quinta-feira, 11 de julho de 2013

CICLO TRIENAL LEYELADIM - SEDRAH 117 (SACRIFÍCIOS PARA OS MOADIM/FESTIVIDADES)

Shalom, Yeladim

Entre outras coisas, na última Sedrah estudamos como HaShem anunciou a Mosheh que ele morreria sem entrar em Kena'an e que Yehoshua/Josué seria seu substituto.

Vamos ao estudo desta semana?
SACRIFÍCIOS PARA OS MOADIM (FESTIVIDADES)
Bamidbar/Números 28:1 - 29:39
Nesses capítulos HaShem passa a repetir diversas Mitzvot, para garantir que os israelitas não esqueceriam de nada e que tudo seria feito conforme Suas instruções, mesmo depois da morte de Mosheh. 
No capítulo 28, podemos aprender um pouquinho sobre as oferendas feitas com intervalos regulares. O povo estava quase no final de sua jornada pelo deserto e em breve iriam avistar a Terra Prometida (Kena’an), portanto, essas Instruções eram necessárias para evitar que os Israelitas se esquecessem do objetivo e da importância de cada sacrifício/oferenda, pois através desses sacrifícios eles tinham, não só, a oportunidade de se purificarem para estar diante de HaShem, como eram a garantia da continuidade da Sua presença entre Am’Israel.  
Em Bamidbar/Números 29, O Eterno dá orientação sobre os Moadim* (festividades) que, a partir da chegada do povo em Kena’an deveriam ser observadas desde o primeiro dia. A primeira a ser mencionada é a Festa das Trombetas (Yom Teruah), que deveria ser celebrada com bastante alegria, ao som do Shofar. “No primeiro dia do sétimo mês vocês farão uma assembléia santa e não realizarão nenhum trabalho. Será para vocês o dia da aclamação com o Shofar” (Bamidbar/Números 29:1).
A seguir, temos o Dia da Expiação ou Dia do Perdão (Yom HaKipurim).  “No décimo dia do sétimo mês vocês farão uma assembléia santa, jejuarão e não realizarão nenhum trabalho”(Bamidbar/Números 29:7). Yom HaKipurim não é um dia festivo, ao contrário, seu propósito é ser um dia de quebrantamento, arrependimento e renovação de votos diante do Eterno.
E, por  último, trata da Festa dos Tabernáculos, Tendas ou Barracas (Chag Sukot). "Semelhantemente, aos quinze dias deste sétimo mês tereis santa convocação ... sete dias celebrareis festa a HaShem" (Bamidbar/Números 29:12).  Chag Sukot era o último dos festivais e marcava o encerramento da colheita. 
Essa celebração durava 7 dias nela havia muito mais sacrifícios oferecidos do que em qualquer outra festa.  No total, eram sacrificados 70 bezerros, 14 carneiros, 98 ovelhas e 7 cabras. 
Além disso, haviam holocaustos diários e ofertas de cereais. Todos estes sacrifícios/oferendas eram feitos para agradecer ao Eterno pela colheita abundante.  "Esses são os sacrifícios que vocês oferecerão a HaShem nas solenidades que celebrarem, além das ofertas por seus votos e sacrifícios voluntários, e além dos holocaustos, oblações, libações e sacrifícios de comunhão" (Bamidbar/Números 12:39).
A despeito do que muitos possam pensar, quando alguém oferecia uma oferta ou sacrifício, isso lhe custava não só o "abrir mão de alguma coisa de valor", mas, fazia-o lembrar de sua transgressão ou da graça recebida.
O que podemos ver, Yeladim, é que enquanto no paganismo os sacrifícios são oferecidos aos ídolos, que pedem sacrifícios para eles mesmos e ainda tornam impuros e abomináveis os idólatras que os praticam, os sacrifícios estabelecidos na Torah não foram feitos por causa do Eterno, mas, por nossa causa - para servir de expiação, ou seja, sendo objeto de reparação de nossas transgressões, nos purificando para que pudéssemos nos aproximar dEle; ou ação de graças - para demostrar nossa gratidão para com Ele.

nota (*): tempos apontados, no hebraico, "moadim", também chamados de "chaguim", festas/festividades.

ATIVIDADE:
1  Por quê o Eterno repetiu Suas instruções após a morte de Mosheh?

2  Quais festividades são mencionadas na Sedrah?

3  Para que serviam os sacrifícios e oferendas?

4  Como deve ser observado Yom HaKipurim?

5  Que lições podemos extrair da Sedrah desta semana?

6  Anote no desenho ao lado o nome de cada uma das celebrações (moadim) mencionadas na Sedrah desta semana.

Shabat Shalom!


2 comentários:

  1. JEREMIAS 7
    21 Assim diz o CRIADOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Ajuntai os vossos holocaustos aos vossos sacrifícios, e comei carne.
    22 Porque nunca falei a vossos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito, nem lhes ordenei coisa alguma acerca de holocaustos ou sacrifícios.
    23 Mas isto lhes ordenei, dizendo: Dai ouvidos à minha voz, e eu serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo; e andai em todo o caminho que eu vos mandar, para que vos vá bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois eh, Sérgio. Jeremias exerceu suas atividades proféticas por volta de 627/586 aec, ou seja, séculos após os Hebreus terem saído do Egito. Sua mensagem tinha como objetivo fazer com que o povo retornasse à genuína aliança com O Eterno, uma vez, que tudo o que faziam (seus sacrifícios, seus holocaustos) já não passavam de atos mecânicos. Seu lamento e clamor,, registrados no Tanach evidênciam seu amor e da sua preocupação por Am'Israel, devido à visão da desolação que viria sobre Yerushalayim, por causa sua da frieza espiritual. Sua mensagem é atemporal!

      Excluir