sábado, 5 de outubro de 2013

REFLEXÃO SEDRAH 130 - DEVARIM 9 (A IMPIEDADE)

Shalom, chaverim v'chaverot!
por Yossef Michael

A reflexão da Sedrah desta semana está em duas passagens de Devarim 9.
  • Devarim/Deuteronômio 9:4-5, “Quando o Eterno os repelir diante de ti, não digas a ti próprio: ‘Foi por causa da minha virtude que o Eterno trouxe-me para ocupar esta terra’. Foi por causa da perversidade dessas nações que o Eterno as está expulsando diante de ti. Não é por causa da tua virtude e integridade de coração que tu estás vindo para ocupar a terra deles, mas por causa da perversidade (uverish’at) dessas nações as quais o Eterno está expulsando diante de ti. Também é porque o Eterno está mantendo a Palavra que Ele jurou a teus ancestrais, Avraham, Yits'chak e Ya'akov”.
  • Yeshayahu/Isaías 26:9-20, “Com minha alma te desejei de noite, e com o meu espírito, que está dentro de mim, madrugarei a buscar-te; porque, havendo os teus juízos na terra, os moradores do mundo aprendem justiça. Ainda que se mostre favor ao ímpio (rasha), nem por isso aprende a justiça; até na terra da retidão ele pratica a iniqüidade, e não atenta para a majestade do Eterno”.
Mas o que há de comum nestas duas passagens?

As nações são o elo comum entre as duas passagens. Nações que agem com perversidade, conhecidas nas Escrituras como ímpios. Isto fica bastante evidente se olhamos para o hebraico, onde a raiz "rashah" aparece de forma muito clara nas duas expressões aqui em análise.

Por outro lado, há diferenças muito marcantes no contexto das duas passagens. Em Devarim/Deuteronômio 9, vemos que Mosheh/Moisés explica com bastante ênfase que a “permissão” para a conquista da Terra Prometida não tem o menor vínculo com algum mérito de nossos pais... Pelo contrário, vemos que as duas razões apresentadas sequer tem relação direta com o modo de vida ou ações daquela nação que peregrinou durante os quarenta anos pelo deserto... Chega a machucar esta realidade... Habitamos na Terra Prometida naquele momento, pela mais pura Misericórdia e Amor dEle para com Sua Criação.

A impiedade existe e sempre existiu e foi como consequência disso que ganhamos o direito à herança em detrimento daqueles que já habitavam por lá. Como está dito em Devarim/Deuteronômio 9, também há a promessa feita a nossos pais, Avraham, Yits’chak e Ya’akov, mas, em minha modesta opinião, o fator preponderante talvez tenha sido a impiedade das nações que habitavam em Kena’an/Canaã.

Agora o contexto de Yeshayahu/Isaías 26 traz um ingrediente novo... As nações seguem desviando-se e transgredindo a Torah de HaShem a seu bel prazer, porém nós buscamos mudar!!! Diferentemente do que ocorrera no deserto, o novo contexto traz um povo temente e desejoso de seguir ao Eterno, e isto faz toda a diferença!

As nações continuam a viver da mesma forma, isto é, em desconformidade com os propósitos do Criador, porém, pela chessed de HaShem, um remanescente, finalmente, será capaz de abandonar a idolatria, para assim adorar de forma exclusiva ao Elohim Echad/Único. Como consequência desse “novo” coração e pelo fato de se propor a cumprir e obedecer às Instruções do Eterno, veremos cumprida a seguinte profecia.
  • Yeshayahu/Isaías 27:12-13, “E será naquele dia que o Eterno debulhará seus cereais desde as correntes do rio, até ao rio de Mitsrayim/Egito; e vós, ó filhos de Yisra’El, sereis colhidos um a um. E será naquele dia que se tocará uma grande trombeta, e os que andavam perdidos pela terra da Assíria, e os que foram desterrados para a terra de Mitsrayim/Egito, tornarão a vir, e adorarão ao Eterno no monte santo em Yerushalayim/Jerusalém”.
Vivemos em meio à impiedade, mas, podemos ser diferentes! É uma questão de escolha... Talvez nisto resida a maior sabedoria que a Torah e os profetas possam nos ensinar... Só depende de nós!!! Grande desafio, não é mesmo?!?

Quando Mosheh/Moisés desceu do monte Chorev/Horeb e viu o que havia sido feito pelo povo, no episódio do bezerro de ouro, a primeira reação que teve foi a de destruir as Tábuas de pedra onde estavam gravadas as Ordens do Criador... No entanto, ainda que seu coração tenha sido destruído naquele momento, nunca deixou de interceder favoravelmente para que o Criador agisse com clemência para com Seu povo... Humildade e desapego são as lições obtidas a partir do exame da vida daquele que talvez tenha sido o maior justo a caminhar no meio de nós...

Mas, se não somos sequer sombra do que foi Mosheh/Moisés ou nossos pais, então, por quê estamos fazendo Teshuvah/Retorno às Veredas Antigas? 

Como nos foi revelada a Verdade e, por conta disto, grande responsabilidade carregamos, como seremos capazes de viver aquilo que está descrito em Yeshayahu/Isaías 27 ou, pelo menos, plantá-la no coração de nossa descendência?

A resposta está nesta passagem de Yehezk’El/Ezequiel:

Yehezk’El/Ezequiel 18:26-28, “Desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo iniqüidade, morrerá por ela; na iniqüidade, que cometeu, morrerá. Mas, convertendo-se o ímpio (rasha) da impiedade (merish’ato) que cometeu, e procedendo com retidão e justiça, conservará este a sua alma em vida. Pois que reconsidera, e se converte de todas as suas transgressões que cometeu; certamente viverá, não morrerá”.

A chance nos é dada... O Eterno nos entregou novas Tábuas para que pudéssemos escolher segui-Lo. A escolha é nossa.!!! Esta passagem de Yehezk’El/Ezequiel deixa claro que há saída para nossa impiedade...

Algo que nos traz bastante temor é o entendimento que, ainda que andemos pelos Caminhos do Eterno, não estamos livres da condição de impiedade... Ela está a nossa volta, como que nos espreitando... Nosso coração enganoso, sutilmente, cede a seus caprichos e, como descrito acima, podemos morrer por ela...

Que o Eterno, Bendito Seja, possa nos conduzir durante o tempo em que trilharmos por este vale de impiedade, para que possamos sempre tê-Lo como único objetivo. Que seja esta nossa obstinação e não um desejo fútil e tolo de salvação...
Chazak, Chazak Venit Chazek!!!

Força, força e que sejamos fortalecidos!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário