sábado, 19 de outubro de 2013

REFLEXÃO SEDRAH 132 - DEVARIM 12 (SEGURANÇA)

por Yossef Michael

Em nossa reflexão de hoje, falaremos sobre segurança e, para isto, analisemos a passagem de Devarim/Deuteronômio 12:10: “Mas logo vocês chegarão ao Yarden/Jordão e viverão na terra que o Eterno, Elohim de vocês, está lhes proporcionando. Quando Ele lhes tiver concedido segurança (vehenicha) de todos os seus inimigos em volta de vocês e vocês viverem em segurança (betach)”.

Nesta tradução, vemos que “segurança/betach” aparece duas vezes, porém, com sentidos levemente diferentes.

A primeira, no hebraico "vehenicha", pode significar, entre outras possibilidades, “repouso/descanso”, mesmo assim, não deixando de ter relação com "segurança".  Já a segunda, no hebraico "betach" será o foco de nosso estudo.

Segundo a Concordância Strong #0983, provém da raiz antiga "batach" que, segundo a Concordância Strong #0982, pode significar:

1.  confiar;
    1a)  (Qal) 
         1a1) confiar, confiar em 
         1a2) ter confiança, estar confiante 1a3) ser ousado 1a4) estar seguro
    1b) (Hifil) 
          1b1) fazer confiar, tornar seguro
2.   (Ditat) sentir-se seguro, estar despreocupado.

Pelo que vimos acima, esta "segurança" está associada à "confiança". Neste sentido, vejamos o que podemos encontrar em outras passagens do Tanach/Escrituras:

Devarim/Deuteronômio 28:52: “E sitiar-te-á em todas as tuas portas, até que venham a cair os teus altos e fortes muros, em que confiavas (betach) em toda a tua terra; e te sitiará em todas as tuas portas, em toda a tua terra que te tem dado o Eterno teu Elohim”.

Devarim/Deuteronômio 33:28: “Yisra’El, pois, habitará só, seguro (betach), na terra da fonte de Ya’aqov/Jacó, na terra de grão e de mosto; e os seus céus gotejarão orvalho”
Yehezq’El/Ezequiel 33:13, “Quando eu disser ao justo que certamente viverá, e ele, confiando (batach) na sua justiça, praticar a iniqüidade, não virão à memória todas as suas justiças, mas na sua iniqüidade, que pratica, ele morrerá”.

Shemuel Alef/1 Samuel 12:11: “E o Eterno enviou a Yerubaal/Jerubaal, e a Bedan/Bedã, e a Yif’tach/Jefté, e a Shemuel/Samuel; e livrou-vos da mão de vossos inimigos em redor, e habitastes seguros (betach)”.

Tehilim/Salmos 115:9: “Yisra’El, confia (betach) no Eterno; Ele é o seu auxílio e o seu escudo”.

Como visto até aqui e em outras inúmeras passagens, fica bastante clara esta relação entre "confiança e segurança". Além destas, existe outra passagem bem interessante, senão vejamos:

Zechariyah/Zacarias 14:11: “E habitarão nela, e não haverá mais destruição, porque Yerushalayim/Jerusalém habitará segura (lavetach)”.

Mas qual a relevância desta passagem, já que o contexto de confiança e segurança é o mesmo?
Temos dois aspectos muito interessantes para associar esta passagem de Zechariyah/Zacarias com a de Devarim/Deuteronômio.

Primeiramente, vemos que em Devarim/Deuteronômio o Eterno faz menção por diversas vezes à escolha de um local onde faria habitar Seu Nome e onde Seu povo deveria apresentar-lhe seus sacrifícios e ofertas... Não em qualquer lugar, mas apenas naquele por Ele escolhido.

Devarim/Deuteronômio 12:11-14: “haverá um lugar que o Eterno escolherá como o lugar dedicado a Seu Nome. Será lá que vocês terão de trazer tudo que eu estou lhes prescrevendo, como seus holocaustos, sacrifícios de comer, dízimos especiais, donativos elevados entregues em mãos e as escolhidas promessas gerais que vocês podem oferecer ao Eterno. Vocês se rejubilarão diante do Eterno, Elohim de vocês, junto com seus filhos, suas filhas, seus escravos e escravas e os Levi’im/Levitas de seus assentamentos, que não possuem porção hereditária com vocês. Sê cuidadoso para não ofereceres teus holocaustos em qualquer lugar que tu vês como adequado. Isto deve ser feito somente no lugar que o Eterno escolherá, no território de uma de tuas tribos. Somente lá tu sacrificarás holocaustos e somente lá tu prepararás todas as oferendas que eu estou lhes prescrevendo”.

Algo que me impressiona ao ler a passagem acima é que aquele povo entraria na Terra Prometida que, por sua vez, seria dividida segundo suas famílias, passando cada tribo a viver isoladamente, diferentemente do que estavam acostumados ao longo de toda aquela jornada pelo deserto, cessariam os sacrifícios e a Arca da Aliança não mais estaria “acessível” a todos.

Se pararmos para pensar que a vida daquelas pessoas estava fundamentada justamente nisto, fica difícil de imaginar como conseguiriam “seguir em frente”... Mas o que era preciso então? Justamente sentirem-se “seguros” (betach), pois esta confiança (betach) no Criador era suficiente para que naquela terra habitassem... Como dito logo acima no Tehilim/Salmo 115:9, “Yisra’El, confia (betach) no Eterno; Ele é o seu auxílio e o seu escudo”.

E agora vem o paralelo com a passagem de Zechariyah/Zacarias... O contexto daquela passagem é justamente sobre os “Tempos Apontados”, ou seja, a chegada do dia do Eterno, onde Yisra’El finalmente será reajuntado, senão vejamos:

Zechariyah/Zacarias 14:9-12: “E o Eterno será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Eterno, e um será o Seu Nome. Toda a terra em redor se tornará em planície, desde Gevah/Geba até Rimom, ao sul de Yerushalayim/Jerusalém, e ela será exaltada, e habitada no seu lugar, desde a porta de Binyamin/Benjamim até ao lugar da primeira porta, até à porta da esquina, e desde a torre de Chanan’El/Hananeel até aos lagares do rei. E habitarão nela, e não haverá mais destruição, porque Yerushalayim/Jerusalém habitará segura (lavetach). E esta será a praga com que o Eterno ferirá a todos os povos que guerrearam contra Yerushalayim/Jerusalém: a sua carne apodrecerá, estando eles em pé, e lhes apodrecerão os olhos nas suas órbitas, e a língua lhes apodrecerá na sua boca”.

Em Devarim/Deuteronômio nos é anunciado e ordenado para que aguardemos Sua escolha quanto ao local em que faria habitar de forma segura Seu Nome e em Zechariyah/Zacarias é confirmada a profecia acerca de Yerushalayim/Jerusalém, a morada eterna e centro de nossa Fé!!! Como podemos ter certeza sobre a chegada dos “Tempos Apontados”? Basta olharmos para a situação de Yerushalayim/Jerusalém... Será que hoje temos condições de imaginar esta condição profetizada em Zechariyah/Zacarias? Acaso vemos um local pronto para receber a morada do Criador novamente?

Mas por que tudo isto ocorreu? Por que não habitamos seguros na Terra Prometida e, mais especificamente, em Yerushalayim/Jerusalém?

A resposta está no próprio perek/capítulo que estamos estudando... Devarim/Deuteronômio 12:1-3: “Estes são os Estatutos e Leis que vocês devem guardar com cuidado na terra que o Eterno, Elohim de seus pais, está lhes dando de modo que vocês possam ocupá-la enquanto viverem sobre a terra. Destruam todos os lugares onde as nações que vocês estão expulsando adoravam seus deuses, estejam eles sobre as altas montanhas, sobre os montes ou sob qualquer árvore exuberante. Vocês devem derrubar seus altares, quebrar seus pilares sagrados, queimar suas árvores Asherah e cortar as estátuas de seus elohim, removendo seus nomes deste lugar”.

Sim, mais uma vez, vemos que o “epicentro do tornado que nos varreu” da Terra Prometida foi a idolatria... Derrubamos os altares pagãos? Respeitamos a vontade do Criador e elegemos Yerushalayim/Jerusalém como local único para Sua adoração? Inscrevemos a Torah em nossos corações? Não, não e não... Antes, nos curvamos à má inclinação de nossos corações e seguimos de forma rebelde e inconsequente... Resultado? Dispersão, sofrimento e afastamento da condição de filhos... 

Todavia, Baruch HaShem, O Eterno nos ama de uma forma escandalosa e, por isto, ganhamos nossa “milésima” chance de retornarmos aos Seus Caminhos... Depende de nós!!!

Chazak, Chazak Venit Chazek!!!
Força, força e que sejamos fortalecidos!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário