quinta-feira, 21 de junho de 2012

CICLO TRIENAL - SEDRAH 65 (Semana de 17 de junho a 23 de junho/2012)

Torah: Shemot/Êxodo 30:1-16 
Tema(s): Mishkan/Tabernáculo: O altar do Incenso; O Resgate por Pessoa
Haftarah: Yirmiyahy/Jeremias 52
Tema(s)A deportação para Bavel; O retorno de YHWH e o novo altar; A desolação.
B’rit Chadashah: Lucas 7; Ivrim/Hebreus 13
Tema(s):  O servo do centurião; O filho da viúva; Yochanan e Yeshua; Recomendações.
Shirim u’Chochmah: Tehilim/Salmos 65; Chochmah Sh'lomo/Sabedoria de Salomão 14
Tema(s):  Gratidão pela Primavera; A idolatria

PERGUNTAS

1  Shemot 30:1-10 descreve com exatidão, como deveria ser construído o "Altar do Incenso" e como o "Incenso" deveria ser oferecido a YHWH. O que representa o "Altar e o Incenso"?  

2  Shemot 30:12 - “Quando fizeres os recenseamentos dos filhos de Yisra'El, cada um doará/terumá a YHWH o resgate de sua vida, para que esse alistamento não atraia sobre ele algum flagelo".  De acordo com esse passuk/verso, quem estaria obrigado a cumprir essa Mitzvah (pagamento meio shekel/Machatzit HaShekel) pelo resgate de suas vidas? Explique porque!

3   “No quarto mês, aos nove dias do mês, quando já a fome prevalecia na cidade, e o povo da terra não tinha pão, então foi aberta uma brecha na cidade, e todos os homens de guerra fugiram, e saíram da cidade de noite, pelo caminho da porta entre os dois muros, a qual estava perto do jardim do rei (porque os caldeus cercavam a cidade ao redor), e foram pelo caminho da campina/Aravá” (Yirmiyahu 52:6,7). De que importante  momento histórico fala esse texto? (Outra referência: Melachim Beit/2 Reis 25:3).

4  Lucas 7:1-10, nos conta a história de um certo centurião e a enfermidade de seu servo. Há pelo menos duas lições muito importantes que essa história nos ensina. Quais são elas e em que ocasiões podemos aplica-las?.

5  Lucas 7:47b: "mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama". Explique e Justifique!

6  Ivrim/Hebreus 13:9 - "Não vos deixeis levar por qualquer tipo de doutrina perversa. Pois esta é a palavra de arrependimento, para que os vossos corações sejam fortalecidos com misericórdia e não pelo servir a tolos que não nos têm trazido proveito, se nisto vos deleitais: No servir a Elohim". De que "Palavra" esse verso fala?

 7  "Bem-aventurado aquele a quem tu escolhes, e fazes chegar a ti, para que habite em teus átrios; nós seremos fartos da bondade da tua casa e do teu santo templo" (Tehilim/Salmos 65:4). Relacione  esse verso com Matitiyahu/Mateus 22:14. 
SABEDORIA DE SALOMÃO/Chochmah Sh'lomo
Capítulo (Perek) 14
Arrazoado a partir da navegação

1 Outro, que se dispõe a navegar, ao começar a viagem por ondas impetuosas, invoca um pedaço de lenha mais frágil do que o lenho que o transporta. 
2 A este, a cobiça de ganhar inventou e o artesão, com a sua habilidade, o fabricou.
 3 Mas é a tua Providência, ó Pai, que segura o leme, porque até no mar abriste caminho e uma rota seguríssima entre as ondas.

4 Assim mostras que és poderoso para salvar de tudo, mesmo se alguém se meta no mar sem perícia.
 5 Tu, porém, queres que as obras da tua Sabedoria não sejam vãs: por isso, as pessoas entregam suas vidas a um lenho insignificante e, mesmo atravessando as ondas numa balsa, conseguem salvar-se.

6 Também no princípio, quando pereceram os soberbos gigantes, refugiando-se a esperança do orbe terrestre numa balsa, esta preservou para o mundo a semente da vida, sendo pilotada pela tua mão.
 7 Bendito é, pois, o lenho pelo qual vem a justiça,

8 maldito, porém, aquilo que é feito por mãos humanas e aquele que o fez: este, porque o fabricou, e aquilo, porque, sendo corruptível, foi chamado deus!
 9 Dessa forma são odiosos para YHWH tanto o ímpio como a sua impiedade:
10 por isso, tanto aquilo que foi feito, como aquele que o fez, serão atormentados.
11 Assim, também para os ídolos das nações haverá julgamento porque, entre as criaturas de YHWH, transformaram-se em abominação e em tentação para as pessoas, em armadilha para os pés dos insensatos.
Os ídolos de forma humana
12 Pois o princípio da prostituição é a invenção dos ídolos e a sua descoberta foi a corrupção da vida: 
13 eles não existiam desde o princípio e não existirão para sempre.
 14 Pela vanglória das pessoas é que essas coisas foram introduzidas no mundo, e por isso também seu fim é imediato.
15 Um pai, sofrendo com o luto amargo, manda fazer a imagem do filho que lhe fora prematuramente arrebatado. A seguir, começa a cultuar, como a um deus, aquele que então havia falecido como simples mortal, e transmite, a seus dependentes, cerimônias e sacrifícios.
16 Depois, com o andar do tempo, o iníquo costume, afirmando-se, passa a ser observado como lei e, por ordem dos soberanos, começa-se a cultuar suas imagens.
17 Como as pessoas não podiam honrá-los em presença, pelo fato de estarem longe, tornaram presente a sua figura distante fazendo uma imagem, visível, do rei a quem desejavam honrar. Podiam assim, com seu zelo, cultuar como presente aquele que de fato estava ausente.
18 Para o incremento desse culto, a exímia diligência do artista impeliu também os que não o conheciam.
19 Porque, desejando talvez agradar àquele que o havia contratado, o artista esmerou-se, com a sua arte, por dar à imagem a melhor aparência possível.
20 E uma multidão de pessoas, seduzidas pela beleza da obra, agora consideram como deus aquele que pouco antes fora honrado como homem.
 21 Tal é a ilusão da vida humana: levados, quer pela fatalidade, quer pela submissão aos reis, os homens deram à pedra e à madeira o Nome incomunicável!
Consequência da idolatria
22 Além disso, não bastou o terem errado sobre o conhecimento de YHWH, mas ainda, vivendo no grande conflito da sua ignorância, chamam de “paz” a tantos e tão grandes males. 
23 Porque, ou sacrificando os próprios filhos ou fazendo sacrifícios obscuros, ou entregando- se a vigílias cheias da loucura de ritos estranhos,
24 já não conservam puros nem a vida nem o casamento, mas um mata o outro à traição ou o ultraja com o adultério. 
25 E tudo está interligado: sangue e homicídio, furto e mentira, corrupção e infidelidade, perturbação e perjúrio,
26 inversão de valores, esquecimento dos benefícios, corrupção das almas, perversão sexual, desordem nos casamentos, adultério e falta de pudor.
 27 Pois o culto dos ídolos inomináveis é o princípio, a causa e o fim de todo mal.
 28 Enquanto se divertem, praticam loucuras ou vaticinam falsidades, ou vivem na injustiça e perjuram com leviandade.
29 Porque acreditam em ídolos inanimados, esperam não serem prejudicados ao jurarem falso.
 30 Ambas as coisas, porém, lhes caberão em castigo, porque pensaram mal de YHWH reverenciando os ídolos e com malícia juraram falso, desprezando a santidade.
31 Pois não é o poder daqueles por quem juraram, mas a pena devida aos pecadores que persegue sempre a transgressão dos injustos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário