terça-feira, 16 de julho de 2013

CICLO TRIENAL - SEDRAH 119 (Semana de 14 a 20 de julho/2013)

Torah: Bamidbar/Números 32:1-42 
Tema(s): Terras de Gad e Re’uven.
Haftarah: Sh'muel Beit/2ºSamuel 8, Sh'muel Beit/2ºSamuel 10; Nahum/Naum 2 
Tema(s): Guerras de David; O nascimento de Sh’lomo; Contra Nínive. 
Shirim U’Chochmah: Kohelet/Eclesiastes 8:1-13 
Tema: A obediência.
Shir Mizmor: Tehilim/Salmos 119:81-176 
Tema: Ode à Torah (II). 

TORAH
Bamidbar/Números 32:
1 Os descendentes de Reu'ven e Gad tinham um  número extremamente grande de animais e eles viram que a área de Ya'azer[1] e Gilad[2] eram boas para gado. 2 Os descendentes de Gad e Reu'ven, portanto, vieram e apresentaram a seguinte petição a Mosheh, Elazar, o kohen e os príncipes da comunidade: 3 Atarot[3], Divon[4], Ya'azer[5], Nimrah[6], Cheshbon[7], El'ale[8], Sevam[9], Nebo[10] e Be'on[11] 4 na terra que o Eterno golpeou diante da comunidade Yisre’eliy, terra de gado – ‘e o que nós temos é gado’. 5 Eles disseram: ‘Se tu quiseres nos conceder um favor[12], permite que esta terra nos seja dada como nossa permanente propriedade e não nos traga para cruzar o Yarden6 Mosheh disse aos descendentes de Gad e Reu'ven: Por que seus irmãos sairão e combaterão, enquanto vocês estão aqui? 7 Por que vocês estão tentando desencorajar os Yisre’eliym de cruzarem para a terra que o Eterno lhes deu? 8 Isto é a mesma coisa que os pais de vocês fizeram quando eu os enviei de Kadesh Barnea[13] para verem a terra. 9 Eles foram até o Vale do Cacho[14] para ver a terra, mas então eles desencorajaram os Yisre’eliym de virem para a terra que o Eterno lhes deu. 10 O Eterno revelou Sua cólera nesse dia e jurou’: 11 “Nenhum dos homens acima de vinte anos de idade que deixou o Egito verá a terra que Eu jurei a Avraham, Yits'chak e Ya'akov, desde que eles não Me seguiram de boa vontade. 12 As únicas exceções serão Kalev ben Yefuneh, o keniziy[15] e Yehoshua ben Nun[16], porque eles seguiram o Eterno com boa vontade”. 13 ‘O Eterno revelou cólera contra Yisra'El e Ele os fez vagar quarenta anos no deserto, até que a geração que tinha feito mal aos olhos do Eterno tivesse morrido. 14 Agora vocês estão tentando tomar o lugar de seus pais como um bando de transgressores e trazer ainda mais ira do Eterno contra Yisra'El. 15 Vocês o dissuadirão de O seguirem e Ele mais uma vez nos conduzirá no deserto. Então vocês destruirão esta nação completamente16 Os reu’veniym e gadiym aproximaram-se de Mosheh e disseram: Nós construiremos cercados para nosso rebanho aqui e cidades para nossas crianças. 17 Mas nós então nos armaremos e iremos como uma guarda avançada diante dos outros Yisre’eliym, combatendo até que nós os tenhamos levado à pátria deles. Por causa dos habitantes da área, nossas crianças ficarão em cidades fortificadas, 18 mas nós mesmos não retornaremos ao lar até que cada Yisre’eliym tenha tomado posse de sua propriedade hereditária. 19 Nós, contudo, não tomaremos posse com eles no lado além do Yarden, uma vez que nossa herança virá para nós sobre a margem oriental do Yarden’. 20 Mosheh disse-lhes: ‘Se vocês fizerem isso e forem como uma força especial à frente de seus irmãos, a petição de vocês será concedida. 21 Toda a força especial de vocês deve cruzar o Yarden diante do Eterno e lutar até que Ele expulse Seus inimigos diante d’Ele. 22 Quando a terra for então conquistada diante do Eterno, vocês podem retornar ao lar e estarão livres de qualquer obrigação diante do Eterno de Yisra'El. Esta terra será então de vocês como a propriedade permanente de vocês diante do Eterno. 23 Mas se vocês não fizerem isso, vocês terão transgredido diante do Eterno e devem compreender que a transgressão de vocês será a sua perda. 24 Agora construam para vocês cidades para suas crianças e currais para seus rebanhos – mas mantenham a promessa de vocês’! 25 Os descendentes de Gad e de Reu'ven disseram a Mosheh: ‘Nós faremos como tu ordenaste, 26 Nossas crianças, mulheres, propriedade e gado permanecerão aqui na cidade de Gilad. 27 Enquanto isso, todas as nossas forças especiais cruzarão para a batalha diante do Eterno, como tu disseste’. 28 Mosheh então deu instruções a Elazar, o kohen, Yehoshua ben Nun e todos os chefes paternos das tribos Yisre’eliym. 29 Mosheh lhes disse: ‘Se toda força especial dos gadiym  e reu’veniym cruzar o Yarden para lutar com vocês, então quando a terra for conquistada, vocês dar-lhe-ão a área de Gilad como a propriedade permanente deles. 30 Mas se eles não forem como uma força especial diante de vocês, então eles terão a propriedade deles junto com vocês na terra de Kana’an’. 31 Os descendentes de Gad e Reu'ven responderam: ‘Nós faremos tudo o que o Eterno nos disse.
32 Nós cruzaremos como uma força especial para a terra de Kana’an e teremos então nossa propriedade hereditária permanente neste lado do Yarden’. 33 Aos descendentes de Gad e Reu'ven e para a metade da tribo de Menasheh[17] ben Yossef, Mosheh então deu o reino de Sichon[18], rei dos emoriym e o reino de Og[19], rei de Bashan. Ele deu-lhes a terra junto com as cidades, junto com seus limites ao redor[20]34 Os descendentes de Gad construíram Divon, Atarot, Aroer[21]35 Atarot Shofan[22], Ya'azer, Yogbeah[23],
36 Beit Nimrah[24] e Beit Haran[25]. Estas foram construídas em cidades fortificadas e cercados para rebanhos. 37 Os descendentes de Reu'ven construíram Cheshbon, El'ale[26], Kiriataim[27]38 Nebo Baal Meon[28] – estes nomes haviam sido mudados[29] – e Sivmah[30]. Eles deram a essas cidades os nomes que elas tinham quando foram construídas. 39 Os b’nei Machir[31] ben Menasheh, foram para Gilad[32] e a capturaram, expulsando os emoriym que estavam lá. 40 Mosheh deu Gilad a Machir ben Menasheh e ele viveu lá. 41 Ya'ir, um neto de Menachem[33], foi e conquistou as vilas[34] nesse distrito e ele chamou-os Vilas de Ya'ir (Chavot Ya'ir[35]). 42 Novach[36] foi e capturou Kenat[37] e suas cidades ao redor e ele deu à área o seu próprio nome Novach. 


[1] Bamidbar/Números 32:1 – Ya'azer. Ver acima no perek/capítulo 21, passuk/versículo 32. Mais provavelmente isto denota a terra a leste do Yarden e Mar Morto e ao sul do rio Yavok.
[2] Bamidbar/Números 32:1 – Gilad. Diz Bereshit/Gênesis 31:“21Fugindo, pois, com tudo o que era seu, atravessou o rio e dirigiu-se para a montanha  de Gilad”.
[3] Bamidbar/Números 32:3 – Atarot. Esta foi posterior construída por Gad (verificar perek/capítulo 32, passuk/versículo 34). Ela é identificada com a moderna Atarut; 11 quilômetros a leste do Mar Morto, 13 quilômetros ao norte de Arnon e 13 quilômetros a noroeste do Divon. Embora ela tivesse sido construída por Gad, tornou-se parte, por fim, do território de Reu'ven. Considerar a próxima Nota de Rodapé.
[4] Bamidbar/Números 32:3 – Divon. Verificar acima no perek/capítulo 21, passuk/versículo 30. Gad a construiu, mas depois passou a fazer parte do território de Reu'ven. Conforme Yehoshua/Josué 13:“15A terra dada à tribo de Reu’ven: De acordo com a sua própria população, Mosheh atribuiu à tribo de Reu’ven uma área que se estendia desde Aroer à entrada do vale da ribeira de Arnom, portanto para lá da cidade de Arnom que está no meio do vale e abrangendo todo o planalto até Medevah. Esse território incluía Cheshbon e as outras cidades da planície - Dibom, Bamot-Baal, Bete-Baal-Meon, Jaza, Kedemot, Mefaate, Kiriataim, Sivmah, Zerete-Saar, esta última, na montanha sobre o vale, e ainda Bete-Peor, Bete-Jesimote, e as vertentes do monte Pisga”.
[5] Bamidbar/Números 32:3 – Ya’azer. Foi construída por Gad, conforme perek/capítulo 32, passuk/versículo 35 e tornou-se fronteira de seu território, conforme Yehoshua/Josué 13:“25 A terra dada à tribo de Gad: O território que Mosheh atribuiu à tribo de Gad foi igualmente na proporção da sua população. 26 Este território incluía as vilas ao redor, expulsando os emoriym que ali viviam mais as cidades todas de Gilad e metade da terra de Amon, até Aroer, perto de Rabah. Estendia-se igualmente desde Cheshbon até Ramah-Mispa e até Betonim; e ainda de Maanaim até Devir. 27 No vale ficavam Beit-Aran, Beit-Ninra, Sukot, Zafom e ainda o que restara do reino de Siom, de Cheshbon. 29 O rio Yarden formava o seu limite ocidental, estendendo-se até ao lago da Galileia; aí, o limite inflectia para oriente, deixando o rio Yarden”.
[6] Bamidbar/Números 32:3 – Nimrah. Ou Beit Nimrah. Esta também foi construída por Gad, conforme perek/capítulo 32, passuk/versículo 35 e tornou-se parte de seu território, conforme Yehoshua/Josué 13:27, acima transcrito. Era também conhecida como Ninrim, conforme Yeshayahu/Isaías 15: “6 Até o ribeiro de Ninrim se tornou num sítio desolado – as suas verdes margens secaram; desapareceu toda a vegetação.” e Yirmiyahu/Jeremias 48:“34 Em vez disso, só se ouvem berros horríveis de terror e de sofrimento por toda a terra – desde Cheshbon até Eleale e até Yaaz; desde Zoar até Horonaim e até Eglat-Selishia. As pastagens de Ninrim estão desertas já”. Em hebraico vemos: Nimrah, procedente da mesma raiz que (נמר namer, significando ‘filtrar’, i.e. ‘ser límpido’. É um nome masculino). Pode ser usado como nome próprio de localidade e em português, respeitando-se o transliterado, é grafado como: ‘Nimran’, portanto, significa 'límpido' ou 'puro'. Refere-se a um lugar ao leste do Yarden, 16 km (10 milhas) ao norte do mar Morto e 5 km (3 milhas) ao leste do Yarden.

[7] Bamidbar/Números 32:3 – Cheshbon. A capital de Sichon. Ver acima Perek/capítulo 21, passuk/versículo 25.
[8] Bamidbar/Números 32:3 – El'ale. Uma cidade construída por Reu'ven, conforme perek/capítulo 32, passuk/versículo 27, que é parte do território reu’veniy. No presente é El-Al, em torno de três quilômetros a nordeste de Cheshbon, conforme Yeshayahu/Isaías 15:“4 Os choros, nas cidades de Cheshbon e de El’ale, até de longe se ouvem, até mesmo em Yaaz! E os mais valentes dos combatentes de Moav gritam de terror”.
[9] Bamidbar/Números 32:3 Sevam. Também conhecida como Sivmah, segundo a Septuaginta. Uma cidade construída pelos reu’veniym, conforme perek/capítulo 32, passuk/versículo 38 e parte do território deles, segundo Yehoshua/Josué 13:“19 Esse território incluía Cheshbon e as outras cidades da planície - Dibom, Bamot-Baal, Bete-Baal-Meon, Yaza, Kedemot, Mefaat, Kiriataim, Sivmah, Zerete-Saar, 20 esta última, na montanha sobre o vale e ainda Bete-Peor, Bete-Jesimote e as vertentes do monte Pisga”.
[10] Bamidbar/Números 32:3 – Nebo. Em hebraico é N'vo. Esta foi a montanha sobre a qual Mosheh foi recolhido para junto de seus pais, conforme D'varim/Deuteronômio 32:“49 Sobe ao monte Nebo, na cordilheira de Abarim, na terra de Moav, defronte de Yericho. Lá do cimo, contempla a terra de Kana’an que Eu dei ao povo de Yisra'El. 50 Depois de olhares para ela, deverás morrer e ir ter com os teus antepassados, tal como aconteceu com Aharon, o teu irmão, que morreu no monte Hor e também se foi juntar aos seus. 51 Porque vocês desonraram-Me na frente do povo de Yisra'El, nas fontes de Merivah, em Kades, no deserto de Zim”. Verificar acima perek/capítulo 27, passuk/versículo 12. Ela é a moderna Neba, no canto noroeste do Mar Morto. Foi construída pelos reu’veniym, conforme perek/capítulo 32, passuk/versículo 38. A Concordância Strong traz a seguinte informação: נבוNebo, provavelmente de derivação estrangeira. ‘Nebo’ significa 'profeta'. Nome próprio masculino que se refere a uma divindade babilônica que presidia o saber e a literatura; corresponde ao deus grego Hermes, deus latino Mercúrio e ao deus egípcio Tote. É também um nome próprio de localidade referente a uma cidade em Moav antigamente designada a Re’uven; provavelmente localizada sobre ou próxima ao monte Nebo ou a uma cidade em Yehudah (talvez Benyamin), terra natal das famílias de alguns exilados que retornaram da Babilônia com Zerubav’El (Ezra/Esdras 2:29) ou à montanha onde Mosheh morreu; localizada a leste do Yarden em frente a Yericho; localização incerta.

[11] Bamidbar/Números 32:3 – Be'0n. Mudada para Baal Meon e construída pelos reu’veniym, conforme perek/capítulo 32, passuk/versículo 38 e conhecida como Bet Baal Meon, parte do território deles, conforme Yehoshua/Josué 13:“19 Esse território incluía Cheshbon e as outras cidades da planície - Dibom, Bamot-Baal, Bete-Baal-Meon, Jaza, Kedemot, Mefaate, Kiriataim, Sivmah, Zerete-Saar, esta última, na montanha sobre o vale e ainda Bete-Peor, Bete-Jesimote e as vertentes do monte Pisga”. Ela é a moderna Ma'in, nove quilômetros ao sul do Monte Nebo, conforme Divrei Hayamin Alef/1ºCrônicas 5:“8. Estes reu’veniym viveram na área desde Aroer até junto do monte Nebo e de Baal-Meom.” e a meio caminho entre Nebo e Kiriataim, conforme Yirmiyahu/Jeremias 48:“21. Todas as povoações do planalto estão igualmente devastadas, porque o julgamento de Elohim caiu também sobre elas – 22 sobre Holom, Yaza, Mefaat, Divon, Nebo, Beit-Divlataim, Kiriataim, 23 Beit-Gamul, Beit- Meom, Keriot, Bozra 24 e todas as outras localidades da terra de Moav, de perto e de longe.” e Yehesk’El/Ezequiel 25:“8 Diz o Eterno Elohim: “Devido ao fato dos moaviym terem dito que Yehudah não vale mais do que qualquer outra nação, 9 por isso abrirei o flanco oriental de Moav e farei açoitar todas aquelas povoações fronteiriças que são o orgulho da nação – 10 Beit-Yesimot, Baal-Meom e até Kiriataim. E as tribos beduínas, do lado oriental do deserto, cairão sobre elas, tal como fizeram em Amon. Também Moav deixará de ser contada entre as nações”. A Septuaginta, em Yehesk’El/Ezequiel 25:9 traduz como 'Fonte da Cidade'.
[12] Bamidbar/Números 32:5 – Nos conceder um favor. Literalmente: 'se encontramos graça em teus olhos'. Uma expressão semelhante é encontrada em Bereshit/Gênesis 47:“29 E, aproximando-se do seu termo os dias de Yisra’El, chamou o seu filho Yossef e disse-lhe: “Se achei graça diante de teus olhos, mete, rogo-te, tua mão debaixo de minha coxa e promete-me, com toda a bondade e fidelidade, que não me enterrarás em Mitsrayim”. Yisra'El (Ya'akov) percebeu o termo de seus dias e usou essa expressão.
[13] Bamidbar/Números 32:8 – Kadesh Barnea. Ver acima o perek/capítulo 13, passuk/versículo 26. Também D'varim/Deuteronômio 1:“19. Deixámos então o Monte Chorev e atravessámos o grande e terrível deserto, tendo finalmente chegado às colinas dos amorreus, para onde o Eterno nos tinha dirigido. 20. Estávamos em Kades-Barneia e disse ao povo:” e 9:“23Em Kades-Barneia, quando o Eterno vos disse para penetrarem na terra que vos tinha dado, vocês revoltaram-se e não quiseram acreditar que ele vos ajudaria; recusaram mais uma vez obedecer-lhe”. Ver Nota de Rodapé para o perek/capítulo 13, passuk/versículo 3.
[14] Bamidbar/Números 32:9 – Vale do Cacho. Em hebraico é 'Nachal Eshkol'. Ver acima no perek/capítulo 13, passuk/versículo 23. Esse parece ter sido o lugar mais distante a que chegaram os Yisre’eliym.
[15] Bamidbar/Números 32:12 – Keniziy.  Assim chamado porque ele era enteado de Kenaz, isto é, filho da mulher de Kenaz. Ele foi assim meio irmão de Otni’El. Conferindo em Yehoshua/Josué 15:’16 Kalev disse nessa altura que daria a sua filha Achsa por mulher a quem se dispusesse voluntariamente a conquistar Kiriat-Sefer. 17 E foi Otni’El ben Kenaz, irmão materno de Kalev, quem tomou a cidade, casando assim com Achsa. 18 Quando esta se juntou com Otni’El, para ser a sua mulher, ela persuadiu-o a que pedisse ao pai, a Kalev, mais um campo. Aconteceu em dada altura que, indo ela própria num jumento, encontrou-se com o seu pai e logo desceu do animal para lhe falar sobre o assunto’. 19 ‘O que é que se passa’? Perguntou-lhe o pai. ‘Que pretendes’? ‘Dá-me outra doação! Porque a terra que já me deste é um deserto. Dá-me também fontes para ter água! E então deu-lhe as fontes superiores e as das terras mais baixas.’ e também em Shofetim/Juízes 1:“13 O sobrinho de Kalev, Otni’El, filho do seu irmão materno mais novo Kenaz, ofereceu-se voluntariamente para chefiar o ataque. Conquistou assim a cidade e obteve Achsa como esposa.” e ainda Divrei Hayamin Alef/1ºCrônicas 4:“13 Os filhos de Kenaz foram Otni’El e Seraiah. Otni’El teve como filhos Hatat e Menotai; 14 Menotai foi pai de Ofrah; Seraiah foi pai de Yoav, o antepassado dos habitantes do vale dos Artífices, assim chamado porque ali se concentrou um grande número de artesãos. 15 Os b’nei Kalev ben Yefuneh: Iru, Elah e Naan. Os b’nei Elah incluíam Kenaz”. Considerar também Bereshit/Gênesis 36:“11 Os b’nei Elifaz foram: Teman, Omar, Tsefo, Ga’tam e Kenaz”. A Septuaginta traduz como 'Kenizi', 'aquele posto de lado' ou 'independente'. Com base nas raízes semíticas, 'Keniziy' denota um caçador ou guerreiro solitário.
[16] Bamidbar/Números 32:12 – Filho de Nun. Cujo significado é 'rebento'. Essa expressão é muito relacionada à fé Yisre’eliy. Ainda relacionado à palavra “Nétzér”, temos as mesmas consoantes, da mesma raiz formando a palavra: ‘Notzér’ cujo significado é: ‘Observar, cuidar, guardar, proteger, preservar, seguir (mandamentos), manter em oculto’. Encontramos 74 vezes no Tanach as mesmas consoantes! Na maioria das vezes ‘Nétzer, Nátzer, Nótzêr’ está relacionado a YHWH como guardião e protetor da Torah e de Seu povo Yisra'El e muitas vezes refere-se àqueles que observam e guardam o testemunho de Elohim e seus mandamentos e ainda aqueles que se mantém fiéis e firmes na Verdade da Torah. Tem ainda os significados de: Guardião, Protetor, Atalaia, Seguidor, Mantenedor dos segredos. Este termo também refere-se ao futuro, em termos de Teshuvah/retorno para YHWH que farão os da casa de Efrayim/as dez tribos perdidas da Casa de Yisra'El, depois de um longo período vivendo como Efraym gentilizado!
[17] Bamidbar/Números 32:32 – Metade da tribo de Menasheh ou Meia tribo de Menasheh. Alguns dizem que embora o pedido inicial tivesse vindo de Gad e Reu'ven, eles não tinham população suficiente para ocupar a terra e, portanto, convidaram Menasheh para juntar-se a eles. O restante de Menasheh recebeu terras por sorteio com as outras tribos, conforme Yehoshua/Josué 17:“2Por isso agora a terra atribuída à tribo, a ocidente do Yarden, foi dada às clãs de Aviezer, de Chelek, de Asri’El, de Siquem de Semida e de Hefer”. De acordo com outros, no entanto, Menasheh foi envolvido no pedido original, conforme Flavio Josefus em Antiguidades 4:7:3. Verificar abaixo perek/capítulo 32, passukim/versículos 39 e 42.
[18] Bamidbar/Números 32:32 – Sichon. Considerar perek/capítulo 21, passuk/versículo 21.
[19] Bamidbar/Números 32:32 – Considerar acima o perek/capítulo 21, passuk/versículo 23.
[20] Bamidbar/Números 32:32 – A terra junto...junto com seus limites...Literalmente 'a terra para suas cidades, nas cidades e as cidades em suas fronteiras em volta' conforme a Septuaginta.
[21] Bamidbar/Números 32:34 – Aroer. A moderna Ara'ir, ao norte de Arnon, cerca de 21 quilômetros a leste do Mar Morto conforme D'varim/Deuteronômio 2:“36 Conquistamos tudo desde Aroer até Gilad, portanto todo o território que tem por limite o vale de Arnom incluindo as cidades dessa zona”. Ela formava a fronteira sul do reino de Sichon conforme Yehoshua/Josué 12:“2Um era o rei Siom dos emoriym, que vivia em Cheshbon. O seu reino cobria o território que tinha por limite dum lado Aroer, mesmo no limite do vale Arnom e a meio da depressão cavada pelo rio Arnom e por outro lado o rio Yabok que servia de fronteira com os amoniym. 3Portanto inclui metade daquilo que agora é a terra de Gilad, que tem como limite a norte o rio Yabok. Siom controlava também o vale do Yarden até as praias ocidentais do lago de Galil; e para o sul até ao Mar Salgado e ao sopé do monte de Pisga”. E de Reu'ven conforme Yehoshua/Josué 13:“15A terra dada à tribo de Reu’ven: De acordo com a sua própria população, 16 Mosheh atribuiu à tribo de Reu’ven uma área que se estendia desde Aroer à entrada do vale da ribeira de Arnom, portanto para lá da cidade de Arnom que está no meio do vale e abrangendo todo o planalto até Medevah. 17 Esse território incluía Cheshbon e as outras cidades da planície: 18Divon, Bamot-Baal, Bete-Baal-Meon, Yaza, Kedemot, Mefaate, Kiriataim, Sivmah, Zeret-Saar, esta última, na montanha sobre o vale, e ainda Beit-Peor, Bete-Yesimot e as vertentes do monte Pisga.”, embora estivesse realmente em território de Gad, conforme Yehoshua/Josué 13:“26 Este território incluía Ya'azer, mais as cidades todas de Gilad e metade da terra de Amon, até Aroer, perto de Rabah. Estendia-se igualmente desde Cheshbon até Ramah-Mizpah e até Betonim;”.
[22] Bamidbar/Números 32:35 – Atrot Shofan. Lugar desconhecido. A Septuaginta fala em Shefer.
[23] Bamidbar/Números 32:35 – Yogbeah. Ou Yagbeah. Diz Shofetim/Juízes 8:“11Então Gidon contornou a zona em que estavam os fugitivos indo pelo caminho das caravanas, a oriente de Noba e de Yogbeah,...”. Esta é uma cidade situada a 30 quilômetros a leste do Yarden, 29 quilômetros ao norte do Mar Morto, a moderna Yubeihat. A Septuaginta, no entanto, a traduz 'Ya'azer' como 'e a ergueu'.
[24] Bamidbar/Números 32:36 – Beit Nimrah. Também conhecida como Nimrah. Verificar perek/capítulo 32, passuk/versículo 3.
[25] Bamidbar/Números 32:36 – Beit Haran. Também conhecida como 'Beit Haram”. Ela ficava no vale de Abu Aravah, a meio caminho entre o Yarden e Cheshbon, conforme Yehoshua/Josué 13:“27 No vale ficavam Beit-Aran, Beit-Nimrah, Sukot, Zafom e ainda o que restara do reino de Siom, de Cheshbon. O rio Yarden formava o seu limite ocidental, estendendo-se até ao lago de Galil; aí, o limite inflectia para o oriente, deixando o rio Yarden”. Nos tempos romanos era conhecida como Betaranfta e Livias e Herodes a redenominou Julias, conforme Flavio Josefus, Antiguidade 18:2:1. É o local da moderna Tel Iktanu.
[26] Bamidbar/Números 32:37 – Cheshbon e El'ale. Considerar perek/capítulo 32, passuk/versículo 3.
[27] Bamidbar/Números 32:37 – Kiriataim. Na montanha conduzindo ao vale, conforme Yehoshua/Josué 13:“19. Esse território incluía Cheshbon e as outras cidades da planície – 20. Dibom, Bamot-Baal, Bete-Baal-Meon, Yaza, Kedemot, Mefaate, Kiriataim, Sivmah, Zerete-Saar, esta última, na montanha sobre o vale e ainda Beit-Peor, Beit-Yesimot e as vertentes do monte Pisga”. Encontramos uma referência em Bereshit/Gênesis 14:“5 No décimo quarto ano, Kedarlaomer pôs-se em marcha com os reis que se tinham aliado a ele e feriram os refaim em Asht’rot-Carnayim e igualmente os zusim em  Ham, os emim em Shave-Kiriatayim”. Ela é a moderna El Kereiat, onze quilômetros a norte do Arnon e treze quilômetros a leste do Mar Morto.
[28] Bamidbar/Números 32:38 – Nebo e Baal Meon. Ambas conforme perek/capítulo 32, passuk/versículo 3. Alguns dizem que Baal Meon era capital de Balak.
[29] Bamidbar/Números 32:38 – Estes nomes haviam sido mudados. Por Sichon, quando ele tomou este território de Moab. Ou pelos Israelitas quando conquistaram esse território também. Ou um nome próprio 'Mussavot Shem', assim chamada porque os nomes de seus heróis foram gravados em suas muralhas no entorno. Ou Baal Meon, cercada com muralhas, conforme a Septuaginta.
[30] Bamidbar/Números 32:38 – Sivmah. Esta é Sevam encontrada no perek/capítulo 32, passuk/versículo 3.
[31] Bamidbar/Números 32:39 – Machir. Verificar acima o perek/capítulo 26, passuk/versículo 29. Os filhos envolvidos, provavelmente, foram Peresh e Sheresh, conforme Divrei Hayamin Alef/1ºCrônicas 7:“16 A mulher de Maquir, também chamada Maacah, deu-lhe um filho a quem chamou Peres; o nome do seu irmão foi Seres e teve filhos Ulam e Raquem”.
[32] Bamidbar/Números 32:39 – Gilad. Ver acima perek/capítulo 32, passuk/versículo 1. Possivelmente 'Gilad' foi assim chamada segundo o filho de Machir. De acordo com alguns Gilad já tinha morrido nessa época.
[33] Bamidbar/Números 32:41 – Ya'ir, um neto de Menasheh. Realmente, um bisneto. Chetsron ben Perets ben Yehudah, casou com uma filha de Machir e tiveram um filho, Seguv, que foi pai de Ya'ir conforme Divrei Hayamin Alef/1ºCrônicas 2:“22Seguv foi pai de Ya’ir, que governou sobre vinte e três povoações, na terra de Gilad”.
[34] Bamidbar/Números 32:41 – Vilas. Em hebraico é 'chavot', consistindo em aglomerado de casas. Estas estavam na região de Arguv, ao sul de Yarmok, conforme D'varim/Deuteronômio 3:“14 Às duas primeiras dei a área que vai de Aroer na ribeira de Arnom, mais metade do monte Gilad, incluindo as suas povoações. A meia-tribo de Menasheh recebeu o resto de Gilad e tudo o que tinha constituído o reino de Og, a região de Argone. (Bashan é por vezes também chamada a terra dos Refaim). O agregado de Ya’ir, da tribo de Menasheh conquistou toda a região de Argone, ou seja Bashan, até às fronteiras dos geshuriym e dos maacatiym; e deram a esse território o seu próprio nome, chamando-lhe Havot-Ya’ir e é assim que ainda hoje é conhecido.”.
[35] Bamidbar/Números 32:41 – Chavot Ya'ir. Temos em D'varim/Deuteronômio 3:14 transcrito acima. Diz Yehoshua/Josué 13:“30 A terra dada à meia-tribo de Menasheh: Mosheh deu o seguinte território à meia-tribo de Menasheh, de acordo com as suas necessidades: uma área que se estendia para norte desde Maanaim e que incluía toda a Bashan, o antigo reino de Og e as sessenta povoações de Jair em Bashan.” e Melachim Alef/1ºReis 4:“13 Bene-Geber, cuja área era Ramote-Gilad, incluindo as povoações de Ya’ir (o filho de Menasheh) que estão em Gilad; mais a região de Arguv em Bashan, incluindo também sessenta cidades muradas e com portões de bronze;”. Alguns dizem que ele denominou a área segundo seu próprio nome porque ele não tinha filhos, somente filhas.
[36] Bamidbar/Números 32:42 – Novach. Um descendente de Menasheh que tinha nascido no Egito.
[37] Bamidbar/Números 32:42 – Kenat. Diz Divrei Hayamin Alef/1ºCrônicas 2:“22 Seguv foi pai de Jair, que governou sobre vinte e três povoações, na terra de Gilad. 23. Mas Gesur e Aran tomaram-lhe essas localidades e ainda Kenat, mais os seus sessenta lugares ao redor”.

HAFTARAH
Sh'muel Beit/2ºSamuel 8:
1 Depois disto, David feriu os filishtim e os subjugou e David tomou as rédeas das províncias das mãos dos filishtim. 2 E feriu a Moav e os mediu com uma corda, fazendo-os deitar por terra: Desses dois terços matou e um terço deixou em vida. E os moaviym tornaram-se servos de David e pagadores de tributo. 3 E David feriu Hadadezer ben Rechov, o rei de Tsovah, quando este estendia a sua mão sobre o rio Eufrates. 4 E David tomou-lhe um mil e setecentos cavaleiros e vinte mil homens de infantaria e aniquilou todos os carros, reservando deles apenas cem. 5 E os aramiym de Damesek vieram para socorrer Hadadezer, o rei de Tsovah e David matou vinte e dois mil homens de Aram. 6 E David pôs governadores em Aram de Damesek e os aramiym tornaram-se servos de David e pagadores de tributo. E o Eterno dava a vitória a David por onde quer que fosse. 7 E David tomou os escudos de ouro que estavam com os servos de Hadadezer e os trouxe a Yerushalaiym 8 e de Betach e de Berotay, cidades de Hadadezer, David tomou uma quantidade muito grande de cobre. 9 E quando Toi, o rei de Chamat, ouviu que David havia ferido todo o exército de Hadadezer, 10 Toi enviou a seu filho Yoram ao rei David para cumprimenta-lo e para felicita-lo por haver batalhado contra Hadadezer e por tê-lo derrotado – porque Hadadezer fazia guerras contra Toi – e na sua mão trazia utensílios de prata, de ouro e de cobre, 11 os quais o rei David também consagrou ao Eterno, junto com a prata e o ouro que já havia consagrado de todas as nações que subjugara – 12 de Aram, de Moav, dos filhos de Amon, dos filishtim, de Amalek e dos despojos de Hadadezer ben Rechov, o rei de Tsovah. 13 E David fez fama para si quando, ao voltar de Aram, feriu dezoito mil homens de Edom, no Vale do Sal. 14 E pôs governadores em Edom – em todo o Edom pôs cobradores de tributos – e todos os edomiy tornaram-se servos de David. E o Eterno dava a vitória a David por onde quer que passasse. 15 E David reinou sobre todo o Yisra’El e enquanto David aplicava a lei e a justiça a todo o seu povo, 16 Yoav ben Tseruyah comandava o exército e Yehoshafat ben Achilud secretariava o rei; 17 Tsadok ben Achituv e Achimelek ben Eviatar eram os kohanim e Seraiyah tinha o cargo dos keretiym[1] e dos feletiym[2] e os b’nei David eram ministros[3].       

Sh'muel Beit/2ºSamuel 10:
1 Depois disto, o rei dos filhos de Amon morreu e seu filho Chanun reinou em seu lugar. 2 E David disse: ‘Agirei com bondade com Chanun bem Nachash, como seu pai agiu comigo com bondade’. E David enviou seus servos para consolá-lo pela morte de seu pai e os servos de David vieram à terra dos filhos de Amon. 3 E os príncipes dos filhos de Amon disseram ao seu senhor Chanun: ‘Acaso parece aos teus olhos que David honra teu pai, só porque te enviou consoladores? Não seria para conhecer esta cidade, para espioná-la e transtorna-la que David te enviou os seus servos’? 4 E Chanun tomou os servos de David e lhes raspou a metade de suas barbas, cortou-lhes a metade de suas roupas, até as nádegas e os despediu. 5 E avisaram a David e enviou mensageiros para encontra-los, porque os homens estavam muito envergonhados. E o rei disse: ‘Ficai em Yericho até que cresçam as vossas barbas e então voltareis’. 6 E os filhos de Amon viram que se tornaram odiosos a David e enviaram mensageiros e contrataram vinte mil homens de infantaria dos aramiym de Beit Rechov e dos aramiym de Tsovah e do rei de Maachah outros mil homens e de Tov, outros doze mil homens. 7 E David ouviu e enviou Yoav e todo o exército dos valentes. 8 E os filhos de Amon saíram e ordenaram a batalha à entrada do portão de sua cidade e os aramiym de Tsovah e Rechov e os homens de Tov e Maachah estavam à parte no campo.
9 E Yoav viu que a frente da batalha estava preparada contra ele, pela frente e pela retaguarda e escolheu dentre todos os escolhidos de Yisra’El e formou-os numa linha contra os aramiym, 10 enquanto o resto do povo entregou na mão de Avishai, seu irmão, que formou outra linha contra os filhos de Amon.n11 E disse: ‘Se Aram for mais forte do que eu, tu virás em meu socorro e se os filhos de Amon forem mais fortes do que tu, socorrer-te-ei. 12 Esforça-te e esforcemo-nos pelo nosso povo e pelas cidades do nosso Elohim e que o Eterno nos faça o que parecer bem aos Seus olhos’!  13 Então Yoav e o povo que estava com ele, achegaram-se à guerra contra os aramiym, mas eles fugiram diante dele. 14 Quando os filhos de Amon viram que Aram fugia, eles também fugiram de diante de Avishai e voltaram à cidade. Então Yoav voltou dos filhos de Amon e foi para Yerushalaiym. 15 Vendo que fora derrotado, Aram tornou a juntar-se 16 e enviou mensageiros a Hadadezer e fez os aramiym que estavam do outro lado do rio saírem e virem a Cheylam[4] e Shovach[5]chefe do exército de Hadadezer, marchava à sua frente.
17 Quando David foi informado, reuniu todo Yisra’El e atravessou o Yarden e foi a Cheylam. E Aram se pôs em ordem contra David e fez guerra contra ele. 18 E Aram fugiu diante de Yisra’El e David aniquilou setecentos carros e quarenta mil cavaleiros aramiym e a Shovach, chefe do exército, feriu e o matou lá. 19 E todos os reis, servos de Hadadezer, viram que foram derrotados perante Yisra’El e o serviram e Aram temeu socorrer novamente aos filhos de Amon.

Nahum/Naum 2:
1 Vede que já percorrem as montanhas os pés que trazem boas novas, que anunciam a paz. Celebra tuas solenidades, ó Yehudah e cumpre tuas promessas, porque o malévolo não mais se aproximará de ti, pois foi totalmente bloqueado. 2 Aquele que pretendia dispersar teu povo fugiu de ti e enfrentará o cerco que lhe hão de fazer. Ergue tua vista para a estrada, cinge tuas armas, sinta-te fortalecido. 3 Porque o Eterno restaurou o orgulho de Ya’akov como o valor de Yisra’El! Porque saqueadores os despojaram e destruíram os ramos de sua videira. 4 Os escudos de seus guerreiros se avermelharam, seus soldados parecem tingidos de escarlate; suas carruagens cintilam com o fogo de tochas no dia em que ele é assediado; suas lanças estão envenenadas. 5 Seus carros de combate correm pelas ruas e se chocam violentamente; parecem chamas que se deslocam e que faíscam em relâmpagos. 6 Ele lembra seus guerreiros valorosos, mas são abatidos à medida que se movem; ainda tentam defender suas muralhas, mas a cobertura já desabou. 7 Os portões que dão para os rios foram escancarados e o palácio já está desmoronando. 8 Ficou indefesa a rainha e foi levada para o cativeiro; suas servas, com os corações aflitos, gemem como pombas. 9 Nínive parecia um poço de águas tranquilas desde seus primeiros dias, mas agora é palco de fuga desordenada! ‘Parem! Parem’! Mas ninguém dá atenção ao comando. 10 Apropriai-vos da prata e do ouro, pois ilimitadas são suas quantidades! Não deixai sequer um vaso precioso. 11 Será esvaziada, violada e ficará deserta; os corações estão esmorecidos; trêmulos, seus joelhos; doloridos seus corpos; obscurecidas suas faces. 12 Onde está a guarida dos leões, onde amamentava a leoa seus filhotes e por onde andavam destemidos, sem encontrar quem os amedrontasse? 13 O leão estraçalhava sua presa para dar alimento a suas crias e dividi-la com a leoa. Ele mantinha repleto de presas seu covil e de carcaças seu abrigo. 14 Vê que Me pus contra ti, diz YHWH Tseva’ot. Destruirei pelo fogo tuas carruagens, que se desfarão em fumaça e a espada abaterá teus filhos; farei desaparecer da terra tuas presas e a voz de teus mensageiros não mais será ouvida.


[1] Sh'muel Beit/2ºSamuel 8:17 – Keretiym. Em hebraico temos: כרתי Keretiy, provavelmente procedente de (כרת karat, uma raiz que pode significar: ‘Cortar, cortar fora, derrubar, cortar uma parte do corpo, arrancar, eliminar, matar, fazer aliança, decapitar, talhar, entrar em ou fazer uma aliança, ser cortado fora, ser derrubado, ser mastigado, reprovar, destruir, remover, deixar perecer) no sentido de ‘verdugo’. É um adjetivo que em português, conforme o transliterado, é grafado como: ‘Queretitas ou quereítas significando 'verdugos'. Refere-se a um grupo de soldados mercenários estrangeiros que atuavam como guarda-costas do rei David. A versão da Bíblia do padre Almeida traz como ‘guarda real’. Também pode referir-se a cretenses ou proto-filishitim em geral.


[2] Sh'muel Beit/2ºSamuel 8:17 – Feletiym. Em hebraico temos: פלתי Feletiy, procedente da mesma forma que (פלת Felet, significando ‘fugir’. É um nome próprio masculino que significa 'rapidez'. Pode referir-se a um reu’veniy, pai de Om, que se rebelou com Datan e Aviram durante a peregrinação pelo deserto ou ao filho de Yonatan e descendente de Yerameel, de Yehudah). פלתי Feletiy, no plural ם פלתי Feletiym, é um adjetivo que em português, partindo do transliterado, é grafado como ‘feleteus’ significando 'mensageiros'. Pode referir-se a um nome coletivo para a guarda pessoal de David ou a, provavelmente, descendentes de uma pessoa desconhecida, talvez mercenários filishtim. A versão da Bíblia do padre Almeida traz também como integrantes da Guarda Real do rei David.
[3] Sh'muel Beit/2ºSamuel 8:17 – Eram ministros. Ou melhor eram kohanim Melktsedek.
[4] Sh'muel Beit/2ºSamuel 10:16 – Cheylam. Em hebraico encontramos: חילם Cheylam ou חלם Chel’am, procedente de {חילchayil, procedente de [(חול chul ou חיל chiyl, uma raiz que pode significar: ‘Torcer, girar, dançar, contorcer-se, temer, tremer, trabalhar, estar em angústia, estar com dor, contorcer, girar, girar em volta, contorcer-se em trabalho com, suportar, dar à luz, esperar ansiosamente, ser levado a contorcer-se, ser levado a suportar, ser trazido à luz, ser nascido, rodopiando no particípio, contorcendo, sofrendo tortura no particípio, estar em sofrimento)]. חיל chayil é um nome masculino que pode significar: ‘Força, poder, eficiência, fartura, exército, habilidade’}. חילם Cheylam ou חלם Chel’am é um nome próprio masculino. Em português, respeitando-se o transliterado, é grafado como ‘Chelam’ significando 'fortaleza'. Refere-se a um lugar a leste do Yarden, oeste do Eufrates, em Gilad, onde os sírios, sob o comando de Hadadezer, foram derrotados por David.
[5] Sh'muel Beit/2ºSamuel 10:16 – Shovach. Em hebraico é: שובך Shovach, talvez em lugar de [סביב saviyv ou feminino סביבה seviyvah, procedente de (סבב savav, uma raiz que pode significar: ‘Virar, voltar, desviar, retornar, rodear, percorrer ou circundar, cercar, mudar de direção, marchar ou andar ao redor, ir parcialmente ao redor, ir aos arredores, dar uma volta, fazer um circuito, percorrer, circundar, voltar-se, dar a volta, ser mudado de direção para, mudar, transformar, aproximar-se, marchar, vaguear, fechar, envolver, fazer virar, reverter,  mudar para, retornar, fazer voltar,  ser mudado ser cercado). סביב saviyv ou feminino סביבה seviyvah pode significar ‘Lugares ao redor, circunvizinhanças, cercanias, ao redor, derredor, arredor como preposição, no circuito, de todos os lados]. É um nome próprio masculino. Em português, respeitado o transliterado, é grafado como ‘Sobaque’ significando 'expansão'. Refere-se a um general do rei Hadadezer, dos sírios de Tsovah, na época de David.

SHIRIM U'CHOCHMAH
Kohelet/Eclesiastes 8:
1 Quem é como o sábio, que compreende o significado de cada coisa? A sabedoria do homem faz resplandecer seu rosto e abrandar aspereza de seu semblante. 2 Eu te aconselho: Atende à ordem do rei e obedeça ao compromisso para com o Eterno. 3 Não te apresses em d’Ele te apartar; não persistas numa ação má, pois Ele pode fazer o que Lhe aprouver. 4 Principalmente porque Sua Palavra é lei e quem Lhe poderá perguntar: ‘O que fazes’?. 5 A quem cumpre o mandamento não ocorrerá o mal e o coração do sábio discerne a justiça e o tempo. 6 Cada assunto tem seu tempo e seu julgamento, pois o mal sobrepuja ao homem. 7 Ele não sabe o que virá a ocorrer ou como virá a ocorrer; quem lhe antecipará este conhecimento? 8 Nenhum ser humano pode conter ou reter o espírito, nem ser autoridade sobre o dia da morte, não consegue resgatar-se na terra e Iniquidade não trará salvação a quem a pratica. 9 Percebi tudo isto e minha mente procurou compreender tudo que sob o sol acontece. Vi que, às vezes um homem governa sobre outro só para seu próprio mal. 10 Vi iníquos que em paz foram enterrados, sucedidos por seus filhos, enquanto justos que se foram são esquecidos na cidade onde aplicaram sua justiça. Como também isto é frustrante! 11 Como a sentença sobre feitos malévolos não se cumpre com presteza, o coração dos filhos dos homens é encorajado a praticar o mal. 12 Embora o transgressor pratique o mal cem vezes e mesmo assim receba uma extensão para seus dias, sei que bem haverá para quem teme ao Eterno, exatamente porque O temem. 13 Não haverá bem para o malévolo, nem muito há de durar, deslizando como uma sombra pela vida, por não temer ao Eterno.

SHIR MIZMOR
Tehilim/Salmos 119:
כ  81 Desfalece minha alma no anseio por Teu socorro; em Tua Palavra deposito minha esperança. 82 Meus olhos se anuviam a esperar por Tua Palavra enquanto pergunto: Quando me consolarás? 83 Pareço até um odre ressecado pelo fumo, mas Teus estatutos não esqueço. 84 Quantos serão os dias de Teu servo? Quando farás justiça a meus perseguidores? 85 Para mim cavaram fossos os malévolos, que não seguem os preceitos da Tua Torah. 86 Verdadeiros são todos os Teus mandamentos; só com mentiras me perseguem os inimigos. Dá-me Tua ajuda! 87 Quase me conseguiram destruir, mas Teus preceitos não abandonei. 88 Preserva minha vida conforme Tua misericórdia e guardarei os pronunciamentos de Tua boca. 89 ל O Eterno é nosso Elohim e permanente é Sua Palavra, que ecoa nos céus. 90 Tua fidelidade é contínua, passando de uma geração à outra. Criaste a terra e todos os astros e firme é Tua Criação. 91 Comportam-se segundo as leis que para eles estabeleceste, pois Teus servos são todos eles. 92 Se não encontrasse meu deleite em Tua Torah, aflições já me teriam feito perecer. 93 Jamais esquecerei Teus preceitos, pois só através deles minha vida é preservada. 94 A Ti pertenço, salva-me, pois somente eles busco cumprir. 95 Pretendem os malévolos destruir-me, mas em Teus mandamentos me protejo. 96 Há limites para tudo, menos para Teus preceitos, cuja grandeza é infinita. 97 מ Ah! Como são por mim amados Teus mandamentos! Eles são permanentemente o tema de minha meditação. 98 Ele me tornam mais sábio que todos os meus inimigos, pois sempre os tenho ante mim. 99 Mais percepção que meus mestres alcancei, pois Teus estatutos vivo a estudar. 100 Por cumpri-los, alcancei mais entendimento que os anciãos. 101 Desviei meus passos dos caminhos que conduzem ao mal, para guardar a Tua Palavra, 102 Não me apartei de Teus juízos, pois de Ti os aprendi. 103 Ó, quão doces são as Tuas Palavras ao meu paladar, mais que o mel para minha boca! 104 Por Teus mandamentos alcanço compreensão; por isso repudio todos os caminhos de iniquidade.  105 נ Tua Palavra é uma lâmpada para os meus pé e uma luz para o meu caminho. 106 Jurei e hei de cumprir, guardar Teus justos decretos. 107 Sinto-me intensamente aflito; preserva minha vida, ó Eterno, conforme Tua promessa. 108 Aceita favoravelmente as oferendas de meus lábios e ensina-me Teus juízos. 109 Em constante perigo está minha vida, mais jamais esqueço Tua Torah. 110 Uma armadilha montaram contra mim os ímpios, mas de Teus preceitos não me afastei. 111 Eles constituem minha eterna herança e são o deleite de meu coração. 112 Dediquei-o a guardar com perfeição Teus estatutos, agora e para todo o sempre. ס 113 Abomino os homens de coração hesitante, pois a Tua Torah dedico totalmente o meu. 114 És meu refúgio e meu escudo protetor; em Tua Palavra deposito minhas esperanças. 115 Apartai-vos de mim malfeitores, pois a guardar os mandamentos de meu Elohim me dedicarei. 116 Guarda-me, ó Eterno, conforme Tua promessa e não permita que seja frustrada minha esperança. 117 Ampara-me e serei salvo e com Teus estatutos ocupar-me-ei. 118 Rejeitas os que de Teus ensinamentos se afastam, porque vivem em mentira e falsidade. 119 Purgaste da terra como escória todos os ímpios, por isso amo os Teus decretos. 120 Estremece meu corpo com temor de Ti e Teus juízos reverencio. 121 ע Agi com justiça e integridade; não me abandones na mão de meus opressores. 122 De Teu servo seja fiador, para que lhe alcance o bem; não permitas que malévolos me oprimam. 123 Anuviam-se meus olhos na ânsia por Teu socorro e por Tua promessa de que justiça será feita. 124 Dispensa a Teu servo a bondade que Te caracteriza e ensina-me Tuas leis. 125 Teu servo sou, dá-me, pois, inteligência para compreender Teus testemunhos. 126 É chegado o tempo da intervenção do Eterno, pois eles infringiram Tua Torah. 127 Amo por isso Teus mandamentos e os valorizo acima do ouro mais puro. 128 Reafirmo a retidão de todos os Teus preceitos e abomino todas as trilhas da falsidade 129 פ Admiráveis são Teus preceitos e por isto os guarda minha alma com integridade. 130 A exposição de Tuas Palavras ilumina os caminhos e traz inteligência até aos mais ingênuos. 131 Abri minha boca para aspirá-las, porque por elas anseio. 132 Volta-Te para mim e tem piedade de mim, como fazes com os que amam Teu Nome. 133 Conduz meus passos por Tua vereda, para que de mim não se apodere iniquidade alguma. 134 Livra-me da opressão dos homens e me dedicarei a cumprir Teus preceitos. 135 Faz sobre Teu servo resplandecer Teu rosto e ensina-me Teus estatutos. 136 Derramam meus olhos torrentes de lágrimas por saber que há homens que não guardam Tua Torah. צ 137 Ó Eterno, Tu és justo e fidedignos são Teus julgamentos. 138 Plenos de retidão e fidelidade são os mandamentos que ordenaste. 139 Meu zelo por eles me faz sentir revolta contra meus opressores, por terem ignorado Tuas Palavras, 140 pois elas são tão puras e o Teu servo as ama. 141 Mesmo sendo jovem e olhado com desprezo, jamais esqueci Tua Torah. 142 Eterna é Tua justiça e constantes e verdadeiros Teus estatutos. 143 Angústia e aflição me acometeram, mas Teus mandamentos me confortaram. 144 Eterna é a justiça de Tuas prescrições; faz-me compreendê-las para que proporcionem vida. 145 ק Do fundo do coração por Ti clamei; responde-me, ó Eterno, para que eu consiga guardar Teus estatutos. 146 Invoquei Teu Nome; salva-me para que Teus mandamentos eu cumpra. 147 Levantei-me antes de amanhecer para implorar a Ti, ansiando por Tua Palavra. 148 Meus olhos se anteciparam às vigílias da noite para que, sobre Teu mandamento eu pudesse meditar. 149 Escuta minha voz conforme a Tua bondade; preserva minha vida segundo Teu julgamento. 150 Perseguidores tramando intrigas de mim se aproximam; distanciados estão de Tua lei. 151 Tu, porém, estás perto de mim e verdadeiros e justos são todos os Teus mandamentos. 152 De há muito sei que estabeleceste Tuas prescrições, para durarem pela eternidade afora. 153 ר  Vê minha aflição e liberta-me, pois Tua Torah não esqueci. 154 Pleiteia minha causa e traze minha redenção; preserva minha vida conforme a Tua Palavra. 155 Longe dos ímpios está a salvação, porque Teus estatutos não buscam cumprir. 156 Muitas são Tuas mercês, ó Eterno; guarda minha vida segundo Teus julgamentos. 157 Embora muitos fossem meus opressores e perseguidores, não me desviei de Teus mandamentos. 158 Enfrentei os traidores que encontrei em meu caminho, porque a Tua Palavra não observavam. 159 Vê como amo Teus preceitos, ó Eterno e mantém minha vida conforme Tua misericórdia. 160 Verdadeira é Tua Palavra e eternos teus juízos. 161 שׁ  Sem motivo me perseguiram príncipes, mas meu coração temeu somente afastar-se de Tua Palavra.  162 Com ela me alegro, como aquele que acha um tesouro. 163 Rejeito e abomino a falsidade e amo imensamente Tua Torah. 164 Sete vezes ao dia Te dirijo meu louvor, pela retidão de Teus julgamentos. 165 Completa é a paz dos que amam Tua Torah e não há para eles obstáculo intransponível. 166 Espero por Tua salvação, ó Eterno e Teus mandamentos tenho cumprido. 167 Guarda minha alma Teus mandamentos e lhes dedica muito amor. 168 Tenho observado Tuas ordens e Teus testemunhos, pois perante Ti trilho meus caminhos. 169 ת Que Te alcance a melodia de minha prece, ó Eterno; concede-me compreensão conforme Tua Palavra. 170 Que chegue a Ti minha súplica; resgata-me conforme Tua promessa. 171 De meus lábios transbordarão louvores, quando me ensinares Teus estatutos. 172 Minha língua proclamará Teu pronunciamento, pois justos são todos os Teus preceitos. 173 Que por tê-los escolhido, esteja pronta Tua mão para me amparar. 174 Anseio por Tua salvação, ó Eterno e em Tua Torah está todo o meu prazer. 175 Que viva a minha alma para louvar-Te e que me dêem assistência Teus juízos. 176 Como uma ovelha perdida estive desgarrado; busca Teu servo, ó Eterno, porque Teus mandamentos jamais esqueci.
Bom estudo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário