sábado, 18 de agosto de 2012

TESHUVÁ - PASSO (11): INTRODUÇÃO AO SHABAT (Parte 1)

Décimo Primeiro Passo:  Conceitos do Shabat/Sábado ( Parte 1)
 por Sha'ul Bentision
II - Introdução

A compreensão da observância prática do Shabat depende de quatro coisas, que eu chamo de “quatro pilares do Shabat”.
Existem diversas passagens nas Escrituras que têm relação com o Shabat – conforme vimos no artigo anterior. Mas quatro delas são essenciais para que tenhamos um fundamento, isto é, uma ideia geral quanto ao espírito do Shabat.
Outro aspecto fundamental é a compreensão do que significa não fazer nenhuma obra no Shabat (conforme especifica o mandamento) e como saber se alguma atividade deve ou não ser realizada no Shabat. 
V - O Primeiro Pilar: Feito para o Homem
A única coisa que pode nos salvar quanto a isso é se deixarmos nossos corações absorverem as palavras de Yeshua. Elas irão nos guiar na compreensão exata do sentido do Shabat:
“E disse-lhes: O Shabat foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do Shabat.” (Marcos 2:27)
Tenha isso em mente, querido leitor, pois o argumento de Yeshua foi justamente o de que as seitas judaicas de sua época haviam perdido o verdadeiro sentido do Shabat, assim como ocorre com muitos nos dias atuais.
Yeshua mostra que o Shabat foi feito para nosso benefício. Não é o Shabat que está no centro de nós – de modo a tornar-se um fardo, mas sim nós é que estamos no centro do Shabat, de modo que ele se torne um deleite.

VI - O Segundo Pilar: Repouso para Todos
Isto posto, vejamos também outras duas passagens fundamentais para compreensão do Shabat:
“Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o Shabat de YHWH teu Elohim; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez YHWH os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou YHWH o dia do Shabat, e o santificou.”
(Shemot/Êxodo 20:9-11)
“Seis dias trabalharás, mas ao sétimo dia descansarás: na aradura e na sega descansarás.” (Shemot/Êxodo 34:21)
Observe portanto, que o objetivo do Shabat é ser um dia de repouso. Não há aqui nenhum sentido místico nem metafísico para a instrução do Eterno.
Pare por um momento agora, querido leitor, e pense no seguinte: Ninguém sabe melhor sobre uma máquina do que o fabricante. A Torá (Instrução) é o manual que o Eterno deixou para que você tenha qualidade de vida.
Todo o ciclo do planeta tem influência direta em nossos corpos: As estações (verão, inverno, etc.) influenciam em nossa saúde. Nossos corpos produzem melatonina pela influência do ciclo do sol (nascer e por). A gravitação da lua influencia em coisas como as marés, velocidade do crescimento de cabelo, ou mesmo na gravidez e no parto. Enfim, há diversos fatores na natureza e nos seus tempos que causam influência direta em nós.
O Eterno, Criador dos céus e da terra, determinou um momento específico, a cada seis dias, para que nós descansemos de nossas atividades. Ele sabe o dia e a hora certos para que nossos corpos funcionem da melhor maneira, e estejam em perfeita sintonia. Ele não abençoou qualquer dia, mas um dia específico, e nos instruiu a nEle descansarmos.
Ignorar uma instrução do Eterno é como tentar operar uma máquina desprezando as recomendações do fabricante.
O que muita gente que despreza o Shabat não entende é que o Shabat é um presente do Eterno para nós, feito para que nós possamos ter mais saúde e qualidade de vida. Não é um peso nem um fardo religioso a ser carregado para que um deus-punitivo te quer te lançar no inferno. Esse pensamento do Catolicismo da Idade Média da fé pelo medo do inferno precisa ser deixado de lado, para que possamos enxergar o real propósito das Escrituras.
Observe também que o Shabat não é questão só de cuidado consigo próprio, mas também de amor ao próximo, e até mesmo de amor aos animais. Vivemos numa cultura onde há desprezo pelo ser humano, e até mesmo desprezo pelos animais. Não é assim a realidade das Escrituras. Até com o repouso dos animais de carga o Eterno se preocupou ao dar essa instrução.
VII - O Terceiro Pilar: Dia de Repouso, e não Dia de Lazer
Existe ainda um terceiro ponto fundamental para a compreensão do Shabat pode ser visto abaixo:
“Se desviares o teu pé do Shabat, de fazeres a tua vontade no meu santo dia, e chamares ao Shabat deleitoso, e o santo dia de YHWH, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falares as tuas próprias palavras, então te deleitarás em YHWH, e te farei cavalgar sobre as alturas da terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Ya’akov; porque a boca de YHWH o disse.” (Yeshayahu/Isaías 58:13-14)
É importante diferenciar entre um dia de repouso e um dia de lazer. Observe que esta passagem fala exatamente contra a ideia de fazermos a nossa vontade no dia de Shabat.
Há quem no princípio pense no Shabat como um dia que se pode passar assistindo filmes, passeando de bicicleta, nadando, jogando futebol, jogos em geral ou qualquer outro tipo de atividade de lazer.
Seria muito extenso, querido leitor, discutir uma por uma todas essas atividades para verificar se são ou não lícitas no Shabat. Ouvir música, por exemplo, provavelmente seria lícito, enquanto jogar futebol vai contra a ideia do descanso físico. Mas a ideia não é aqui fazer uma lista do que podemos ou não podemos fazer no Shabat.
A ideia aqui é falarmos do espírito da coisa. E a ideia transmitida pela passagem de Yeshayahu (Isaías) é a de que o Shabat não é um dia de lazer, mas sim um dia para repousarmos e investirmos no nosso relacionamento com o Eterno.
É claro que uma atividade de lazer aqui e ali – como parte de um repouso ou do que chamamos de “higiene mental” – não estão proibidas pela Torá (Instrução), desde que, claro, não caracterize um trabalho. Porém, não se pode transformar o Shabat em dia de lazer. É um dia para repousarmos no Eterno, buscando meditar na Sua Palavra, conversarmos sobre os Seus caminhos, orarmos, louvarmos ao Seu nome, etc. e não um dia de recreação.
VIII - O Quarto Pilar: A Vida enquanto Objetivo
O último ponto a ser analisado é o seguinte:
“Seis dias farás os teus trabalhos mas ao sétimo dia descansarás; para que descanse o teu boi, e o teu jumento; e para que tome alento [veyinafash] o filho da tua escrava, e o estrangeiro.”  (Shemot/Êxodo 23:12)
À primeira vista, querido leitor, o versículo acima não parece revelar nada de muito diferente daquilo que já foi visto anteriormente. Mas a palavra que foi colocada no original hebraico é de fundamental importância para compreendermos outro ponto.
A palavra vayinafash (e restaurou-se) deriva da raiz hebraica nafash (נפש), que é bastante discutida no estudo “Alma e Espírito – Nefesh, na Torá”. Observemos outro ponto em que essa palavra aparece:
“E o rei e todo o povo que ia com ele chegaram cansados, e refrescaram-se [vayinfesh] ali.” (Sh’muel Beit/2 Samuel 16:14)
Essa palavra está associada ao termo nefesh (נפש) que no hebraico significa tanto vida quanto vitalidade. Observe:
“E, vendo eu que não me livráveis, arrisquei a minha vida [nafshi], e passei contra os filhos de Amom, e YHWH mos entregou nas mãos; por que, pois, subistes vós hoje, para combater contra mim?” (Shoftim/Juízes 12:3)
“YHWH é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma [nafshi]; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.” (Tehilim/Salmos 23:1-3)
Compreender isso, querido leitor, será fundamental para duas coisas: A primeira é entender que o objetivo do repouso do Shabat é recuperarmos a nossa vitalidade. Como se diz no popular: Recarregarmos as nossas baterias.
O outro é compreender que se o objetivo é recobrar a nafash – e isso também se associa à vida – então isso nos ajuda a compreender porque qualquer ação ligada à preservação da vida (no hebraico “nefesh”) é lícita no Shabat, entre outras coisas do gênero.
IX - Recapitulando os Quatro Pilares
Façamos aqui portanto essa lista dos quatro pilares bíblicos do Shabat, querido leitor, para que eles norteiem o nosso entendimento do Shabat:
·      Shabat foi feito para benefício do homem, e não para ser um fardo.
·      Shabat é um repouso para todos, na medida e no momento determinados pelo Criador.
·      Shabat é um dia de repouso em YHWH, e não um dia de lazer.
·      objetivo final do Shabat é a nefesh, isto é, a vida ou a vitalidade.
Se você conseguir assimilar bem esses princípios, não terá muita dificuldade de investigar as atividades em geral para determinar se são ou não lícitas no Shabat, assim como entender quais são as exceções na observância do Shabat, e porque elas existem.
XI - Gradual, e na Medida do Possível
Quando pensamos, por exemplo, na alimentação bíblica - assunto já abordado anteriormente - é importante reconhecermos que o grau de facilidade ou de dificuldade varia de acordo com a realidade da pessoa.
Por exemplo, para quem mora em Israel, comer alimentos impuros requer fazer esforço, pois a maioria do que é vendido respeita as leis da kashrut. O mesmo vale, por exemplo, para algumas ilhas de colonização maioritariamente adventista.
Já nos EUA, há uma grande quantidade de opções. Por exemplo, encontra-se bacon de peru, salame de boi, calabresa de peru, em abundância em qualquer supermercado. Isso significa que é muito mais fácil para um iniciante abdicar do porco nos EUA do que no Brasil.
É igualmente fácil de se abster do porco em países islâmicos, embora haja o problema da carne bovina ser sempre sacrificada a Alá, e isso se tornar um problema de consciência, conforme diz Sha’ul (Paulo).
No Brasil, é muito mais fácil para uma pessoa cuja mãe ou esposa em casa cozinha diariamente se abster de contaminação por toque ou por utensílios usados com alimentos imundos, do que para alguém que come em restaurante a quilo diariamente, ou cuja família não respeita sua opção de fé.
É claro que todos devem buscar uma vida bíblica - e a alimentação faz parte das instruções que o Eterno nos deixou. Mas observe, querido leitor, como com um esforço ridiculamente desprezível pode-se obter perfeição na kashrut residindo em Israel ou em um local adventista. Esse esforço muda bastante de acordo com o local onde a pessoa reside, ou a forma como vive.
De forma análoga, se você está começando agora a observar o Shabat, entenda que o que será aqui descrito é um ideal de Shabat. Não se chega nesse ideal da noite para o dia. E alguns podem conseguir mais rapidamente, devido à sua condição de vida, enquanto outros terão mais dificuldade.
Porém, Yeshua nos ensina uma lição bastante preciosa:
“E, estando Yeshua assentado defronte da arca do tesouro, observava a maneira como a multidão lançava o dinheiro na arca do tesouro; e muitos ricos deitavam muito. Vindo, porém, uma pobre viúva, deitou duas pequenas moedas, que valiam meio centavo. E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Amen, e vos digo que esta pobre viúva deitou mais do que todos os que deitaram na arca do tesouro; Porque todos ali deitaram do que lhes sobejava, mas esta, da sua pobreza, deitou tudo o que tinha, todo o seu sustento.”
(Marcos 12:41-44)
Nós seres humanos tendemos a ver o resultado final. Porém, o Eterno vê o seu esforço. Talvez fazendo um esforço X, querido leitor, você atinja um resultado que é 50% do que outra pessoa consiga atingir com o mesmo esforço. Mas o Eterno não olhará para o resultado final, e sim para o esforço empregado.
O acima só não pode ser pretexto para estagnação, pois o Eterno conhece o coração de todos. Ele sabe quando podemos fazer mais do que estamos fazendo, e não estamos dando um passo necessário. Mas Ele também sabe quando estamos fazendo das tripas coração (como se diz no popular) para conseguir algum resultado. E Ele certamente honrará todos os esforços.

nota: para ver o artigo completo, visite: http://www.torahviva.org

2 comentários:

  1. gostei muito, pena que ao entra na tora viva nao cosigo encontrar o artigo.
    pode me ajudar? k1.net@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom!
      O Grupo TorahViva está com novo endereço, anote: http://www.kol-hatorah.org, http://hakatuv.org/ e Facebook: https://www.facebook.com/kol.hatorah.
      Shavuah Tóv (Boa semana)!

      Excluir