quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

CICLO TRIENAL - SEDRAH 145 (Semana de 12 a 18 de janeiro/2014)

(Shabat Shalom)
Torah: Devarim/Deuteronômio 31:14 - 20
Tema: Instruções sobre a sucessão de Mosheh/Moisés
Haftarah: Sh'muel Beit/2 Samuel 17; Melachim Alef/1 Reis 12; Melachim Beit/2 Reis 2
Tema(s): A trama para matar David; A revolta-se de Yisra'El contra Roboão e o bezerro de ouro; O arrebatamento de Elias e a purificação das águas
Haftarah (complemento): Ester 4 e 5
Tema(s): Ester é convencida a intervir a favor dos Yehudim; O pedido de Ester ao rei
Shir Mizmor: Tehilim/Salmos 145
Tema: A Bondade e Justiça do Eterno

TORAH
Devarim/Deuteronômio 31:
14Então o SENHOR falou a Mosheh/Moisés: “Eis que o dia da tua morte se aproxima. Convoca Yehoshuah/Josué, e apresentai-vos na Tenda do Encontro, a fim de que Eu lhe transmita minhas ordens!” Moisés e Josué dirigiram-se à Tenda do Encontro. 15YHWH apareceu na Tenda, em meio a uma coluna de nuvem; e a coluna de nuvem pairou sobre a entrada da Tenda. 16E o SENHOR disse a Moisés: “Eis que vais descansar na companhia dos teus antepassados, e este povo se levantará para se prostituir deixando-se iludir e seguindo os deuses pagãos da terra estrangeira em que está para entrar. E, desse modo, Yisra'El/Israel vai me desprezar, rompendo a Aliança que com ele estabeleci. 17Naquele dia minha ira se inflamará terrivelmente contra todo este povo e o abandonarei, ocultando-lhe a minha face. Então Israel será devorado e muitos males e adversidades o atingirão. E naquele dia Israel se questionará: ‘Se tantos males e desgraças estão me atingindo, será porque meu Elohim não está mais comigo?’ 18Sim, naquele dia Eu lhes esconderei completamente o meu rosto, por causa de todo o mal que Israel houver cometido, dedicando seu louvor para outros deuses19E agora, escrevei este cântico para vós. Ensinai-o aos filhos de Israel, colocai-o em sua boca, para que ele seja um testemunho a meu favor contra os filhos de Israel. 20Quando Eu o tiver feito adentrar na terra onde manam leite e mel, terra que prometi sob juramento a seus pais na antiguidade, e quando tiver comido com fartura e houver prosperado, engordará e se deixará seduzir por outros deuses e os servirá, abandonando-me e rompendo a minha Aliança. 


HAFTARAH
Sh'muel Beit/2 Samuel 17:
1Aitofel pediu a av'Shalom/Absalão: “Permita-me escolher doze mil homens e me laçar esta noite mesmo à perseguição de David. 2Atacarei seu acampamento enquanto está exausto e sem vigor, e provocarei grande pânico entre seu povo, e todos que estiverem com ele fugirão assombrados. Então ferirei mortalmente somente o rei David, 3e farei que se volte para ti todo o exército. Afinal, é somente um homem que precisas matar para que todo o povo fique em paz e te sirva!” 4Este conselho agradou sobremaneira a Absalão e a todas as autoridades de Israel.
5Contudo, solicitou Absalão: “Consultai ainda a Husai, o arquita, para que ouçamos também o que ele pensa.” 6Husai veio à presença de Absalão, que lhe questionou: “Aitofel deu-nos uma palavra de conselho. Devemos fazer o que ele recomendou ou tens outra orientação a nos dar?” 7Husai replicou: “Eis que o conselho que Aitofel deu desta vez não é bom.” 8E Husai prosseguiu argumentando: “Tu bem sabes que o teu pai e a sua gente são guerreiros valentes e estão muito irados com tudo o que tem acontecido, assim como fica a ursa a que se tiram as crias. Teu pai é um soldado experiente e não permitirá que todo o seu exercito durma nem passará a noite toda no acampamento. 9Agora mesmo, já deve estar abrigado em alguma caverna ou nalgum outro esconderijo. Se, logo no começo, houver vítimas do nosso lado, se espalhará a notícia de que houve derrota no exército de Absalão. 10Então, até mesmo o valente que tem um coração semelhante ao de um leão perderá a coragem porque todo o Israel sabe que teu pai é um bravo e que aqueles que o acompanham o são igualmente. 11Eu, portanto, aconselho com toda a segurança, que todo o exército de Israel, desde Dan/Dã até Bersheva/Berseba, se reúna em torno de ti, tão numeroso como os grãos de areia na praia do mar, e tu marcharás pessoalmente no meio deles. 12Nós o acharemos onde quer que esteja refugiado e cairemos sobre ele como o forte orvalho sobre a terra, e não deixaremos escapar nem a ele nem a nenhum dos que o acompanham. 13Se ele fugir e buscar proteção em alguma cidade, todo o povo de Israel levará cordas para essa cidade, e com elas a arrastaremos completamente até o vale, até que não reste ali sequer um seixo, uma pedrinha lisa!” 14Absalão e todos os homens de Israel exclamaram: “O conselho de Husai, o arquita, é de fato melhor do que o de Aitofel; porquanto o próprio SENHOR já havia decidido frustrar a eficiente estratégia de Aitofel, com o propósito de arruinar os planos de Absalão. 15Então Husai revelou aos kohanim/sacerdotes Tzadok/Zadoque e Abiatar todo o conselho que Aitofel dera a Absalão e aos anciãos de Israel, e o que ele mesmo lhes tinha orientado em seguida. 16E rogou-lhes: “Agora, pois, enviai urgentemente esta mensagem a David dizendo: ‘Não fiques esta noite nos passos do deserto, mas segue imediatamente para o outro lado, para que não venham a ser exterminados o rei e todo o exército que o acompanha!’” 17Yonatan/Jônatas e Aimaás estavam aguardando em En-Roguêl, a fonte de Rogel, porque não queriam se arriscar a serem vistos entrando na cidade. Uma criada ia até lá de vez em quando e informava sobre o que estava acontecendo; então eles iam contar ao rei David.18Entretanto, desta vez um rapaz os viu e levou a notícia a Absalão. Ao notar que seriam delatados os dois moços partiram apressadamente e chegaram à casa de um homem de Baurim, que tinha um poço quintal. Imediatamente desceram ao poço, 19e a dona da casa colocou a tampa sobre a boca do poço. Para disfarçar, espalhou grãos de cereal por cima. 20Mais tarde os soldados de Absalão chegaram à casa da mulher e lhe interrogaram: “Onde estão Aimaás e Jônatas?” A mulher prontamente lhes respondeu: “Passaram pelo curral das ovelhas e se foram apressados em direção às águas do rio!” Os soldados, no entanto, procuram por toda parte, e não achando ninguém, voltaram a Yerushalayim/Jerusalém. 21Assim que eles partiram, Aimaás e Jônatas saíram do poço e foram avisar o rei David: “Levantai-vos e atravessai rapidamente o rio, porque este foi o conselho que Aitofel deu acerca de vós!”22David e todo o exército que o acompanhava puseram-se, então, imediatamente a caminho e cruzaram o Yarden/Jordão; ao raiar da manhã não havia ninguém que já não estivesse em segurança do outro lado do Jordão. 23Quando Aitofel percebeu que o seu conselho não tinha sido seguido, selou seu jumento, montou-o e partiu para a sua casa na cidade. Pôs todos os seus negócios em ordem e logo em seguida se enforcou. Ele foi sepultado no túmulo de seu pai. 24David já havia alcançado a cidade de Mahanayim/Maanaim quando Absalão conseguiu atravessar o Jordão com todos os homens de Israel. 25Absalão havia nomeado Amassah/Amasa comandante do exército em lugar de Yoav/Joabe. Amasa era filho de um homem cujo nome era Itrá, o ismaelita, a mãe dele era Abigail bat Nahash, Abigail filha de Naás e irmã de Tzeruiah/Zeruia, mãe de Yoav/Joabe.26Absalão e os israelenses acamparam em Guilad/Gileade. 27Logo que David chegou a Maanaim, Shovi ben Nahash, Sobi filho de Náas, de Rabá dos amonitas,Mahir ben Amiel, Maquir filho de Amiel, da cidade de Lo-Debar, e o gileadita Barzilai, da cidade de Rogelim, 28trouxeram à presença de David e de seu exército camas, bacias e diversos utensílios de cerâmica, além de grande quantidade de trigo, cevada, farinha, grãos torrados, feijão, favas e lentilha, 29mel e coalhada, ovelhas e queijo de leite de vaca; porquanto sabiam que as tropas estavam exaustas, sedentas e esfomeadas em sua jornada pelo deserto.

Melachim Alef/1 Reis 12
1Rehavam/Roboão partiu para a cidade de Shechem/Siquém, onde todos os israelitas já haviam se reunido com o objetivo de proclamá-lo rei. 2Logo que Jeroboão, filho de Nebate, que estava refugiado no Egito, para onde havia fugido do rei Salomão, tomou conhecimento disso, regressou das terras do Egito, 3de onde mandaram chamá-lo. Jeroboão e toda a comunidade de Israel vieram e pleitearam junto a Roboão: 4“Teu pai tornou pesado o nosso jugo; agora, alivia a dura servidão e a pesada canga que teu pai nos impôs, e nós te serviremos de bom grado!” 5Mas ele lhes replicou: “Esperai três dias e depois voltai a mim” . E o povo foi-se embora. 6O rei Roboão consultou os anciãos e conselheiros que haviam auxiliado seu pai Salomão durante sua vida, e questionou: “Que me aconselhas a responder a este povo?” 7E eles lhe sugeriram: “Se hoje te sujeitares à vontade deste povo, se te submeteres a lhes dirigires palavras de compreensão e cooperação, então eles serão para sempre teus servidores”. 8Contudo, ele rejeitou o bom conselho que os anciãos lhe deram e foi em busca da opinião dos jovens que foram seus companheiros de infância e agora o assessoravam. 9Indagou-lhes: “Que aconselhais que se responda a este povo que me trouxe esta solicitação: ‘Alivia o jugo que teu pai colocou sobre nossas costas’?” 10Prontamente os jovens que haviam sido educados e crescido com ele afirmaram: “Eis o que dirás a este povo que te reclamou: ‘Teu pai tornou pesado o nosso jugo, mas tu podes aliviar o nosso fardo!’ Ora, eis o que deves responder: ‘Meu dedo mínimo é mais grosso do que a cintura do meu pai! 11Sendo assim, meu pai vos sobrecarregou com um jugo pesado, mas eu aumentarei ainda o vosso fardo; meu pai vos castigou com açoites, eu, todavia, vos açoitarei com chicotes com pontas de ferro, os escorpiões!’” 12Jeroboão e todo o povo se apresentaram perante Roboão, no terceiro dia, de acordo com a ordem que ele dera: ‘Voltai a mim daqui três dias’. 13Porém o rei respondeu duramente ao povo, rejeitando totalmente o conselho dos anciãos e experientes conselheiros. 14E, seguindo a opinião de seus jovens amigos e assessores, declarou ao povo: “Meu pai tornou vosso jugo pesado, eu o farei ainda mais difícil: meu pai vos castigou com açoites, mas eu vos repreenderei mediante chicotes com pontas de ferro, os escorpiões!” 15Assim, o rei não ouviu o povo; porquanto era uma disposição do próprio YHWH que assim fosse, a fim de cumprir a Palavra que Ele revelará a Jeroboão, filho de Nebate, por intermédio do silonita Aías. 16Então, quando todo o Israel compreendeu que o rei se recusava a ouvir o seu clamor, declararou-lhe: “Que temos nós com David? Não temos herança com o filho de Jessé! Ide para tuas tendas, ó Israel! Cuida de tua casa, ó David! Assim, cada homem de Israel retornou à sua casa. 17Entretanto, quanto aos israelitas que moravam nas cidades de Yehudah/Judá, Roboão continuou reinando sobre eles. 18O rei Roboão enviou-lhes Adoram/Adorão, encarregado dos trabalhos forçados; e todo o Israel o apedrejou, e ele morreu. Mas o rei Roboão conseguiu subir em sua carruagem e fugir para Yerushalayim/Jerusalém. 19Deste modo, Israel se rebelou contra a dinastia de David e assim permanece até nossos dias. 20Quando todo o Israel soube que Jeroboão tinha voltado, mandaram chamá-lo para encontrar a comunidade, e eles o proclamaram rei sobre todo o Israel; e não houve ninguém que seguisse a dinastia de David, senão somente a tribo de Judá. 21Quando Roboão voltou a Jerusalém, convocou toda a casa de Judá e a tribo de Benyiamin/Benjamim, num todo de cento e oitenta mil guerreiros de eshkol, elite, de toda a tribo de Judá e Benjamim para lutarem contra a casa de Israel, a fim de restituírem o reino a Roboão, filho de Shlomo/Salomão. 22Mas a Palavra de Elohim veio a Shemaiah/Semaías, homem de Elohim, nestes termos: 23“Fala a Roboão, filho de Salomão, rei de Judá, a toda a casa de Judá, a Benjamim e ao restante do povo: 24Assim falaYHWH: Não subais para guerrear contra vossos irmãos, os filhos de Israel; volte cada um para sua casa, pois o que aconteceu foi por minha vontade!” Eles obedeceram à ordem de YHWH e regressaram, assim como o SENHOR lhes havia orientado expressamente. 25Iarovam, Jeroboão fortificou a cidade de Shechém, Siquém na região montanhosa de Efraim, e habitou ali; mais tarde, partiu dali e construiu Penuel, Peniel. 26Então Jeroboão refletiu consigo mesmo: “Desse jeito, o reino pode voltar à casa de David. 27Se este povo continua subindo ao Templo de YHWH, em Jerusalém, para oferecer sacrifícios, o coração do povo se voltará para o seu senhor, Rehavam, Roboão, rei de Judá, e acabará por me matar” . 28Depois de ter recebido alguns conselhos, o rei fez dois bezerros de ouro e declarou ao povo: “Ó Israel, já chega de subires a Jerusalém; aqui estão teus deuses e divindades que te tiraram da terra do Egito!” 29Erigiu um bezerro em Bet-El, Betel, e o outro colocou em Dan, Dã. 30E, com esta atitude, todo o povo veio a cometer pecado, porquanto passou a ir até a cidade de Dã para adorar e cultuar aquele bezerro.31Jeroboão também construiu altares idólatras e designou sacerdotes dentre o povo, apesar de não serem levitas. 32Jeroboão celebrou uma festa no oitavo mês, no décimo quinto dia do mês, à semelhança da que se celebrava em Judá, e subiu ao altar. Assim fez ele em Beit'El/Betel, sacrificando em louvor aos bezerros que mandara construir e estabeleceu em Betel os sacerdotes dos lugares altos que instituíra. 33E, no dia quinze do oitavo mês, subiu ao altar que havia feito em Betel e ali sacrificou. Assim, determinou uma festa para os israelitas, numa data que arbitrariamente escolheu segundo as intenções do seu coração, e sacrificou no altar, queimando incenso.

Melachim Beit/2 Reis 2
1Esta é a história de quando o SENHOR levou Elias aos céus em meio a um redemoinho: Elias e Eliseu saíram de Guilgal, 2e no caminho ordenou-lhe Elias: “Aguarda aqui mesmo, porque YHWH está me enviando a Beit'El/Betel”. No entanto, Eliseu respondeu: “Tão certo como vive YHWH, o SENHOR, e como tu vives, não te deixarei!” E por isso desceram juntos para Betel. 3Em Betel os discípulos dos profetas foram falar com Eliseu e indagaram: “Sabes que hoje YHWH vai levar teu mestre para o céu, separando-o de ti?” Ao que prontamente retrucou Eliseu: “Sei, calai-vos!” 4Então Elias lhe ordenou: “Eliseu, fica aqui, pois YHWH está me enviando até Yeruchó/Jericó”. Porém ele respondeu: “Juro por YHWH, o Nome do SENHOR e por tua vida que não me separarei de ti!” E assim desceram juntos a Jericó. 5Os irmãos, seguidores dos profetas, que estavam em Jericó se aproximaram de Eliseu e questionaram-lhe: “Sabes que hoje o SENHOR vai levar teu mestre por sobre a tua cabeça para o céu?” E ele replicou: “Sim, eu sei, mas não fale mais sobre isso!” 6Em seguida Elias lhe disse: “Aguarda aqui, por que YHWH está me enviando ao Yarden/Jordão”. Mas ele contestou: “Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei seguir só!” E, sendo assim, ambos partiram juntos. 7Cinquenta discípulos dos profetas foram também e ficaram observando à distância o que se passava, quando Elias e Eliseu se detiveram à beira do rio Jordão. 8Então Elias tomou seu manto, dobrou-o e bateu nas águas com ele, as quais, imediatamente, se dividiram; e os dois atravessaram sobre terra seca. 9Assim que atravessaram, Elias propôs a Eliseu: “Pede-me o que queres que eu te faça, antes que seja levado para longe de ti”. Ao que respondeu Eliseu: “Rogo-te, como herança, porção dobrada de teu poder espiritual!” 10Elias respondeu: “Em verdade pediste algo muito difícil. Todavia, se me vires quando eu for levado da tua presença, assim se fará contigo; porém, se não conseguires perceber o meu arrebatamento, não se fará!” 11Enquanto estavam caminhando e conversando, um carro de fogo, puxado por cavalos em chamas, separou-os um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho. 12Assim que viu tudo isso acontecendo, Eliseu gritou: “Aba, meu mestre! Meu pai! Tu foste com os carros de guerra e os cavaleiros de Israel!” E quando já não podia mais segui-lo com os olhos, Eliseu tomou as próprias vestes e as rasgou ao meio. 13Em seguida pegou a capa de Elias, que tinha caído, voltou e parou à margem do rio Jordão. 14E, havendo tomado o manto de Elias, que tinha caído, bateu com ele nas águas e declarou: “Onde está YHWH, o Elohim de Elias?” Prontamente as águas se separaram em duas partes, e Eliseu passou sobre solo seco para o outro lado. 15Quando os discípulos dos profetas de Jericó observaram o que se passava, exclamaram: “Eis que o poder espiritual de Elias agora repousa sobre Eliseu!” Então, aproximaram-se dele e inclinaram-se com o rosto rente ao chão. 16E lhe disseram: “Há cinquenta homens guerreiros entre os teus servos. Deixa-os ir em busca do teu senhor; pode ser que a Ruach/o Espírito de YHWH o tenha levado e deixado sobre algum monte ou depositado em algum vale!” Entretanto, ele ordenou: “Não mandeis ninguém procurá-lo!” 17Contudo, eles o importunaram a ponto de aborrecê-lo, e, então, ele consentiu: “Enviai-os, pois!” E mandaram cinquenta valentes, que o procuraram por três dias sem encontrá-lo.18Voltaram para junto de Eliseu, que tinha permanecido em Jericó, o qual lhes admoestou: “Não vos dissera eu que não fôsseis?” 19Os moradores da cidade fizeram uma reivindicação a Eliseu: “A cidade tem um ambiente agradável, como bem pode ver o nosso senhor, mas suas águas são péssimas e a terra é infértil!”20Ordenou-lhes Eliseu: “Trazei-me um prato novo e ponde nele sal.” E eles lho trouxeram. 21Ele foi à fonte das águas, lançou-lhe sal e declarou: “Assim diz YHWH: Eu purifiquei estas águas e elas não causarão mais morte e esterilidade!” 22Imediatamente aquelas águas se tornaram puras, e assim permanecem até o dia de hoje, conforme a Palavra que Eliseu havia proferido. 23De lá Eliseu subiu a Betel; ao subir pelo caminho, uns rapazinhos que saíram da cidade zombaram dele, exclamando: “Volta, careca! Suma daqui careca!” 24Então ele se virou para trás e, observando aquela turma de meninos, amaldiçoou-os em o Nome de YHWH, o SENHOR. Em seguida, duas ursas ferozes saíram do bosque e despedaçaram quarenta e dois deles. 25Em seguida partiu para o monte Carmelo, de onde retornou a Shomeron/Samaria.

HAFTARAH (complemento)
Ester/Ester 4:
1Assim que Mardoqueu soube de tudo o que havia acontecido, rasgou as vestes, vestiu-se de pano de saco e cobriu-se de cinza, e saiu pela cidade, chorando e lamentando amargamente em alta voz.2Em seguida, dirigiu-se até a porta do palácio real, todavia não entrou, porquanto ninguém vestido de pano de saco tinha permissão para entrar nas dependências do palácio. 3Em todas as províncias aonde chegava a palavra do rei, por meio de seu decreto lido nas praças, houve grande consternação e pranto entre os judeus, com jejum, clamor e lamentação. Muitos se deitaram em pano de saco e em cinza. 4Quando as criadas da rainha Ester e os oficiais responsáveis pelo harém lhe contaram o que se passava com Mardoqueu, ela ficou pasma e aflita, e mandou-lhe roupas para que as vestisse e tirasse o pano de saco e as cinzas do corpo; todavia, Mardoqueu não quis aceitá-las. 5Então Ester convocou Hatá, um dos oficiais do rei, destacado para servi-la, e deu-lhe ordens expressas para descobrir o que estava transtornando Mardoqueu e por que ele estava tão angustiado. 6Hatá foi falar com Mardoqueu e o encontrou na praça da cidade, em frente à porta do palácio do rei. 7Mardoqueu lhe contou tudo o que tinha ocorrido com ele e a soma exata da prata que Hamã havia prometido depositar na tesouraria do rei para a execução da matança total dos judeus. 8Também lhe deu a cópia do decreto proclamado na capital, Susã, que determinava o extermínio dos judeus, para que ele a mostrasse a Ester e lhe explicasse tudo o que estava se passando, e lhe pedisse que fosse falar com o rei, e lhe rogasse misericórdia e intercedesse junto a ele em favor do seu povo. 9Em seguida Hatá retornou e comunicou a Ester tudo o que Mardoqueu lhe havia relatado. 10Então ela o orientou a transmitir a seguinte mensagem a Mardoqueu: 11“Todos os oficiais do rei e o povo das províncias do império sabem que existe somente uma lei para qualquer homem ou mulher que se aproxime do rei no pátio interno sem que seja convocado diretamente por ele: tal pessoa será morta, a não ser que o próprio rei estenda seu cetro de ouro para a pessoa e mediante esse sinal lhe salve a vida. E eu não sou chamada à presença do rei há mais de trinta dias!” 12Quando Mardoqueu recebeu essa resposta de Ester, 13imediatamente mandou adverti-la: “Não imagines que, somente por estares vivendo no palácio do rei, serás a única a escapar da matança dos judeus, 14porquanto se calares neste momento crucial, certamente socorro e salvação surgirão de outra parte para os judeus, mas tu e a casa de teu pai, os teus familiares, todos sereis aniquilados. Quem sabe se não foi para este dia que foste nomeada rainha da Pérsia?” 15Então Ester mandou a seguinte resposta a Mardoqueu: 16“Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem na capital, Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que esse seja um gesto considerado rebelde e contra a lei; se perecer por isso, pereci!” 17Então, partiu Mardoqueu e agiu exatamente como Ester lhe havia pedido.

Ester/Ester 5:
1Passaram-se três dias, Ester vestiu seus trajes de rainha e foi ao pátio interior do palácio do rei, que fica em frente ao salão do rei. Xerxes estava sentado em seu trono, na grande sala real, de frente para a entrada principal. 2Quando viu a rainha Ester ali no pátio, teve misericórdia dela e estendeu-lhe o cetro de ouro que tinha na mão em sinal de atenção. Então Ester se aproximou e tocou a ponta do cetro. 3Então o rei lhe indagou: “Que é o que tens, rainha Ester? Dize-me, pois, o que desejas, e ainda que seja metade do meu reino, te darei!” 4Contudo Ester lhe respondeu: “Se for teu agrado, ó rei, venha hoje com Hamã ao banquete que eu lhe preparei!” 5Então o rei imediatamente exclamou: “Depressa, trazei Hamã para que atendamos ao pedido de Ester!” E assim, o rei e Hamã foram ao banquete que Ester havia planejado e mandado preparar.6Enquanto saboreavam o bom vinho do palácio, o rei perguntou uma vez mais a Ester: “Mas, o que de fato queres que eu te faça? Dize-me e serás atendida. Qual é o desejo do teu coração? Até a metade do meu reino te será dada!” 7Diante dessa palavra do rei, Ester rogou: “Aqui está, pois, a minha petição e o meu desejo: 8Se é da vontade do rei demonstrar sua bondade e generosidade para comigo, e se lhe agradar atender e conceder o meu desejo, que o rei e Hamã venham também amanhã ao banquete que vou preparar em vossa homenagem. Então, naquele momento, terei minha resposta pronta e a apresentarei ao rei.” 9Naquele dia Hamã saiu alegre e satisfeito. No entanto, ficou irado quando percebeu que Mardoqueu, que estava junto à porta do palácio real, não se levantou nem demonstrou qualquer reverência diante da sua presença. 10Todavia, Hamã conseguiu controlar sua fúria e foi para casa. Reunindo seus amigos e Zeres, sua mulher, 11Hamã começou a gabar-se da grande riqueza que havia acumulado, de seus muitos filhos e de como o rei o havia honrado e promovido acima de todos os nobres e ilustres oficiais da corte. 12E disse mais Hamã, com arrogância: “Além disso, sou o único no império que a própria rainha Ester convidou para acompanhar o rei ao banquete que ela preparou em homenagem a Xerxes. Ela me convidou para comparecer também amanhã na companhia do rei.13Contudo, não me darei por plenamente satisfeito enquanto vir aquele judeu Mardoqueu sentado à porta do palácio real!” 14Então Zeres, sua esposa, e todos os seus amigos lhe deram o seguinte conselho: “Ora, manda fazer uma forca, com mais de vinte metros de altura, e logo pela manhã peça ao rei que Mardoqueu seja sumariamente enforcado nela. Depois alegra-te e vai com o rei para o banquete. Hamã gostou de ouvir aquela sugestão e, imediatamente, mandou que se construísse a tal forca.


SHIR MIZMOR
Tehilim/Salmos 145:
 Salmo de David. Exaltar-Te-ei, meu Elohim e meu Rei e bendirei sempre Teu Nome. 2  Sim, Louvar-Te-ei a cada dia e Teu Nome hei de eternamente abençoar. 3 Grande é o Eterno e digno de todos os louvores, pois incomensurável é Sua grandeza. 4 Cada geração transmitirá à seguinte o louvor de Tuas obras e narrará a grandeza de Teus poderosos feitos. 5 Meus pensamentos se voltarão para o esplendor de Tua Majestade e sobre as maravilhas de Tuas realizações, falarei sempre. 6 Sobre Teu poder temível e sobre a abundância de Tua generosidade não deixarei de me pronunciar e sobre Tua permanente retidão cantarei exultante. 7 Piedoso e pleno de bondade é o Eterno, tardio em irar-Se e sempre pronto a ser generoso. 8 Ele é bom para com todos e se manifesta através de todos os Seus feitos. 9 Hão de agradecer-Te todos os frutos de Tua criação e abençoar-Te todos os que Te são devotados. 10 Sobre Teu reinado de glória falarão e sobre Teu Poder narrarão, 11 para dar a conhecer a todos os seres humanos Teus atos poderosos e o glorioso esplendor de Teu reino,  12 pois Ele se mantém por toda a eternidade e sobre todas as gerações manifesta Seu domínio. 13 O Eterno reergue todos os caídos e dá apoio a todos os abatidos. 14 Os olhos de todos se voltam para Ti com esperança e o alimento de que precisam lhes proporciona no tempo apropriado. 15  Abres Tuas mão e satisfazes os anseios de todos os seres. 16  Justos são todos os caminhos do Eterno e repletos de magnanimidade todos os Seus atos. 17  Está sempre próximo dos que O invocam, dos que por Ele clamam com sinceridade. 18  Atenderá o desejo dos que O temem; seu clamor há de escutar e lhes trará a salvação. 19    Ele protege aos que O amam, mas certamente destruirá os malévolos. 20  Que proclame minha boca o louvor do Eterno e bendiga toda criatura Seu santo Nome por todo o sempre!
compilado de: Bíblia King James, português
por Ya'el bat Yossef



Nenhum comentário:

Postar um comentário