segunda-feira, 24 de setembro de 2012

A INQUISIÇÃO ESPIRITUAL (REFLEXÃO)


(imagem extraída da internet)
“O inquisitor andou até os prisioneiros: ‘Vós judeus sois violadores da Lei Cristã. Vós sois inimigos da Cruz de Cristo’, ele gritou”. (Faith, Fate and Karma, David Delaire).
Como muitos sabem, recentemente temos feito um trabalho sem precedentes no português para estabelecer as bases da fé, entendendo conceitos como alma, espírito, graça, expiação, satan, entre outros a partir do Tanach, o chamado ‘Antigo Testamento’.               Tal trabalho é fundamental, pois muitos desses conceitos fazem parte dos fundamentos da fé e são pouco conhecidos.
Porém, para minha surpresa, a palavra que mais tenho ouvido desde que o trabalho foi iniciado é ‘Cuidado’!
Geralmente, por ‘cuidado’ querem dizer: Cuidado para que algum conceito importante não venha a ser abalado. Ora, que conceito importante pode ser abalado pelo escrutínio das Escrituras?
Se é um conceito importante, mais razão ainda para ser fundamentado na Palavra, provado e atestado por ela. E se um conceito supostamente importante não encontra base nas Escrituras, deve ser revisto ou mesmo abandonado sem qualquer remorso. Pois a Teshuvah/o retorno, é uma busca pela verdade e não pelo comodismo.
No entanto, infelizmente, esse ainda é um resquício da cultura do medo imposta pela teologia romana. Aliás, arrisco dizer que é romana na origem, mas que praticamente todo o cristianismo se baseia na cultura do medo. Um passo em falso e o Eterno está esperando atrás da porta com uma clava para arrebentar sua cabeça!
Um passo em falso e se ‘cai da graça’, entrando num ‘outro evangelho’, o que basicamente significa que você será torturado pelo diabo e seus leais súditos-demoníacos em meio a labaredas eternas e tortura interminável, por toda eternidade. Mesmo que no Tanach/Antigo Testamento não exista nem capeta, nem demônio e muito menos tortura eterna.
(Para os que não lerem nosso material, segue o link de nosso livro eletrônico que fala sobre a inexistência do coisa-ruim, personagem fictício criado pelo sistema dualista do Zoroastrismo).
Mas a pergunta é: Será que isso é verdade? O que dizem as Escrituras sobre pesquisar a verdade? Sobre estudar profundamente? Sobre sondar as Escrituras?
Deixemos as próprias Escrituras responderem: “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa e andando pelo caminho e deitando-te e levantando-te”. (D’varim/Deuteronômio 6:6-7)
“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na Torah de YHWH e na sua Torah medita de dia e de noite”. (Tehilim/Salmos 1:1-2).
“Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os Teus testemunhos são a minha meditação”. (Tehilim/Salmos 119:99)
“Os meus olhos anteciparam as vigílias da noite, para meditar na Tua palavra”. (Tehilim/Salmos 119:148).
Buscai no livro de YHWH e lede; nenhuma destas coisas faltará, ninguém faltará com a sua companheira; porque a Minha boca tem ordenado e o seu espírito mesmo as tem ajuntado”. (Yeshayahu/Isaías 34:16).
Pode-se perceber, portanto, que as Escrituras enaltecem quem as sonda e nelas medita para estabelecer tudo aquilo que é verdadeiro.
Mas se esse alerta não vem das Escrituras, então de onde vem?
A verdade é que a Inquisição não acabou, apenas tornou-se mais civilizada para poder se fazer presente no século XXI. E uma das formas encontradas foi a substituição dos padres inquisidores pelos demônios. E agora não mais somos ameaçados com as correntes de masmorras, mas sim com as correntes do inferno dantesco, mesmo que esse tenha muito mais fundamento na mitologia grega do que nas Escrituras.
Cabe aqui recordar que a ameaça de morte, seja ela física ou espiritual, é uma característica da Inquisição de Roma – herdada, evidentemente, por suas descendentes teológicas protestantes.
Tomás de Aquino, padre teólogo do século XIII, escreveu: “Porque se forjadores de dinheiro e outros praticantes do mal são assim condenados à morte pela autoridade secular, há muito mais razão para que os hereges, assim que forem condenados por heresia, não sejam somente excomungados mas também mortos”. (Summa Theologica 11:3).
Claro, para nós que estamos no século XXI, a ideia é horrenda. Até porque só oferece algum conforto a quem for católico romano. Fora isso, estão todos no mesmo barco! Mas como, repito, a ideia é horrenda, é mais interessante substituí-la por um conceito teológico. Afinal, muito mais ‘civilizado’ é um herege arder no lago de enxofre por toda eternidade do que ser submetido a uma sessão de 27 horas de tortura até que confesse ser endemoniado. Desde que as mãos sujas de sangue da tortura não sejam humanas, está tudo bem!
Então, recorramos a Lutero, pai da  Reforma, cujo amor por Yisra’El e pelo povo judeu certamente o colocam na categoria do ‘abençoarei os que te abençoarem’ que foi prometido a Avraham/Abraão e sua descendência. Observe: “O que o Eterno fará com tal oração e louvor que eles trazem com sua mentira grosseira e blasfema, contrária a toda Escritura (conforme já dito)? Ele certamente os ouvirá e os levará de volta para o seu país! Quero dizer que se eles estavam habitando no céu, seu gloriar-se, orações, louvor e todas as mentiras apenas sobre a circuncisão os lançaria instantaneamente no abismo do inferno… Portanto, querido cristão, esteja em guarda contra povo tão execrável a quem o Eterno permitiu afundar em tão profundas abominações e mentiras, pois tudo que eles fazem e dizem deve ser pura mentira, blasfêmia e malícia, mesmo quando parece agradável”. (Sobre os Judeus e Suas Mentiras, Parte II).
“Se o orgulho de que o Eterno falou com eles e eles possuem a Sua palavra ou mandamento fosse suficiente para que o Eterno nessa base os considerasse como seu povo, então os demônios do inferno seriam muito mais dignos de serem povo do Eterno do que os judeus, sim, do que qualquer povo”. (Sobre os Judeus e Suas Mentiras, Parte III).
Não à toa, os ‘arautos do evangelho da verdade’, herdeiros legítimos de Lutero e sua amorosa trupe, continuam a incutir no povo o mesmo medo de questionar o que aprendem, sondando as Escrituras desde o começo. Corre-se o risco de pecar, ‘caindo da graça’. Quer dizer, caindo diretamente no colo do bode-torturador. Esquecem-se, evidentemente, que o próprio Lutero foi condenado a fim semelhante por seus adversários. Embora, aparentemente, ele não tenha aprendido muita coisa com tal experiência, conforme o seu livro testemunha.
Ironicamente, a organização cristã ‘Cult Watch’, cujo trabalho fundamentalmente é alertar sobre seitas e o seu controle mental e emocional sobre as pessoas, afirma: ‘O líder da seita aponta a ‘arma’ do controle mental a um membro e diz: ‘se você nos deixar, perderá todos os seus amigos e família’, ‘se não se conformar irá para o inferno’. (How Cults Work).
Ora, essa é exatamente a mesma tática do ‘cair da graça’ que é usada como ‘alerta’ contra todos aqueles que ousam estudar as Escrituras. Afinal, como você pode ser tão ousado ao ponto de questionar o que lê?! Como pode ter a audácia de verificar profecias?! Quem te autorizou a pesquisar a Palavra, desde o seu princípio, para entender seus conceitos? Para isso existe o volume de catequese, de evangelismo ou qualquer outra literatura semelhante! Por que você não veio ao seu pastor para a ‘pureza’ da Palavra?
Essa técnica tem um único objetivo: Controle e manipulação de massa!
E o que dizem as Escrituras sobre isso?
“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também Eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de Mim; e, visto que te esqueceste da Torah do teu Elohim, também Eu me esquecerei de teus filhos”. (Hoshea/Oséias 4:6).
“Porque Eu quero a misericórdia e não o sacrifício; e o conhecimento de Elohim, mais do que os holocaustos”. (Hoshea/Oséias 6:6).
Elohim é muito enfático: Ele não quer pessoas se gabando de terem sido perdoadas. Ele quer mudança de vida. Ele quer atitude! Ele deseja que nós abandonemos nossos maus caminhos e O sigamos.
Mas como saberemos se algo precisa mudar? Como saberemos se estamos alinhados com a Palavra da Verdade? Sondando as Escrituras, a partir das bases! Se fizermos isso, seremos taxados de inimigos das nações, pois sobre isso já ‘profetizava’ o Rei Pedro de Aragão, em sua bênção especial concedida a Yisra'El: “Os inimigos da Cruz de Cristo e os violadores da Lei Cristã são semelhantemente nossos inimigos e inimigos de nosso reino e devem portanto ser tratados dessa forma”.
Pense bem, você que é descendente de judeus e israelitas: É no sistema eclesiástico romano e seus derivativos, que você encontrará as palavras da vida eterna? É na boca daqueles que amaldiçoaram teus antepassados com quem você encontrará liberdade? São eles que ensinarão você a seguir a verdade de Elohim?
Falo agora aqui a você, caro leitor, com profundo carinho e lágrimas nos olhos: Será que você verdadeiramente saiu de Roma? Ou será que ainda está acorrentado nas masmorras da Inquisição, amordaçado e preso por ameaças e pelo medo?
Antes de confiar no teu coração e nos teus sentimentos, pois há séculos eles são traumatizados pelo medo, medite nas palavras de Elohim: “O que confia no seu próprio coração é insensato, mas o que anda em sabedoria, será salvo”. (Mishlei/Provérbios 28:26).
por Sha'ul Bentsion
fonte: http://www.torahviva.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário