sábado, 30 de março de 2013

NOSSO FILHO, NOSSA ÁRVORE!


Shalom, Queridos pais e demais familiares!

Em breve estaremos iniciando um novo BLOG destinado totalmente aos Yeladim (Crianças) – o TORAH KIDS”.

Entretanto, antes de iniciarmos as nossas postagens, gostaríamos de compartilhar com vocês um texto que nos remete à base sob a qual, todo pai/mãe israelita deve firmar a educação de seus filhos.

Mesmo que o texto pareça um pouco longo, vale a pena ler até o final!

NOSSO FILHO, NOSSA ÁRVORE!

Todavia, que melhor fonte para procurar orientação nesse assunto que a Torah? Cuja própria definição e propósito é "instrução". Sua pedagogia é incomparável e, se buscarmos apoio em Sua sabedoria, certamente, não precisaremos ter medo de errar.
A Torah compara o homem a "uma árvore no campo" (Devarim 20:19). 
Educar um filho é semelhante a cultivar uma árvore. Em ambos os casos, o objetivo é fornecer-lhe aquilo que precisam para incentivar o potencial que possuem.
Quando se para para pensar, uma criança precisa das mesmas coisas que a árvore precisa para crescer: Terra, Água, Sol e Ar.
Cada um desses elementos representa um componente básico para proporcionar à criança aquilo que ela precisa para crescer e desenvolver-se adequadamente.
Terra:
A terra fornece os nutrientes à árvore - aplicada à educação de um filho, isso representa tanto os valores que desejamos que ele absorva, quanto a ligação que desejamos que ele sinta. Um filho não é um cogumelo; ele tem raízes profundas que o conectam a um solo que precisa ser rico em nutrição. Quanto mais forte a conexão com essa fonte, mais forte ele será quando crescer.
A terra também representa estabilidade, imobilidade. Um filho deve sentir-se seguro sabendo que há valores e regras que são invioláveis. Ele não está recebendo valores descartáveis (da moda); valores que "hoje estão aqui, mas, amanhã estarão ultrapassados".
Em um de seus artigos sobre educação, Rabi Yaakov Lieder cita um fazendeiro que descreve o comportamento do gado, cada vez que o levava a novas pastagens. Primeiro os animais conferiam a cerca para assegurar que não havia brechas. Então começavam a pastar.
Ele explicou, assim, esse fenômeno: quando eles viam que os limites que os fechavam eram invioláveis, podiam pastar confortavelmente. Não se distraíam com a possibilidade de escapar (ou servirem de presa).
A aplicação desse conceito à educação é muito poderosa. Para que nossos filhos sejam felizes e bem-sucedidos eles devem sentir-se seguros e confiar nas regras e limites estabelecidos pelos pais. Há muitas decisões sobre o bem-estar e futuro de uma criança com os quais ela não deveria ter de se preocupar, certamente não nessa etapa da vida.
Água:
A água é crucial para o crescimento de uma planta. Entre outras coisas, ajuda a dissolver os nutrientes para que sejam absorvidos pela planta. A água também assegura que as raízes não sequem para que continuem a se desenvolver bem. O solo mais rico em nutrientes se torna inútil se a planta carece da capacidade de absorvê-los.
Nas obras do Chassidismo, a água representa a humildade. A humildade é uma qualidade indispensável quando se trata de estar aberto a absorver novas informações. Nossos filhos devem ter humildade para aprender; se eles acharem que já sabem tudo, nunca aprenderão. Da mesma forma, nós como professores e pais devemos ter humildade para ensinar.
Ao ensinar nossos filhos, devemos aceitar humildemente "abaixar" até o nível deles. Devemos traduzir aquilo que queremos dizer numa linguagem que eles possam entender bem e absorver. Esse é um dos motivos pelos quais a sabedoria é comparada à água. A Água, como a sabedoria, fica mais confortável num recipiente mais baixo (i.e., mais humilde).
Conta-se a história de um chassid que foi consultar Rabi Shneur Zalman de Liadi sobre problemas que tinha com a educação de seus filhos.
Ao chegar à porta da casa de Rabi Shneur Zalman, ele viu pela janela que o Rabi estava brincando com o neto; rastejando no chão com o neto nas costas, como se o menino estivesse cavalgando um pônei.
O chassid foi embora e voltou um pouco mais tarde para falar com Rabi. Depois que o chassid descreveu seu problema, Rabi Shneur Zalman disse: "É uma pena você não ter vindo um pouco antes, quando eu estava brincando com meu neto. Você teria visto como é necessário abaixar-se ao nível de outra pessoa para conseguir se comunicar com sucesso…"
A água também representa transparência e pureza. Quando alguém deseja produzir maçãs, por exemplo, precisa irrigar a semente de maçã com água; não é possível produzir maçãs irrigando-se sementes de laranja com suco de maçã. A água pura faz surgir o potencial específico de cada semente.
Para fazer aflorar o potencial particular de cada filho, ele deve receber água pura, as verdades inalteráveis da Torah. Ele então crescerá e desenvolverá sua maneira particular e dará sua contribuição especial ao povo judeu (israelita).
Sol:
Uma árvore precisa da luz e do calor irradiados pelo sol.
(Luz) - Não devemos, simplesmente, dizer a nossos filhos o que fazer; devemos mostrar a eles a beleza e a riqueza daquilo que é certo, fazendo. Encontramos a expressão lehazhir gedolim al haktanim (citada em Rashi sobre Vayicrá 21:1), que significa que “a Torah adverte os adultos de que eles são responsáveis pelo comportamento dos seus filhos”. ( ) a expressão lehazhir - literalmente, "advertir" ou "instruir" – também pode ser traduzida como "fazer brilhar". Os pais não devem apenas instruir seus filhos sobre o que fazer; devem iluminar o mundo dos filhos. Devem transmitir uma vida reluzente.
Nas palavras do Livro dos Provérbios (Mishlêi) Torah ohr, "a Torah é luz". O ensinamento da Torah ilumina, mostra o que é certo e errado, não apenas o impõe.
(Calor) - Devemos prover nossos filhos com amor incondicional. Nosso amor por eles deve ser tão previsível como o nascer do sol. Eles jamais devem sentir que nosso amor por eles é baseado em alguma condição. Eles devem saber que mesmo quando ficamos irados, ainda os amamos. Este amor incondicional instila neles autoestima e segurança, que lhes permite enfrentar os desafios da vida com confiança.
Ar:
O "Ar" sugere duas coisas: espaço e atmosfera.
(Espaço) - Assim como uma árvore precisa de espaço para crescer, também uma criança precisa da própria identidade e do "espaço" dentro do qual se desenvolve. Precisa passar tempo, algum tempo pessoal, com os pais. Talvez possua talentos ou passatempos só seus que precisam ser desenvolvidos. A privacidade da criança deve ser respeitada e protegida. Isso inclui não divulgar algo que foi contado em confiança a você por ela. ( ) não permita que ninguém entre no "espaço" dela sem permissão.
(Atmosfera) - É muito importante ter consciência do ambiente que cerca o seu filho e da "qualidade do ar" que ele respira, tanto no lar como fora dele. O que nosso filho vê em casa? Ele presencia respeito mútuo e amor entre os pais? Ele os vê felizes e seguros consigo mesmos e com aquilo que estão fazendo? O que ele vê os pais fazendo? O que os ouve dizer? Quem são seus amigos? Sobre o que conversam em casa? Quais são as suas atitudes?
A atmosfera é determinada não tanto pelo que é dito, mas pelo que é feito.
Lembro-me de ter conversado com um casal que explicou que não podiam ir à sinagoga nas noites de sexta-feira porque "tinham um jogo ( ) com amigos". Pouco depois eles reclamaram que o filho estava fazendo algo que tinham dito a ele para não fazer. "Dissemos a ele muitas vezes que este comportamento seria inaceitável para nós. Como ele pode simplesmente virar as costas para a educação que lhe demos?" perguntaram eles!
"Ele não os está ignorando", foi a minha resposta. "Vocês foram muito bem-sucedidos na educação dele. Vocês o ensinaram que a pessoa faz o que deseja, e não necessariamente o que deve… O fato daquilo que ele quer diferir do que vocês querem é apenas um detalhe. A principal lição foi aprendida por ele."
Aquilo que seu filho "respira" na atmosfera onde cresce é mais importante que aquilo que escuta.
O mais importante de tudo é lembrar que ser pai/jardineiro é um trabalho em tempo integral. Devemos ser consistentes e persistir nos cuidados com nosso jardim; estar constantemente vigiando os problemas que possam aparecer e "exterminá-los no início", antes que saiam do controle.
Lembre-se: As árvores nunca reclamam. Da mesma forma, as crianças muitas vezes não expressam adequadamente aquilo que precisam e quando precisam. Com frequência, sofrem em silêncio. É nosso trabalho cuidar da preciosa semente que foi colocada aos nossos cuidados.>
(texto de Eliezer Shemtov)

extraído de: http://www.pt.chabad.org/

CICLO TRIENAL LEYELADIM - SEDRAH 103 (OS SHOFARIM / TROMBETAS DE PRATA)


Shalom, Yeladim

Na Sedrah da semana anterior pudemos aprender sobre a Menorah de 7 braços e sua função no Mishkan.

Esta semana, vamos estudar sobre As Trombetas de Prata.
Vamos ao estudo desta semana!

OS SHOFARIM (AS TROMBETAS) DE PRATA 
E A PARTIDA DO POVO DE YISRA'EL
Bamidbar/Números 10:1-36 

Em Bamidbar/Números 10:1-2, temos “O Eterno falou a Mosheh dizendo: Faze para ti duas trombetas  de prata. Faze-as de metal batido. Elas serão usadas por ti para reunires a comunidade e fazer o acampamento se levantar em suas viagens". 

Na época de nossos pais e sua jornada pelo deserto, nada, absolutamente nada, do que temos hoje em dia para comunicação existia, ou seja, havia a necessidade de outros meios para que as mensagens e ordens fossem transmitidas.
Desta forma, o Eterno ordena a Mosheh que isto fosse feito através do toque de trombetas de prata. Mas como distinguir as ordens através de sons de trombetas? 

Em Bamidbar/Números 10:3-4, temos “Quando ambas as trombetas forem soadas com uma nota longa, toda a comunidade juntar-se-á à Comunhão. Se uma nota longa for soada em somente uma delas, os príncipes, que são líderes de milhares em Yisra'El, chegarão perto de ti".

Vemos que podiam então ser soadas isoladamente ou conjuntamente e isto por si só já distinguia seu propósito de alguma forma. Neste caso, ambas tocariam notas longas. 

Em Bamidbar/Números 10:5-7, temos “Quando vocês soarem uma série de notas curtas, os acampamentos que se acham no leste começarão a marchar. Quando, então, vocês soarem uma segunda série de notas curtas, os acampamentos que acham ao sul partirão. Assim, quando os Yisre’eliym tiverem de partir, vocês o sinalizarão com uma série de notas curtas. Contudo, quando a comunidade tiver de ser juntada, as trombetas serão soadas com uma nota longa e não com uma série de notas curtas” .

Com base no texto acima, podemos perceber que o toque das trombetas, isoladas ou conjuntas, com notas curtas ou notas longas servia para que todo o acampamento soubesse o que fazer. Ajuntar-se, convocar os príncipes das tribos e partir em marcha eram alguns dos propósitos atingidos pelo toque das trombetas. 

Em Bamidbar/Números 10:5-7, temos Os cohanim descendentes de Aharon serão aqueles que soarão as trombetas. Este será um estatuto eterno para futuras gerações”.

Assim como outras mitsvot do Eterno, esta também possuía um caráter permanente, isto é, nunca poderia ser alterada pelo homem.

Finalmente, em Bamidbar/Números 10:9-10, temos “Quando vocês forem para a guerra contra um inimigo que os ataca na terra de vocês, vocês soarão notas curtas nas trombetas.  Vocês serão então lembrados diante do Eterno, o Elohim de vocês e serão libertados de seus inimigos. Em seus dias de alegria, em seus festivais e suas celebrações de Lua Nova, vocês soarão uma nota com as trombetas para seus holocaustos e suas oferendas de paz. Isto será uma lembrança diante do Eterno. Eu sou o Eterno Elohim de vocês”

O toque das trombetas, como acima descrito, era um memorial para que o Eterno Se lembrasse de Seu povo, tanto em momentos de dificuldade ou de guerra, como em momentos de alegria, nos moadim/festas, nas celebrações dos chodashim.

Era, também, uma espécie de "voz de HaShem"  e, portanto, o povo precisava estar sempre em alerta quanto aos "toques dados" para saber, exatamente, qual era a Sua orientação.

Naquele tempo, todas as tribos de Israel encontravam-se reunidas em torno do Mishkan, prontas a atender as ordens do Eterno.  Todavia, hoje, encontramo-nos espalhados pelos quatro cantos da terra mas, apesar de não termos o toque do Shofar para nos dar a direção, temos a Torah de Elohim que nos serve de guia e alerta, nos ajudando a entender aquilo que é a Sua vontade para as nossas vidas.

Portanto, Yeladim, é necessário que estejamos preparados e sempre dispostos a “obedecer a ordem de Elohim”, através de sua Torah!
por Yossef Michael

Bom estudo e Shabat Shalom!

sexta-feira, 29 de março de 2013

CICLO TRIENAL - SEDRAH 103 (Semana de 24 a 30 de março/2013)

Torah:    Bamidbar/Números 10:1 - 36    
Tema(s):  Os Shofarim (As Trombetas)/A Partida de Yisra'el
Haftarah:  Yeshayahu/Isaias 30; Yirmyahu/Jeremias 6; Iyov/Jó 23
Tema(s):     Contra o Egito; A Destruição de Yerushalayim; A Queixa de Iyov
Chochmah: Mishlei/Provérbios 30:29-33
Tema(s):  O Bom Líder; Rixas e Contendas
Tehilim: Tehilim/Salmos 103
Tema(s):  A Compaixão de HaShem
Torah
Bamidbar/Números 10:
1 O Eterno falou a Mosheh dizendo:  2 Faze para ti duas trombetas  de prata. Faze-as de metal batido. Elas serão usadas por ti para reunires a comunidade e fazer o acampamento se levantar em suas viagens.  3 Quando ambas as trombetas forem soadas com uma nota longa, toda a comunidade juntar-se-á à Comunhão.  4 Se uma nota longa for soada em somente uma delas, os príncipes, que são líderes de milhares em Yisra'El, chegarão perto de ti. 5 Quando vocês soarem uma série de notas curtas , os acampamentos que se acham no leste começarão a marchar.  6 Quando, então, vocês soarem uma segunda série de notas curtas, os acampamentos que acham ao sul partirão . Assim, quando os Yisre’eliym tiverem de partir, vocês o sinalizarão com uma série de notas curtas.  7 Contudo, quando a comunidade tiver de ser juntada, as trombetas serão soadas com uma nota longa e não com uma série de notas curtas.  8 Os cohanim descendentes de Aharon serão aqueles que soarão as trombetas. Este será um estatuto perpétuo eterno para futuras gerações.  9 Quando vocês forem para a guerra contra um inimigo que os ataca na terra de vocês, vocês soarão notas curtas nas trombetas.  Vocês serão então lembrados diante do Eterno, o Elohim de vocês e serão libertados de seus inimigos. 10 E seus dias de alegria, em seus festivais e suas celebrações de Lua Nova, vocês soarão uma nota com as trombetas para seus holocaustos e suas oferendas de paz. Isto será uma lembrança diante do Eterno. Eu sou o Eterno Elohim de vocês.  11 No segundo ano do Êxodo, no vigésimo dia do segundo mês , a nuvem ergueu-se do Mishkan HaEdhut . 12 Os Yisre’eliym assim começaram suas viagens, partindo do Deserto do Sinai, até que a nuvem veio pousar no Deserto de Paran. 13 Esta foi a primeira jornada pela Palavra do Eterno por intermédio de Mosheh. 14 As divisões no acampamento da bandeira dos descendentes de Yehudah partiram primeiro . Encabeçando sua divisão estava Nachshon, filho de Aminadav. 15 Encabeçando a divisão tribal dos descendentes de Yissachar estava Netan’el, filho de Tsuar 16 e encabeçando a divisão tribal dos descendentes de Zevulun estava Eliav, filho de Chelon. 17 O Mishkan foi então desmontado e os descendentes de Guershon e Merari, que carregavam o Mishkan, começaram a marcha. 18 As divisões no acampamento da bandeira de Re'uven então começaram a marcha. Encabeçando a sua divisão estava Elitsur, filho de Shedei-ur. 19 Encabeçando a divisão tribal dos descendentes de Shimon esta Shelumiel, filho de Tsuri-shadai  20 e encabeçando a divisão tribal dos descendentes de Gad estava Eliassaf, filho de Deu’el.  21 Os Kehatitas, que carregavam o móvel sagrado  então, começaram sua marcha. O Mishkan seria montado antes de eles alcançarem o destino.  22 As divisões no acampamento da bandeira dos descendentes de Efrayim então começaram a marcha. Encabeçando a sua divisão estava Elishama, filho de Amihud.  23 Encabeçando a divisão tribal dos descendentes de Menasheh estava Gamliel, filho de Peda-tsur  24 e encabeçando a divisão tribal dos descendentes de Benyamin estava Avidan, filho de Guid'oni. 25 Então as divisões no acampamento da bandeira dos descendentes de Dan, o último dos acampamentos, começaram a marcha. Encabeçando sua divisão estava Achiezer, filho de Ami-shadai.  26 Encabeçando a divisão tribal dos descendentes de Asher estava Paguiel, filho de Achran 27 e encabeçando as divisões tribais dos descendentes de Naftali estava Achira, filho de Einan.  28 Quando eles partiam, esta era a ordem de marcha dos Yisre’eliym, de acordo com suas divisões.  29 Mosheh disse a seu sogro Chovev , filho de Reuel , o Medaniy: ‘Nós estamos agora em nosso caminho para o lugar que o Eterno prometeu nos dar. Vem conosco e nós deixaremos que tu partilhes o benefício de toda as coisas boas que o Eterno prometeu a Yisra'El’.  30 ‘Eu prefiro não ir’, replicou Chovev, ‘eu desejo retornar à minha terra e meu lugar natal’.  31 ‘Não nos abandones’, disse Mosheh. ‘Além de tudo, tu estás familiarizado com os lugares para onde estamos indo acampar no deserto e tu podes ser nosso guia.  32 Se tu fores conosco, nós partilharemos contigo o que quer que de bom o Eterno nos conceda’. 33 Os Yisre’eliym marcharam a distância de três dias de jornada  da montanha do Eterno. A Arca da Aliança do Eterno viajou três dias adiante deles com a finalidade de encontrar-lhes um lugar para assentar.

Haftarah
Yeshayiahu (Isaias) 30:
1 Ai de vós, ó filhos rebeldes – diz o Eterno – que buscais conselhos, porém não de Mim e que elaborais projetos que não coadunam com Meu Espírito e assim acumulais transgressões sobre transgressões; 2 que decidis descer ao Egito sem que Me tivésseis consultado, para refugiar-vos na fortaleza de faraó e sentir-vos amparados sob a sombra do Egito.  3 Vereis que a fortaleza do faraó será para vós uma vergonha e o refúgio sob a sombra do Egito servirá apenas para mais vos confundir. 4 Pois seus príncipes estão em Tsoan  e seus embaixadores vieram a Chanes. 5 Cada um deles foi envergonhado por este povo, que não lhes pode trazer qualquer proveito, incapaz que é de proporcionar ajuda ou benefício, mas, sim, repulsa e opróbrio. 6 Eis a profecia sobre as bestas do Negev : Através de terras de tribulação e de angústia, onde reinam os leões, a víbora e a serpente voadora, eles seguem transportando suas riquezas em lombos de asnos e seus bens nas gibas de camelos, em direção a um povo que não lhes trará benefício algum. 7 Porque vã e inútil é a ajuda do Egito, que por isto é chamado de ‘arrogante preguiçoso’. 8 Vai agora, registra perante eles, numa placa e inscreve num livro para que seja resguardada para o tempo futuro, por toda a eternidade. 9 Pois são um povo rebelde, que mente como crianças e se recusa a atender aos ensinamentos do Eterno. 10 Eles dizem aos videntes: ‘Não queiram enxergar’ e aos profetas: ‘Não vos profetizai sobre as coisas sérias. Dizei antes coisas agradáveis, ainda que sejam ilusões’. 11 Saí do caminho, apartai-vos do percurso, para que não esteja ante vós o Santíssimo de Yisra’El’. 12 Porque Ele assim se pronuncia: Porque desprezais Minha Palavra e confiais em opressores e perversos e com eles vos associais, 13 vossa iniquidade será para vós como uma brecha num muro alto, que se alarga provocando, de súbito, sua queda. 14 E será Ele quem o fará ruir e assim como despedaça por completo ao cair o vaso do oleiro, sem que sobre, por mínima que seja, qualquer parte inteira, assim também não restará um naco de madeira para servir de tição ou uma concha que sirva para buscar água da cisterna. 15 Pois assim falou o Eterno Elohim, o Santíssimo de Yisra’El: Com tranquilidade e silenciosamente seríeis salvos, na absoluta calma e na demonstração de plena confiança estaria sua força; mas vós assim não o quisestes. 16 Pois dissestes: ‘Não acreditamos! Conseguiremos fugir cavalgando nossas montarias com a velocidade de que são capazes’, e em verdade assim o fizestes. Entretanto, ainda mais velozes serão os que vos perseguem. 17 Mil dos vossos fugirá ante a ameaça de um só inimigo e ante a ameaça de cinco, fugirão todos; Até momento em que ficareis isolados como um mastro solitário no topo de uma montanha, como uma bandeira abandonada no alto de uma colina. 18 Por tudo isto tardará o Eterno em vos mostrar Sua graça e Ele será exaltado para que possa ter compaixão de vós; pois o Eterno é Elohim de Justiça, ; abençoados sejam aqueles que d’Ele esperam salvação! 19 Ó vós que habitais em Tsyion, em Yerushalayim, não mais havereis de chorar; pois Ele será piedoso para convosco ante o som de vosso lamento; pois Ele vos responderá quando O ouvir. 20 E ainda que vos dê o Eterno somente pão frugal e água escassa, Ele não mais se ocultará de vós, pois vossos olhos hão de ver vosso Mestre 21 e vossos ouvidos escutarão uma voz a clamar: “Este é o caminho, trilhai-o sempre, quer ele torne para a direita ou à esquerda. 22 Então profanareis vossas imagens esculpidas recobertas de prata e vossas estátuas fundidas recobertas de ouro. Para longe as jogareis, por serem impuras e lhes gritarei: ‘Ide para longe de mim’. 23 E Ele proporcionará a chuva necessária à tua semente onde quer que a venhas plantar e do produto da terra obterás pão que será rico e nutritivo; teu gado neste dia se alimentará em extensos pastos. 24 Também os bois e os asnos com que lavrareis a terra, se alimentarão de forragem saborosa, que terá sido joeirada com a pá e a peneira. 25 E sobre cada montanha elevada e cada alta colina haverá lagos e correntes de água, quando chegar o dia em que serão abatidos e  Mortos os poderosos. 2 Parecerá a luz da lua com a do sol e a do sol será sete vezes mais forte, como se fora a luz de sete dias, quando o Eterno aliviará com bandagens os ferimentos de Seu povo e curará os golpes que receberam. 27 Eis que de longe vem o Nome do Eterno, com Sua ira acesa, envolto em densa fumaça. Ardem Seus lábios de indignação e Sua língua é um fogo devorador. 28 Seu alento é uma corrente transbordante que sobe até o pescoço, para joeirar as nações através de uma peneira de destruição e uma brida que prende suas mandíbulas, para que não se desviem. 29 Vós, porém, entoareis um cântico tão belo como o das noites em que se santifica uma celebração e no coração trareis regozijo como o que sente quem sobe, ao som de flautas, ao monte do Eterno, a Rocha de Yisra’El. 30 E o Eterno fará com que se ouça Sua gloriosa voz; com exacerbada ira mostrará o refulgir dos relâmpagos sob Seu braço e exibirá a chama de um fogo devorador, com um turbilhão de nuvens e uma tormentosa chuva de granizo. 31 Ante Sua voz desfalecerá a Assíria e com Seu bordão a ferirá. 32 E em cada lugar, por onde passe essa vara justiceira que sobre ela porá o Eterno, haverá sons de pandeiros e de harpas; e em cruentas batalhas Ele contra ela lutará. 33 Porque desde há muito está preparada a fogueira. Sim, para seu rei está ela preparada, profunda e densa. É uma pira de fogo em que arde muita lenha, pois pelo alento do Eterno, que vem como uma torrente de enxofre, ela será acesa.

Yermyiahu (Jeremias) 6:
1 Oh vós, b’nei Benyamin, ponde-vos a salvo de Yerushalayim, tocai o Shofar em Tekoa  e elevai uma bandeira em Beit Cherem; pois do norte vos espreita o mal, preparando uma terrível destruição.  2 Qual flor será cortada? A airosa e delicada filha de Tsyion. 3 Pastores dela se aproximam com seus rebanhos. Contra ela se preparam, armando tendas ao seu redor e devorando tudo que encontram. 4 Preparai-vos para guerrear contra ela; levantemo-nos para ataca-la ao meio dia! Infelizmente, já declina o dia e se estendem as sombras da noite. 5 Levantemo-nos, vamos ataca-la em plena noite e destruamos seus palácios. 6 Porque assim se pronunciou YHWH Tseva’ot: “Cortai madeiras e preparai contra Yerushalayim uma rampa; punida deve ser esta cidade, pois só opressão se vê em seu meio. 7 Como uma cisterna que se infla com suas águas, ela se incha com suas iniquidades. A violência e o roubo nela estão presentes; são Perante Mim como chagas e enfermidades. 8 Busca corrigir-te, ó Yerushalayim, para que Minha alma não se aparte de ti e Eu venha a te transformar numa terra desolada e desabitada. 9 Assim afirma YHWH Tseva’ot: Rebuscarão o remanescente da terra de Yisra’El, até desnudá-la qual uma parreira, da qual se retiram todas as uvas e ainda estenderão suas mãos para arrancar suas raízes. 10 Quem há de Me ouvir quando Eu falar e advertir? Pois obstruídos parecem estar seus ouvidos, impedindo-os de escutar; ridículas lhes parecem ser as Palavras do Eterno em vez de, nelas se deliciarem”. 11 Por isto, repleto está meu coração com a ira do Eterno e já cansei de reprimi-la. Ela se derramará sobre todos, desde as crianças que estão nas ruas, aos jovens que se reúnem em suas casas; tornar-se-ão prisioneiros tanto os maridos quanto suas esposas, os anciãos e os que já estão avançados em anos. 12 “A outros serão entregues suas casas, bem como seus campos e suas mulheres, porque hei de estender Minha mão contra todos os habitantes desta terra – diz o Eterno. 13 Pois do homem mais simples ao mais elevado, todos anseiam somente por lucros e desde o profeta até o cohen, todos agem falsamente. 14 Procuram relevar o desastre que está por vir sobre Meu povo, dizendo: ‘Paz! Haverá paz!, mas, em verdade, não há paz. 15 Envergonharam-se das abominações que cometeram? Não! Não se envergonham, nem se humilham. Cairão, por isto, entre os que tombarem ; sim, cairão quando Eu os punir”. 16 Assim diz o Eterno: “Detende vossa marcha, examinai e buscai os caminhos do passado, onde estava presente somente o bem, trilhai-os e encontrareis então repouso para vossa alma. Mas eles responderam: ‘Não! Por ele não seguiremos’! 17 Coloquei sentinelas para vos advertir: ‘Ouvi o som da trombeta’, mas responderam: ‘Não lhe daremos ouvido’. 18 Escutai, ó nações e atenta, ó congregação, pra o que virá contra eles. 19 Dá ouvidos, ó terra: Trarei sobre este povo o mal que traduz a essência de seu pensamento, porque não deram atenção às Minhas Palavras e rejeitaram Meus ensinamentos. 20 De que Me serve o incenso que vem de Shevah e os perfumes de países distantes? Vossas oferendas não me são aceitáveis e vossos sacrifícios não Me satisfazem. 21 Portanto, assim disse o Eterno: Obstáculos colocarei ante este povo e pais e filhos neles tropeçarão e seus amigos e os que estão à sua volta hão de perecer”. 22 Assim disse o Eterno: “De um país do norte virá um povo e dos confins mais remotos da terra levantar-se-á uma nação. 23 Estarão armados com arcos e lanças, são cruéis e não sabem o que é compaixão. Suas vozes se erguem como o rugir do mar e montam em seus cavalos dispostos em formação de batalha, para lutarem contra ti, ó filha de Tsyion. 24 Sobre sua fama já ouvimos e nossas mãos ela faz tremerem; angústia de nós se apodera e nos oprime uma dor, como a da mulher que está dando à luz. 25 Não te aventures no campo, nem tampouco pelas estradas, porque o terror e a espada do inimigo te cercam de todos os lados. 26 Ó filha de Meu povo, reveste-te de trapos e cobre-te de cinza; enluta-te por um filho único e entoa lamentações com amargura, porque de súbito se lançaram sobre nós os atacantes. 27 Para ti construí uma torre e uma fortaleza entre Meu povo, para que possas percorrer seu caminho. 28 São todos revoltosos persistentes que se unem a caluniadores; são inflexíveis como cobre e ferro e todos agem de forma corrupta. 29 Sopram violentamente os foles e o chumbo é consumido pelo fogo. Em vão tenta refiná-lo o fundidor, pois não consegue separar os malvados. 30 Serão chamados de prata rejeitada, pois foram rejeitados pelo Eterno”.

Iyov (Jó) 23:
1 Iyov respondeu e disse: 2 ‘Até agora não diminuiu a amargura de minha queixa. Lenta e pesada se tornou minha mão, devido a meu contínuo lamento. 3 Se eu soubesse onde encontra-Lo para me aproximar de Seu trono! 4 Ante ele exporia minha causa e apresentaria todos os argumentos que estão presos em minha boca. 5 Tomaria conhecimento das palavras de Sua resposta e as haveria de compreender. 6 Em Seu ilimitado poder, contenderia comigo? Certamente não; apenas me escutaria. 7 Ali, então, seria provada minha integridade e eu poderia ser liberado por meu Juiz! 8 Se sigo adiante, não O encontro, se volto para trás, não o percebo. 9 Sigo para a esquerda quando Ele parece estar ali, mas não O vejo. Se Ele se volta para a direita, também não consigo discerni-Lo. 10 Mas Ele sabe por qual caminho eu sigo. Quando me puser à prova, me proclamará puro como o ouro. 11 Meu pé seguiu fielmente Seus passos, segui Seu caminho de dele não me desviei. 12 Não me apartei dos mandamentos dos Seus lábios; como tesouro guardei as palavras de Sua boca, mais que os alimentos que me são necessários. 13 Mas como ninguém pode se igualar a Ele, quem poderia dissuadi-Lo? O que Sua alma deseja é o que realmente faz. 14 Ele tornará, pois, realidade o que para mim está destinado; e tudo está em Suas mãos. 15 Por isso me sinto confuso ante Sua presença; sinto-me atemorizado quando penso sobre isso. 16 Sim, Elohim fez desfalecer meu coração; o Todo Poderoso me deixou atemorizado, 17 porque não me fez morrer antes que viessem as trevas, nem as encobriu de minha face.


Shirim U'Chochmah
Mishlei (Provérbios) 30:29-33
29 Há três coisas que são marciais em seu caminhar e uma quarta que é majestosa em sua marcha: 30 O leão, o mais poderoso dos animais, que não retrocede ante nada; 31 o galgo e também o cabrito; e o rei, contra quem ninguém se levanta. 32 Se agiste tolamente, enaltecendo-te ou se planejaste falar mal, põe tua mão sobre a boca, 33 pois assim como batendo o leite se obtém manteiga e forçando o nariz se produz sangue, deixando aflorar a ira se produz sangue.


Tehilim/Salmos 103:
1 De David. Bendiz o Eterno, ó alma minha e seja Seu santo Nome bendito por todo o meu ser. 2 Sim, bendiz o Eterno, ó minha alma e não te esqueças de todos os Seus benefícios. 3 Ele é quem perdoa suas transgressões e cura tuas enfermidades, 4 que resgata do túmulo tua vida e te coroa com bondade e misericórdia 5 e que alimenta com o bem teu crescimento, para que se renove tua juventude como a plumagem da águia. 6 O Eterno pratica a justiça e restabelece o direito dos oprimidos. 7 A Mosheh revelou Seus caminhos e aos b’nei Yisra’El, Seus feitos. 8 Misericordioso e clemente é o Eterno; lento em irar-Se, transbordante de beneficência. 9 Não contenderá nem manterá acesa Sua cólera para sempre. 10 Não nos dispensou tratamento na dimensão de nossos pecados, nem nos retribuiu conforme nossa iniquidade. 11 Pois assim como imensa é a altura do céu acima da terra, assim também é Sua benignidade para com os que O temem. 12 Tão distante quanto o oriente do ocidente, Ele distanciou de nós as transgressões que outrora praticamos. 13 Como um pai tem compaixão de seus filhos, assim é Sua compaixão para com os que o temem. 14 Pois Ele conhece nossa natureza e tem presente que do pó fomos feitos. 15 O homem, como a relva são os dias de sua vida; como a flor do campo ele floresce.16 Mal sopra um vento e ela se esvai e nem mais saberá em que lugar ela  existiu. 17 Mas por toda a eternidade é a benevolência do Eterno para com os que O temem e Sua justiça para com todas as gerações, 18 aos que guardam Sua aliança e lembram, para cumprI-los, os Seus mandamentos. 19 Nos céus estabeleceu Seu trono o Eterno e Seu reino a tudo alcança. 20 Bendizei o Eterno, ó vós que sois Seus anjos, valorosas criaturas que ouvem e cumprem Sua palavra. 21 Bendizei o Eterno, ó vós que sois Suas hostes, Seus servos, cumpridores de Sua vontade. 22 Bendiz o Eterno, ó toda Sua criação, em todos os lugares de Seu infinito domínio. Ó alma minha, bendiz o Eterno!
colaboração: Yossef ben Yisra'El

quarta-feira, 27 de março de 2013

SEDER DE PESSACH (ARUCHAT EVER) - BACALHAU E M'JADRA


Shalom, chaverim v'chaverot!
Para aqueles que não poderão se reunir para o jantar de Pessach em alguma Sinagoga ou Kehilot, mas, deseja fazê-lo em família ou grupo, abaixo, duas sugestões muito especiais, testadas e aprovadas.
Bete'avon 
Chag  Pessach Sameach!

(1)  BACALHAU AO FORNO
Ingredientes:
1 kg de bacalhau desfiado
1/2 kg de batata inglesa
1/2 pimentão verde sem sementes, em fatias
1/2 pimentão amarelo sem sementes, em fatias
1/2 pimentão vermelho sem sementes, em fatias
1 copo (300ml) de azeite de oliva
200 g de azeitonas pretas (sem caroços) - reserve algumas para decorar
2 cebolas cortados em rodelas
6 tomates cortados em rodelas
2 dentes de alho (grandes) cortados em lâminas fininhas
Sal (para corrigir – se necessário) e pimenta do reino a gosto
3 ovos cozidos e cortados ao meio
Salsinha e cebolinha para decorar
Modo de fazer:
Deixe o bacalhau de molho em água de um dia para outro (ou ferva com 1 xícara de sal – funciona mesmo!). Troque a água pelo menos três vezes. Descasque e corte as batatas em rodelas médias. Forre uma fôrma refratária com azeite e faça camadas com a batata, o bacalhau, o pimentão, a cebola, o tomate, o parmesão ralado e azeitonas pretas. Regue com o azeite e cubra com papel alumínio. Coloque no forno preaquecido (240 graus) por aproximadamente 45 minutos. Retire o alumínio e deixe por mais 15 minutos. Retire do forno e decore com os ovos, a salsinha e cebolinha picadinhos, azeitonas, e regue com azeite. Coloque no  forno por mais 5 minutos e pronto!
Acompanhamento:  Arroz branco
Rendimento:  6 a 8 pessoas
(2)   M’JADRA
Ingredientes:

5 cebolas médias em fatia finas
4 dentes de alho
2 colheres (sopa) azeite
2 xicaras de arroz
1 xícara de lentilha
sal a gosto
1 pitada e pimenta branca,
1 pitada de canela em pó
2 folhas de louro
250g carne seca dessalgada
3 xícaras de água fervente

Modo de preparo:

Dessalgue a carne seca. (O processo pode ser semelhante ao do Bacalhau). Refogue a cebola no azeite e óleo em fogo médio por 40 minutos aproximadamente (ou até ficar dourada). Mexa de vez em quando para evitar de queimar as cebolas. Enquanto isso, cozinhe 1 medida de lentilha em água temperada com sal a gosto. Quando a lentilha estiver macia, porem firme, desligue o fogo, escorra e reserve. (Para cada medida de lentilha, use 2 medidas de arroz (lavado e escorrido). Frite em óleo bem quente 4 dentes de alho e 1 cebola média bem picadinhos. Acrescente o arroz e continue fritando, mexendo para não queimar. Numa panela à parte esquente a água para cozinhar o arroz (1.1/2 medida de água para cada medida de arroz). Quando arroz estiver bem refogado, junte a água quente, 1 pitada de pimenta síria ou branca, 1 pitada de canela da china em pó, 2 folhas de louro, cebolinha picada, algumas folhas de hortelã e a lentilha escorrida. Misture tudo, acerte o sal e deixe cozinhar com a panela tampada, até secar. Tire do fogo, coloque numa travessa e crescente a carne desfiada ou em cubos. Numa frigideira frite bastante cebola em tiras até ficar bem morenas e cubra a M’jadra com a cebola frita. 

Opção: (Misturar ao arroz e à lentilha, carne seca previamente dessalgada, cozida e desfiada ou peito de frango, e colocar as cebolas fritas por cima).

Acompanhamento:  Salada de Alface Americana, Pepino, Cebola e Hortelã (ou qualquer outra de sua preferência), com Molho de Yogurte.

MOLHO DE YOGURTE PARA SALADA

Ingredientes:
2 limões médios
2 dentes de alho
2 copos de yogurte natural ou coalhada (eu prefiro coalhada)
azeite
sal
hortelã (opcional)

Modo de preparo: 
Prepare primeiro o molho e depois adicione à salada. Corte o alho em lâminas finas. Num recipiente, junte ao iogurte, o azeite e os limões espremidos e mexa bem até ficar homogêneo. Se desejar, acrescente algumas folhas de hortelã picadas e adicione o molho à salada.
Betê'avon!