sábado, 29 de setembro de 2012

REFLEXÃO ÀS PERGUNTAS DA SEDRAH 79 (A CONSAGRAÇÃO DOS COHANIM/SACERDOTES)



A CONSAGRAÇÃO DOS COHANIM / SACERDOTES 

Enquanto a Sedrah da semana passada descreveu os Korbanot (sacrifícios) da perspectiva daquele que levava a oferenda, esta semana, a Torah concentra-se mais diretamente nas tarefas dos Cohanim, trazendo mais detalhes sobre seu serviço. 
por Yossef Michael
O verso 23, de Vayicrah 8 diz o seguinte: "e tendo Moisés imolado o carneiro, tomou do sangue deste e o pôs sobre a ponta da orelha direita de Arão, sobre o polegar da sua mão direita, e sobre o polegar do seu pé direito".

1-     O que isso significa e o por quê da orelha, mão e pé direitos? 

Resp.: Vemos que se trata de uma confirmação do ritual de consagração e santificação que aparece pela primeira vez em Shemot 29. O propósito deste ritual era justamente preparar o Cohen Gadol e os demais cohanim para o serviço no Mishkan.
Durante estes sete dias em que ali permaneciam, diariamente, eram feitos sacrifícios expiatórios por eles e pelo Mishkan. O resultado final deste processo era justamente a obtenção de uma condição de altíssima separação tanto do Mishkan como daqueles que nele oficiariam, para que o Eterno pudesse finalmente preenchê-lo com toda Sua Glória para ali Se fazer conhecer aos B’nei Yisra’El.
Interessante que a palavra aqui traduzida como consagração é hamiluiym, que, segundo a Concordância Strong #04394, deriva da raiz antiga #04390, que quer dizer:
  1. encher, estar cheio
1a) (Qal)
      1a1) estar cheio
             1a1a) plenitude, abundância (particípio)
             1a1b) estar cheio, estar completo, estar terminado
      1a2) consagrar, encher a mão
1b) (Nifal)
      1b1) estar cheio, estar armado, estar satisfeito
      1b2) estar concluído, estar terminado
1c) (Piel)
      1c1) encher
      1c2) satisfazer
      1c3) completar, terminar, concluir
      1c4) confirmar
1d) (Pual) estar cheio
1e) (Hitpael) reunir-se contra

Isto deixa ainda mais claro a ideia da consagração. Através dela era encerrado o ciclo de preparação do Mishkan e dos Cohanim. Não podia ser diferente.
Vamos agora ao passuk específico da pergunta, já com o contexto da consagração bem definido.
Certamente o hebraico irá nos auxiliar nesta jornada.
A palavra aqui traduzida como orelha é az’nam, que, segundo a Concordância Strong #0241, deriva da raiz antiga #0238, ozen, que pode significar:
  1. ouvir, escutar
1a) (Hifil)
      1a1) ouvir, escutar, dar ouvidos
      1a2) ser obediente, atento
      1a3) ouvir ou escutar as orações (referindo-se a Elohim)

Interessante que as passagens em que az’nam aparece nas Escrituras, confirmam isto. Vejamos duas passagens em especial.

Yiov 36:10, “Abre-lhes também os seus ouvidos, para sua disciplina, e ordena-lhes que se convertam da maldade”

Yirmiyahu 7:24, “Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos, mas andaram nos seus próprios conselhos, no propósito do seu coração malvado; e andaram para trás, e não para diante”

Vemos aqui que a primeira palavra, az’nam, nos mostra a relevância da obediência ao Eterno, através do “dar ouvidos” à Sua Voz.
Já a palavra aqui traduzida como polegar, no hebraico é bohen, que, segundo a Concordância Strong #0931, é procedente de uma raiz não utilizada aparentemente significando ser grosso; DITAT - 209a; n f
  1.       polegar, polegares dos pés (sempre mencionados em conjunto).
Esta talvez seja a palavra mais difícil de compreender seu significado... Muito no campo da especulação, a partir de inúmeras passagens, gostaria de propor uma “teoria” que justifique seu emprego...
Vejamos algumas das passagens em que uma variante da mesma, porém com a mesma raiz apareceu, falamos de bahen, onde hen, significa literalmente ele, ela, eles, elas e ba quando a ela associada denota em ele (nele), em ela (nela) e assim por diante, no sentido de algo interno, ou mesmo preenchido...

Yirmiyahu 4:29, “Ao clamor dos cavaleiros e dos flecheiros fugiram todas as cidades; entraram pelas matas e treparam pelos penhascos; todas as cidades ficaram abandonadas, e já ninguém habita nelas”

Yirmiyahu 48:9, “Dai asas a Moav; porque voando sairá, e as suas cidades se tornarão em desolação, e ninguém morará nelas”

Yirmiyahu 51:43, “Tornaram-se as suas cidades em desolação, terra seca e deserta, terra em que ninguém habita, nem passa por ela filho de homem”

Sh’muel Alef 31:7, “E, vendo os homens de Israel, que estavam deste lado do vale e deste lado do Jordão, que os homens de Israel fugiram, e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram as cidades, e fugiram; e vieram os filisteus, e habitaram nelas”

Yehezk’El 42:14, “Quando os sacerdotes entrarem, não sairão do santuário para o átrio exterior, mas porão ali as suas vestiduras com que ministraram, porque elas são santas; e vestir-se-ão de outras vestiduras, e assim se aproximarão do lugar pertencente ao povo”

É impressionante que bahen nas quatro primeiras passagens aparece associada à morada, habitação, no caso específico de homens, porém em situações de desolação e grandes tribulações, enquanto em Yehezk’El ela aparece associada às vestiduras, enquanto “entorno”, “cobertura” de algo, no caso o corpo onde “habitava” o próprio Eterno.
Ainda temos mais um elemento, novamente, no campo da especulação... A palavra bohen (polegar) aparece conjugada, tanto para mão, como para pé, o que pode indicar ação, em referência à mão, e conexão, em referência ao pé, ou mesmo caminho.
Assim, uma possível justificativa para a questão acima, seja que o Eterno, Bendito Seja Ele, esteja através do ritual de consagração transmitindo a seguinte mensagem aos Cohanim: “Através deste sangue, hoje reafirmo uma aliança que foi estabelecida com seus pais, Avraham, Yits’chak e Ya’akov, uma aliança baseada no temor e obediência a YHWH, teu Elohim, para que com suas ações, possam trilhar e conduzir Meu povo, pelos Meus Caminhos, de forma que Eu jamais deixe de habitar no meio deles, uma vez que Eu sou Santo e santo também deverá ser Meu povo!!!”

2-     Tzofar é o nome de um dos três amigos de Iyov e significa "chilrear, pipilar, chiar". No perek/capítulo 11, verso 6 ele diz mais ou menos o seguinte:-  “Você tem sorte por não ser pior, pois Elohim está-lhe cobrando menos do que o que merece o seu pecado.” Qual foi o pecado de Iyov, aos olhos de Tzofar e que tipo de "amigo" Tzofar representa? 

Resp.: Interessante que Tzofar vem da raiz antiga Tsafar, que também pode significar, segundo a Concordância Strong #06852, “ir cedo, partir cedo”, talvez no sentido de precipitação. Exatamente na mesma linha em que a tradução proposta para Tzofar aparece.

Segundo o dicionário Michaelis:
chil.re.ar
(chilro+ear) vint 1 Chalrear, gorjear, pipilar. vint 2 Palrar, tagarelar. vtd 3 Exprimir em gorjeio.

Neste contexto, Tzofar pode ser entendido como um amigo precipitado, cuja boca não consegue ser contida, acabando assim tagarelando, falando demais e de forma inoportuna.
Não podia ser diferente, pois Tzofar o acusa (a Yiov) justamente de ser um tagarela, cujo palavrório desafiava ao Eterno. A impressão que dá é que ocorreu um processo de “transferência”, isto é, Tzofar lançou sobre Yiov suas acusações baseado em suas próprias mazelas e transgressões. “Transferindo” a Yiov seu “espinho na carne”, Tzofar sentia-se aliviado.
Honestamente, quantas vezes já não nos deparamos com situações como estas? Às vezes como vítimas de alguma acusação e em outras no papel do acusador?
O livro de Yiov é impressionante, pois ao provar o justo Yiov, o Eterno nos dá uma verdadeira lição de como deveriam ser nossas vidas... Através dos “amigos” de Yiov todas as nossas mazelas são expostas. Se olharmos para cada exemplo proposto neste livro, veremos que temos muito mais a ver com os “amigos” do que propriamente com o justo Yiov. A mim, pelo menos, a “carapuça serviu como uma luva”...

Uma mensagem importante desta passagem é justamente a questão do controle que devemos ter sobre nossas línguas, pois uma vez lançadas, as palavras não podem ser recuperadas e o estrago, muitas vezes, pode ser muito grande!

3-     No perek/capítulo 27:8-9, Iyov/Jó diz o seguinte: "( ) qual é a esperança do ímpio, quando O Eterno o cortar, quando O Eterno lhe arrebatar a alma? Acaso YHWH lhe ouvirá o clamor, sobrevindo-lhe a tribulação?".  Em muitos casos, o castigo sobre o ímpio e o opressor não lhes vem depressa, de modo a ser presenciado por todos. Aliás, muitas vezes até os vemos prosperar. Você diria que isso é tolerância por parte de HaShem?  Que essa "tolerância" de HaShem é uma espécie de perdão?! Explique!

Resp.: A própria continuação do perek de Yiov nos mostra o destino do ímpio e a justiça de Elohim Avinu. Agora sobre a pergunta, minha opinião é que não se trata de uma “tolerância”, mas sim de uma “premeditação”...

Como assim “premeditação”?
No sentido mais direto da palavra... O Eterno, conhecendo o ontem, o hoje e o amanhã, sabe exatamente como agirá tanto o justo como o ímpio e “permite” que ele se afunde cada vez mais em sua impiedade, mais ou menos, como aquele ditado “Quanto maior a árvore, maior o tombo”.
Será que as Escrituras suportam esta leitura?

Yeshayahu 10:6, “Enviá-la-ei contra uma nação hipócrita (chaneph, mesma raiz para ímpio), e contra o povo do meu furor lhe darei ordem, para que lhe roube a presa, e lhe tome o despojo, e o ponha para ser pisado aos pés, como a lama das ruas”

Pelo contexto geral deste perek de Yeshayahu, não há dúvidas que o Eterno trará assolação sobre os ímpios...

Yeshayahu 10:16-18, “Por isso o Senhor, YHWH T’sevaot, fará definhar os que entre eles são gordos, e debaixo da sua glória ateará um incêndio, como incêndio de fogo. Porque a Luz de Yisra’El virá a ser como fogo e o seu Santo por labareda, que abrase e consuma os seus espinheiros e as suas sarças num só dia. Também consumirá a glória da sua floresta, e do seu campo fértil, desde a alma até à carne, e será como quando desmaia o porta-bandeira”

Outra passagem impressionante está em Tehilim 106. Vemos aqui a diferença no tratamento que o Eterno dá a Seu povo e aos ímpios. A passagem é um pouco chocante, pois os primeiros passukim, que revelam a iniquidade de Am Yisra’El, são tremendamente pesados. Aqui a impiedade (de Am Yisra’El) está associada à idolatria, ao sacrifício humano e à contaminação da terra, porém ainda assim poderemos ver, em seguida, a dimensão da Misericórdia do Criador. Vamos a alguns passukim que ilustram esta situação...

Tehilim 106:34-48, “Não destruíram os povos, como YHWH lhes dissera. Antes se misturaram com os goyim, e aprenderam as suas obras. E serviram aos seus ídolos, que vieram a ser-lhes um laço. Demais disto, sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios, e derramaram sangue inocente, o sangue de seus filhos e de suas filhas que sacrificaram aos ídolos de Kena’an; e a terra foi manchada com sangue. Assim se contaminaram com as suas obras, e se corromperam com os seus feitos. Então se acendeu a ira de YHWH contra o Seu povo, de modo que abominou a Sua herança. E os entregou nas mãos dos goyim; e aqueles que os odiavam se assenhorearam deles. E os seus inimigos os oprimiram, e foram humilhados debaixo das suas mãos. Muitas vezes os livrou, mas o provocaram com o seu conselho, e foram abatidos pela sua iniqüidade. Contudo, atendeu à sua aflição, ouvindo o seu clamor. E Se lembrou da Sua aliança, e Se arrependeu segundo a multidão das Suas misericórdias. Assim, também fez com que deles tivessem misericórdia os que os levaram cativos. Salva-nos, YHWH nosso Elohim, e congrega-nos dentre os goyim, para que louvemos o Teu nome santo, e nos gloriemos no Teu louvor. Bendito seja YHWH Elohim de Yisra’El, de eternidade em eternidade, e todo o povo diga: Amen. Louvai a YHWH”

Ao contrapormos estas passagens, creio que ficou claro qual o melhor lado para estarmos. Ainda que nossas transgressões sejam pesadas, Ele está disposto a cumprir, sempre, Sua parte na Aliança que foi estabelecida com nossos pais, Avraham, Yits’chak e Ya’akov, uma Aliança que nos levará à Salvação, se seguirmos Seus Caminhos, Sua Torah. Já para os ímpios, ainda que, a uma primeira vista, tudo pareçam “bênçãos”, no final... Nada, absolutamente nada, ocorre sem o governo e intenção do Criador... BH!!!

4-   Yeshayahu/Isaias 8:19 - "Quando vos disserem:  Consultai os que têm espíritos familiares e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram, respondei:  Acaso não consultará um povo a seu Elohim? Acaso a favor dos vivos consultará os mortos?".  Que analogia podemos fazer a respeito desse verso e que lições podemos tirar para a nossa vida?

Resp.: Uma palavra interessante é "murmuram", pois, a partir do hebraico, uma possível tradução para ela é inventar, entre as demais possíveis e mesmo murmuração.

A advertência dada pelo Eterno àqueles que consultam a necromantes é bastante clara.

Vayikrah 20:6-7, “Quando alguém se virar para os adivinhadores e encantadores, para se prostituir com eles, Eu porei a Minha face contra ele, e o extirparei do meio do seu povo. Portanto santificai-vos, e sede santos, pois Eu sou YHWH vosso Elohim”

Mas qual a relevância disto? Simples; só existe a Verdade, segundo a Palavra de YHWH. Não há outro que responderá a nossos temores e angústias com a Verdade. O que pode ser encontrado em outras situações? O engano, a mentira.

Mishlei 22:17-21, “Inclina o teu ouvido e ouve as palavras dos sábios, e aplica o teu coração ao Meu conhecimento. Porque te será agradável se as guardares no teu íntimo, se aplicares todas elas aos teus lábios. Para que a tua confiança esteja em YHWH, faço-te sabê-las hoje, a ti mesmo. Porventura não te escrevi excelentes coisas, acerca de todo conselho e conhecimento, para fazer-te saber a certeza das palavras da verdade, e assim possas responder palavras de verdade aos que te consultarem?”

Ainda que aqui a referência seja conhecermos a Verdade para dela falarmos a quem possa nos perguntar, faz todo o sentido, sabermos que a Verdade nos foi deixada por escrito, em Sua Torah para que nela pudéssemos crer e, agindo segundo Sua Vontade, encontrarmos o caminho para a Salvação!!!

Para nossas vidas, podemos tirar muitas lições, mas creio que a principal delas seja a confiança no Elohim Echad e em Sua Torah, como única fonte para encontrarmos o Alimento que nos levará à vida eterna!

Shabat Shalom a todos!
Chazak, Chazak, Venit Chazek!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário