      Shalom Aleichem!

      Excluir
  20. Incrível como parece existir um imã dentro da alma que nos faz querer saber sobre Israel mesmo achando não ter vínculo algum com o povo judeu, um tipo de amor inexplicável e uma busca que até a pouco parecia em vão se mostra mais clara quando se olha no espelho e tem aparência do povo do Oriente médio e ao conferir a lista de sobrenomes encontrar o meu e da parentela que me forma. Somando os sobrenomes dos meus pais tenho:
    Rolemberg; Ramos e também Oliveira
    Notícia boa e um amor maior por um povo que eu já admirava. Shalom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom! Chaver, é isso mesmo. Nossa alma clama pela volta ao primeiro amor!

      Excluir
  21. Deus é maravilhoso sou descente Ferreira Ribeiro nossa sempre tivemos essa cultura dentro de casa glória a Deus, somos família unida.fazemos o pão trançado minha mãe conta histórias de minha tataravó, meu avô tinha 108anos faleceu em 2005. Slalom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, chaver! Mishley (Provérbios) 10:26 - "O temor do SENHOR prolonga os dias da nossa existência...". 108 anos?! Baruch Hashem! Se se sentir à vontade, peça a sua mãe para contar (por escrito)alguma coisa sobre sua família (como chegaram ao Brasil, de onde vieram) e como mantiveram as tradições ensinadas por seus antepassados; quais ainda praticam; a receita da Chalá (pão trançado que ela faz)... Terei o maior prazer em publicar no Blog. Shavuá Tóv.

      Excluir
  22. Interessante! Vou pesquisar a etnia do meu avô paterno, por ser português e pelo fato de que ele tem dois sobrenomes da origem de judeus sefarditas. Pode ser que tenha alguma relação étnica com estes judeus sefarditas! Além disso tenho um sobrenome de avo materno espanhol que também é da etnia judaica conforme o estudo!
    Excelente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquise e depois nos conte sua experiência! Shalom u'vrachá.

      Excluir
  23. Shalom Adonay. Fiquei surpreso com essa afirmação, de que 40% dos brasileiros possuem ascendencia judaica! E isso foi maravilhoso para mim. Possuo alguns sobrenomes da lista: Cruz,Castro, Rodrigues e Oliveira. Meu tataravo veio de Portugal e se chamava Manoel Rodrigues de Castro. Lendo as mensagens, me identifiquei muito, pois também tem profundo amor e paixão por Israel e toda a sua tradição cultural e religiosa. Eu sou cristão prostestante e leitor constante do Antigo e Novo Testamento e tenho por sonho ímpar, um dia, pisar no solo da Terra Gloriosa!Eu já até sei cantar o Hino Nacional de Israel em Hebraico. Certa noite, em sonhos, eu passeava em uma campina muito verdejante, e avistava muitos morros e vegetação nas encostas. O sol de declinava no horizonte e uma brisa fresca me batia no rosto. Então eu pergunatava: "Que lugar é este?" Então eu ouvi uma voz forte que me falava:" Não te lembras, meu filho? Esta terra que vês são as colinas de Judá, terra de Israel!" E eu acordei no outro dia sentindo profunda paz e alegria dentro de mim. Agora, apos estas afirmações, muita luz foi jorrada sobre algumas indagações, ainda que não desvendando todas.Mas que alegria em saber da possibilidade de em meu DNA correrem vestigios de Abraão, Isaque, Jacó, Davi, Salomão, e acima todos, o Salvador Yeshua, por linhagem materna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, chaver! costumo dizer que são nossas lembranças ancentrais; através daquilo que trazemos em nosso DNA e que nos constrange a sentir esse amor e profunda identificação com nossos antepassados. Lindo sonho ... ou que visão rs?! Que O Eterno o conduza em sua busca e possas retornar verdadeiramente à casa Paterna. Shalom aleichem!

      Excluir
  24. Shalom! Chamo-me Raphael e possuo os sobrenomes RODRIGUES e VALLE ("do Valle", para ser mais preciso). Acredito que tenha sangue judeu correndo por minhas veias, pois me identifico muitíssimo com o judaísmo e, em especial, com os ensinamentos do Rav Nachman de Breslev. Hoje me considero não mais um cristão, mas um Bnei Noach, um amigo verdadeiro de Israel. O judaísmo me atrai. É algo que não sei explicar. É um sentimento sobrenatural. Apenas sei que sempre tive muitas perguntas, sempre questionei muito o porquê de as coisas serem como são (aliás, uma característica bem judaica!) e - Baruch Hashem - o Eterno me mostrou todas as respostas. Hoje, vivo feliz como jamais vivera, pois sei que o Criador está no controle de tudo, e que não há nada a temer, pois tudo o que me ocorre é para o meu bem. Apenas gostaria de um dia, Besrat Ashem, poder conversar com um rabino e pedir a ele que me oriente e aconselhe. Enquanto esse dia não chega, faço o que me cabe: agradecer por tudo, ser feliz, fazer teshuvá e hitbodedut. Um forte abraço e parabéns pela excelente e instrutiva página.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom achim... Se você tem ascendência judaica (ao que parece), não é apenas um b'nei noach, mas, um b´nei Isra'el... Há um grupo no face (conheço só de passagem), chamados Bnei Israel Teshuvá ... talvez possa trocar idéia com eles sobre suas aspirações: https://www.facebook.com/bneiisraelteshuva/
      Shalom uvrachah!

      Excluir
  25. Eu tenho como sobrenome "Almeida, Silva e Lima", que são dos meus pais.E os meus avós maternos e paternos, além de terem esses sobrenomes, eles têm também: "Pereira e Souza". É provável que eu possa ter descendência Judaica. Mas, é possível encontrar os nomes originais dos Judeus Sefarditas antes da mudança de nome ou encontrar os primeiros Judeus à usarem os meus sobrenomes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom! Em primeiro lugar, você deve, por exemplo, levantar o local de origem de seus avós e quando chegaram ao Brasil. Para tanto, temos à disposição os museus dos imigrantes. Não sei qual seu estado, mas, em São Paulo temos: http://www.inci.org.br/acervodigital/ (museu digital); http://www.saopaulo.sp.gov.br/conhecasp/museus/memorial-do-imigrante/; e há, também, http://www.arquivonacional.gov.br. Ótimas opções para começar sua busca. Boa sorte!

      Excluir
  26. Shalon, fui registrado com o sobrenome materno Santos Campos mas observei que o sobrenome do meu pai está aqui também Alves sequeira
    Amei sua fonte pesquisa, isso explica meu fascínio pela cultura judaica pois eu tenho shofar tenho Talit e amo tudo que de origem judia
    Obrigado pela sua ajuda através desta pesquisa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, João. Ficamos felizes em poder contribuir com sua pesquisa. Há muitos que ao descobrirem sua ascendência iniciaram o processo de retorno à fé de nossos antepassados. Que O Eterno o ajude nessa caminhada. Shavuá Tóv.

      Excluir
  27. Não encontrei nada com o meu sobrenome (Toledo), e também tenho dúvidas se sou descendente de Italiano ou de Espanhol. Mas não vi nada escrito sobre o meu sobrenome TOLEDO. Mas sou Cristão e frequento a Assembleia de Deus. Alguém pode me ajudar a minha origem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, Jorge. Seu nome consta de várias listas de sobrenomes judaicos sefarditas, inclusive, luso brasileiro, como os links a seguir: https://tokdehistoria.com.br/2014/03/23/sobrenomes-de-judeus-expulsos-da-espanha-em-1492-veja-se-o-seu-esta-na-lista/
      http://www.comunidadedeisrael.com.br/ebooks3/Oliveira%20Brasileira.pdf
      Boa sorte em sua pesquisa.

      Excluir