sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

MUSEUS JUDAICOS - UM MERGULHO NA HISTÓRIA: (2) PRAGA

Praga, na República Tcheca, mistura charme medieval à efervescência cultural
Arte UOL
Sobrevivente de guerras e conflitos políticos, a cidade de Praga foi chamada por Goethe de "a jóia de pedra" e é considerada até hoje uma das capitais mais bonitas do leste europeu. Não é necessário muito tempo de caminhada pelas ruelas e pontes sobre o rio Vltava, que corta o local, para entender porque ele figura na lista de patrimônios históricos da humanidade da UNESCO. Mansões e palácios renascentistas, catedrais e rotundas góticas, conventos barrocos e pontes medievais dividem espaço, representando uma arquitetura riquíssima e que deve ser apreciada aos poucos, a pé.

A Praça Central, ou Staromestke námesti como é chamada por lá, é o ponto de partida ideal para conhecer a cidade. Nela, uma multidão de turistas se aglomera em seu amplo espaço para assistir aos pequenos shows de artistas de rua que se apresentam no local, observar as igrejas de diferentes estilos, ou simplesmente esperar o tempo passar em um dos agradáveis cafés. Lá também fica o relógio astronômico, que de hora em hora atrai a atenção dos transeuntes, que param para observar um boneco que representa a morte acionando um carrilhão por onde desfilam bonecos de 12 apóstolos seguindo São Pedro.

A oeste da praça fica a Ponte Charles, ou Karluv Most. Com sua arquitetura gótica, é exclusiva para pedestres e é a melhor forma de atravessar para o outro lado da cidade, em direção a colina de Hradycani. Lá fica o Castelo de Praga, que começou a ser construído no século 9 e abriga o governo da República Checa e a residência oficial do presidente.

Ao norte da praça fica o bairro judeu Josefov, com seis das mais antigas sinagogas do continente, um dos cemitérios mais tumultuados do mundo, com 12 mil lápides aglomeradas e sobrepostas, tudo com uma arquitetura predominantemente em art noveau.

Mesmo com as principais atrações na cabeça, a graça da cidade é caminhar mesmo sem rumo. Ao final de cada viela, sempre surge uma construção, parque e, por vezes, o turista se depara com a margem do rio, que sozinha faz o passeio valer a pena.

Para quem não se encanta pela arquitetura, não faltam atrações culturais. Por toda a cidade, cartazes divulgam espetáculos de ópera e jazz. Para os amantes da literatura, é possível seguir os passos de Franz Kafka, que passou boa parte de sua vida na cidade, visitando a casa onde morou ou o museu em sua homenagem.

O clima não costuma ser um grande obstáculo para os turistas. Apesar de a neve cair forte durante parte do inverno, o frio não chega a ser insuportável, atingindo -5°C. No verão a temperatura é amena, ficando entre
15°C e 25°C.

fonte: http://viagem.uol.com.br/guia/cidade/praga.jhtm

O museu de Praga


O Museu Judaico em Praga possui uma das maiores coleções de objetos rituais e religiosos - ou Judaica, como são tratadas estas coleções - de todo o mundo, cobrindo principalmente os séculos XVI a XIX. Seu acervo reflete a trajetória e o destino dos judeus da Boêmia e da Morávia, cuja presença na Checoslováquia vem desde o século X. Durante a Segunda Guerra Mundial, os judeus foram deportados para os campos de morte nazistas e suas coleções enviadas para Praga, onde foram cuidadosamente catalogados por curadores e historiadores de arte, também judeus, sob a supervisão dos alemães. Manuscritos raros, livros antigos em hebraico, rolos da Torá, ornamentos de prata, quadros e outros objetos foram gradativamente transferidos para os cofres nazistas.

Parte dessas coleções integra o atual acervo do Museu Judaico, permitindo aos visitantes conhecerem um pouco mais sobre as comunidades judaicas da região. Um manuscrito em hebraico, do século XIV, um livro em hebraico impresso em Praga em 1526, estão expostos ao lado de objetos de prata dos séculos XVIII e XIX, como castiçais, rimonim, chanuquiot.

O Museu Judaico de Praga possui, também, uma das maiores coleções do mundo de adornos em tecido, incluindo capas para chalot e matzot, sacolas para tefilin e talitim. Especialistas afirmam que o estilo destes ornamentos revela um intercâmbio entre os artistas judeus de Praga e de outros centros da Europa, seguindo certas tendências da época.

Estes mesmos especialistas afirmam ainda que o acervo deste museu, centrado principalmente em objetos religiosos, revela a importância da espiritualidade, dos simbolismos e da tradições para os judeus. A coleção de Judaica, como as pessoas que criaram os objetos e também as que os utilizavam, possui elementos que refletem a influência das comunidades vizinhas. São testemunhas silenciosas de um estilo de vida e das experiências de seus criadores.


http://www.jewishmuseum.cz/

fonte:  http://www.morasha.com.br/conteudo/ed26/museus.htm


INFORMAÇÕES E SERVIÇO



Site do país - www.czechtourism.com

Site da cidade - www.praguewelcome.cz

Embaixada brasileira na cidade - Praha Panská 5 - Praga. Tel: 224.324.965, chebrem@mbox.vol.cz

Idioma - Tcheco. Não dá pra se arriscar na língua local, que tem base em línguas eslavas. É praticamente impronunciável sem um bom tempo de estudo. Entretanto, para quem tem um domínio mínimo de inglês fica fácil de se virar. Com o crescimento do turismo, em todo canto a língua é compreendida.

Fuso horário: 4 horas a mais em relação a Brasília.

DDI - 00420. Código de acesso da cidade - Incluso no número de telefone.

Telefone de emergência - Polícia: 158.

Informações turísticas - São cinco espalhados pela cidade. Estão localizados na rua Staromestské namesti - Old Town Hall, Rytirska street 31, Aeroporto de Praga (Letiste Praha, Terminal 2), Lesser Town Bridge Tower (aberto somente no verão), e no lobby da Estação ferroviária. Também é possível obter informações em tcheco, inglês e alemão pelo telefone +420 221 714 444 ou pelo e-mailtourinfo@pis.cz.

Moeda - Coroa tcheca. Para saber mais sobre a cotação da moeda, acesse:economia.uol.com.br/cotacoes

Câmbio - Geralmente é mais vantajoso trocar o dinheiro estando em Praga do que antes de sair para viajar. Só é preciso ficar atento às pequenas agências de câmbio, que usam ofertas de não cobrarem comissão para esconderem péssimas taxas de câmbio. Os bancos, na maioria concentrados em Wenceslas Square, oferecem boas taxas, mas cobram comissões que variam de um para outro. É bom ficar atento. Algumas grandes agências, como a internacional eXchange, oferecem boas taxas e sem comissão. Há uma na Kaprova 15, próxima a Old Town Square.

Telefone - Os telefones públicos funcionam a cartão, que são vendidos em postos do correio ou em quiosques na rua. Os números já incluem DDD (420), que deve ser usado mesmo quando se liga para um número na cidade. Ligando do Brasil, basta discar 00 + o número da operadora + 420 + os outros nove dígitos do número.

Correio - Uma carta e cartão postal para o Brasil custa 20 Kc em média.

Internet - É fácil de encontrar cyber cafés em Praga. Os preços ficam em torno de 20 Kc a hora utilizada.

Segurança - A cidade é segura, sendo necessários apenas os cuidados habituais. Também é preciso ficar atento com aproveitadores, principalmente taxistas, que adoram passar a perna em turistas.

Assistência médica - American Medical Center, Janovckého 48, fone420 220 807 756, metrô Vltavská; Na Homolce Hospital, Roentgenova 2, Foreigner Pavilion, 5° andar, fone 420 252 922 191; Polyclinic at Národní, Národní 9, fone 420 222.075.120, metrô Národní. O atendimento é feito em inglês e, ocasionalmente, espanhol ou alemão. O sistema público garante atendimento de emergência e primeiros socorros gratuitamente a todos que visitam a cidade.

Gorjeta - Não são obrigatórias, mas muito bem-vindas. Média é de 5% a 10% do serviço.


Se estiver programando, não só para desfrutar das belezas milenares dessa parte do mundo mas, com a intenção de resgatar sua identidade judaica, o Museu de Praga é uma visita obrigatória. Então, tire o máximo proveito e "Boa viagem"!
por Ya'el bat Yossef

Nenhum comentário:

Postar um comentário