quinta-feira, 21 de março de 2013

CICLO TRIENAL - SEDRAH 102 (Semana de 17 a 23 de março/2013)


Torah:    Bamidbar/Números 8:1 - 9:23    
Tema(s):  A Menorah/O Candelabro de 7 braços; A Dedicação dos Levi'im;Exceções para o Pessach
Haftarah:  Melachim Alef/1 Reis 8 e 15; Amós 5
Tema(s):     Inauguração do Templo; Reinados Diversos; Advertências; O Dia de YHWH
Chochmah: Mishlei/Provérbios 30:20-28
Tema(s):  Mulheres de Comportamento Inadequado; Elogio à Ordem
Tehilim: Tehilim/Salmos 102
Tema(s):  Oração na Angústia

Torah
Bamidbar/Números 8
1 O Eterno falou a Mosheh, dizendo-lhe para  2 falar a Aharon e dizer-lhe: “Quando tu acenderes[1] as lâmpadas, as sete lâmpadas iluminarão a menorah[2]”.  3 Aharon fez isso, acendendo as lâmpadas para iluminarem a menorah, conforme o Eterno ordenou a Mosheh.  4 A menorah foi feita de uma peça única de ouro batido. Tudo, desde de sua base até suas flores[3], consistia numa peça única de metal batido. A menorah assim foi feita exatamente de acordo com a visão que o Eterno mostrou a Mosheh.  5 O Eterno falou a Mosheh, dizendo:  6 Toma os Levi’im dentre os Yisre’eliym e purifica-os.  7 Para purificá-los, tu deves aspergir a água da oferenda do pecado[4] sobre eles, depois de eles terem raspado[5] todo seu corpo com uma lâmina. Eles então mergulharão seus corpos e suas roupas[6] e eles estarão puros.  8 Eles então tomarão um novilho[7] junto com sua oblação[8] consistindo em flor de farinha de trigo misturada com óleo de oliveira. Tu também apresentarás um segundo boi como uma oferenda de pecado.  9 Traze os Levi’im para a frente da Tenda da Comunhão e junta toda a comunidade Yisre’eliy.  10 Apresenta os Levi’im diante do Eterno e faze os Yisre’eliym[9] colocarem suas mãos[10] sobre os Levi’im.  11 Aharon então designará[11] os Levi’im como uma oferenda agitada dos Yisre’eliym ao Eterno e os Levi’im tornar-se-ão aqueles que realizam o serviço do Eterno.  12 Os Levi’im então colocarão suas mãos sobre as cabeças dos bois e tu prepararás um boi como uma oferenda de pecado e outro como um holocausto ao Eterno, para expiar pelos Levi’im.  13 Tu porás os Levi’im diante de Aharon e seus filhos e os designarás como uma oferenda agitada ao Eterno.  14 Dessa maneira tu separarás os Levi’im dos outros Yisre’eliym e os Levi’im tornar-se-ão Meus.  15 Depois de tê-los purificado e designado como uma oferenda agitada, os Levi’im virão para realizar o serviço na Tenda da Comunhão.  16 Eles são dados a Mim dentre os Yisre’eliym em lugar do primogênito que abre o útero de todos os Yisre’eliym. Eu os tirei para Mim mesmo.  17 Isso porque todos os primogênitos dos Yisre’eliym são Meus, homem e animal igualmente. Eu os santifiquei para Mim no dia em que matei todos os primogênitos no Egito. 18 Eu agora tomei os Levi’im em lugar de todos os primogênitos Yisre’eliym  19 e Eu dei os Levi’im como um donativo dos Yisre’eliym para Aharon e seus descendentes. Eles daí em diante realizarão o serviço para os Yisre’eliym na Tenda da Comunhão e expiarão pelos Yisre’eliym. Os Yisre’eliym então não estarão sujeitos à cólera do Eterno quando se aproximarem do Mishkan.  20 Mosheh, Aharon e toda a comunidade Yisre’eliy fizeram para os Levi’im tudo que o Eterno tinha instruído Mosheh com referência aos Levi’im. Os Yisre’eliym o fizeram para eles exatamente.  21 Os Levi’im purificaram-se através de uma oferenda de pecado e eles mergulharam seus corpos e suas roupas. Aharon os designou como uma oferenda agitada diante do Eterno e fez expiação por eles para purificá-los.  22 Depois disso, os Levi’im vieram para cumprir o serviço da Tenda da Comunhão sob a direção de Aharon e seus filhos. Tudo foi feito exatamente como o Eterno ordenou a Mosheh em relação aos Levi’im.  23 O Eterno falou a Mosheh, dizendo:  24 “Este é o preceito em relação aos Levi’im: Iniciando à idade de 25 anos, eles participarão do grupo de trabalho ocupado no serviço da Tenda da Comunhão.  25 Então, quando eles tiverem 50 anos de idade, eles se retirarão do grupo de trabalho e não servirão mais.  26 Durante seu período de ocupação[1] eles realizarão suas tarefas fixadas, servindo seus irmãos, os sacerdotes, na Tenda da Comunhão. No entanto, eles não participarão no serviço ao Eterno. Isto é o que será feito pelos Levi’im no que toca às suas tarefas fixadas”.
Bamidbar/Números 9
1 O Eterno falou a Mosheh no Deserto do Sinai, no segundo ano do Êxodo do Egito, no primeiro mês[2], dizendo:  2 “Os Yisre’eliym prepararão a oferenda de Pessach no seu tempo próprio.  3 O tempo próprio para sua preparação será o 14º dia desse mês, à tarde. Eles devem prepará-la de acordo com todos os seus estatuto e leis”.  4 Mosheh falou aos Yisre’eliym, dizendo-lhes para prepararem a oferenda de Pessach.  5 Eles prepararam a oferenda de Pessach no Deserto do Sinai, no 14º dia, do primeiro mês, à tarde. Os Yisre’eliym fizeram exatamente como o Eterno tinha instruído Mosheh.  6 Havia, contudo, alguns homens que tinham tido contato com um morto e estavam, portanto, ritualmente impuros, de modo que eles não podiam preparar a oferenda de Pessach nesse dia. Durante aquele dia, eles aproximaram-se de Mosheh e Aharon.  7. ‘Nos estamos ritualmente impuros como resultado do contato com um morto’, os homens disseram a Mosheh. Mas porque devemos ficar privados e não ser capazes de apresentar oferenda ao Eterno no momento apropriado, junto com outros Yisre’eliym?  8 ‘Esperem aqui, replicou Mosheh. ‘Eu ouvirei que ordens o Eterno dá com respeito ao caso de vocês.  9 O Eterno falou a Mosheh, dizendo-lhe para  10 falar aos Yisre’eliym, dizendo: Se alguma pessoa está ritualmente impura pelo contato com um morto ou está numa jornada distante, seja com vocês, agora ou em futuras gerações, ela terá ainda a oportunidade de preparar a oferenda de Pessach do Eterno.  11 Ela a preparará na tarde do 14º dia do segundo mês[3] e o comerá com matsah e ervas amargas[4].  12 Ela não deixará sobrar nada dela até a manhã e não quebrará nenhum osso[5]. Ela assim a preparará de acordo com todos os estatutos da oferenda regular de Pessach.  13 Contudo, se um homem está ritualmente puro e não está numa jornada distante e ele negligencia a preparação da oferenda de Pessach, essa pessoa será extirpada espiritualmente de seu povo. Ela levará a sua culpa por não oferecer sacrifício ao Eterno no momento prescrito.  14 Se um prosélito junta-se a vocês, ele deve também preparar a oferenda de Pessach de acordo com os estatutos e leis que governam a oferenda de Pessach. Haverá assim um só estatuto para todos vocês, o prosélito e o natural da terra igualmente.  15 No dia em que o Mishkan foi erigido, a nuvem cobriu o Mishkan, a Tenda do Testemunho. Então, ao anoitecer, houve algo que parecia ser como fogo sobre o Mishkan, permanecendo lá até a manhã.  16 Desde então permaneceu assim. Havia uma nuvem cobrindo-o de dia[1] e uma aparência de fogo pela noite.  17 Sempre que a nuvem erguia-se da Tenda, os Yisre’eliym punham-se em marcha. Os Yisre’eliym então acampavam no lugar onde a nuvem pousava.  18 Os Yisre’eliym assim partiam ao comando do Eterno e ao comando do Eterno eles permaneciam num lugar enquanto a nuvem permanecesse sobre o Mishkan. 19 Se a nuvem permanecesse sobre o Mishkan por longo tempo, os Yisre’eliym mantinham seu dever para com o Eterno e não viajavam.  20 Algumas vezes, a nuvem permanecia sobre o Mishkan por apenas poucos dias e eles igualmente permaneciam acampados à Palavra do Eterno e então partiam à Palavra do Eterno.  21 Havia ainda casos em que a nuvem permanecia somente do anoitecer até a manhã; quando a nuvem erguia-se pela manhã, eles então viajavam. Outras vezes, podia ser por um dia e noite e então eles partiam quando a nuvem erguia-se.  22 Assim, fosse por dois dias, um mês ou um ano completo, não importa quanto tempo a nuvem permanecesse pousada sobre o Mishkan, os Yisre’eliym permaneciam num lugar e não partiam. Então, quando a nuvem erguia-se, eles continuavam em suas viagens.  23 Eles assim acampavam à Palavra do Eterno e partiam à Palavra do Eterno, mantendo seu dever para com o Eterno. Tudo foi feito de acordo com a Palavra do Eterno através de Mosheh.


[1] Bamidbar/Números 8:2 – Quando tu acenderes... Ou 'colocar em ordem' segundo a Septuaginta. Literalmente 'erguer'.
[2] Bamidbar/Números 8:2 – Iluminarão. Ou 'brilharão em direção ao centro da menorah'. Conforme Shemot/Êxodo 25:“37Farás sete lâmpadas, que serão colocadas em cima, de maneira a iluminar a frente dela”.
[3] Bamidbar/Números 8:4 – Até suas flores. No topo da haste central.
[4] Bamidbar/Números 8:7 – Água da oferenda de pecado. Ou 'Água de Purificação'. Verificar logo adiante no perek/capítulo 19, passuk/versículo 19. 
[5] Bamidbar/Números 8:7 – Depois de eles terem raspado...Alguns dizem que eles não raspavam os lados da cabeça e da barba, conforme delineado em Vayikrah/Levítico 19:“27. Não cortem os cabelos sobre os lados de sua cabeça. Não raspem os limites de sua barba”. Com referência à expressão 'não cortem' alguns dizem que sequer com uma tesoura se pode cortar os cabelos enquanto outros admitem que a proibição se refere a raspar com uma lâmina. Segundo este mandamento existe o costume chassídico e iemenita de deixar crescer o cabelo lateral como 'peiot'. Isto se baseia em ensino cabalístico. E a expressão 'lados de sua cabeça' é alusiva à área das têmporas e superior das costeletas, entre a fronte e a parte anterior da orelha. Alguns traduzem esse versículo como 'não arredondem os limites de seu cabelo' indicando que a proibição é contra a produção de um efeito de tonsura ou coroa, removendo o cabelo nas costeletas e têmporas. Contudo, é proibido cortar qualquer cabelo nessa área completamente. Quanto a 'não raspem os limites de sua barba'. É referente a faze-lo com uma lâmina. No entanto, alguns dizem que não se deve remover a barba com tesoura ou depilador e daí deriva o costume de permitir crescer a barba.
[6] Bamidbar/Números 8:7 – Mergulharão seus corpos e suas roupas. Conforme Shemot/Êxodo 19:“10. E YHWH lhe disse: “Vai ter com o povo e torna-o kadosh hoje e amanhã. Que lavem as suas vestes...” ou Shemot/Êxodo 40:“12. Farás em seguida aproximarem-se Aharon e seus filhos da entrada da tenda de reunião, onde os lavarás com água”.
[7] Bamidbar/Números 8:8 – Eles então tomarão um novilho. Para um holocausto. Observar perek/capítulo 8, passuk/versículo 12, logo adiante.
[8] Bamidbar/Números 8:8 – Junto com sua oblação. Três décimos de um efá, como no perek/capítulo 15, passuk/versículo 9, logo adiante.
[9] Bamidbar/Números 8:10 – Faze os Yisre’eliym. Há quem entenda que isso denota que somente os primogênitos fizeram a imposição de mãos sobre os Levi’im.
[10] Bamidbar/Números 8:10 – Colocarem suas mãos. Fazendo assim a 'ordenação' dos Levi’im.
[11] Bamidbar/Números 8:11 – Aharon então designará. Literalmente 'erguerá' ou 'separará como um donativo'. 

[1] Bamidbar/Números 8:26 – Durante seu período de ocupação...Ou 'eles cumprirão suas tarefas designadas com seus irmãos na Tenda da Comunhão, mas eles não farão nenhum trabalho físico.
[2] Bamidbar/Números 9:1 – No primeiro mês. O mês de Pessach. Isto parece ter sido antes dos eventos descritos no perek/capítulo 1, passuk/versículo 1.
[3] Bamidbar/Números 9:11 – 14º dia do segundo mês. Ou seja, um mês após o mês do Pessach regular.
[4] Bamidbar/Números 9:11 – ...e o comerá com matsah e ervas amargas... Conforme Shemot/Êxodo 12:“8. Naquela noite comerão a carne assada no fogo com pães sem fermento e ervas amargas”.
[5] Bamidbar/Números 9:12 – Não quebrará nenhum osso. Conforme Shemot/Êxodo 12:“46. O cordeiro será comido em uma mesma casa: tu não levarás nada de sua carne para fora da casa e não lhe quebrarás osso algum”.

[1] Bamidbar/Números 9:16 – De dia. No entanto, é possível que a nuvem estivesse também à noite.

Haftarah
Melachim Alef/1 Reis 8
1 Então Sh’lomo reuniu os anciãos de Yisra’El e todos os cabeças das tribos, os príncipes dos pais dos b’nei Yisra’El, ao rei Sh’lomo em Yerushalayim, para fazerem subir a Arca da Aliança do Eterno da Cidade de David, que é Tsyion.  2 E todos os homens de Yisra’El se reuniram ao rei Sh’lomo por ocasião da festa no sétimo mês.  3 E vieram todos os anciãos de Yisra’El e os cohanim carregaram a Arca.  4 Fizeram subir a Arca do Eterno, a Tenda da Reunião e todos os utensílios sagrados que havia na Tenda e os cohanim v’Levi’im os fizeram subir;  5 E o rei Sh’lomo e toda a congregação de Yisra’El, que se reunira a ele, estavam com ele diante da Arca, sacrificando rebanho e gado que, de tão numerosos, não se podiam contar nem numerar. 6 E os cohanim trouxeram a Arca da Aliança do Eterno ao seu lugar, ao Mikdash[1] da casa, ao Kadosh Kadoshim[2], sob as asas do K’ruvim.  7 Pois os K’ruvim estendiam suas asas sobre o lugar da Arca e que os k’ruvim cobriam por cima a Arca e as suas varas.  8 E as varas sobressaíram tanto que as pontas das varas eram vistas do Makom Shel Kadosh[3], diante do Mikdash, porém de fora não eram vistas e ficaram lá até o dia de hoje. 9 Na Arca não havia senão as duas tábuas de pedra, que Mosheh pusera lá em Chorev, quando o Eterno fez a Aliança com os b’nei Yisra’El, ao saírem da terra do Egito. 10 Tendo os cohanim saído do Makom Kadosh, uma nuvem encheu a Casa do Eterno, 11 de modo que os cohanim não podiam permanecer ali para ministrar, por causa da nuvem, pois a glória do Eterno enchera a Casa do Eterno. 12 Então Sh’lomo disse: ‘O Eterno disse que habitaria nas trevas espessas, 13 mas eu Te construí uma casa para morada, assento para Tua eterna habitação’! 14 Então o rei virou o seu rosto e abençoou toda a congregação de Yisra’El e toda a congregação de Yisra’El estava em pé 15 e ele disse: ‘Bendito seja o Eterno, o Elohim de Yisra’El, que falou pela Sua boca a meu pai David e pela Sua mão o cumpriu, dizendo: 16 “Desde o dia em que Eu tirei Meu povo Yisra’El do Egito, não escolhi cidade alguma de todas as tribos de Yisra’El para construir alguma casa e lá estabelecer o Meu Nome, mas escolhi a David para que reinasse sobre o Meu povo Yisra’El”.  17 E David, meu pai, propusera em seu coração edificar uma casa ao Nome do Eterno, o Elohim de Yisra’El, 18 porém o Eterno disse a David, meu pai: “Porquanto propuseste no teu coração construir uma casa ao Meu Nome, bem fizeste em 
propô-lo no teu coração. 19 Porém tu não construirás esta casa, mas teu filho, que descender de ti, ele construirá esta casa ao Meu Nome”. 20 Assim o Eterno confirmou a Sua Palavra que havia dito e me levantei em lugar de David, meu pai e me assentei no trono de Yisra’El, como o Eterno falara e edifiquei uma casa ao Nome do Eterno, o Elohim de Yisra’El  21 e nela constituí um lugar para a Arca na qual está a Aliança do Eterno, a qual fez com os nossos pais, quando os tirou da terra do Egito. 22 E Sh’lomo ficou em pé diante do altar do Eterno, na frente de toda a congregação de Yisra’El e estendeu as suas mãos para os céus  23 e disse: ‘Ó Eterno Elohim de Yisra’El! Não há Elohim como Tu – em cima nos céus nem embaixo, na terra – que guardas a Aliança e a benevolência a Teus servos, que andam com todo o Seu coração diante de Ti.  24 Que guardaste a Teu servo David, meu pai, o que lhe havias dito: Com a Tua boca o disseste e com a Tua mão o cumpriste, como neste dia.  25 Agora, pois, ó Eterno, Elohim de Yisra’El, guarda a Teu servo David, meu pai, a quem falaste, dizendo: “Não faltará , diante de Mim, um sucessor que se sente no trono de Yisra’El, desde que os teus filhos guardem o seu caminho e andem diante de Mim, como tu andaste diante de Mim”.  26 ‘E agora, ó Elohim de Yisra’El, cumpra-se a Tua Palavra que disseste a Teu servo David, meu pai.  27 Mas, porventura habitaria Elohim na terra? Eis que os céus e até o céu dos céus não podem Te conter, quanto menos esta casa que Eu construí!  28 Atenta, pois, à oração de Teu servo e à sua súplica, ó Eterno, meu Elohim e ouve o clamor e a oração que Teu servo faz hoje diante de Ti,  29 para que os Teus olhos estejam abertos noite e dia sobre esta casa, sobre este lugar do qual disseste: “O Meu Nome estará ali” – para ouvires a oração que o Teu servo fizer neste lugar,  30 Ouve, pois, a súplica do Teu servo e do Teu povo Yisra’El, que venham a orar neste lugar; e ouve Tu no lugar da Tua habitação nos Céus – ouve e perdoa. 31 Quando alguém pecar contra o seu próximo e puserem sobre ele um juramento para o fazerem jurar e o juramento vier diante do Teu altar nesta casa,  32 então ouve Tu nos céus, faz e julga a Teus servos, condenando ao injusto, fazendo recair o seu proceder sobre a sua cabeça e justificando ao justo, rendendo-lhe conforme a sua justiça.  33 Quando o Teu povo for ferido diante do inimigo, por ter pecado contra Ti e se voltarem a Ti, louvarem o Teu Nome, rezarem e Suplicarem a Ti nesta casa –  34 ouve, pois, Tu nos céus e perdoa o pecado do Teu povo Yisra’El e os faz voltar à terra que deste aos seus pais.  35 Quando os céus se fecharem e não houver chuva, por terem pecado contra Ti e rezarem neste lugar,
louvarem o Teu Nome e voltarem dos seus pecados, havendo Tu os afligido – 36 ouve, pois, Tu nos céus e perdoa o pecado de Teus servos e do Teu povo Yisra’El, ensinando-lhe o bom caminho no qual deve andar e dá chuva na Tua terra, que deste ao Teu povo por herança.  37 Quando houver fome na terra, quando houver peste, seara queimada, ferrugem, gafanhotos e lagartas; quando o seu inimigo o cercar na terra das suas portas ou houver alguma praga ou doença –  38 toda oração, toda súplica que qualquer homem de todo o Teu povo Yisra’El fizer, conhecendo cada um a chaga de seu coração e Estendendo as suas mãos para esta casa – 39 ouve, pois, Tu nos céus, a sede da Tua habitação e perdoa, faz e dá a cada um conforme todos os seus caminhos e conforme vires o seu coração, porque só Tu conheces o coração de todos os filhos dos homens, 40 para que temam a Ti todos os dias que viverem na terra que deste aos nossos pais.  41 Também ao estrangeiro, que não for do Teu povo Yisra’El, mas vier das terras remotas por amor do Teu Nome – 42 porque os povos ouvirão sobre o Teu grande Nome e sobre a Tua forte mão e o Teu braço estendido – e vier rezar voltado para Esta casa – 43 ouve, pois Tu nos céus, a sede da Tua habitação e faz conforme tudo o que o estrangeiro clamar a Ti , a fim de que todos os povos da terra conheçam o Teu Nome, para Te temerem como o Teu povo Yisra’El e para saberem que o Teu Nome é invocado sobre esta casa que construí.  44 Quando o Teu povo sair à guerra contra o seu inimigo, pelo caminho que os enviares e rezarem ao Eterno voltados na direção desta Cidade que escolheste e desta casa que construí ao Teu Nome – 45 ou, pois, nos céus suas orações e suas súplicas e faz-lhes justiça. 46 Quando pecarem contra Ti – pois não há homem que não peque – e Tu Te indignares contra eles e os entregares nas mãos do inimigo, que os aprisionarão e levarão cativos à terra do inimigo, seja longe ou seja perto, 47 mas tornarem em si na terra à qual forem levados cativos e se arrependerem e Te suplicarem na terra de seu cativeiro, dizendo: ‘Pecamos, agimos perversamente e cometemos iniquidade’, 48 e retornarem a Ti com todo o seu coração e com toda a sua alma, estando na terra de seus inimigos que os levaram ao cativeiro e rezarem a Ti, voltados na direção da sua terra que deste a seus pais, para esta cidade que escolheste e para esta casa que construí ao Teu Nome - 49 ouve, pois, nos céus, a sede da Tua habitação, a sua oração e a sua súplica, faz-lhes justiça  50 e perdoa ao Teu povo que houver pecado contra Ti e a todas as suas transgressões que cometeram e dá-lhes misericórdia perante Aqueles que os levaram cativos, para que tenham compaixão deles.
51 Porque são o Teu povo e a Tua herança, que tiraste da terra do Egito, do meio da fornalha de ferro. 52 Que Teus olhos estejam abertos à súplica do Teu servo e à súplica do Teu povo Yisra’El, a fim de ouvires em tudo quanto clamarem a Ti.  53 Pois Tu os separaste de todos os povos para ser a Tua herança, como disseste através de Mosheh, Teu servo, quando tiraste os nossos pais do Egito – ó Eterno Elohim’!  54 Quando Sh’lomo acabou de fazer esta oração e esta súplica ao Eterno, estando de joelhos, ele se levantou de diante do altar do Eterno e com as mãos estendidas para os céus, 55 pôs-se em pé e abençoou em voz alta toda a congregação de Yisra’El, dizendo: 56 ‘Bendito seja o Eterno, que deu descanso ao Seu povo Yisra’El conforme dissera! Não faltou sequer uma só palavra de todas as Suas boas Palavras que falou através de Mosheh, Seu servo. 57 Que o Eterno, nosso Elohim, seja conosco como foi com nossos pais e não nos desampare nem nos deixe.  58 Que incline a Si o nosso coração, para trilhar os Seus caminhos e guardar todos os Seus mandamentos, os Seus estatutos e os Seus Juízos, os quais ordenou aos nossos pais.  59 E que estas minhas palavras, que supliquei perante o Eterno, estejam próximas do Eterno, nosso Elohim, dia e noite, para que execute o juízo do Seu servo e o juízo do Seu povo Yisra’El, a cada qual no seu dia.  60 Para que todos os povos da terra saibam que o Eterno é Elohim e que não há outro.  61 Que o vosso coração seja íntegro para com o Eterno, nosso Elohim, para andares nos Seus estatutos e guardares os Seus mandamentos, como hoje.  62 Então o rei e todo Am Yisra’El que estava com ele ofereceram sacrifícios perante o Eterno  63 e Sh’lomo deu vinte e dois mil bois e cento e vinte mil ovelhas para o sacrifício de paz que ofereceu ao Eterno. Assim, o rei e todos os b’nei Yisra’El consagraram a Casa do Eterno. 64 Naquele dia o rei santificou o meio do pátio que estava diante da Casa do Eterno, porque as ofertas de elevação, as ofertas de farinha e a gordura dos sacrifícios de paz foram preparadas lá, pois o altar de cobre que estava diante do Eterno ficara pequeno para caberem nele as ofertas de elevação, as ofertas de farinha e a gordura dos sacrifícios de paz.  65 No mesmo tempo, Sh’lomo e todo Am Yisra’El que estava com ele, uma grande congregação, desde a entrada de Chamat até o rio do Egito, celebraram a festa perante o Eterno, nosso Elohim, por sete dias e mais sete dias – catorze dias. 66 E no oitavo dia despediu o povo e eles abençoaram o rei e foram às suas tendas, alegres e de coração contente, por causa de todo o bem que o Eterno fez a Seu servo David e a Seu povo Yisra’El.


[1] Melachim Alef/1ºReis 8:6 – Mikdash. Em hebraico temos: מקדש mikdash ou מקדשׂ mikedash (Shemot/Êxodo 15:17), procedente de (קדש kadash, uma raiz que pode significar: Consagrar, santificar, preparar, dedicar, ser consagrado, ser santo, ser santificado, ser separado, ser colocado à parte, consagrado, proibido, apresentar-se sagrado ou majestoso, ser honrado, ser tratado como sagrado, ser santo, separar como sagrado, observar como santo, manter sagrado, honrar como sagrado, santificar, separar, devotar, consagrar, considerar ou tratar como sagrado ou santo, manter alguém à parte ou separado, santificar-se (referindo-se ao Eterno), ser visto como santo, consagrar-se. De קדש kadash vem קדש Kedesh, um nome próprio de localidade que significa 'lugar santo'. Pode referir-se a  uma cidade no extremo sul de Yehudah, o mesmo que 'Kadesh' ou 'Kadesh-Barneia' ou a uma cidade de  Yissachar designada aos Levi’im Gershonitas ou a uma cidade Kena’anita fortificada designada a Naftali ou, por fim, a uma cidade de refúgio designada a Naftali.). Um nome masculino que pode significar: lugar sagrado, santuário, lugar santo, santuário referindo-se ao templo ou ao Tabernáculo ou referindo-se ao templo descrito por Yehesk’El ou, por fim, referindo-se a YHWH.
[2] Melachim Alef/1ºReis 8:6 – Kadosh Kadoshim. Em hebraico é קודש קודשים/Kadosh Kadoshim/Santo dos Santos.
[3] Melachim Alef/1ºReis 8:8 – Makom Shel Kadosh. Em hebraico é מקום של קדושה lugar de santidade.

Melachim Alef/1 Reis 15
1 E no décimo oitavo ano do reinado de Yarovam ben Nevat, Aviam[1] passou a reinar sobre Yehudah.  2 E reinou em Yerushalayim por três anos e o nome de sua mãe era Maachah[2] bat Avishalom.  3 E prosseguiu com todas as transgressões que seu pai tinha praticado antes dele e seu coração não foi íntegro para com o Eterno, seu Elohim, como fora o coração de David, seu bisavô.  4 Mas, por amor de David o Eterno lhe dera uma lâmpada em Yerushalayim, levantando seu filho depois dele e preservando Yerushalayim. 5 Porquanto David tinha feito o que era reto aos olhos do Eterno e não se desviou de tudo que lhe havia ordenado, todos os dias de sua vida, exceto no tocante a Uriyah, o chitiy.   6 E houve guerra entre Rechavam e Yerovam, todos os dias da sua vida.  7 Quanto aos demais atos de Aviam e a tudo que fez, eis que estão registrados no Livro das Crônicas dos Reis de Yehudah. E também houve guerra entre Aviam e Yarovam.  8 E Aviam repousou com os seus pais e o sepultaram na Cidade de David. E Asah, seu filho, passou a reinar no seu lugar.  9 E no vigésimo ano de Yarovam, o rei de Yisra’El, Asah começou a reinar em Yehudah. 10 E reinou em Yerushalayim por quarenta e um anos. E o nome da sua avó era Maachah bat Avshalom. 11 E Asah fez o que era reto aos olhos do Eterno, como David, seu tataravô, 12 tirando da terra a prostituição e todos os ídolos que seus pais haviam feito. 13 E até Maachah, sua avó, tirou do trono para que não fosse rainha, pois tinha feito um monstruoso ídolo a Asherah e Asah destruiu o seu monstruoso ídolo e o queimou junto ao ribeiro de Kidron[3]14 Embora os altares não tenham sido tirados, o coração de Asah foi perfeito para com o Eterno durante todos os seus dias. 15 E ele trouxe à Casa do Eterno as coisas consagradas de seu pai, bem como as que ele mesmo consagrara – prata, ouro e utensílios. 16 E houve guerra entre Asah e Bashah[1], o rei de Yisra’El, todos os dias das suas vidas. 17 E Bashah, o rei de Yisra’El, subiu contra Yehudah e construiu Ramah[2] para não deixar Asah, o rei de Yehudah, sair nem entrar. 18 Então Asah tomou toda prata e ouro que restaram nos tesouros da Casa do Eterno e os tesouros do palácio real, os entregou nas mãos de seus servos e os enviou a Ben Hadad[3] ben Travrimon[4], neto de Chezion[5], o rei de Aram, que habitava em Damesek, dizendo: 19 ‘Haja uma aliança entre mim e ti, como havia entre meu pai e teu pai. Ei que te mando um presente de prata e ouro; vai e rompe a tua aliança com Bashah, o rei de Yisra’El, para que se retire de sobre mim’.
20 E Bem Hadad escutou o rei Asah e enviou os capitães dos seus exércitos contra as cidades de Yisra’El, ferindo Yon, Dan, Avel, Beit Maachah e todas as províncias de Kinerot, em toda a terra de Naftali. 21 E quando Bashah soube disso, desistiu de construir Ramah e permaneceu em Tirtsa.  22 E o rei Asah convocou a toda Yehudah, sem exceção e levaram as pedras de Ramah e a madeira com a qual Bashah a havia Construído e o rei Asah usou-as para construir Gevah Benyamin e Mitspah.  23 Quanto a todos os demais atos de Asah, a todo o seu poder, a tudo quanto fez e as cidades que construiu, eis que estão registrados no Livro das Crônicas dos Reis de Yehudah. Apenas em sua velhice sofreu dos pés.  24 E Asah repousou com seus pais e foi sepultado com seus pais na Cidade de David, seu tataravô. E Yehoshafat, seu filho, passou a reinar em seu lugar.
25 E Nadav ben Yarovam começou a reinar sobre Yisra’El no segundo ano de Asah, o rei de Yehudah, reinando em Yisra’El por dois anos.  26 E fez o que era mau aos olhos do Eterno e andou nos caminhos de seu pai e na transgressão com a qual fez Yisra’El pecar.  27 E conspirou contra ele Bashah ben Achiah, da Casa de Yissachar e Bashah o feriu em Gibton, que era dos filishtim, pois Nadav e Todo Yisra’El faziam cerco a Gibton.  28 E Bashah o matou no terceiro ano de Asah, o rei de Yehudah e passou a reinar em seu lugar.  29 Durante seu reinado feriu toda a Casa de Yarovam, não deixando vivo nenhum descendente de Yarovam, até destruí-lo, de acordo com a Palavra do Eterno através de Seu servo Achiah, o shiloniy, 30 por causa das transgressões de Yarovam, que pecou e fez Yisra’El pecar e por causa da provocação com que provocara o Eterno, o Elohim de Yisra’El. 31 Quanto a todos os demais atos de Nadav e a tudo quanto fez, eis que estão registrados no Livro das Crônicas dos Reis de Yisra’El. 32 E houve guerra entre Asah e Bashah, o rei de Yisra’El, por todos os dias de suas vidas. 33 No terceiro ano de Asah, o rei de Yehudah, Bashah ben Achiah começou a reinar sobre todo o Yisra’El, em Tirtsah[1] - e reinou por vinte e quatro anos. 34 E fez o que era mau aos olhos do Eterno, trilhando o mesmo caminho de Yarovam e incorrendo na transgressão de levar Yisra’El a pecar.        




[1] Melachim Alef/1ºReis 15:1 – Aviam. Temos: אבים Abiam.  Procedente de (אב av, uma raiz. É um nome masculino que pode significar: Pai de um indivíduo, referindo-se ao Eterno como pai de Seu povo, cabeça ou fundador de uma casa, grupo, família ou clan, antepassado, avô, antepassados — de uma pessoa, referindo-se ao povo, originador ou patrono de uma classe, profissão ou arte, referindo-se ao produtor, gerador no sentido figurativo, referindo-se à benevolência e proteção, termo de respeito e honra, governante ou chefe)e (ים yam, significando rugir. É um nome masculino que pode significar: Mar, Mar Mediterrâneo, Mar Vermelho, Mar Morto, Mar da Galileia, mar em geral, rio poderoso, o mar referindo-se à bacia grande no átrio do templo). Nome próprio masculino. Em português é Abias = 'meu pai é o mar' ou 'YHWH é (meu) pai' ou rei de Yehudah, filho e sucessor de Roboão.
[2] Melachim Alef/1ºReis 15:2 – Maachah. מעכה Maakah ou מעכת Maakat (Yehoshua/Josué 13:13 e Sh'muel Beit/2ºSh’muel 3:3). É procedente de (מעך maak, uma raiz que pode significar: Pressionar, espremer, ser esmagado, ser apalpado, ser apertado). Maacah = 'opressão'. Nome próprio comum de dois que pode se referir ao pai de Akis, rei de Gat no início do reinado de Sh'lomo; ao pai de Hanan, um dos soldados das tropas de elite de David; ou a um simeonita, pai de Sefatias, príncipe da sua tribo no reinado de David; ao filho de Naor com a concubina Reumah nome próprio feminino; filha do rei Talmai, de Gesur, esposa de David e mãe de Avshalom; a filha de Avshalom, esposa do rei Rechoviam/Roboão de Yehudah e mãe do rei Aviam/Abias, de Yehudah; a concubina de Kalev, o filho de Hezrom; a esposa de Makir, da tribo de Menasheh ou à esposa de Yei’el, pai de Gibon/Gibeão. Em português, pela transliteração é: Maacat = 'pressão (literalmente ela pressionou)'. Pode ser usado como nome próprio de um povo mercenário contratado para lutar contra David.
[3] Melachim Alef/1ºReis 15:13 – Kidron. Em hebraico é: קדרון Kidron, procedente de (קדר Kadar, uma raiz que pode significar: Prantear, estar escuro; estar escuro; escurecer; levar a prantear; escurecer). Em grego é Κεδπων. É um nome próprio. Kidron = 'escuro'. Refere-se a um riacho a leste de Yerushalaiym.
[1] Melachim Alef/1ºReis 15:16 – Bashah. Em hebraico encontramos: בעשה Bashah, significando ‘cheirar mal’. É um nome próprio masculino. Em português pela transliteração é Baasa = 'ímpio'. Refere-se ao terceiro rei do reino de Yisra'El, no norte e o fundador da segunda dinastia daquele reino depois de ter matado o segundo rei, Nadav/Nadabe.
[2] Melachim Alef/1ºReis 15:17 – Ramah. Temos: רמה Ramah, o mesmo que (רמה ramah. Um nome feminino que pode significar: Altura, lugar alto, lugar de culto proibido); em grego é Ραμα Rhama, de origem hebraica. É um nome próprio de localidade. Ramah = ‘morro’, ‘colina’. Refere-se a uma cidade da tribo de Benyamin, situada a aproximadamente 8 km ao norte de Yerushalaiym na estrada para Beit’el). Refere-se também a uma cidade na divisa com Efraiym, a cerca de 8 km (5 milhas) de Yerushalaiym e próximo de Gibeá, à residência de Sh’muel localizada na região montanhosa de Efraiym; a uma cidade fortificada em Naftali; ao marco territorial na divisa de Asher, aparentemente entre Tiro e Sidom, a um lugar de batalha entre Yisra'El e Síria. Também, ‘Ramot-Gilad’. Um lugar reocupado pelos Benyamitas depois do retorno do cativeiro.
[3] Melachim Alef/1ºReis 15:18 – Bem Hadade. Temos בן הדד Ben-Hadadprocedente de [בן benprocedente de (בנה banahuma raiz que pode significar: construir, reconstruir, estabelecer, fazer continuar, construir uma casa no sentido de estabelecer uma família, ser estabelecido referindo-se a exilados restaurados ou tornado permanente,  ser constituído de esposa sem filhos tornando-se a mãe de uma família através dos filhos de uma concubina)].בן Ben é um nome masculino que pode significar: filho, neto, criança, membro de um grupo, menino, crianças (masculino e feminino), mocidade, jovens (pl.), novo referindo-se a animais, filhos como caracterização, i.e. filhos da injustiça (para homens injustos) ou filhos do Eterno (para anjos), povo de uma nação (pl.). Essa composição tem procedência também de [הדד Hadadprovavelmente de origem estrangeira. Um nome próprio masculino que significa: 'poderoso'. Pode referir-se ao filho de Yishma’el, a um rei de Edom que teve uma importante vitória sobre os midianitas no campo de Moav ou outro rei de Edom, sendo Paú a sua capital e ainda um membro da casa real de Edom que escapou do massacre sob Yoav e fugiu com um grupo de seguidores para o Egito; depois da morte de David, ele retornou para sua a terra]. Enfim בן הדד Ben-Hadad é um nome próprio masculino que significa 'filho de [do falso deus] Hadad'. Pode referir-se ao rei da Síria, contemporâneo de Asa de Yehudah ou ao filho de Hazael, também rei da Síria.
[4] Melachim Alef/1ºReis 15:18 – Tavrimon. Temos: טברמון Tavrimon, procedente de (טוב tov, uma raiz que pode significar: Ser bom, ser agradável, estar alegre, ser benéfico, ser amável, ser favorável, estar feliz, ser correto, ser agradável, ser encantador, estar satisfeito, estar alegre, ser melhor, estar bem com, ser bom para, fazer o bem, agir corretamente) e [(רמון Rimon ou (forma contraída) רמן Rimon ou רמונו Rimono (Divrei Hayamin Alef/1ºCrônicas 6:77). Rimom = 'romã', um nome próprio de divindade. Refere-se à divindade do vento, da chuva e da tempestade, cultuada pelos sírios de Damasco. É também um nome próprio masculino que pode se referir a um benyamita de Beerote, pai de Recab e de Baanah, os assassinos de Ishbosheth. Pode ser usado como nome próprio de localidade referindo-se à Rocha; um penhasco ou uma defesa natural inacessível na qual os 600 benyamitas que escaparam da matança em Gibeah se refugiaram ou a uma cidade na região sul de Yehudah designada a Shimon ou a uma cidade levítica em Zevulun localizada a cerca de 6 milhas ao norte de Nazareh.)]. É um nome próprio masculino. Tavrimon = 'Rimom é bom'. Refere-se ao pai de Ben-Hadade I, rei da Síria, seu sucessor.
[5] Melachim Alef/1ºReis 15:18 – Chezyon  . Em hebraico é: חזיון Chezyon, procedente de (חזה chazah, uma raiz que pode significar: Ver, perceber, olhar, observar, profetizar, providenciar, ver como um vidente em estado de êxtase, perceber com a inteligência, ver por experiência). É um nome próprio masculino. Heziom = 'visão'. Refere-se a um rei da Síria, pai de Tavrimon e avô de Ben-Hadade; provavelmente idêntico a ‘Rezom’, o contemporâneo de Sh'lomo.

[1] Melachim Alef/1ºReis 15:33 – Tirtsah. Em hebraico encontramos: תרצה Tirtsah, procedente de (רצה ratsah, uma raiz que pode significar: Estar contente com, ser favorável a, aceitar favoravelmente, estar determinado, tornar aceitável, satisfazer, agradar, ser aceito, buscar o favor de, saldar, tornar-se agradável). É um nome próprio Feminino. Tirza = 'favorável'. Pode referir-se a uma das sete filhas de Tzelofechad/Zelofeade, o filho de Héfer da tribo de Menasheh. Pode ser usado como um nome próprio de localidade ou um dos reinos no lado oeste do Yarden conquistado por Yehoshua e pelos Yisre’eliym ou, finalmente, a uma cidade Kena’anita/canaanita, mais tarde capital do reino do Norte (Yisra'El).

Amós 5
1 Ouvi este pronunciamento que sobre vós recito como uma lamentação, ó Casa de Yisra’El!  2 Tombou a virgem de Yisra’El e não mais conseguirá se levantar; sua terra está abandonada e não há quem a possa reerguer.  3 Porque assim disse o Eterno Elohim: “A cidade na qual circulavam mil pessoas ficará com apenas cem e naquela em que circulavam cem, somente dez da Casa de Yisra’El sobrarão”.  4 Pois assim disse o Eterno à Casa de Yisra’El: “Buscai-Me e vivereis!  5 Porém , não busqueis a Beyt El[2], nem entreis em Gilgal[3] e não passeis por Be’er Sheva[4], porque certamente Gilgal irá para o Cativeiro e Beyt El será reduzida a nada.  6 Buscai ao Eterno e vivereis, pois, do contrário, Ele acometerá como fogo à Casa de Yossef e a devorará e não haverá ninguém para apagar suas chamas em Beyt El.  7 Vós, que converteis a justiça em abstração e lançais por terra a integridade!  8 Aqu’Ele que criou as plêiades e Órion, que traz pela manhã a sombra da morte, que obscurece o dia como se fosse noite, que clama às águas do mar e as faz cair sobre a face da terra, Eterno é Seu Nome!  9 Ele faz a destruição desabar sobre o forte e provoca a ruína da fortaleza. 10 Eles desprezam o que os adverte na entrada e repelem o que fala com retidão.  11 Portanto, porque pisoteais o pobre e dele tomais donativos detrigo, ainda que edifiqueis casas de pedra lavrada, nelas não haveis de habitar; e ainda que planteis vinhedos formosos, deles não provareis o vinho. 12 Pois sei quão numerosas são vossas transgressões e quão graves as vossos pecados, vós que afligis o justo, buscais suborno e afastais de vossa porta o necessitado. 13 O que é prudente guarda então silêncio, porque este é um tempo de maldade. 14 Buscai o bem e não o mal, para que possais viver; e assim o Eterno YHWH Tseva’ot, estará convosco, como desejais. 15 Odiai o mal, amai o bem e fazei justiça em vossas portas. Talvez o Eterno YHWH Tseva’ot conceda Sua graça aos remanescentes de Yossef. 16 Portanto, assim disse o Eterno YHWH Tseva’ot, o Senhor: “Haverá lamentações em todas as praças e dirão em todas as ruas: ‘Ai de nós! Ai de nós’! Aos lavradores chamarão para o luto e as carpideiras[5] proclamarão lamentações. 17 E haverá pranto em todos os vinhedos, porque no meio de ti passarei – diz o Eterno. 18 Ai daquele que deseja o dia do Eterno! Para que desejais o dia do Eterno? Ele é obscuridade e não luz! 19 É como se um homem fugisse de um leão e se encontrasse com um urso; fosse para casa e, ao apoiar sua mão na parede, fosse mordido por uma serpente. 20 O dia do Eterno é obscuridade e não luz! Sim, densas trevas, sem uma mostra de claridade. 21 Eu odeio, desprezo vossas festividades e não Me alegrarão vossas assembleias solenes. 22 Sim, ainda que Me ofereçais ofertas de elevação e oblações, não as aceitarei. E tampouco considerarei vossos sacrifícios de animais cevados.
23 Afastai de Mim o ruído de vossos cânticos; não quero ouvir a melodia de vossos saltérios. 24 Que como as águas cresça a justiça e como uma corrente impetuosa impere a justiça. 25 Acaso Me apresentastes sacrifícios e oferendas no deserto onde andaste durante quarenta anos de vossa travessia, ó Casa de Yisra’El? 26 Levai, pois, vossas imagens de Sikut[1] e Kiyun[2], a estrela do vosso elohim que fizeste para vós! 27 Por isto darei com que sigais para o cativeiro, para além de Damesek – diz aqu’Ele cujo Nome é Eterno YHWH Tseva’ot.

[2] Amós 5:5 – Beyt El. Temos: בית אל Beyt El, procedente de {[בית beit. Um nome masculino que pode significar: casa, moradia, habitação, abrigo ou moradia de animais; corpos humanos no sentido figurado, referindo-se ao Sheol, referindo-se ao lugar de luz e escuridão, referindo-se á terra de Efrayim, lugar, recipiente, lar, casa no sentido de lugar que abriga uma família, membros de uma casa, família, aqueles que pertencem à mesma casa, família de descendentes, descendentes como corpo organizado, negócios domésticos, interior (metáfora). no lado de dentro como preposição, dentro de]} e {[אל el, forma contraída de (איל ail, procedente do mesmo que אול ul, significando torcer, i.e. (por implicação) ser forte;  proeminência, corpo, barriga no sentido de ‘insolente’, nobres, homens ricos)]}. איל ail pode significar: carneiro, carneiro como alimento, carneiro como sacrifício,  carneiro como pele tingida de vermelho para o tabernáculo, pilares, verga, umbrais, pilastra, homem forte, líder, chefe, árvore grande, terebinto). Em grego é: ηλι e ελιουδ. Pode ser uma referência a: a Elohim, semelhante a um falso deus, poderoso, homens poderosos, homens de posição, valentes poderosos, anjos, demônios, imaginações. O uso correto é como referência ao Eterno, o único El verdadeiro, YHWH. Pode fazer menção a coisas poderosas na natureza, força, poder}. DITAT - 241a; Um nome próprio de localidade. Beit’el = 'casa do Eterno'. Pode referir-se a um lugar antigo e centro de adoração em Efrayim junto à fronteira de Benyamin, identificado com Luz (nome antigo) ou a um lugar no território sul de Yehudah, não muito distante de Be’er Sheva e צקלג Tsiklag ou ציקלג Tsiykelag.
[3] Amós 5:5 – Gilgal. Temos: גלגל Gilgal¸o mesmo que [גלגל Gilgaluma variação de (גלגל galgalum nome masculino que pode significar: Roda, remoinho, redemoinho, girar, remoinho de pó ou de restos)]. Também um nome masculino ou um nome próprio de localidade. Gilgal = 'uma roda, rolo'. O primeiro local de um acampamento Yisre’eliy a oeste do Yarden, também a leste de Yericho, ali Sh'muel tornou-se juiz e Sha’ul foi proclamado rei; mais tarde o local foi usado para adoração ilícita; local de habitação de profetas em Yisra'El, no norte, a aproximadamente sete quilômetros – quatro milhas – de Shiloh e Beit’el; uma região conquistada por Yehoshua, localização incerta.
[4] Amós 5:5 – Be’er Sheva. Em hebraico encontramos: באר שבע Be’er Sheva. É um nome próprio de localidade que significa: Be’er Sheva = 'poço dos sete juramentos'. Refere-se a uma cidade no extremo sul de Yisra'El.
[5] Amós 5:16 – Carpideiras. Mulher a quem se paga para prantear nos enterros. Mulher que tem por hábito lastimar-se. Lamúria, choradeira. 
[1] Amós 5:26 – Sikut. Temos: סכות sikut, procedente de {[סך sak procedente de [סכך sakak ou שׁכך sakak (Shemot/Êxodo 33:22), uma raiz. Pode significar:  guardar, cercar, trancar, bloquear, obscurecer, proteger, parar a aproximação, fechar, cobrir, cobrir-se, protetor no particípio, defecar como eufemismo, colocar sobre, tecer, entrelaçar. É um nome masculino que pode significar:  aglomeração, multidão].É um nome próprio feminino que significa: Tenda. Pode referir-se a  uma divindade babilônica.
[2] Amós 5:26 – Kiyun. Temos: כיון Kiyun, procedente de (כון kun, uma raiz; DITAT - 964; v. Pode significar: Ser firme, ser estável, ser estabelecido, estar estabelecido, ser fixado, estar firmemente estabelecido, ser seguro, ser durável, estar fixo, estar firmemente determinado, ser guiado corretamente, ser fixado corretamente, ser firme no sentido moral, preparar, estar pronto, ser preparado, ser arranjado, estabelecer, consolidar, fazer, fazer firme, fixar, aprontar, providenciar, prover, fornecer, direcionar para no sentido moral, arranjar, organizar, estar firme, estar preparado, estar pronto, constituir, fazer, fixar, direcionar, ser restaurado). Em grego é: Ρεμφαν. É um nome próprio de divindade. Em português, pelo transliterado é Quium = 'uma imagem' ou 'pilar'. Provavelmente uma estátua do deus assírio-babilônico do planeta saturno, usada para simbolizar a apostasia de Yisra'El.

Shirim U'Chochmah
Mishlei/Provérbios 30
20 O caminho de uma mulher adúltera é assim: Ela come, limpa sua boca e diz: ‘Nada fiz de errado’.  21 Por causa de três coisas estremece a terra e há ainda uma quarta que ela não pode suportar:  22 Por um servo que reina, por um iníquo a quem servem alimentos,
23 por uma mulher que aborrece quando se casa e, finalmente, uma serva que herda de sua ama.  24 Há na terra quatro seres que são pequenos, mas extremamente sábios:  25 As formigas, que não são fortes, mas provêm seu alimento no verão;  26 os coelhos, que são débeis, mas fazem suas casas nos penhascos  27 os gafanhotos, que não têm rei, mas avançam todos juntos em bando;  28 a lagartixa, que podes pegar com tuas mãos e que, entretanto, está no palácio do rei.

Tehilim/Salmos 102:
1 Uma prece de um oprimido, quando se sente desfalecer e derrama ante o Eterno sua súplica.  2 Ó Eterno, ouve minha prece e permita que Te alcance meu clamor!  3 Não ocultes de mim Tua face no dia de minha aflição e, sim, inclina para mim Teu ouvido; Atende-me prontamente quando eu Te Invocar.  4 Pois como fumaça se esvaem meus dias e, como se estivessem expostos ao fogo, se ressecam meus ossos.  5 Como a relva abatida pelo calor do sol, está murcho meu coração; esqueço até de comer meu pão.  6 De tanto me desgastar em suspiros, colou-se minha pele em meus ossos.  7 Sinto-me como uma ave no deserto, como um pássaro que só encontra ruínas.  8 Sim, estou insone e me assemelho a um solitário pássaro sobre um telhado. 9 Afrontam-me todos os dias meus inimigos e meus detratores usam meu nome para praguejar. 10 Comi cinzas como se fora pão;lágrimas se misturam com o que bebo 11 por causa de Tua indignação e Tua ira; Tu me elevaste e depois me precipitaste ao chão. 12 Como sombra passageira são meus dias e como a erva murcha ressequei. 13 Mas Tu, ó Eterno, para sempre estarás perante nós entronizado e por todas as gerações não deixará Teu Nome de ser lembrado. 14 Certamente erguer-Te-ás e demonstrarás Tua piedade para com Tsyion, porque há de chegar o tempo de favorecê-la. 15 Pois Teus servos amam até as pedras de suas cidades destruídas e a poeira de seus caminhos arruinados. 16 Então, as nações temerão o Nome do Eterno e todos os reis da terra a Sua glória. 17 Pois o Eterno terá reconstruído Tsyion e Se manifestado em toda a Sua glória. 18 Voltou-se para oração do desvalido e não desprezou suas preces. 19 Que seja isto escrito para as gerações futuras, para que a nação ainda por ser recriada louve o Eterno. 20 Pois das alturas do Seu Santuário Ele contemplou o céu e a terra, 21 para ouvir o gemido dos cativos e libertar os que a morte estavam sentenciados; 22 para proclamar em Tsyion o Nome do Eterno e em Yerushalayim o Seu louvor, 23 ao reunirem-se povos e reinos para servi-Lo. 24 Ele debilitou minhas forças em meu caminho e encurtou meus dias.
25 Implorei então: ‘Meu Elohim! Não me leves desta vida na metade dos meus dias, ó Tu, cujos anos perduram através das gerações por toda a eternidade’. 26 Criaste a terra e os céus são obras das Tuas mãos. 27 Ele talvez perecerão, mas Tu subsistirás eternamente; como uma roupa que envelhece eles se desgastarão; como se troca uma vestimenta Tu os substituirá e eles terão passado. 28 Tu, porém, és e serás sempre o mesmo e incontáveis são Teus anos. 29 Os filhos de Teus servos farás habitar em segurança e, ante Ti, sua descendência certamente há de subsistir.
colaboração: Yossef ben Yisra'El
Shabat Shalom e bom estudo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário