quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

CICLO TRIENAL - SEDRAH 148 (Semana de 26 de janeiro a 1 de fevereiro/2014)

(Shabat Shalom)
Torah: Devarim/Deuteronômio 34:1 - 12
Tema: Mosheh/Moisés morre
Haftarah: Shmuel Alef/1 Samuel 31; Iyov/Jó 7; Yonah/Jonas 1 e 3
Tema(s): A morte de Shaul e dos filhos; A vida humana é cheia de lutas; Jonas foge do Eterno; Jonas vai à Nínive
Haftarah (complemento): Ester 10
Tema(s): O prestígio de Mordechay/Mardoqueu
Shir Mizmor: Tehilim/Salmos 148
Tema: Am'Yisra'El/Povo de Israel louve Adonay/Senhor

TORAH
Devarim/Deuteronômio 34:
1Então, vindo Mosheh/Moisés das planícies de Moabe subiu o monte Nebo, ao topo de Pisga, em frente de Jericó. Dali do alto o SENHOR Elohim lhe mostrou toda a terra de Canaã: de Gileade até a cidade de Dã, no Norte; 2e toda a região de Naftali, o território de Efraim e Manassés, toda a terra de Judá até o mar do Oeste, o Mediterrâneo; 3o Neguebe, as terras do sul, e toda a região que vai do vale de Jericó, a cidade das Palmeiras, até Zoar. 4E falou YHWH a Moisés: “Esta é a terra que prometi sob juramento a Abraão, a Isaque e a Jacó, quando lhes afirmei: à tua descendência darei esta terra. Portanto, eis que te faço vê-la com teus próprios olhos; contudo, não atravessarás o rio, não poderás adentrá-la! 5Sendo assim, Moisés, o servo do SENHOR, morreu ali, em Moabe, como YHWH ordenara. 6Elohim mesmo o sepultou em Moabe, em um vale que fica em frente à cidade de Bete-Peor, mas até estes dias ninguém sabe onde está localizada sua sepultura. 7Moisés tinha cento e vinte anos de idade quando morreu; no entanto, nem seus olhos nem seu vigor físico haviam desvanecido. 8Os filhos de Israel prantearam a morte de Moisés ali mesmo, nas planícies de Moabe, durante trinta dias, até passar o período tradicionalmente dedicado ao luto. 9Contudo, Yehoshua/Josué, filho de Num, estava cheio da Ruach/Espírito de sabedoria, porque Moisés havia imposto suas mãos sobre ele; e, portanto, os filhos de Israel lhe deram ouvidos e fizeram tudo conforme o SENHOR ordenara a Moisés. 10Em Israel, todavia, nunca mais se levantou um profeta como Moisés, com quem YHWH houvesse dialogado face a face. 11Também jamais surgiu alguém que realizasse milagres, sinais portentosos e maravilhas semelhantes àquelas que Moisés, em obediência às ordens do SENHOR, fez no Egito contra o Faraó, contra todos os seus servos e exércitos, e contra a terra dos egípcios. 12Porquanto em momento algum houve uma pessoa que demonstrasse tamanho poder como Moisés, tampouco realizasse as obras temíveis que Moisés ministrou à vista de todo o povo de Israel.

HAFTARAH
Shmuel Alef/1 Samuel 31:
1E aconteceu que, em combate com os filisteus, os soldados de Israel foram postos em fuga e muitos caíram mortos no monte Gilboa. 2Os filisteus pelejaram contra Saul e sua família; e mataram Jônatas, Abinadabe e Malquisua, filhos de Saul. 3A batalha agravou-se contra Saul, e os flecheiros o alcançaram e o feriram gravemente. 4Então Saul ordenou ao seu escudeiro: “Desembainha a tua espada e transpassa-me, para que não venham esses incircuncisos e antes de me matar me humilhem ainda mais!” Mas o seu escudeiro não conseguiu obedecê-lo. Então, imediatamente, Shaul/Saul puxou sua própria espada e atirou-se sobre ela. 5Assim que o escudeiro constatou que Saul estava morto, lançou-se de igual modo sobre a sua espada e também suicidou-se ao lado de seu rei. 6E assim sucedeu que Saul, seus três filhos, seu escudeiro e todos os seus soldados morreram naquele dia. 7Quando os israelitas que estavam no outro lado do vale e além do Jordão viram que os homens de Israel haviam fugido, e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram suas cidades e fugiram; e os filisteus vieram e estabeleceram suas moradias nelas. 8No dia seguinte, quando vieram para despojar os que haviam morrido, os filisteus acharam os corpos de Saul e dos seus três filhos estirados no monte Gilboa. 9Então cortaram a cabeça de Saul e o despojaram das suas armas; e enviaram mensageiros por toda a terra dos filisteus a fim de proclamarem a notícia nos templos de seus ídolos e entre o seu povo. 10Expuseram as armas de Saul no templo de Ashtarot, Astarote e pregaram seu cadáver decepado da cabeça nas muralhas de Beit-Shean, Bete-Seã. 11Quando os habitantes de Iavesh-Guilad, Jabes-Gileade tomaram conhecimento do que os filisteus haviam feito a Saul e aos seus, 12os mais corajosos dentre o povo foram durante a noite a Bete-Seã. Tiraram da muralha os corpos de Saul e dos seus três filhos e os levaram para a cidade de Jabes, onde os cremaram. 13Depois recolheram os seus ossos e os enterraram debaixo da Tamargueira de Jabes, e jejuaram durante sete dias.

Iyóv/Jó 7:
1“Ó Elohim, por acaso o ser humano não trabalha dia após dia, arduamente, sobre a terra? Não são todos os seus dias como os de um assalariado? 2Como o escravo que suspira pelas sombras e o repouso do entardecer, como o assalariado que anseia pelo pagamento, 3assim me ofereceram meses de ilusão, e noites de desgraça me foram destinadas. 4Quando enfim me deito, questionam-me os pensamentos: ‘Quanto tempo terei de repouso? Quando me levantarei?’ Então a noite se arrasta e eu fico me virando na cama até que vejo o romper da aurora. 5Meu corpo está tomado pelos vermes e de crostas de ferida, observo minha pele se rachando e vertendo pus. 6Meus dias passam mais depressa que a lançadeira do tecelão, e chegam ao fim do mesmo jeito que começaram: sem esperança. 7Lembra-te, ó Elohim, de que a minha vida não representa mais que um sopro; meus olhos jamais tornarão a contemplar a felicidade. 8Os que agora me observam, nunca mais me verão; depositaste teu olhar sobre a minha pessoa, e já deixei de existir. 9Da mesma maneira que a nuvem se esvai e desaparece, aquele que desce ao Sheol, à sepultura, jamais voltará a subir. 10Nunca mais retornará à sua casa; a sua antiga habitação não mais tornará a vê-lo. 11Por este motivo não calarei a boca e falarei da angústia do meu espírito; eu me queixarei da amargura da minha alma. 12Acaso sou eu o mar, ou o monstro das profundezas para que cerques com guardas? 13Quando penso: ‘meu leito haverá de consolar-me e minha cama aliviará meu sofrimento!’ 14Eis que me assustas com sonhos, e me atemorizas com visões. 15Prefiro ser estrangulado e sofrer a morte em lugar de ver meus ossos sendo fustigados dia após dia; 16sinto desprezo pela minha vida! Sei que não viverei nesta terra para sempre; portanto, deixa-me, porquanto os meus dias não têm o menor sentido. 17Afinal, quem é o ser humano para que lhe dês grande importância e coloque sobre ele os teus olhos, 18para que o examines a cada nova aurora e o proves a cada momento? 19Nunca desviarás de mim o teu olhar misericordioso? Jamais me abandonarás, nem por um instante? 20Se errei e pequei, que mal te causei, ó tu que vigias todos os seres humanos? Por qual razão me tornaste teu alvo? Porventura me transformei num fardo pesado e inútil para ti? 21Por que não perdoas as minhas ofensas e não apagas de vez os meus pecados? Porquanto em breve me deitarei no pó; tu me procurarás, contudo, eu já não mais existirei

Yonah/Jonas 1:
1A Palavra de YHWH veio a Yonáh ben‘Amittay, Jonas filho de Amitai, com esta ordem:2“Dispõe-te e vai à grande cidade de Niynveh, Nínive, quer dizer, Morada de Ninus, e prega contra ela, porque a sua malignidade subiu até a minha presença!” 3Entretanto, Jonas decidiu fugir da presença de YHWH, o SENHOR, e partiu na direção de Tarshish,Társis, isto é, Jaspe Amarelo. Descendo para a cidade de Yâphô, Jope, ou seja, Formosa, encontrou um navio pronto à zarpar para Társis, pagou a passagem e embarcou nele, a fim de ir para a cidade de Társis, tentando escapar da presença de YHWH4Contudo, YHWH, fez soprar um forte vento sobre o mar, e caiu uma tempestade tão devastadora que o barco ameaçava arrebentar-se. 5Todos os marinheiros foram tomados de grande pânico, e cada um daqueles homens passou a clamar ao seu próprio deus. Em seguida lançaram ao mar a carga do navio, com o propósito de deixar a embarcação mais leve. Jonas, no entanto, havia se refugiado no porão do navio; e, tendo-se deitado, dormia profundamente.6O capitão dirigiu-se a ele e indagou: “Como consegues ficar dormindo numa hora dessas? Levanta-te agora mesmo e começa a clamar também ao teu deus! Talvez assim ele se lembre de nós para que não venhamos todos a perecer! 7Então os marinheiros chegaram a uma conclusão entre si: “Vinde e lancemos sortes, para saber quem é o responsável por essa desgraça que se abateu sobre nós!” E, de fato, jogaram as sortes, e a sorte caiu sobre Jonas. 8Imediatamente lhe perguntaram: “Declara-nos, pois, neste momento, por culpa de quem nos sobreveio esta tragédia? Quem és tu e qual a tua ocupação? De onde vens e qual a tua terra? A que povo pertences tu? 9E Jonas passou a responder-lhes: “Eu sou hebreu, e temo a YHWH, Adonay, o Elohim dos céus, que fez o mar e a terra!” 10Então aqueles homens ficaram horrorizados e lhe repreenderam: “Que é isso que fizeste?” Porquanto os homens sabiam que ele fugia do SENHOR, pois ele já lhes havia contato tudo. 11Considerando que o mar estava cada vez mais revoltoso, os marinheiros lhe inquiriram: “O que devemos fazer contigo, a fim de acalmar este mar?” 12Diante do que Jonas lhes aconselhou: “Pegai-me e lançai-me ao mar, e ele haverá de se aquietar; pois sei que esta violenta tempestade caiu sobre vós por minha causa!” 13Contudo, os homens ainda se esforçavam ao máximo para remar de volta à terra; todavia sem sucesso, e o mar ficava cada vez mais tempestuoso. 14Por isso suplicaram a YHWH nestes termos: “Ó SENHOR! Eis que nós te rogamos, ó YHWH! Não nos deixe morrer por conta da vida deste homem, e que não nos culpes pelo sangue inocente; porque tu, ó YHWH, fizeste como te aprouve fazer!” 15Então agarraram Jonas e o lançaram ao mar enfurecido; e logo este se acalmou. 16Assim que notaram que o mar se aquietara, todos os homens adoraram e louvaram a YHWH com grande temor, oferecendo-lhe sacrifícios e fazendo-lhe votos. 17Entrementes, YHWH, o SENHOR, fez com que um grande peixe engolisse Jonas, e ele ficou dentro desse peixe durante três dias e três noites.

Yonah/Jonas 3
1Então a Palavra de YHWH, o SENHOR, veio a Jonas pela segunda vez com esta orientação: 2“Levanta-te e vai agora mesmo à grande cidade de Nínive. E assim que lá chegar prega contra ela a mensagem que Eu mesmo haverei de te entregar!” 3Jonas, sem demora, obedeceu à Palavra do SENHOR e partiu para Nínive. E Elohim tinha um propósito para aquela grande cidade, cuja extensão levava-se três dias para percorrer. 4Jonas entrou na cidade e caminhou por ela por um dia inteiro proclamando: “Eis que daqui a quarenta dias Nínive será destruída!” 5Então os ninivitas creram em Elohim. Combinaram um jejum geral, e todo o povo, dos mais importantes e ricos aos mais simples e pobres, se vestiram com uma roupa feita de pano grosseiro a fim de demonstrar publicamente que reconheciam seus pecados e estavam arrependidos. 6Quando o rei de Nínive tomou conhecimento da pregação e de tudo que ocorria na cidade, ele se levantou do trono, tirou o manto real, vestiu-se também de pano de saco e sentou-se sobre cinzas. 7E então proclamou em Nínive: “Eis que por decreto do rei e de seus nobres; fica proibido a todo homem ou animal, bois ou ovelhas, provar de qualquer alimento! Portanto, não havereis de comer nem beber nada! 8Cobri-vos de vestes de arrependimento e lamento, tanto as pessoas como os animais. E todos os cidadãos orem a Elohim com todas as suas forças. Cada pessoa abandone seu mau caminho e toda atitude violenta. 9Talvez Elohim volte sua face para nós, se arrependa, e acalme o furor da sua ira, de modo que não sejamos destruídos!” 10Elohim observou tudo quanto fizeram: como se converteram do seu mau caminho e abandonaram a violência. E atendeu as orações do povo, voltou atrás e não destruiu a cidade como havia ameaçado.

HAFTARAH (complemento)
Ester/Ester 10:
1Passados esses acontecimentos, o rei Assuero, Xerxes, impôs tributos a todo o império, até sobre as distantes regiões costeiras. 2Todos os seus atos de majestade, força e poder, bem como o relato completo da grandeza com que honrou e exaltou Mardoqueu, estão registrados no Livro de Crônicas dos reis da Média e da Pérsia. 3O judeu Mardoqueu foi o segundo na hierarquia do império, logo depois do rei Assuero, Xerxes. Era um homem notável, ilustre e de grande influência entre todos os judeus e amado pela multidão de seus irmãos, porquanto trabalhava sempre para o bem de seu povo, promovendo a justiça e o bem-estar entre todos de seu tempo.

SHIR MIZMOR
Tehilim/Salmos 148:
Louvado seja o Eterno! Louvai-O nas alturas dos céus, os anjos e todas as legiões que Ele criou. Que O louvem o sol, a lua e todas as estrelas resplandecentes. Que O Louvem os mais elevados céus e as águas que estão ainda acima deles, porque por Sua palavra foram criados. Determinou-lhes seu lugar no universo e decretou-lhes leis que cumprirão eternamente. Louvai o Eterno, ó monstros marinhos e habitantes dos abismos, fogo e granizo, neve, vapores e ventos tempestuosos, todos obedientes à Sua lei; montanhas e outeiros, frutos das árvores e todos os troncos, animais selvagens e todo o gado, répteis e seres emplumados; reis e todos os governantes, príncipes e todos os juízes. Moços e moças, anciãos e crianças, louvem todos o Nome do Eterno, cuja glória é exaltada acima das maiores alturas. Sua glória se estende além dos céus e da terra. Ele elevará a glória de Seu povo e o louvor de Seus devotados servidores, os filhos de Yisra'El, O exaltarão, dizendo: Louvado seja o Eterno! Haleluiyah!
por Ya'el bat Yossef

http://www.youtube.com/watch?v=zsC25Bc3gYw


Nenhum comentário:

Postar um comentário