quinta-feira, 26 de setembro de 2013

CICLO TRIENAL (e vídeo) - SEDRAH 129 (Semana de 22 a 28 de setembro/2013)

(Shabat Shalom)
Torah: Devarim/Deuteronômio 8:1-20
Tema: Provas e tentações
Haftarah: Nehemiah/Neemias 8; Yirmyahu/Jeremias 9; Iyov/Jó 13
Tema(s): A leitura da Torah; A corrupção de Yehudah; A sabedoria de YHWH
Shirim U’Chochmah: Shir haShirim/Cantares 2:1-7
Tema(s): Diálogo entre o amado e a amada (I)
Shir Mizmor: Tehilim/Salmos 129
Tema: Os inimigos de Tsiyon

TORAH
Devarim/Deuteronômio 8:
1 Tu deves preservar e cumprir todo mandamento que eu prescrevo hoje para ti. Tu então sobreviverás, florescerás e ocuparás a terra que o Eterno prometeu a teus pais. 2 Lembra-te de todo caminho pelo qual o Eterno, teu Elohim, te conduziu durante esses quarenta anos no deserto. Ele enviou sofrimentos para te testar, para determinar[1] o que está em teu coração, se tu guardarias os Seus mandamentos ou não. 3 Ele fez a vida difícil para ti, deixando-te faminto e então Ele te alimentou com o manah, o que nem tu nem teus ancestrais jamais experimentaram. Isto foi para ensinar-te que nem só de pão vive o homem, mas por tudo que vem da boca do Eterno. 4 A roupa que tu vestias não ficou esfarrapada e teus pés não ficaram machucados[2] nesses quarenta anos. 5 Tu deves assim meditar sobre o fato de que, assim como o homem castiga seu filho, assim o Eterno está te castigando. 6 Preserva os Mandamentos do Eterno, teu Elohim, para que tu andes em Seus caminhos e permaneças em temor d'Ele 7 O Eterno, teu Elohim, está te trazendo para uma boa terra – uma terra com correntes fluindo e fontes subterrâneas esguichando em vales e montanhas. 8 Ela é uma terra de trigo, de cevada, uvas, figos e romãs – uma terra de óleo de oliveiras e mel de tamareiras[3]9 Ela é uma terra onde tu não comerás pão racionado e nada te faltará – uma terra cujas pedras são ferro e de cujas montanhas tu extrairás cobre.
10 Quando tu comeres e ficares satisfeito, tu deves, portanto abençoar ao Eterno[4], teu Elohim, pela boa terra que Ele te deu. 11 Sê cuidadoso para que não esqueças o Eterno, teu Elohim, não guardando Seus Mandamentos, decretos e leis, que hoje eu estou te prescrevendo. 12 Tu podes então comer e te satisfazer, construindo boas casas e morando nelas. 13 Teus gados e rebanhos podem aumentar e tu podes acumular muita prata e ouro – tudo que tu possuíres pode aumentar. 14 Mas teu coração pode crescer em orgulho e tu podes esquecer o Eterno, teu Elohim, aqu’Ele que te tirou da casa da escravidão que estava no Egito. 15 Foi Ele que te conduziu através do grande e terrificante deserto, onde havia cobras, víboras, escorpiões e sede. Onde não havia nenhuma água; foi Ele que te forneceu água de um sólido penhasco[5]16 No deserto Ele te alimentou com Manah, que era algo que teus ancestrais nunca conheceram. Ele pode ter enviado sofrimentos para te testar, mas foi Ele que, afinal, fez o bem para ti. 17 Quando mais tarde tu tiveres prosperado, sê cuidadoso para que tu não digas a ti próprio: ‘Foi minha própria força e poder pessoal que trouxeram-me toda esta prosperidade’. 18 Tu deves lembrar que é o Eterno, teu Elohim, quem te dá o poder para te tornares próspero. Ele faz assim para manter a aliança que Ele fez com um juramento para teus pais, assim como Ele está mantendo hoje. 19 Se tu esqueceres o Eterno, teu Elohim e seguires outros deuses, adorando-os e inclinando-se para eles, eu testemunho para ti hoje que tu serás completamente aniquilado. 20 Tu serás destruído como as nações que o Eterno está destruindo diante de ti – que será o resultado se tu não obedeceres ao Eterno, teu Elohim.

[1]D'varim/Deuteronômio 8:2 – Determinar. No sentido de mostrar aos outros.
[2]D'varim/Deuteronômio 8:4 – Ficaram machucados. Em hebraico é 'batsak' ou 'ficaram dolorosamente endurecidos. Em hebraico é חבל chabal (aramaico),  pode significar machucar, prejudicar, ferir. Pode ter origem em פצע patsa, uma raiz que também pode significar ‘machucar, ferir, ferir por contusão’. E também שוף shuf, uma raiz que pode significar ‘machucar, esmagar, escancarar a boca sobre, desejar, apoderar-se, bater, atacar’.
[3]D'varim/Deuteronômio 8:8 – Tamareiras. Conforme Vaiykra/Livro de Levítico 2:“11 Não faças qualquer oblação que é sacrificada ao Eterno de massa levedada. Isto porque tu não podes queimar nada fermentado ou doce como uma oferenda pelo fogo ao Eterno”. – Em hebraico é ‘devash’, usualmente traduzido como mel. Aqui denota qualquer suco de fruta, especialmente extrato de tâmaras. Outros, no entanto, o tomam literalmente para significar ‘mel’.
[4]D'varim/Deuteronômio 8:10 – Abençoar o Eterno. Eis o mandamento para recitar a Bênção da Graça após as refeições.
[5]D'varim/Deuteronômio 8:15 – Sólido penhasco. Em hebraico é 'chalamish'. Ou 'pederneira' segundo a Septuaginta ou 'pedra dura de diamante'. Em hebraico é שמיר shami, procedente de (שמר shamar, uma raiz que pode significar: ‘Guardar, vigiar, observar, prestar atenção, ter a incumbência de guardar, vigiar, manter vigilância e custódia, proteger, salvar vida, vigia no particípio, esperar por, olhar,  reter, entesourar na memória, manter dentro de limites, conter, celebrar, guardar o sábado ou a aliança ou mandamentos, cumprir voto, preservar, proteger, reservar, estar prevenido, tomar precauções, tomar cuidado, precaver-se, guardar-se, conter-se, abster-se, ser guardado, ser vigiado, guardar-se de) no sentido original de picar; podendo significar espinho(s), diamante, pederneira, espinheiros, diamante no sentido de ser cortante, uma pedra afiada.

HAFTARAH
Nehemiah/Neemias 8:
1 Reuniu-se então todo o povo como um só homem na praça que havia diante d portão das Águas e pediram a Ezra, o escriba, para que trouxesse o livro que continha a Torah de Mosheh, determinada pelo Eterno para todo o Yisra’El. 2 E no primeiro dia do sétimos mês, Ezra, o cohem, trouxe a Torah perante a congregação, composta por homens e mulheres capacitados a compreender o que lhes fosse apresentado. 3 E ali, na praça localizada em frente ao portão das Águas, ele a leu, começando cedo pela manhã e seguindo até o meio dia, perante os homens e as mulheres que a podiam compreender e os ouvidos de todo o povo estavam atentos à Torah. 4 Ezra, o escriba, estava sobre um púlpito de madeira que havia sido feito para isto e a seu lado estavam Matatiah, Shemah, Anaiah, Uriyah, Hilkiah e Maasseiyah, à sua direita; e à sua esquerda Pedaiyah, Misha’El, Malkiyah, Chashum, Chashbadana, Zehariah e Meshulam. 5 Ezra abriu o livro à vista de todo o povo – porque, sobre o estrado, ele parecia acima de todos – e imediatamente todos se levantaram. 6 Ezra bendisse a grande Elohim, ao Eterno; e todo o povo respondeu ‘Amém! Amém’! Alçando suas mãos; então inclinaram suas cabeças e se prosternaram ante o Eterno com seus rostos em terra. 7 E Yeshua, Bani, Shereviah, Yamin, Akuv, Shabetai, Hodiah, Maasseiyah, Kelitah, Azariyah, Yozavad, Chanan, Pelaiah e os outros Levi’im explicavam a Torah para que todos a compreendessem e o povo permanecia atento em seu lugar. 8 Os Levi’im liam com clareza o texto do livro, expondo a Torah de Elohim, interpretando seu conteúdo, fazendo com que todos compreendessem a leitura.  9 Então Nehemiah, o tirshata, Ezra, o cohem e escriba e os Levi’im que ensinavam, disseram a todo o povo: ‘Este é um dia consagrado ao Eterno, vosso Elohim. Nele não deveis vos sentir entristecidos, nem chorar’! Porque todos choravam ao ouvir as palavras da Torah. 10 Então ele lhes disse: ‘Ide e comei carnes saborosas, degustai vinho doce e oferecei porções para quem nada tem preparado para si, porque este dia é sagrado para nosso Elohim! Cessai as lamentações, porque a alegria do Eterno é vossa força’! 11 E os Levi’im acalmaram o povo, repetindo: ‘Alegrai-vos porque este dia é sagrado! Não vos entristeçais’!
12 Então, alegremente, todo o povo se alimentou e bebeu, enviando porções uns para os outros e se sentido feliz pela compreensão do que lhes tinha sido exposto. 13 No dia seguinte, os chefes das famílias de todo o povo, os kohen e s Levi’im, reuniram-se para escutar de Ezra, o escriba, a exposição da Torah. 14 E eles encontraram escrito na Torah, que o Eterno havia ordenado através de Mosheh, que os b’nei Yisra’El deviam habitar em cabanas durante a festa do sétimo mês 15 e que conclamassem ao povo em todas as suas cidades e em Yerushalayim, dizendo: ‘Ide às colinas e aos montes e recolhei ramos de oliveira, de murta e de palmeira; ramos de árvores frondosas, para construir cabanas conforme o que está escrito’. 16 Assim fez o povo; recolheu os ramos e construiu cabanas, cada qual sobre o teto de sua própria casa, em seus pátios e nos átrios da Casa do Eterno e nas praças do portão das Águas e do portão de Efrayim. 17 E toda a congregação dos que haviam retornado do cativeiro preparou cabanas de ramos e nelas habitou – coisa que não haviam feito os b’nei Yisra’El, desde os dias de Yehoshua ben Nun – e grande alegria reinou em todos os corações. 18 Ele leu para eles o livro da lei de Elohim diariamente, desde o primeiro dia até o último, celebrando a festa durante sete dias e no oitavo dia realizaram uma assembleia solene, em conformidade com o que determinava a Torah.

Yirmyahu/Jeremias 9:
1 Se houvesse no deserto um albergue para caminhantes, eu deixaria meu povo; dele me afastaria porque é formado por adúlteros e não constitui uma congregação de homens íntegros. 2 Eles retorcem suas línguas qual arco, para disparar mentiras; fortaleceram-se na terra, porém não pelo caminho da verdade; seguem de uma maldade para outra e Me desconhecem por completo – diz o Eterno. 3 Que se cuide cada qual de seu próximo e em nenhum irmão confie; porque enganará um irmão ao outro e certamente divulgará calúnias de seu próximo. 4 Sim! Cada um engana a seu próximo e nunca fala a verdade; sua língua ensinaram a só pronunciar mentiras; esgotaram suas forças praticando iniquidades. 5 Envolta em mentiras está sua habitação e por isto se recusam a Me reconhecer – diz o Eterno. 6 Portanto, assim disse YHWH Tseva’ot: “Hei de purga-los e os farei passar por testes, pois o que mais poderia Eu fazer pela filha de Meu povo? 7 Suas línguas são flechas aguçadas que falam enganosamente; para com seu próximo suas bocas pronunciam palavras de paz, enquanto em seu interior planejam como lhe armar ciladas. 8 Não os haveria de punir por tal comportamento? Diz o Eterno. Contra tal nação, não haveria de exercer vingança Minha alma? 9 Prantearei pelas montanhas abandonadas e pelas pastagens tornadas em desertos; porque estão a tal ponto desoladas, que ninguém por elas vem a passar; não se ouve o mugido de gado, nem o cortar dos ares pelas aves do céu, nem rugido de animais, pois se foram. 10 E converterei Yerushalayim em um montão de escombros e em moradia de chacais; quanto às cidades de Yehudah, hei de torna-las uma desolação, vazias de habitantes. 11 Quem será o sábio que compreenderá o que aconteceu e a quem falou a boca do Eterno, para que o possa explicar? Por que razão pereceu a terra e se tornou um deserto, sem transeuntes”? 12 E o Eterno disse: “Porque Minha lei, que expus perante eles, abandonaram; Minha voz não quiseram ouvir, nem segundo ela caminhar. 13 Preferiram seguir caminhos indicados pela dureza de seus corações e correr atrás dos ba’alim, como seus pais lhes haviam ensinado”. 14 Portanto, assim disse YHWH Tseva’ot, o Elohim de Yisra’El: “Eis que farei este povo comer amarguras e beber águas envenenadas. 15 E os espalharei entre as nações que nem eles, nem seus pais conheceram; e farei com que a espada os persiga, até que Eu os tenha consumido”. 16 Assim disse YHWH Tseva’ot: “Atentai à vossa situação e chamai, para que venham as carpideiras e as mulheres sábias; 17 que se apressem e elevem sobre nós seu pranto, para que se desfaçam nossos olhos em lágrimas e nossas pálpebras se tornem lagos. 18 Porque som de lamentos se ouve de Tsiyon: ‘Ó como fomos despojados de tudo! Humilhados ficam os por ter deixado nossa terra e envergonhados por termos sido expulsos de nossas moradas’! 19 Ouvi, pois, ó mulheres, a Palavra do Eterno e recebam vossos ouvidos a palavra de Sua boca e ensinai a vossas filhas o pranto e cada uma à sua vizinha, a lamentação. 20 Porque a morte subiu por nossas janelas e entrou em nossos palácios, para exterminar das ruas as crianças e, das praças, os moços”. 21 Fala: Assim disse o Eterno: “Os cadáveres dos homens cairão como esterco sobre a face do campo e como gavela[1] atrás do segador, sem que ninguém a recolha”. 22 Assim disse o Eterno: “Não se glorifique o sábio por sua sabedoria, nem forte por sua força, nem o rico por suas riquezas! 23 Antes, se glorifique em Me entender e em Me conhecer e saber que Eu sou o Eterno, que pratico misericórdia, retidão e justiça na terra; porque nisto Me deleito” – diz o Eterno. 24 “Aproximam-se os dias” – diz o Eterno – “em que punirei os que são circuncisos em seu corpo, mas não em seu coração. 25 Egito e Yehudah, Edom e os filhos de Amon e Moav e todos aqueles que raspam as bordas de seu cabelo e vivem no deserto, porque se todas as nações são incircuncisas, incircuncisa em seu coração é toda a Casa de Yisra’El!

Iyov/Jó 13:
1 Meus olhos viram tudo isso e meus ouvidos escutaram e entenderam. 2 O que vós sabeis, também eu o sei. Não sou inferior a vós. 3 Entretanto, quero falar cm o Todo Poderoso; desejo argumentar com Ele. 4 Vós, porém, sois forjadores de mentiras. Sois médicos inúteis, todos vós. 5 Ah, se vós vos soubesses conter, seria essa a prova de sua sabedoria! 6 Ouvi agora minha argumentação e atentai às palavras de minha boca. 7 Direis falsidades para favorecer a Elohim, falareis enganosamente em Seu benefício? 8 Sereis parciais a Seu favor? Enfrentareis contendas por Ele? 9 Seria bom que Ele vos investigasse? Ou, como quem engana um mortal, também a Ele enganareis? 10 É certo que vos repreenderá se, em segredo, sois parciais a Seu favor. 11 Acaso Sua majestade não vos impõe medo e não temeis o terror Divino? 12 Vossa lembrança se reduzirá a cinzas e vos assemelhareis a montículos de barro. 13 Calai-vos para que eu possa falar! Que, sem demora, recaia sobre mim o que quer que me seja destinado! 14 Por que devo morder os meus lábios para me conter e não segurar minha vida com as palmas de minhas mãos? 15 Ainda que Ele me matasse, eu n’Ele confiaria. Mas, não posso deixar de, perante Ele, defender minha conduta. 16 Isto contribuirá para minha salvação, pois um hipócrita não ousaria justificar-se ante a Sua presença. 17 Ouvi minhas palavras com atenção! Que elas fiquem gravadas em vossos ouvidos. 18 Prepararei minha causa, certo de que serei absolvido. 19 Quem contenderá comigo? Se eu me calasse, logo morreria. 20 Só duas coisas Te peço que não faças comigo e de Tua presença não buscarei me ocultar: 21 Afasta de mim Tua mão e não me amedrontes com Tua ira. 22 Fala-me e eu Te responderei ou deixa-me falar e Tu me responderás. 23 Quais são minhas iniquidades e meus pecados? Deixa-me saber quais são as minhas transgressões. 24 Por que ocultas Teus rosto e me tomas por Teu inimigo? 25 Queres aterrorizar uma folha levada pelo vento ou perseguir a um restolho de relva, 26 ditando duras sentenças contra mim e culpando-me por pecados de minha mocidade? 27 Colocas grilhões em meus pés e averiguas cuidadosamente todos os meus caminhos, traçando uma fronteira para as plantas dos meus pés. 28 Eu me sinto como algo que vai se desgastando, à semelhança de uma veste roída pelas traças.

[1] Yirmyahu/Jeremias 9:21 – Gavela. Punhado de espigas cortadas ou manojo.

SHIRIM U'CHOCHMAH
Shir haShirim/Cântico dos cânticos 2:
1 Eu sou a rosa de Sharon,  lírio dos vales! 2 Como o lírio entre os espinhos, assim é a Minha amiga entre as filhas! 3 Como macieira entre as árvores do bosque, assim é o meu Amado entre os filhos! Desejo muito a Sua sombra e debaixo d’Ela me assento; e o Seu fruto é doce ao meu paladar. 4 Levou-me à sala do banquete e  amor era Seu estandarte sobre mim. 5 Sustentai-me com passas, forrai o meu leito cm maçãs, porque desfaleço de amor! 6 Que a Sua esquerda esteja debaixo da minha cabeça e que a Sua direita me abrace.
7 Conjuro-vos, ó filhas de Yerushalayim, pelas corças e gazelas do campo, que acordeis nem desperteis o meu amor, até que queira.

SHIR MIZMOR
Tehilim/Salmos 129:
1 Um cântico de ascensão. Muito me afligiram desde minha juventude – podes declará-lo, ó Yisra’El! – 2 muito me combateram desde a minha mocidade, mas contra mim não prevaleceram. 3 Como lavradores que aram a terra abrindo profundos sulcos, feriram-me e quiseram me imobilizar meus inimigos. 4 Mas o Eterno é justo e cortou as cordas dos ímpios. 5 Retrocederam humilhados os que odeiam Tsiyon! 6 Sejam como a relva exposta nos telhados, que seca antes mesmo de florescer. 7 Dela não quer o segador encher sua mão, nem buscá-la quer o atador de feixes. 8 Os transeuntes não dirão, como diante de belas flores, que ‘seja sobre vós estendida a bênção do Eterno, em cujo Nome vos abençoamos’!
por Yossef BenYisra'El
Bom estudo e Shabat Shalom!




Nenhum comentário:

Postar um comentário