sábado, 14 de setembro de 2013

REFLEXÃO SEDRAH 127 - DEVARIM 6 (UMA TERRA QUE MANA LEITE E MEL)

por Yossef Michael

Pequenas porções do entendimento e da sabedoria contidos nas Sagradas Escrituras já nos dão uma ínfima ideia do esplendor e da glória de nosso Elohim Avinu/Nosso Pai. Pacientemente, Ele nos permite conhecê-lo através de Sua Palavra - a Torah e demais escritos do Tanach.

Nesta semana estudaremos a característica mais comumente usadas para se referir à Kena’an/Canaã, a Terra Prometida.

A primeira vez em que esta expressão aparece nas Sagradas Escrituras está em Shemot/Êxodo 3:8, - “Portanto desci para livrá-lo da mão dos egípcios, e para fazê-lo subir daquela terra, a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do perizeu, e do heveu, e do jebuseu”.

O contexto desta passagem refere-se ao momento em que Mosheh, enquanto apascentava o rebanho de ovelhas de seu sogro, Yitro/Jetro, em Chorev/Horeb, recebe o chamado do Eterno, em meio ao fogo de uma sarça, para então se tornar o libertador de nossos pais da escravidão de Mitsrayim/Egito.

O primeiro detalhe importante é que falamos do mesmo local onde mais tarde seria feita a Aliança com nossos pais, no monte de Elohim!

Devarim 6:1-3, “Mosheh convocou todo Yisra'El e disse: Ouve, ó Yisra'El, os estatutos e as normas que hoje proclamo aos vossos ouvidos. Vós os aprendereis e cuidareis de pô-los em prática.  YHWH nosso Elohim concluiu conosco uma Aliança no Chorev/Horeb.  YHWH não concluiu esta Aliança com nossos pais, mas conosco, conosco que estamos hoje aqui, todos vivos”.

Mosheh recebeu uma missão... Ser o responsável por conduzir um povo, a nação escolhida - Am Yisra’El, desde Mitsrayim/Egito até Kena’an/Canaã, uma terra em que mana leite e mel.

Mas, o que há de especial nesta expressão e qual o motivo de nossos pais compreenderem o quão maravilhosa seria esta terra?

O hebraico, novamente, será a chave para a nossa compreensão... “Zavat chalav ud’vash”, em português, “mana leite e mel”. 

A palavra chalav, aqui traduzida por leite, segundo a Concordância Strong #02461 pode significar entre outras coisas, 1) leite, coalhada, queijo; 1a) leite; 1b) abundância da terra (metáfora); 1c) branco (como leite). Esta palavra vem de chelev, que, segundo a Concordância Strong #02459, pode significar, entre outras coisas, gordura; 1a) gordura (referindo-se a seres humanos); 1b) gordura (referindo-se a animais); 1c) o escolhido, o melhor, abundância (referindo-se aos produtos da terra).

Vejamos algumas passagens em que chalav/chelev são empregadas.

Bereshit/Gênesis 45:18, “E tornai a vosso pai, e às vossas famílias, e vinde a mim; e eu vos darei o melhor da terra de Mitsrayim/Egito, e comereis da fartura (chelev) da terra”.

Vayikrah/Levítico , “E tirará toda a gordura (chelev), como se tira a gordura (chelev) do sacrifício pacífico; e o sacerdote a queimará sobre o altar, por cheiro suave a  YHWH; e o sacerdote fará expiação por ela, e ser-lhe-á perdoado o pecado”.

Bamidbar/Números 18:12, “Todo o melhor (chelev) do azeite, e todo o melhor do mosto e do grão, as suas primícias que derem a YHWH, as tenho dado a ti”.

Shoftim/Juízes 5:24-25, “Bendita seja entre as mulheres, Ya’El/Jael, mulher de Chever/Héber, o queneu; bendita seja entre as mulheres nas tendas. Água pediu ele, leite (chelev) lhe deu ela; em prato de nobres lhe ofereceu manteiga”.

Yeshayahu/Isaías 7:22, “E acontecerá que por causa da abundância do leite (chelev) que elas hão de dar, comerá manteiga; e manteiga e mel comerá todo aquele que restar no meio da terra”.

Vamos agora à segunda palavra da expressão - "devash", em português, "mel". Segundo a Concordância Strong #01706 é procedente de uma raiz não utilizada significando "ser grudento". Vejamos algumas passagens em que é empregada.

Bereshit/Gênesis 43:11, “Então disse-lhes Yisra’El, seu pai: Pois que assim é, fazei isso; tomai do mais precioso desta terra em vossos vasos, e levai ao homem um presente: um pouco do bálsamo e um pouco de mel (devash), especiarias e mirra, terebinto e amêndoas”.

Vayikrah/Levítico 2:11, “Nenhuma oferta de alimentos, que oferecerdes a YHWH, se fará com fermento; porque de nenhum fermento, nem de mel (devash) algum, oferecereis oferta queimada a YHWH”.

Devarim/Deuteronômio 32:13, “Ele o fez cavalgar sobre as alturas da terra, e comer os frutos do campo, e o fez chupar mel (devash) da rocha e azeite da dura pederneira”.

Assim, o Eterno, nosso Elohim, quando ordenou a Mosheh, em Chorev, que conduzisse nossos pais à terra que “mana leite e mel”, talvez quisesse nos dizer que aquele povo, nação escolhida, Am Yisra’El, segundo Sua Misericórdia e Amor incomensuráveis e incompreensíveis, estava pronto para cumprir Sua parte na Aliança estabelecida com Avraham Avinu; a de multiplicar sua descendência. Uma terra onde havia fartura, alimentos e, principalmente, o Shalom!

Vemos que a gordura era de exclusividade do Criador quando oferecida em sacrifícios, seja de elevação, ou mesmo expiatórios. Obviamente, no campo da especulação, algo que chama a atenção é que o Eterno parece estar disposto a “dividir” conosco Sua parte... Ao determinar que, naquela terra, estaríamos estabelecidos, um lugar onde faria habitar Seu Nome, podemos imaginar o que representaria, na prática, esta proximidade, esta comunhão...

Para que a promessa, a Aliança, fosse cumprida, faltava apenas uma parte... A nossa!!! A terra estava lá, todas as condições para que nos multiplicássemos também, o Eterno estava lá!!!
O que faltava então?

Devarim/Deuteronômio 6:1, “Mosheh convocou todo Yisra'el e disse: Ouve, ó Yisra'el, os estatutos e as normas que hoje proclamo aos vossos ouvidos. Vós os aprendereis e cuidareis de pô-los em prática”.

Em nossa Teshuvah, novamente, tudo está a nossa espera. Estamos vivendo na galut/dispersão, mas, ainda assim, ao adentrarmos em um Shabat, ao vivenciarmos os Moadim, ao obedecermos ao Criador, podemos nos sentir um pouco mais próximos dEle; podemos vislumbrar o que seria lá estarmos, habitando na Terra Prometida!!!

Que possamos meditar sobre nossas transgressões, delas nos arrependermos, para tentarmos “encurtar”, pelo menos um pouco, o caminho que nos levará até Ele!!!
Chazak, Chazak Venit Chazek!!!
Força, força e que sejamos fortalecidos!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário