sábado, 3 de agosto de 2013

REFLEXÃO DA SEDRAH 121 - TEHILIM/SALMOS 121

por Yossef Michael

Na Sedrah desta semana, minha reflexão é sobre o tehilim 121, onde o salmista busca por “socorro”, clamando ao Eterno para que o guarde e proteja.

A palavra que aparece traduzida como “socorro”, no hebraico, é "ez’ri" que, segundo a Concordância Strong #05828, vem da raiz antiga "ezer", cujo significado é exatamente este, o de “socorro”, “ajuda”, “apoio”.

Buscando no Tanach outras passagens que apresentem palavras com esta mesma raiz (ezer), encontrei algumas situações bastante interessantes, senão vejamos.

Bereshit 2:18, “E disse o Eterno Elohim: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora (ezer) idônea para ele”. Essa passagem de Bereshit/Gênesis está inserida justamente no contexto em que o Eterno promete a Adam que seria criada uma “ajudadora” para que com ele compusessem um único corpo, para que fossem “um”, como logo mais à frente, no passuk 24.

Se observarmos um bebê, podemos ver que ele depende 100% de sua mãe, especialmente, para sobreviver. Assim como é com a criança, também, nós somos muito frágeis e devemos ter para com o Criador essa dependência, depositando nÊle toda a nossa confiança.

Relendo o Tehilim 121, a sensação que tenho é justamente esta... A de que o salmista busca a mesma proteção que nós, homens, sentíamos quando estávamos no ventre de nossas mães. A palavra, afinal, é exatamente a mesma no hebraico!

Recentemente, lendo sobre o hebraico e sua direta correlação das palavras com o físico, pude notar que na linguagem semita não há tanta abstração, como em línguas como a nossa, o português, onde uma palavra tenta ser explicada por outra também abstrata e, assim por diante.

Daí vem a minha mente algo maravilhoso... A Torah nos fala em Bereshit/Gênesis sobre a “unicidade” que o homem e a mulher teriam e a palavra usada para isto é a mesma que descreve a condição do Eterno enquanto único Elohim, Echad. Não poderia deixar de ser, já que nossa vida se origina no ventre de uma mulher, paralelamente, nossa existência se origina a partir do Amor e da Misericórdia de HaShem!

Esta “ajudadora” passa por transformações fisiológicas fantásticas para que possamos ser gerados. A sensação de proteção que desfrutamos no ventre de nossas mães, quando estamos a salvo do sol e da lua, só pode ser reencontrada se buscarmos uma relação de mais proximidade para com o Eterno... Se permitirmos que Ele seja nosso Ajudador!!!

A passagem a seguir de Yiov também ajuda a alicerçar este comentário:


“Porque eu livrava o miserável, que clamava, como também o órfão que não tinha quem o socorresse (ezer)”. Yiov 29:12

A língua hebraica é sensitiva!!! Não dá para compreendermos o pensamento semita se simplesmente abstrairmos tudo... Vemos o emprego novamente de "ezer" para denotarmos que aquele que não tinha mãe e pai, um órfão, precisava ser ajudado, socorrido! 

Impressionante não?!

Em Bereshit 2:20, vemos que dentre os animais não se achava uma “ajudadora idônea” para Adam, porque esta ajudadora poderia vir apenas do Criador. 

Assim é conosco, temos de buscar no Criador este socorro, ao nos tornarmos Echad com Ele, estamos, aí sim, guardados, protegidos, pois, Ele, nosso guardião não dorme, nem cochila!

Outra passagem interessantíssima está em Yeshayahu:

“Ai dos que descem a Mitsrayim a buscar socorro (leez’rah), e se estribam em cavalos; e têm confiança em carros, porque são muitos; e nos cavaleiros, porque são poderosíssimos; e não atentam para o Santo de Israel, e não buscam ao Eterno. Todavia também Ele é sábio, e fará vir o mal, e não retirará as suas palavras; e levantar-Se-á contra a casa dos malfeitores, e contra a ajuda dos que praticam a iniqüidade. Porque os egípcios são homens, e não Elohim; e os seus cavalos, carne, e não espírito; e quando o Eterno estender a Sua mão, tanto tropeçará o auxiliador, como cairá o ajudado, e todos juntamente serão consumidos”. (Yeshayahu 31:1-3)

Da mesma forma, aqueles que buscam o “socorro” fora do Eterno serão vítimas de Seu Juízo, por se esquecerem da relação de dependência com o Criador, por se esquecerem de que Ele é Echad. Deixaram Seu seio materno para buscarem a outros elohim!

Sim, voltamos à idolatria... Ao depositarmos nossa confiança em outra coisa que não o Eterno, estamos sim praticando idolatria e esta é a maior aberração para o Criador!!!

O passuk que vem logo a seguir é bem interessante:

“Ele não permitirá que resvale teu pé (rag’lecha), pois jamais se omite aqu’Ele que te guarda”. (Tehilim 121:3)

Vemos em diversas passagens das Escrituras que o Eterno usa a expressão “teu pé” para nos orientar quanto à necessidade de cumprirmos Suas Mitsvot... A ideia de caminho e os pés nos levarem através deles é bastante difundida em todo o Tanach.

“Evita que o teu pé ande descalço, e a tua garganta tenha sede. Mas tu dizes: Não há esperança; porque amo os estranhos, após eles andarei”. (Yirmiyahu 2:25)

“Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; desvia o teu pé das suas veredas”. (Mishlei 1:15)

“Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados!”. (Mishlei 4:26)

“Se desviares o teu pé do Shabat, de fazeres a tua vontade no Meu santo dia, e chamares ao Shabat deleitoso, e o santo dia do Eterno, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falares as tuas próprias palavras”. (Yeshayahu 58:13)

Mas o que Ele quer nos dizer com isto? Que na verdade temos uma relação direita de causa e consequência... Se O buscarmos como nosso único Ajudador, Ele, por Sua vez, nos guardará e a forma de melhor expressar isto, é “ajudando” a cumprirmos Suas Mitsvot!

Maravilhoso, não?!
Chazak, Chazak Venit Chazek!!!
Força, força e que sejamos fortalecidos!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário