sábado, 5 de janeiro de 2013

CICLO TRIENAL LEYELADIM - SEDRAH 93 (CUIDADO PARA COM OS NECESSITADOS DO POVO)


Shalom Yeladim,
A Sedrah da semana anterior fala sobre Instruções muito importantes dadas por HaShem  que o Povo de Israel deveria seguir tão logo se estabelecesse na Terra Prometida: a Shemitah/Descanso da Terra no Sétimo Ano e  o Yovel/Jubileu (celebrado a cada 50 anos).  
"E consagrem o 50º ano, anunciando a liberdade por toda a terra a todos os seus habitantes será o Yovel para vocês; cada um volte para a terra de sua propriedade, à sua família." (Vayikrah/Levítico 25:10)
Ao chegar à Canaã, a terra foi dividida entre todas as Tribos e cada uma recebeu uma porção segundo o número de famílias que cada uma possuía. Ou seja, uma herança proporcional, exceto os levitas que, como vimos, haviam sido separados para o serviço a HaShem.
Embora Eretz tenha sido dada pelo Eterno como possessão ao Povo de Israel, nenhuma das Tribos poderia vender permanentemente sua parte, pois, era a herança de seus filhos. Então, se alguém contraísse alguma dívida, esta seria perdoada no Sétimo Ano e, se alguém desse sua terra como garantia ou a vendesse, deveria haver uma "cláusula" de resgate pois, no quinquagésimo ano, o ANO DO JUBILEU, toda propriedade (terra) vendida, retornaria a seu dono original.
"Não vendam a terra em caráter definitivo, pois a terra é Minha (diz O Senhor) - vocês são apenas estrangeiros e moradores temporários. Portanto, quando venderem sua propriedade, incluam o direito de ela ser resgatada. Ou seja, se um de vocês empobrecer e vender parte da propriedade, seu parente mais próximo pode vir e comprar o que seu parente vendeu. Se o vendedor não tiver ninguém para fazer o resgate da terra, mas enriquecer o suficiente para resgatá-la, calculará o número de anos desde a venda da terra, ressarcirá o excedente ao comprador, e ela voltará a ser sua propriedade. Se ele não possuir meios suficientes para comprá-la de volta, a propriedade vendida permanecerá nas mãos do comprador até o ano de Yovel/Jubileu; no Yovel, o comprador sairá dela, e o vendedor voltará para sua propriedade." (Vayikra/Levítico 25:23-28)


Vamos ao estudo desta semana?

"O CUIDADO COM OS NECESSITADOS DE AM'ISRAEL" 

Vaiykrah/Levítico 25:35 - 26:2
A sedrah desta semana nos ensina sobre o dever de ajudarmos os necessitados; em primeiro lugar os nossos irmãos israelitas.

“Se um membro de seu povo empobrecer, e não puder sustentar-se, vocês deverão ajuda-lo como o fariam com o estrangeiro ou com o habitante temporário, a fim de que ele continue vivendo com vocês.” Vaykrah/Levítico 25:35.

Este verso ensina que é uma obrigação estender auxílio financeiro a um semelhante, principalmente, a um israelita que necessite de um empréstimo ou tsedakah/caridade. É uma Mitzvah ajudar aquele que está passando por uma necessidade, de modo que ele não vá à falência por conta de nossa negligência!

Provérbios  21:13 diz que “Quem fecha o seu ouvido ao clamor do pobre, as suas petições não serão ouvidos”.

Dar voluntariamente daquilo que possuímos para socorrer o pobre, é uma maneira de agradar HaShem; Ele recompensará aqueles que assim fizerem, tanto no sentido espiritual como no material, para que aumente suas condições de ajudar mais necessitados.

Quem já ouviu dizer: “Quem dá ao pobre empresta a Elohim”?. Isso não é um ditado popular; está em Mishley/Provérbios 19:17. Qualquer omissão diante desta responsabilidade, pode resultar em graves conseqüências sobre a nossa vida.

Ainda nesse perek/capítulo temos “a proibição de emprestar ou tomar emprestado de um israelita a juros”, de forma gananciosa.

A Torah se refere a juros como "neshech", que significa "mordida".  Obviamente, o que podemos aprender com isso é que "não devemos tirar proveito da desgraça" alheia, mas, se tivermos condições, devemos ser "solidários", ajudando-o a sair dessa situação sem tirarmos proveito disso, apenas, com o intuito de cumprir essa Mitzvah.

O Eterno sempre age com justiça, buscando “nivelar” tudo de forma a garantir condições mínimas aos que fazem parte de Am’Israel. Assim, se o Eterno nos dá em abundância ou aquilo que é suficiente, no fundo, é para que possamos cumprir Suas Mitzvot e ajudarmos aqueles que passam por um infortúnio.

Mas, por quê?

Porque tudo na Torah está voltado para o amor a HaShem e o amor ao próximo.

É maravilhoso sabermos que Aquele que governa o universo, o Criador de todas as coisas, tem como preocupação maior, justamente, aquele que O reconhece cada vez menos, o homem.

Em uma sociedade movida essencialmente pelo dinheiro, temos de mostrar a todos que existe sim uma forma de agirmos diferente, colocando o Sagrado em primeiro lugar. Daí o cuidado com nossos irmãos, acima de nossas aspirações individuais. 

Que esse desejo possa invadir nossos corações e assim possamos olhar para nosso próximo da mesma forma como Elohim olha para nós!

Com misericórdia!
Shabat Shalom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário