segunda-feira, 25 de março de 2013

PESSACH OU CHAG HAMATZOT?!

(Seder de Pessach)
Antes de começarmos a falar sobre o Pessach ou “Chag HaMatzot”, cabe-nos, aqui, uma pequena introdução sobre nossa forma de observar as Festas bíblicas.

Em primeiro lugar, baseamo-nos tão somente nos textos da Bíblia Hebraica, ou seja, Torah/Tanach (sem acréscimos humanos). 

No que diz respeito às Chaguim (Festas), como alguns segmentos do judaísmo, esperando pelos “sinais” das estações em Israel, de acordo com orientações da Torah/Tanach e, obviamente, essas em datas não coincidem com a dos rabanitas (judeus tradicionais) que usam de um sistema diferente de calendário – o do periodo exílico.

Os rabanitas possuem um número de dias preestabelecido em que as Chaguim (Festas) devem ser comemoradas, à semelhança do calendário gregoriano.  Isso significa dizer que Pessach/Chag HaMatzot, Shavuot, Yom Kipur, por exemplo, não poderiam cair numa segunda-feira ou quinta-feira, nem em qualquer outro dia da semana mas, apenas, no dia preestabelecido.

Para nós, por exemplo, “Rosh HaShanah” é o começo dos meses do ano bíblico, tal qual mencionado na Torah - na Primavera (Aviv) - marcado pelo avistamento da sevada em Éretz Israel.  “Rosh Chodesh” é todo início de mês, baseado na observação direta da “Lua Nova”. A observância do Shabat ou Shabatot (inclusive Chaguim) é determinada com base no pôr-do-sol do dia anterior.  Shabat é o sétimo dia e domingo, por fundamentação bíblica e etimológica, é o primeiro dia da semana (vide abaixo).

1° dia          2° dia          3° dia          4° dia          5° dia          6° dia         7° dia
Domingo      Segunda      Terça           Quarta        Quinta         Sexta         SHABAT

Portanto, chaverim v'chaverot, todas as nossas festas e jejuns são iniciados e finalizados ao do pôr-do-sol, tendo por base Rosh Chodesh e obedecem o ciclo das estações em Israel.

Três Festividades “Shalosh Chegalim” se destacam por sua importância para Povo de Israel, as chamadas de "Festas de Perigrinação". 
  • A primeira: Chag Hamatzot (Pessach),  estabelecida como memorial da saída de nossos antepassados de Mitzrayim (Egito), 
  • A segunda: Chag Shavuot (Festa das Semanas), e
  • A terceira,  Chag Sukot (Festa das Tendas, Cabanas ou Tabernáculos).
Essas festividades nos remetem aos grandes atos de bondade que O Eterno (Bendito Seja) fez por Am’Israel ao escolhe-lo como povo Seu; ao liberta-lo  da escravidão no Egito; ao dar-lhe Suas Sagradas Leis - perfeitas e atemporais;  ao livra-lo de seus inimigos; ao guarda-lo sob Suas milagrosas asas - provendo-lhe cada uma das necessidades.

SOBRE PESSACH E CHAG HAMATZOT (Festa dos Pães sem Levedura)

"Pessach" (do hebraico פסח) significa, em português, "passagem" - também conhecida como Páscoa judaica - é o nome do sacríficio feito no 14°  dia de Nissan (Aviv), de acordo com o calendário bíblico e precede Chag haMatzot (Festa dos Pães sem Levedura). 


Pessach está relacionado com a saida do povo hebreu do cativeiro de mais de 400 anos no Egito (Mitzrayim). 


A primeira celebração de Pessach ocorreu há cerca de 3500 anos quando, de acordo com a Torah, YHWH enviou "dez pragas" sobre o povo do Egito. Antes da décima praga, porém, o Eterno instruiu a Mosheh (Moisés) ordenar que cada família hebréia sacrificasse um cordeiro, molhasse os umbrais (mezuzót) das portas com o sangue do cordeiro, para que seus primogênitos não fossem tocados pelo "Anjo da Morte" (10° praga).


Na realidade, não existe uma "Festa de Pessach", uma vez que "Pessach" se refere ao "sacrifício do cordeiro" (korban Pessach) quando da saída do povo de Israel de Mitzrayim (Egito).


Geralmente, Pessach é associado a Chag HaMatzot ou ainda Chag Hacherut (Festa da Libertação), que celebra e recorda a libertação do povo de Israel da escravidão no Egito, conforme narrado no livro de Shemot (Êxodo). "Conservareis a memória daquele dia, celebrando-o com uma festa em honra do Eterno, de geração em geração, como uma instituição perpétua … porque foi naquele dia que vos tirei do Egito".  Shemot (Êxodo) 12:14, 17. 



Entendemos que, com a destruição do Templo, nenhum sacrifício de animal pode ser feito, portanto, o que nós celebramos é "Chag HaMatzot".

Chag HaMatzot é antes de tudo uma Festa familiar. Na primeira noite é realizado um jantar especial chamado de "Seder de Pessach" (Ordem de Pessach). 


Por ser um evento singular para o povo de Israel, em nossa comunidade, a participação no Seder fica restrita apenas aos israelitas (naturais ou prosélitos). 


Nesse Seder, a história do Êxodo do Egito é narrada (Maguid), faz-se leituras das bençãos e textos do Tanach intercalando com melodias constantes da Hagadah


Durante a refeição, come-se pão ázimo (Matzah) e ervas amargas, para lembrar da ordem dada aos nossos antepassados: "sair apressadamente da terra do Egito". 


Essa Festa é observada pelo período de 7 dias, durante os quais não comemos nada que seja "massa crescida".


Sete dias se comerá pães ázimos, e o levedado não se verá contigo, nem ainda fermento será visto em todos os teus termos.

Shavuá Tóv!

Nenhum comentário:

Postar um comentário