sábado, 13 de abril de 2013

CICLO TRIENAL LEYELADIM - SEDRAH 105 (MOSHEH, O ÚNICO A QUEM O ETERNO SE REVELAVA)


Shalom, Yeladim

No Shabat passado estudamos sobre a murmuração do povo perante o Eterno e a forma como foram “contaminados” por aqueles que haviam deixado Mitsrayim com eles. Vimos que o Eterno se desagradou muito disto e que Sua Ira provocou muitas mortes. 
É importante termos consciência de que o Criador do Universo espera de nós pouco; na verdade, apenas obediência a Sua Torah; se isto fizermos, podemos ter a certeza de que, assim como Ele foi com nossos pais no deserto, Ele tudo proverá!

Vamos ao nosso estudo desta semana?

MOSHEH, O ÚNICO A QUEM O ETERNO SE REVELAVA

(ilustração: Elohim falando com Mosheh, através da sarça)
Bamidbar/Números 12:1-16 
Passada a questão das codornizes e a murmuração do povo de Israel por carne, novo episódio de Lashon Harah (lingua perversa) no arraial.

Miriyam e Aharon, irmãos de Mosheh, falaram contra ele, condenando-o por  ter se casado com uma mulher que não era hebreia, mas, sim uma cushita (Etíope). E eles continuaram a murmurar e  a reclamar: "É com Mosheh que o Eterno fala, exclusivamente? Ele também não fala conosco?
Ouvindo isso, O Eterno, convocou Mosheh, Miriyam e Aharon para uma reunião fora da Tenda da Comunhão e desceu num pilar de nuvem, ficando junto à entrada da Tenda.
Quando Miriyam e Aharon saíram, O Eterno disse-lhes: "Ouçam cuidadosamente Minhas Palavras. Eu, HaShem, falo com os profetas em sonhos e visões, mas, com Meu servo Mosheh, eu falo face-a-face. Como vocês ousam falar contra ele? Vocês não Me temem? Bamidbar (Números) 12:6-8.
Diferentemente do episódio anterior, desta vez o "lashon harah" não se deu por uma "necessidade ou desejo de alguma coisa". O que fez com que Miryiam e Aharon se desviassem dos propósitos de HaShem, muito provavelmente, foi a inveja, ou mesmo ciúmes. 
Levando-se em conta a proximidade do Eterno com Mosheh, não é difícil de imaginar que esse tenha sido o motivo que levou Miriyam e Aharon a pecarem contra HaShem. 
O que eles não perceberam é o que fazia a diferença era a humildade de Mosheh e seu posicionamento diante da vontade do Criador. "Ora, falaram Miriyam e Aharon contra Mosheh, por causa da mulher cushita que este tomara; porquanto tinha tomado uma mulher cushita. E disseram: Porventura falou o Senhor somente por Mosheh? Certamente, falou conosco também! - e O Eterno ouviu. E o homem Mosheh era muito humilde, mais do que todos os homens que houve sobre a face da terra”.  Bamidbar (Números) 12:6-8.

Essa atitude fez com que, mais uma vez, HaShem manifestasse sua ira. E, para que ficasse claro que a atitude de Miryiam e Aharon havia sido totalmente desaprovada por Ele, quando deixou o lugar sobre a Tenda, Miriyam estava com Tsara'at (doença na pele), que a deixou totalmente branca.
Tsara'at é a punição para quem prática o Lashon Harah, mas, nesta Sedrah, vamos falar sobre um outro ponto muito importante e que, muitas vezes, acaba sendo motivo desse e outros pecados - a nossa falta e disposição em seguirmos a Torah que, como consequência, nos deixa enfraquecidos e expostos a sentimentos como a inveja e o ciúme. 
Queridos Yeladim, esse tipo de sentimento, infelizmente, é bastante normal nas nossas vidas.  Quem nunca sentiu ciúmes, por exemplo, de um(a) irmão(a)?! Em nosso dia a dia, certamente experimentamos situações em que sabemos que estamos pensando ou mesmo fazendo algo que desagrada ao Eterno, mas, se não conseguimos impedir o pensamento de vir a nossa cabeça, podemos tentar evitar que ele se torne uma "atitude/ação".
O que irá diferenciar nosso comportamento frente à tentação é o que vamos fazer com esse pensamento. Se conseguirmos “mantê-lo" apenas como um pensamento, de tal forma, que nossas atitudes não nos distanciem da Vontade de HaShem, podemos dizer que seu efeito passou...
Somente o Eterno pode avaliar o quanto isso é difícil. 
Assim, precisamos todos os dias pedir ao Eterno que nos fortaleça, nos ajude a vencer as tentações através de Sua Torah, de forma a conseguirmos controlar estes impulsos que podem nos distanciar de Seus Caminhos. Em momentos como esse, precisamos lembrar o que desagrada o coração de Elohim e resistir!
Finalmente, outra lição que podemos obter do estudo de hoje é a respeito da humildade. À primeira vista, parece algo muito simples, mas, será que somos realmente humildes? Não estou aqui falando de algo que se aproxime de Mosheh, pois a própria Torah nos fala que ele foi o homem mais humilde a pisar a terra.
Começar respondendo a perguntas do tipo:
  • “como eu falo com os meus pais?”. Ou então, 
  • “como eu trato meus amiguinhos da escola? Ou a professora?”. Ou ainda, 
  • “como eu me dirijo ao Criador em minhas orações?”, 

Essa pode ser uma ótima forma de exercitarmos e conhecermos um pouco melhor sobre nós mesmos. 
E então ... será que podemos dizer que somos humildes de verdade? Claro que não da mesma forma que Mosheh, pois, a Torah nos relata que nunca houve pessoa mais humilde do que ele.
Felizmente, para Miriyam e Aharon houve um "final feliz". À medida que eles se arrependeram e pediram perdão, puderam experimentar a misericórdia e a graça de Elohim! (Baruch HaShem)! 

O Eterno conhece a fraqueza do coração humano e está sempre pronto a nos perdoar quando reconhecemos nossos erros e mudamos nossas atitudes!
Pensem nisto! 
Shalom aleicheim (Shalom a todos)!

Nenhum comentário:

Postar um comentário