segunda-feira, 29 de abril de 2013

SEDRAH 107 - RESUMO SEMANAL (HA'ISHAH / MULHERES)

"Cria em mim, ó Elohim, um coração puro, e renova em mim um espírito reto."
Tehilim (Salmos 51)

RESUMO DO ESTUDO SEMANAL DA SEDRAH
Bamidbar (Números) 14:1-45
A MURMURAÇÃO DE YISRA'EL
A Sedrah desta semana está em Bamidbar (Números) 14. O assunto tratado dá continuidade ao evento anterior, no qual os dez líderes/espias enviados a espiar a Terra Prometida trouxeram desonra no meio do povo por conta do relatório contraditório que, gerando revolta, fez com que o povo afrontasse à Hashem e sofresse as conseqüências  de seus atos, uma vez que O Eterno é justo. 
Nesse episódio, especificamente, notamos a reação de um povo ingrato e injusto, que de maneira insolente desobedece a voz do seu líder, infringindo as regras impostas pelo próprio Elohim e, como conseqüência da indisciplina, sofre derrota e morte.
A imagem que nos vêm à mente é de uma multidão em luto; uma fraqueza total, muita desconfiança, amargura de espírito; um povo atormentado e até mesmo depressivo. Por outro lado percebemos o desapontamento do próprio Criador, que os escolheu, os amou, os livrou e  protegeu.  
Mais uma vez, o povo desagrada Hashem de tal forma, que Ele deseja destruir todos aqueles que se contaminaram e murmuraram contra Ele ... No episódio do bezerro de ouro O Eterno também desejou destruir o povo, pois, haviam idolatrado outro deus. Neste caso a afronta não foi diferente! Revoltados, o povo já não desejava mais seguir adiante e entrar na terra, para servir e estar na presença do Único Elohim. Eles desejaram que um novo líder fosse levantado no lugar de Mosheh para guiá-los  de volta ao Egito e assim, estariam mais uma vez na escravidão e na idolatria. Infelizmente, diante dos obstáculos, perderam a fé no meio do Caminho.
A ofensa foi tão grande que olhando essa situação parece ironia, porém, jamais podemos imaginar que somos melhores que nossos antepassados e que jamais faríamos isto, pois a arrogância nos cega. Se tudo isso foi relatado na Torah minuciosamente, no mínimo, é para que pudéssemos aprender e vigiar... O cuidado deve ser dobrado, pois, como imaginar que eles desejaram voltar ao Egito, onde eram feitos escravos, a entrar na terra e usufruir de tudo aquilo como filhos do Criador?!
Muitas vezes nos vemos em situações extremamente parecidas, mas, precisamos ter autocontrole e muita convicção daquilo que cremos e que temos vivido diante da Torah de Hashem, para não agirmos por impulso ou até mesmo por rebeldia. 
Atualmente, temos vivido em comunidade (uma sinagoga), procurando zelar por aquilo que o Eterno nos entregou e cumprindo as Suas Instruções, a própria Torah. Quão grande deve ser a nossa alegria e gratidão diante de tanto que recebemos. 
E o que temos feito diante de tudo isto? Quantas vezes nos deparamos com nossos sentimentos contraditórios (como aqueles que assombraram o povo), numa guerra interna, desvalorizando o que temos recebido e que até mesmo, por falta de sabedoria e entendimento, desprezando o que temos vivido e abrindo mão de viver aquilo que ainda está por vir.
Como é admirável o comportamento de Mosheh, quando Hashem pronuncia a destruição do povo. Quanto zelo pelo nome do Eterno, pedindo que não fizesse aquilo, pois os egípcios o difamariam, dizendo que: “Não podendo o Elohim deles fazê-los entrar na terra prometida matou-os no deserto.” 
Essa também deveria ser a nossa atitude para com o nosso Criador; nossa demonstração de amor e respeito; ações baseadas no zelo pela Torah, na obediência, no nível de relacionamento que exercitamos com o nosso próximo.
Quando iremos deixar de nos preocupar conosco mesmos e pensar como povo; nos preocupar com o Reino, como fez Mosheh? Um verdadeiro exemplo! 
A súplica de Mosheh foi atendida e O Eterno já não destruiria todo o povo, porém, a conseqüência ainda era terrível. Todos, acima de 20 anos, morreriam no deserto e não entrariam em Kena'an.
A pergunta que fica no ar e não quer se calar: “será que mesmo que O Eterno tenha proclamado algo sobre O Seu povo, não haveria nada que pudessem fazer para que fossem livres daquele mal? Se tivessem se prostrado, se humilhado, clamado, se arrependido verdadeiramente ... Hashem, acaso, não lhes teria dado uma nova chance?”   
Em II Crônicas 7:14 temos encontramos a resposta: “E se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” 
Um outro relacionamento que temos para nos espelhar é o de David, um homem segundo o coração do Eterno, que errava pois era humano, mas, não deixava o orgulho domina-lo, antes se arrependia, se dobrava diante de Hashem, em total humildade.
Diante disso, fica uma lição ainda maior; se pecarmos, não estaremos totalmente condenados, temos a chance de nos arrependermos, de sermos perdoados e vivermos uma nova oportunidade diante de Hashem, sem jamais esquecer que todo pecado gera uma conseqüência da qual não seremos livrados, mas, por Sua Chessed não seremos destruídos.
Que façamos o propósito de reconhecermos nossos erros e nos arrependermos diante de Hashem, buscando um coração puro e uma vida de retidão, construindo assim um maior e melhor relacionamento, num alto nível de intimidade e amor para com nosso Elohim.
Tehilim 51:
"Tem misericórdia de mim, ó Elohim, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.( )  Cria em mim, ó Elohim, um coração puro, e renova em mim um espírito reto."
por: Reynah, Rivkah v'Divorach

sexta-feira, 26 de abril de 2013

CICLO TRIENAL LEYELADIM - SEDRAH 107 (A MURMURAÇÃO DOS ISRAELITAS)

Shalom, Yeladim
Vimos na Sedrah passada que, enquanto os israelitas se preparavam para entrar em Kena'an, doze importantes líderes  do povo (um de cada tribo) são enviados para espionar a Terra. 
Desses doze, apenas dois (Yehoshua e Calev) trouxeram notícias animadoras, pois estavam confiantes na promessa de HaShem. Os outros dez retornam com um relatório, inicialmente bom e até trouxeram lindos frutos que lá colheram, todavia, a Sedrah termina com o incidente do mau relatório final dos espias que, denegrindo a Terra Prometida, amedrontaram o povo e o desanimaram, dizendo: "é impossível aos israelitas conquistarem Kena'an; o povo que lá habitava é muito numeroso e forte e há gigantes". 
Vamos ao nosso estudo desta semana?

A MURMURAÇÃO DOS ISRAELITAS
Bamidbar/Números 14:1- 45 
(A Revolta do Povo)
A Torah nos diz que os doze líderes enviados a espionar a Terra Prometida voltaram depois de 40 dias.  Isso certamente causou muita ansiedade entre o povo, que estava curioso para ver confirmado tudo aquilo que HaShem havia dito sobre a Terra.
Com o relatório ruim dos dez espias, o povo se desesperou e começou a murmurar de tal forma que, mais uma vez, blasfemaram contra HaShem e se rebelaram contra Mosheh, dizendo uns aos outros: “vamos escolher um novo líder para nos levar de volta a Mitzrayim/Egito”. (Bamidbar/Números 14:1-4).
A esperança e o ânimo que sentiam na partida dos espias, deram lugar ao desespero e ao desânimo quando eles retornaram. Esquecendo-se das promessas de vitória feitas pelo Eterno, ao depararem com obstáculos, deixaram sentimentos de incredulidade encherem seus corações, lançando insegurança sobre todo o povo, de modo que eles se esquecerem totalmente dos grandes livramentos e milagres feitos por HaShem, tantas e tantas vezes, desde a sua saída do Egito.
Calev e Yehoshua, entretanto, se posicionaram de forma diferente e tentaram acalmar o povo dizendo: "a terra que fomos explorar é boa; ela realmente mana leite e mel; não sejam rebeldes contra  YHWH e não tenham medo do povo que nela habita. Nós os venceremos com facilidade, pois, YHWH é conosco". (Bamidbar/Números 14:6-9)

Todavia, num ato de revolta e fúria, o povo se levantou contra Calev e Yehoshua e, armados com pedras, investiram contra eles para os apedrejarem.  Não fosse a intervenção de HaShem, certamente, Yehoshua e Calev teriam sido massacrados. (Bamidbar/Números 14:9,10)
Mais uma vez o povo se esqueceu dos atos de bondade do Eterno e agiu com incredulidade e ingratidão e, se Mosheh não houvesse intercedido a YHWH para poupa-los, teriam sido destruídos ali mesmo. A resposta de HaShem, a Mosheh, foi a seguinte: "Eu os perdôo, por causa da tua súplica, Mosheh. Mas, todos esses que viram minha glória e os sinais que fiz no Egito e no deserto - esses mesmos que já Me puseram à prova dez vezes, sem obedecer à minha voz - não verão a terra que prometi com juramento a seus pais. Quarenta anos vocês vão peregrinar no deserto, como castigo por seu pecado, conforme os quarenta dias que os espias observaram a Terra - um ano para cada dia. Em Kena'an só entrará os que tem menos de 20 anos". (Bamidbar/Números 14:20-35)
Ao ouvir essas palavras, os israelitas ficaram muito tristes, lamentaram pelo que haviam feito, reconheceram o seu pecado e disseram a Mosheh: "Agora estamos prontos para ir até o lugar que HaShem nos havia prometido". E, para provar o que estavam dizendo, decidiram tomar a cidade durante a noite, a despeito da orientação de HaShem, para seguirem pelo deserto em direção ao Mar Vermelho. 
Seguindo seus corações presunçosos, subiram ao cume da montanha, onde foram surpreendido pelos amalekitas e cananitas, que os derrotaram e fizeram em pedaços.

ATIVIDADES:
(Os Espias)
1 Yehoshua e Calev pertenciam a que tribos?
______________________________________
______________________________________
2  O que aconteceu com os homens que infamaram a Terra? (verso 37)
______________________________________
______________________________________
3  Que direção O Eterno ordenou aos israelitas seguirem? (verso 25)
_________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
4  Que direção o povo tomou e quais as consequências?
_________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
5  Você se lembra de alguma situação em que se deixou desanimar por algo que alguém falou?
_________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
6  Que lição podemos aprender com a Sedrah desta semana?
_________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
Bom estudo e Shabat Shalom!

quinta-feira, 25 de abril de 2013

CICLO TRIENAL - SEDRAH 107 (Semana de 21 a 27 de abril/2013)

Torah:    Bamidbar/Números 14:1 - 45  
Tema(s): A Murmuração de Yisra'El
Haftarah:  Shmu'el Alef/1 Samuel 19; Yermiyahu/Jeremias 7 e 15
Tema(s):     David e a Casa de Sha'ul/Saul; O Beit HaMikdash e a Idolatria; Guerras e Retorno
Chochmah: Kohelet/Eclesiastes 1:12-18
Tema(s):  O peso da Sabedoria
Tehilim: Tehilim/Salmos 107
Tema(s):  O Livramento de YHWH

Torah
Bamidbar/Números 14:
1 Então toda a comunidade elevou a voz; puseram-se a clamar, e o povo chorou aquela noite. 2 Todos os filhos de Israel murmuraram contra Mosheh e Aharon, e toda a comunidade lhes disse: "Antes tivéssemos morrido na terra de Mitzrayim/ Egito! Antes morrêssemos neste deserto! 3 E por que YHWH nos traz a esta terra para nos fazer perecer à espada, para entregar como presa as nossas mulheres e as nossas crianças? Não nos seria melhor voltar para Mitzrayim?" 4 E diziam uns aos outros: "Escolhamos um chefe e voltemos para Mitzrayim." 5 Diante de toda a comunidade reunida dos filhos de Israel, Mosheh e Aharon prostraram-se com a face em terra. 6 Dentre aqueles que exploraram a terra, Yehoshua, filho de Nun e Calev, filho de Yefteh, rasgaram as suas vestes. 7 Disseram a toda a comunidade dos filhos de Israel: "A terra que fomos explorar é boa, é uma terra excelente. 8 Se YHWH nos é propício, Ele nos fará entrar nesta terra e no-la dará. É uma terra que mana leite e mel. 9 Tão somente não vos rebeleis contra YHWH. Não tenhais medo do povo daquela terra, pois os devoraremos como um bocado de pão. A sua sombra protetora lhes foi tirada, ao passo que YHWH está conosco. Portanto, não tenhais medo deles." 10 Toda a comunidade falava em apedrejá-los, quando a glória de YHWH apareceu na Tenda da Reunião a todos os filhos de Israel. 11 E YHWH disse a Mosheh: "Até quando este povo me desprezará? Até quando recusará crer em mim, apesar dos sinais que fiz no meio deles? 12 Vou feri-lo com pestilência e o deserdarei. De ti, contudo, farei uma nação maior e mais poderosa do que este povo." 13 Mosheh respondeu a YHWH: "Os egípcios ouviram que pela tua própria força fizeste sair este povo do meio deles. 14 Disseram-no também aos habitantes desta terra. Souberam que tu, YHWH, estás no meio deste povo, a quem te fazes ver face a face; que és tu, YHWH, cuja nuvem paira sobre eles; que tu marchas diante deles, de dia numa coluna de nuvem e de noite numa coluna de fogo. 15 Se fazes perecer a este povo como a um só homem, as nações que ouviram falar de ti vão dizer: 16 'YHWH não pôde fazer este povo entrar na terra que lhe havia prometido com juramento e, por isso, o destruiu no deserto.' 17 Não! Mas, que agora a tua força, meu Senhor, se engrandeça! Segundo a tua palavra: 18 'YHWH é lento para a cólera e cheio de amor, tolera a falta e a transgressão, mas não deixa ninguém impune, ele que castiga a falta dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração.' 19 Perdoa, pois, a falta deste povo segundo a grandeza da tua bondade, tudo conforme o tens tratado desde Mitzrayim/Egito até aqui." 20 Disse YHWH: "Eu o perdôo, conforme a tua súplica. 21 Mas — eis que Eu vivo! e a glória de YHWH enche toda a terra! — 22 todos estes homens que viram minha glória e os sinais que fiz no Egito e no deserto, estes homens que já me puseram à prova dez vezes, sem obedecer à minha voz, 23 não verão a terra que prometi com juramento a seus pais. Nenhum daqueles que me ultrajaram a verá. 24 Mas o meu servo Calev, visto que um espírito diferente o animou e que me obedeceu inteiramente, eu o farei entrar na terra onde já esteve, e a sua descendência a possuirá. 25 (Os amalekitas e os cananitas habitam na planície.) Amanhã, pois, fazei meia volta e retornai ao deserto, na direção do mar de Suf." 26 YHWH falou a Mosheh e a Aharon. Disse-lhes: 27 "Até quando esta comunidade perversa há de murmurar contra mim? Ouvi as queixas que os filhos de Israel murmuram contra mim. 28 Dize-lhes: Por minha vida — oráculo de YHWH — eu vos tratarei segundo as próprias palavras que pronunciastes aos meus ouvidos. 29 Os vossos cadáveres cairão neste deserto, todos vós os recenseados, todos vós os enumerados desde a idade de vinte anos para cima, vós que tendes murmurado contra mim. 30 Juro que não entrareis nesta terra, a respeito do qual eu, levantando a mão, fiz juramento de nela vos estabelecer. Apenas Calev, filho de Yefteh, e Yehosua, filho de Nun, 31 e os vossos filhos, dos quais dizíeis que seriam levados como presa, serão eles que farei entrar e que conhecerão a terra que desprezastes. 32 Quanto a vós, os vossos cadáveres cairão neste deserto, 33 e vossos filhos andarão errantes neste deserto durante quarenta anos, carregando o peso da vossa infidelidade, até que os vossos cadáveres se consumam no deserto. 34 Explorastes a terra durante quarenta dias. A cada dia corresponde um ano: por quarenta anos levareis o peso de vossas faltas e sabereis o que é o fato de me abandonardes. 35 Eu falei, eu mesmo, YHWH; é assim que tratarei toda esta comunidade perversa amotinada contra mim. Neste mesmo deserto não restará um deles e é ali que morrerão." 36 Os homens que Mosheh havia mandado para explorarem a terra e que, ao voltarem, haviam excitado toda a comunidade de Israel a murmurar contra ele, desacreditando a terra, 37 tais homens que infamaram perversamente a terra, foram feridos de morte perante YHWH. 38 Dos homens que foram explorar a terra somente Yehoshua, filho de Nun, e Calev, filho de Yefteh, permaneceram vivos. 39 Mosheh transmitiu estas palavras aos filhos de Israel e o povo fez grandes lamentações. 40 Depois, levantando-se de madrugada, subiram ao cume da montanha e diziam: "Eis nos aqui e subimos a este lugar, a respeito do qual YHWH disse que haviamos pecado." 41 Respondeu Mosheh: "Por que transgredis a ordem de YHWH? Isso não será bem sucedido. 42 Não subais, pois HWH não está no meio de vós: não prepareis a vossa derrota por meio dos vossos inimigos. 43 Na verdade, os amalekitas e os cananitas estão lá diante de vós, e caireis à espada, porque vós vos desviastes de YHWH e YHWH não está convosco." 44 Contudo, eles subiram, na sua presunção, ao cume da montanha. A arca da aliança de YHWH e Mosheh não se apartaram do acampamento. 45 Os amalekitas e os cananitas que habitavam esta montanha desceram, derrotaram-nos e os fizeram em pedaços até Horma.


Haftarah
Shmu'el Alef (1 Samuel) 19:
1 Sha’ul/Saul comunicou a seu filho Yonathan/Jônatas e a todos os seus oficiais a sua intenção de levar David à morte. Ora, Yonathan, filho de Sha’ul, tinha muita afeição por David, 2 e advertiu a David dizendo: "Meu pai busca a tua morte. Fica de sobreaviso amanhã de manhã, procura o teu refúgio e esconde-te. 3 Eu sairei e permanecerei ao lado do meu pai no campo em que estiveres, e então falarei com meu pai a teu respeito, saberei o que houver e te informarei." 4 Yonathan falou bem de David a seu pai Sha’ul, e disse: "Não peque o rei contra o seu servo David, porque nenhuma falta cometeu contra ti; pelo contrário, tudo o que tem feito tem sido de grande vantagem para ti. 5 Ele arriscou a sua vida, matou o filishtim, e YHWH deu a todo o Yisra’El uma grande vitória: tu o viste e te regozijaste. Por que haverias de pecar derramando o sangue de um inocente, fazendo David perecer sem motivo?" 6 Sha’ul cedeu às palavras de Yonathan e fez este juramento: "Tão certo como vive YHWH, David não morrerá." 7 Então Yonathan chamou David e lhe disse essas coisas. Depois o conduziu a Sha’ul, e David voltou ao seu serviço como antes. 8 Como a guerra recomeçasse, David se lançou à campanha e combateu os filishtim: levou-os a uma grande derrota, e fugiram diante dele. 9 Ora, um mau espírito da parte de YHWH se apossou de Sha’ul quando ele estava assentado em sua casa, a sua lança à mão, David dedilhando a cítara. 10 Sha’ul procurou traspassar David contra a parede, mas David se desviou e a lança se encravou na parede. Então David fugiu e escapou. Naquela mesma noite, 11 Sha’ul despachou emissários para vigiar a casa de David para que o matassem pela manhã. Mas Michal/Mical, mulher de David, lhe deu este conselho: "Se não escapas esta noite, amanhã serás um homem morto!" 12 Michal fez David descer pela janela e ele saiu, correu e escapou. 13 Michal apanhou o terafim (ídolo/escultura), deitou-o na cama, pôs-lhe na cabeça uma pele de cabra e estendeu sobre ele um manto. 14 Aos mensageiros que Sha’ul mandara para trazer David, ela disse: "Está doente." 15 Mas Sha’ul mandou outra vez os mensageiros, para que vissem David, e disse-lhes: "Trazei-mo na sua cama, para que eu o mate!" 16 Os mensageiros entraram e deram com o terafim na cama, e colocou à cabeceira um travesseiro de pele de cabra. 17 Sha’ul disse a Michal: "Por que me traíste e deixaste fugir e escapar o meu inimigo?" Michal respondeu a Sha’ul: "Foi ele quem me disse: Deixa-me partir ou te mato!" 18 David tinha, pois, fugido e escapou; foi ter com Shmu’el/Samuel, em Ramah, e lhe relatou tudo o que Sha’ul lhe tinha feito. Ele e Shmu’el foram e ficaram em Naiot. 19 E foram dizê-lo a Sha’ul: "David está em Naiot, em Ramah." 20 Sha’ul enviou mensageiros para prender David, e eles viram a comunidade dos profetas, que estavam profetizando, e Samuel a presidi-los. E logo a Ruach HaElohim (sopro de YHWH) veio também sobre os mensageiros de Sha’ul, os quais foram igualmente tomados de profecia (*). 21 Informado do que ocorria, Sha’ul mandou outros mensageiros, os quais entraram também em delírio. Sha’ul enviou um terceiro grupo de mensageiros, e também eles caíram em profecia. 22 Então ele próprio partiu para Ramah e chegou à grande cisterna que está em Sechuh. Indagou onde estava Shmu’el e David, e lhe responderam: "Estão em Naiot, em Ramah" 23 Dali partiu Sha’ul para Naiot, em Ramah. Mas, a ruach haElohim (o sopro do Eterno) também se apossou Sha’ul, e ele caminhou profetizando até chegar a Naiot, em Ramah. 24 Também ele se despojou das suas vestes, também ele profetizou diante de Shmu'el e depois caiu no chão, nu, e ficou assim todo aquele dia e toda a noite. Daí o provérbio: "Está também Sha’ul entre os profetas?"


versão: Bíblia de Jerusalém

(*) 20 delírio 

Yermiyahu (Jeremias) 7:
1 E Palavra que foi dirigida a Yermiyahu da parte de YHWH: 2 Coloca-te à porta do Beit HaMikdash (Templo de HaShem) e anuncia ali esta palavra e diz: Escutai a palavra de YHWH, vós todos de Yehudah/Judá, que entrais por estas portas para adorardes YHWH. 3 Assim disse YHWH dos Exércitos, o Elohim de Israel: Melhorai os vossos caminhos e as vossas obras, e eu vos farei habitar neste lugar. 4 Não vos fieis em palavras mentirosas dizendo: "Este é o Templo de YHWH, Templo de YHWH, Templo de YHWH!" 5 Porque, se realmente melhorardes os vossos caminhos e as vossas obras, se realmente praticardes o direito cada um com o seu próximo, 6 se não oprimirdes o estrangeiro, o órfão e a viúva, se não derramardes sangue inocente neste lugar e não correrdes atrás de deuses estrangeiros para vossa desgraça, 7 então Eu vos farei habitar neste lugar, na terra que dei a vossos pais há muito tempo e para sempre. 8 Eis que vós vos fiais em palavras mentirosas, que não podem ajudar. 9 Não é assim? Roubar, matar, cometer adultério, jurar falso, queimar incenso a Baal, correr atrás de deuses estrangeiros, que não conheceis, 10 depois virdes e vos apresentardes diante de mim, nesta Casa, onde o Meu Nome é invocado, e dizer: "Estamos salvos", para continuar cometendo estas abominações! 11 Esta Casa, onde o Meu Nome é invocado, será porventura um covil de ladrões a vossos olhos? Mas eis que eu também vi, oráculo de YHWH. 12 Ide, pois, ao meu lugar, em Shiloh/Siló, onde Eu, outrora, fiz habitar o Meu Nome, e vede o que eu lhe fiz por causa da maldade do meu povo, Yisra’El. 13 Mas agora, visto que praticastes todos esses atos — oráculo  de YHWH —, visto que não escutastes quando eu vos falava com instância e sem me cansar, e não respondestes aos meus apelos, 14 vou tratar a Casa, onde meu Nome é invocado, e em que colocais a vossa confiança, o lugar que dei a vós e a vossos pais, como tratei Shiloh. 15 Eu vos expulsarei de minha presença, como expulsei todos os vossos irmãos e toda a semente de Efrayim. 16 Mas tu (Yirmiyahu), não intercedas por este povo e não eleves em seu favor nem lamentos nem preces, e não insistas junto a Mim porque não vou te ouvir. 17 Não vês tu o que eles fazem nas cidades de Yehudah/Judá e nas ruas de Yerushalayim/Jerusalém? 18 Os filhos ajuntam a lenha, os pais acendem o fogo e as mulheres preparam a massa para fazerem tortas à rainha dos céus; depois fazem libações a deuses estrangeiros para me ofenderem. 19 Mas será a mim que eles ofendem?, oráculo de YHWH. Não será a eles mesmos, para a sua própria vergonha? 20 Por isso, assim disse O Eterno Elohim: Eis que minha ira ardente se derramará sobre este lugar, sobre os homens, sobre os animais, sobre as árvores do campo e sobre os frutos da terra. Ela arderá e não se extingirá. 21 Assim disse YHWH dos Exércitos, Elohim de Yisra’El: Acrescentai os vossos holocaustos aos vossos sacrifícios e comei a carne! 22 Porque eu não disse e nem prescrevi nada a vossos pais, no dia em que vos fiz sair da terra de Mitzrayim, em relação ao holocausto e ao sacrifício. 23 Mas eu lhes ordenei isto: Escutai a minha voz, e eu serei o vosso Elohim e vós sereis o Meu povo. Trilhai o caminho que Eu vos ordeno para que vos suceda o bem. 24 E não escutaram nem prestaram ouvido; andaram conforme os seus desígnios, na dureza de seu coração perverso, e deram as costas em vez da face. 25 Desde o dia em que vossos pais saíram da terra do Egito até hoje, enviei-vos todos os meus servos, os profetas; cada dia eu os enviei, incansavelmente. 26 E eles não me escutaram, nem prestaram ouvidos, mas endureceram a sua cerviz e foram piores do que seus pais. 27 Tu lhes dirás todas estas palavras, mas eles não te escutarão. Tu os chamarás, e eles não te responderão. 28 Tu lhes dirás: Esta é a nação que não escutou a voz de YHWH seu Elohim, e não aceitou o ensinamento. A fidelidade pereceu: foi eliminada de sua boca. 29 Corta os teus cabelos consagrados e lança-os fora, oh Yerushalayim. Entoa sobre os cumes secos uma lamentação. Porque YHWH desprezou e repudiou a geração de sua cólera! 30 Sim, os filhos de Yehudah praticaram o mal diante de meus olhos, oráculo de YHWH. Eles colocaram suas Abominações no Templo, no qual o Meu Nome é invocado, para profaná-lo. 31 Eles construíram os lugares altos de Tofet (para Moleh) no vale de Ben-Hinom, para queimar os seus filhos e as suas filhas, o que eu não tinha ordenado e nem sequer pensado. 32 Por isso, eis que dias virão — oráculo de YHWH — em que não se dirá mais Tofet nem vale de Ben-Hinom, mas sim Vale da Matança. Eles enterrarão em Tofet por falta de lugar. 33 Os cadáveres desse povo serão alimento para os pássaros do céu e para os animais da terra, e ninguém os incomodará. 34 Eu farei cessar nas cidades de Yehudah e nas ruas de Yerushalayim as vozes de júbilo de alegria, a voz do noivo e a voz da noiva, porque a terra tornar-se-á em ruínas.

Yermiyahu (Jeremias) 15:
1E E YHWH me disse: Mesmo que Mosheh e Shmu’el estivessem diante de Mim, Eu não teria piedade desse povo. Expulsa-os da Minha presença, que eles saiam! 2 E se eles te disserem: Para onde iremos?, tu lhes dirás: Assim disse YHWH: Aquele que é da morte, para a morte! aquele que é da espada, para a espada! aquele que é da fome, para a fome! aquele que é do cativeiro, para o cativeiro! 3 Eu os visitarei com quatro coisas — oráculo de Iahweh —: a espada para matar; os cães para dilacerar; as aves do céu e os animais selvagens para devorar e para destruir. 4 Eu os colocarei como objeto de horror para todos os reinos da terra, por causa de Menasheh, filho de Iehizkiyahu/Ezequias, rei de Yehudah, pelo que ele fez em Yerushalayim. 5 Quem terá misericórdia de ti, Yerushalayim? Quem mostrará compaixão? Quem voltará para perguntar como estás? 6 Tu me rejeitaste — oráculo de YHWH —, viraste-me as costas. Então eu estendi a minha mão e te destruí: Estou cansado de ter piedade! 7 Sacudi-os numa peneira sobre as cidades da terra. Privei de filhos, destruí o meu povo; mas eles não retornaram de seus caminhos. 8 Suas viúvas tornaram-se mais numerosas que a areia do mar. Eu trouxe sobre a mãe do jovem guerreiro o destruidor em pleno meio-dia, eu fiz cair sobre ela (Yerushalayim), de repente, medo e terror. 9 Esmorece aquela que gerou sete vezes, sua alma desfalece! Seu sol se põe antes do fim do dia, ela está envergonhada e consternada; o que resta deles eu o entregarei à espada diante de seus inimigos, oráculo de YHWH. 10 Ai de mim, minha mãe, porque tu me geraste homem de disputa e homem de discórdia para toda terra! Não emprestei e nem me emprestaram, mas todos me amaldiçoam. 11 Respondeu YHWH: Haverá remanescente, salvo por Mim; tu estarás entre eles e farei com que, em tempo de fome e de calamidade, te peçam para implorar (por Minha Misericórdia) contra o inimigo. (*) 12 Pode o ferro romper o ferro do Norte que é temperado com bronze? 13 Tua riqueza e teus tesouros Eu entregarei à pilhagem, gratuitamente, por causa de todos os teus pecados, em todo o teu território. 14 Eu te farei servir a teus inimigos em uma terra que não conheces. Porque minha cólera acendeu um fogo que queimará sobre vós. 15 Agora tu sabes, YHWH! Lembra-Te, pois, de mim, visita-me e vinga-me de meus perseguidores. Na lentidão de Tua ira (pra com eles), não me destruas. Reconhece que eu suporto humilhação por tua causa. 16 Quando se apresentavam palavras Tuas, eu as devorava: Tuas palavras eram para mim contentamento e alegria de meu coração. Pois teu Nome era invocado sobre mim, YHWH, Elohim dos Exércitos. 17 Nunca me assentei em um grupo de gente alegre para me divertir. Por causa de Tua mão, eu me assentei sozinho, pois Tu me encheste de cólera (Palavras de YHWH). 18 Por que a minha dor é contínua, e minha ferida é incurável e se recusa a ser tratada? (**) Tu és para mim como a fonte que se recusa a jorrar (conceder alívio)! 19 Por isso assim disse YHWH: Se retornares a Mim, Eu te farei retornar e estarás diante de Mim. Se separares o que é (verdadeiramente) valioso do que é vil, tu serás como a Minha boca. Eles retornarão a ti, mas tu não retornarás a eles! 20 Eu te farei, para esse povo, uma muralha de bronze, fortificada. Eles lutarão contra ti, mas nada poderão contra ti, porque Eu estou contigo para te salvar e te livrar, oráculo de YHWH. 21 Eu te livrarei da mão dos iníquos e te resgatarei do punho dos violentos (poderosos).

versão: Bíblia de Jerusalém

(*) 11 Na verdade, YHWH, não te servi do melhor modo possível? Não me aproximei de ti no tempo da desgraça e no tempo da tribulação?

(**) Tu és para mim como lago enganador, águas nas quais não se pode confiar!


Shirim u'chochmah
Kohelet (Eclesiastes) 1:12 - 18

1Eu disse a mim mesmo: Pois bem, experimentarei a alegria e conhecerei a felicidade! Porém, também isso é vaidade. 2 Do riso eu disse: "Tolice", e da alegria: "Para que serve?" 3 Ponderei seriamente entregar meu corpo ao vinho, mantendo meu coração sob a influência da sabedoria, e render-me à insensatez, para averiguar o que convém ao homem fazer debaixo do céu durante os dias contados da sua vida. 4 Fiz obras magníficas: construí palácios para mim, plantei vinhedos, 5 fiz jardins e parques onde plantei árvores frutíferas de toda espécie. 6 Construí reservatórios de água para regar as árvores novas do bosque. 7 Adquiri escravos e escravas, tinha criadagem e possuía muitos rebanhos de vacas e ovelhas, mais do que os meus predecessores em Yershalayim. 8 Acumulei também prata e ouro, as riquezas dos reis e das províncias. Escolhi cantores e cantoras e todas as delícias dos homens, toda a abundância dos cofres. 9 Ultrapassei e avantajei- me a todos quantos me precederam em Yerushalayim, e a sabedoria permanecia junto a mim. 10 Ao que os olhos me pediam nada recusei, nem privei meu coração de alegria alguma; sabia desfrutar de todo o meu trabalho, e esta foi minha porção em todo o meu trabalho. 11 Então examinei todas as obras de minhas mãos e o trabalho que me custou para realizá-las, e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, e nada havia de proveitoso debaixo do sol. 12 Pus-me então a examinar a sabedoria, a tolice e a insensatez. Que fará o sucessor do rei, que este já não tivesse feito? 13 Observei que a sabedoria é mais proveitosa do que a insensatez, assim como a luz é mais que as trevas. 14 O sábio tem os olhos abertos, o insensato caminha nas trevas. Porém compreendi que ambos terão a mesma sorte. 15 Por isso disse a mim mesmo: "A sorte do insensato será também a minha; para que então me tornei sábio?" Disse a mim mesmo: "Isso também é vaidade". 16 Não há lembrança durável do sábio e nem do insensato, pois nos anos vindouros tudo será esquecido: o sábio morre com o insensato. 17 Detesto a vida, pois vejo que a obra que se faz debaixo do sol me depurada: tudo é vaidade e correr atrás do vento. 18 Detesto todo o trabalho com que me afadigo debaixo do sol pois, se tenho que deixar tudo ao meu sucessor, 19 quem sabe se ele será sábio ou néscio? Todavia, ele será dono de todo o trabalho com que me afadiguei com sabedoria debaixo do sol; e isso também é vaidade. 20 E meu coração ficou desenganado de todo o trabalho com que me afadiguei debaixo do sol. 21 Há quem trabalhe com sabedoria, conhecimento e sucesso, e deixe sua porção a outro que não trabalhou. Isso também é vaidade e grande desgraça.. 22 Com efeito, o que resta ao homem de todo o trabalho e esforço com que o seu coração se afadigou debaixo do sol? 23 Sim, seus dias todos são dolorosos e sua tarefa é penosa, e mesmo de noite ele não pode repousar. Isso também é vaidade. 24 Eis que a felicidade do homem é comer e beber, desfrutando do produto do seu trabalho; e vejo que também isso vem da mão do Eterno, 25 pois quem pode comer e beber sem que isso venha de Elohim? 26 Ao homem do seu agrado Ele dá sabedoria, conhecimento e alegria; mas ao pecador Impõe como tarefa ajuntar e acumular para dar a quem agrada a YHWH. Isso também é vaidade e correr atrás do vento.

Tehilim (Salmos) 107:
Louvai ao Eterno, porque Ele é bom; eterna é Sua misericórdia. Que o proclamem os que foram por Ele resgatados, os que Ele remiu das mãos dos inimigos e trouxe de terras distantes, do Oriente e do Ocidente, do norte e do sul.  Alguns vagavam pelo deserto, por caminhos desolados e inóspitos e não encontraram cidade alguma para nela se refazer. Famintos e sedentos, sua alma já parecia desfalecer. Clamaram em sua angústia ao Eterno e Ele os livrou de suas tribulações. Conduziu-os por um caminho reto a um lugar habitado.  Louvai, pois, ao Eterno por Sua bondade e pelas maravilhas que realiza em favor dos seres humanos.  Pois fartou a alma sedenta e satisfez com bondade a alma aflita.  Outros jaziam nas trevas, sob as sombras da morte, presos em grilhões de ferro, oprimidos pela aflição,  por terem se rebelado contra as palavras do Eterno e desprezado os desígnios do Altíssimo. Ele humilhou seu coração com árduos trabalhos; andavam aos tropeços e não encontravam quem os amparasse. Clamaram em sua angústia ao Eterno e Ele os livrou de suas atribulações. Tirou-os das trevas, libertou-os da sombra da morte e quebrou seus grilhões. Louvai, pois, ao Eterno por Sua bondade e pelas maravilhas que realiza em favor dos seres humanos. Pois escancarou as portas de bronze, despedaçando seus ferrolhos. Outros, ainda, insensatos que foram por seu caminho de transgressões e pelas iniquidades que praticaram, são acossados por aflições. Sua alma não aceita  conforto, seu corpo, alimento e alcançam os portais da morte. Clamaram em sua angústia ao Eterno e Ele os livrou de suas tribulações. Sua palavra os curou e os preservou da destruição. Louvai, pois, ao Eterno por Sua bondade e pelas maravilhas que realiza em favor dos seres humanos. Tragam oferendas em ação de graças e com júbilo exaltem Suas obras. Aqueles que em seus navios percorrem os mares comerciando sobre suas águas, percebem as obras do Eterno e vêem, nas profundidades, Suas maravilhas.  Pois, ante Sua ordem, surgem ventos tempestuosos que encrespam as ondas, que se erguem para os céus e descem aos abismos, angustiando suas almas, derretendo sua coragem. Cambaleiam como ébrios, desvanece sua sabedoria, inútil é sua habilidade. Clamaram em sua angústia ao Eterno e Ele os livrou de suas tribulações. Ele faz cessar a tormenta e aquieta as ondas. Alegram-se então, porque acabou a tempestade; Ele os conduz ao porto desejado. Louvai, pois, ao Eterno por Sua bondade e pelas maravilhas que realiza em favor dos seres humanos. Exaltem-No na congregação do povo e glorifiquem-No na assembleia dos anciãos. Pela maldade de seus habitantes Ele torna estéril a terra frutífera, converte rios em desertos e fontes de água em terra seca. Em contraste, pelos que o merecem, converte o deserto em lago, a terra seca em fontes de água. Ampara os famintos, para que edifiquem uma cidade para sua habitação; semeiam os campos e plantam vinhedos que proporcionam frutos copiosos. Abençoa-os e, por Sua bênção, se multiplicam em grande número, mas nem por isto lhes falta gado embora estivessem, há pouco, abatidos pela tristeza, opressão e aflições. Sobre os nobres que não seguem Seus ensinamentos derrama Seu desprezo e os faz vagar errantes por caminhos desertos. Aos humilhados pela opressão, porém ele eleva e torna numerosas suas famílias. Vendo isto, se alegrarão os justos e calar-se-ão os iníquos. Que disto se aperceba quem é sábio e compreenderá então, a bondade misericordiosa do Eterno.
Bom estudo!

 Ya'el bat Yossef

SEDRAH 106 - RESUMO SEMANAL (HA'ISHAH / MULHERES)

“Provai, e vede que o Senhor é bom, bem-aventurado o homem que nEle põe sua confiança”. Tehilim (Salmos) 34:8

RESUMO DO ESTUDO SEMANAL DA SEDRAH
Bamidbar (Números) 13:1-33
OS DOZE ESPIAS
Bamidbar (Números) 13 relata a reação dos doze espias que foram à Terra Prometida para averiguar as principais características daquele lugar, como Mosheh os havia instruído. O que chama atenção neste texto é que todos os príncipes, cada líder de sua tribo, enxergaram os mesmos eventos  na terra, porém nem todos relataram da mesma maneira.
Por que pessoas podem ter visões diferentes sobre a mesma coisa, como isso é possível? A resposta é simples, os relatos têm a ver com a motivação de cada um. Somente Caleb e Yehoshua conseguiram passar informações positivas sobre aquilo que presenciaram, devido ao nível de intimidade e confiança que tinham com o Eterno, um relacionamento muito mais próximo que os demais.

A terra era perfeita, entretanto os dez príncipes não conseguiram perceber, pois, só  enxergaram as dificuldades que teriam de enfrentar para conquistá-la.  Quando lemos seus relatos, fica claro que eles não mentiram e nem exageraram, aos olhos humanos e com suas forças, conquistar a terra prometida era quase impossível. Porém, esqueceram-se de que todas as condições necessárias para a conquista viria de Hashem; mais uma vez Ele agiria de maneira sobrenatural, lutando em favor do seu povo.

Esses dez espias já tinham presenciado com seus próprios olhos todos os livramentos, conquistas e milagres que Hashem proporcionou à Israel. O que faz o homem esquecer tão facilmente de tudo que o Eterno lhes faz, individualmente ou como povo? Seria ansiedade, ingratidão, insatisfação, descaso...

Será que foi o Eterno quem pediu para espiarem a terra, para desanimar os príncipes e conseqüentemente todo o povo? Quando lemos os primeiros versículos do capítulo entendemos que foi Hashem quem solicitou a visita dos espias até a terra, porém quando estudamos Devarim (Deuteronômio) 1: 21 e 22“Vejam, o Senhor, o seu Elohim, põe diante de vocês esta terra. Entrem na terra e tomem posse dela, conforme o Senhor, o Elohim dos seus antepassados, disse a vocês. Não tenham medo nem desanimem. "Vocês todos vieram dizer-me: 'Mandemos alguns homens à nossa frente em missão de reconhecimento da região, para que nos indiquem por qual caminho subiremos e a quais cidades iremos"

Fica muito claro que esse desejo era do próprio povo e jamais do Eterno, por que Hashem pediria para espiar a Terra que Ele já sabia exatamente como era e inclusive já sabia qual seria as estratégias para que o seu povo conquistasse.
Diante de tudo que estudamos e debatemos permanecem as seguintes lições:
  • Jamais devemos duvidar ou questionar qualquer promessa que Hashem tenha para o seu povo, pelo contrário precisamos ter confiança total no Eterno;
  • Não devemos agir com ansiedade, insegurança, medo ou desculpas neste caminho de Teshuvah, mas, sempre procurar ser fortes e corajosos, com muito ânimo. Tudo o que necessitamos para que isso aconteça podemos encontrar na própria Torah, nas instruções e no carinho que recebemos do próprio Criador.
  • A maneira como vemos os fatos pode nos motivar ou desmotivar, bem como aqueles que estão a nossa volta, o que nos leva a viver como Reino, preocupando-nos uns com os outros, sempre caminhando e em constante crescimento, procurando acima de tudo agradar ao Eterno, até mesmo nas atitudes mais simples.
  • Quanto maior a nossa intimidade com Hashem maior será a nossa confiança NEle, conseqüentemente melhor será nossa caminhada, um perfeito relacionamento, uma entrega incondicional.
  • Acreditar que se hoje fizermos a vontade de Hashem, em obediência a Torah, viveremos a eternidade em Yerushalayim, como Ele prometeu aos nossos pais que viveríamos.
Concluímos assim, numa profunda auto-analise que, em alguns momentos de Teshuvah, de alguma forma nos identificamos um pouco com os dez espias, pois somos humanos e dessa forma nos apresentamos inseguros, medrosos, uma ebulição de sentimentos nunca antes revelados, já que antes estávamos adormecidos num sistema religioso e acomodados com tudo a nossa volta, apenas esperando “os milagres” que viriam acontecer, sem necessidade de lutar ou enfrentar os “gigantes”.

Contudo, hoje existe muito mais de Kalev e Yehoshua em nosso interior; para estarmos neste Caminho de Teshuvah, com certeza, já tivemos nossos motivos pessoais para sucumbir, desistir ou até mesmo retroceder. Porém, se ainda continuamos, a passos firmes, obedecendo com maior intimidade é porque realmente acreditamos que Hashem tem o melhor para o seu povo Yisrael. Ele nos apresenta detalhadamente como tomar posse da terra. Ele nos diz como agir, por onde andar, como viver; vai moldando-nos, formando o nosso caráter, nossos sentimentos e razão. Dele vem toda Força e Sabedoria, só precisamos seguir e nunca temer. 
por: Reynah, Rivkah v'Divorach

sábado, 20 de abril de 2013

CICLO TRIENAL LEYELADIM - SEDRAH 106 (OS 12 ESPIÕES ENVIADOS À TERRA DE KENA'AN)


Shalom, Yeladim
No Shabat passado estudamos sobre o pecado de Miriyam e Aharon por terem feito Lashon Harah contra Mosheh e o quanto isso enfureceu o Eterno. Miriyam foi expulsa do Arraial por uma semana, tendo seu corpo ficado inteiramente branco, por causa da Tsara’at. Também, aprendemos como lidar com situações em que pensamentos ruins vêm a nossa mente, para que não cometamos o mesmo erro e, consequentemente, desagrademos a HaShem.
Vamos ao nosso estudo desta semana?

OS 12 ESPIÕES ENVIADOS À TERRA DE KENA'AN
Bamidbar/Números 13:1-33 
A Sedrah desta semana começa com HaShem falando a Mosheh para enviar, por sua própria conta, um homem importante de cada tribo para expiar a terra que Ele, HaShem, prometera dar aos B’ei Yisrael, desde os tempos de Avraham: ”Envia para ti homens para expiarem o território kena’anita que Eu darei aos B’nei Yisrael. Envia um príncipe de cada tribo”. Bamidbar (Números) 13:1-2.

Mosheh separa então, doze homens (exceto os da Casa de Levi) e os orienta a observarem tudo o que vissem, para trazerem informações sobre a terra. “Subi pelo Sul até o monte. Vejam que espécie de terra ela é. O povo que vive lá é fraco ou forte, pouco ou muito? A área habitada é boa ou má? As cidades em que eles vivem são abertas ou cercadas (fortalezas)?  O solo é rico ou pobre? A terra tem árvores ou não? Façam um esforço especial para trazer alguns dos frutos da terra". Bamidbar (Números) 13:18-20.

O espias foram e fizeram tudo conforme Mosheh havia ordenado. Permaneceram na terra por 40 dias e, finalmente, trouxeram todas as informações e até um cacho de uvas tão grande, que foi necessário duas varas para sustenta-lo; levaram também romãs e figos

Curiosidade:- Por causa do cacho (eshkol) de uvas o o lugar ficou conhecido como Vale de Eshkol (Vale dos Cachos).

Dez, dos doze enviados a espionar a terra retornam com um relatório negativo, dizendo que seria impossível ao povo conquistar as poderosas nações que lá viviam.  E eles contaram a Mosheh: "Fomos à terra que nos enviaste e nela realmente fluem leite e mel, e este é o seu fruto. No entanto, o povo que vive na terra é forte e as cidades são grandes e fortificadas. Nós também vimos os descendentes dos gigantes lá.  Amalek vive na área do Negev (Sul), os Chititas, Jebuseus e os Emoreus vivem nos montes e os Kena’anitas vivem perto do mar e sobre as ribanceiras do Yarden (Jordão). Kalev (Caleb) tentou acalmar o povo, dizendo: "Subamos e ocupemos a terra, pois certamente prevalecemos contra ela’. Mas, os homens que tinham saído com ele replicaram: ‘Não poderemos contra eles, pois, são mais fortes do que nós’! E começaram a “falar mal” da terra que tinham explorado. Eles contaram aos Israelitas: ‘A terra que fomos explorar consome seus habitantes. E os homens são enormes! Enquanto nós estávamos lá, nós vimos os nefiliyim, filhos dos gigantes. Perto deles somos como gafanhotos!”.  Bamidbar (Números) 13:27-33.

O que podemos ver nesse perek (capítulo) é que os espias começaram relatando os pontos fortes da terra para, em seguida, começarem a colocar defeitos (denegri-la).  Kalev e Yehoshua, no entanto, mesmo tendo visto as mesmas coisas que eles, tiveram um relatório positivo, certamente, acreditando que com a intervenção de HaShem, não haveria impossível.

É claro que HaShem sabia o que havia na terra de Kena’an. Todavia, enviar aqueles homens para espiar a terra foi uma forma de testar a confiança deles diante das adversidades; se agiriam com fé ou se ficariam atemorizados.

E eles foram à terra, observaram tudo o que viram e relataram, certo?  Então, qual foi o erro dos 10 espias? 

Certamente, o erro deles foi “tirar uma conclusão de algo aparente e transmiti-la como verdade", a despeito disso contrarias aquilo que O Eterno havia dito (dar a terra ao Povo de Israel).

Yeladim, não devemos temer diante de situações em que o Elohim de Yisra’El promete estar à frente (e há muitos exemplos disso na Bíblia), como o caso dos espias! Tenha certeza de que Elohim é fiel e cumpre o que promete, mas, sempre nos testa. Por isso, devemos tomar um cuidado todo especial diante de situações em que possamos estar sendo “testados”, para não agirmos com incredulidade. O Eterno prova e conhece os corações! 

Uma lição a ser aprendida com o episódio dos espias é não julgar uma situação, apenas com base em nossos pensamentos; nem tirar conclusões apressadas só porque algo parece difícil, pois, temos grandes limitações para enxergar os propósitos de HaShem e - se nos deixarmos levar pelo nosso enganoso coração - facilmente, podemos incorrer no mesmo erro deles.
por Yossef Michael 
ATIVIDADES:
(Os espias com o cacho de uvas)

Perguntas:

1  Quantos espiões foram mandados por Mosheh para espiar a terra de Kena'an?

____________________________________________
2  O que eles deveriam observar? (Relate tudo o que foi pedido)
____________________________________________
____________________________________________
____________________________________________
3  Quantos trouxeram boas notícias e qual nome deles?
____________________________________________
____________________________________________
4  O que os outros disseram sobre a terra?
____________________________________________
____________________________________________
____________________________________________


oooOOOoo