domingo, 10 de fevereiro de 2013

CURAÇAU - UM TESOURO DA CULTURA JUDAICA SEFARADITA


Curaçao, um tesouro da cultura sefaradita
(ilha caribenha holandesa paradisíaca, descoberta e ocupada por exploradores espanhóis em 1499) 
No ano passado, registrou-se a passagem do 500o aniversário da expulsão dos judeus da Espanha, mas esta data marcou, também, o aniversário de nascimento de uma nova cultura sefaradita.
Por volta de 1600, os judeus viajavam à procura de terras livres de perseguição religiosa e, assim, muitos fixaram-se em localidades remotas como Curaçao, uma ilha pitoresca a 70 km da costa da Venezuela, na qual resta agora uma rica herança judaica.

Em 1651, doze 
famílias judias de Amsterdã atravessaram o Atlântico para estabelecer uma nova congregação. Logo depois, os judeus de Portugal e do Brasil, que escapavam da perseguição religiosa, uniram-se a esta comunidade. Por volta de 1700, eram mais de 2.000 pessoas.

Visitantes das ilhas caribenhas ficam freqüentemente surpresos ao tomar conhecimento de que este minúsculo país é o lar da mais antiga sinagoga ainda em uso no hemisfério ocidental. Construída em 1732 pelos judeus da ilha, a Sinagoga Mikve Israel-Emanuelfica localizada no coração do centro de Willemstad, a capital de Curaçao.
A sinagoga Mikve Israel-Emanuel é remanescente da antiga sinagoga portuguesa de Amsterdã, cujas características são uma fachada na cor amarela pastel, com cobertura de telhas. Um pátio em estilo espanhol conduz a portas ricamente entalhadas e revestidas em mogno.
Adornos com prata e cobre, o teto elevado é um dramático contraste com o chão, o qual é coberto por um espesso tapete de areia branca. A areia simboliza o deserto onde os israelitas acamparam em sua longa jornada para a liberdade e também representam o hábito adotado por judeus espanhóis e portugueses de rezar na areia, durante a Inquisição, evitando-se assim que fossem ouvidos nos templos, e para relembrar a promessa de D'us a Abraham:..."sejam seus descendentes incontáveis como a areia do mar".

Além da sinagoga, os visitantes de várias religiões podem visitar o Museu de Cultra Judaica, com sua valiosa coleção de objetos rituais, assim como mobília da comunidade judaica de Curaçao. Encontra-se inclusive a mikvá original da sinagoga (o banho ritual de purificação), uma coleção de livros de rezas antigos, um conjunto para mesa de Seder, de 100 anos de idade, e pratarias do século 17 e 18.

FONTE: REVISTA MORASHÁ
Enviado por Leon M. Mayer

Nenhum comentário:

Postar um comentário