segunda-feira, 16 de abril de 2012

TESHUVÁ PASSO (6) - DEIXANDO O VÍCIO PELO OCULTO (Parte 1)

Sexto Passo:  Deixando o Vício pelo Oculto - Profecias ( Parte 1)
 por Sha'ul Bentision
II -  Introdução ao Sexto Passo
            ( ) Este sexto passo é tão importante quanto o quinto e continua o tema da desintoxicação pelo vício ao oculto.
            Neste ponto, não custa lembrar que a Torah – a revelação dada a Mosheh/Moisés no Sinai condena a busca pelo oculto: “As coisas encobertas pertencem a YHWH nosso Elohim, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta Torah”. D’varim/Deuteronômio 29:29.
III – A história de um viciado
            Antes de continuar, vamos pensar numa cena que, embora fictícia, é bastante comum: Pedro é convidado por um amigo a ir a uma denominação religiosa. Pedro tem um problema profissional e seu amigo o convenceu de que se ele fosse a essa denominação e tivesse fé, esse seu problema seria resolvido.
            Ao chegar lá, Pedro ouve uma música que o comove e o leva às lágrimas. A música fala de milagres, de ver um derramamento de poder sobrenatural e, nesse ponto, Pedro está convencido de que seus problemas cessarão.
            Pedro ouve na multidão uma série de pessoas que começam a balbuciar palavras sem sentido. Ele sente um certo medo e desconforto, mas acaba aceitando a explicação de seu amigo de que aquilo seria uma demonstração do ‘poder do espírito santo’.
            Após uma profunda descarga de suas emoções, Pedro ouve um sermão. O pregador, com voz profunda, rouca e embargada fala do mesmo poder que será experimentado em sua vida.
            Pedro ora. Pede que seu problema seja resolvido e sai de lá confiante de que isso irá acontecer. Aconteça ou não, Pedro estará lá na semana que vem, pois gostou da experiência emocional, que ele imediatamente identifica como sendo de cunho espiritual.
            O mecanismo de funcionamento da denominação a que Pedro passa a frequentar é circular. Se algo de positivo acontece, é milagre e prova de que o poder se manifestou. Prova de que Pedro precisa voltar na semana que vem.
            Se algo negativo acontece ou se o positivo não ocorre, é provação ou ataque ou mesmo falta de fé. Mais razão ainda para voltar na semana que vem. Seja como for, a experiência emocional é suficiente para aprisionar Pedro nesse sistema. Mas ele não se sente aprisionado. Pelo contrário, nunca se sentiu tão livre, pois Pedro foi capaz de extravasar emoções há muito contidas.
            Este cenário descrito é bastante comum e acontece semanalmente em inúmeras denominações. O que faz com que esse tipo de ambiente seja tão popular são três coisas fundamentais: O vício pelo oculto, a ideia de que a fé deve ser uma resolução para todos os seus problemas e a catarse emocional. Mas será que isso é espiritualidade?
            Neste estudo lembramos que nosso foco é no vício pelo oculto. O que faz uma pessoa ser viciada pelo oculto?
IV – Prodígios e a aprovação do Eterno
            Um dos motivos pelos quais Pedro quer frequentar a denominação supracitada é porque ele se espanta com os ‘prodígios’ que vê sendo realizados. Mas será que os prodígios são sinônimo de uma aprovação do Eterno?
            Para efeito este estudo, querido leitor, vamos deixar de lado a questão de que muita coisa pode ser atribuída ao efeito psicológico. No artigo anterior recomendei um vídeo sobre o efeito placebo, que ilustra o poder da mente quando crê em algo. Recomendo neste ponto que você o assista novamente. Mas, vamos supor que estejamos falando de milagres verdadeiros, apenas para fins de argumento.
            Será que na Bíblia todos os milagres podem ser atribuídos à presença do Eterno?
            Vejamos alguns exemplos:
“Então Mosheh e Aharon foram a faraó e fizeram assim como YHWH ordenara; e lançou Aharon a sua vara diante de faraó e diante dos seus servos, e tornou-se em serpente. E faraó também chamou os sábios e encantadores; e os magos do Egito fizeram também o mesmo com os seus encantamentos. Porque cada um lançou sua vara e tornaram-se em serpentes; mas a vara de Aharon tragou as varas deles”. Shemot/Êxodo 7:11-12.
            Desde o início da Bíblia, são mostrados exemplos de como magos e encantadores eram capazes de invocar e realizar milagres.
            A Bíblia também tem exemplos de pessoas que viam espíritos e diziam comunicar-se com o oculto: “Então disse Saul aos seus criados: Buscai-me uma mulher que tenha o espírito de feiticeira, para que vá a ela e consulte por ela. E os seus criados lhe disseram: Eis que em En-Dor há uma mulher que tem o espírito de adivinhar”. Sh’muel Alef/1ºSamuel 28:7.
Quando confrontou Yeshua, Satan gabou-se de ter bastante poder e autoridade e não sem um fundo de razão: “E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue e dou-o a quem quero”. Lucas 4:6.
Observe que Satan declara abertamente que ele concede poder e autoridade a quem ele deseja.
V – Prodígios no fim dos tempos
            A Bíblia profetizou,  que no fim dos tempos os milagres se multiplicariam assustadoramente. Mas pela autoridade de quem? Vamos conferir: “E vi subir da terra outra besta e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão. E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada. E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens. E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foram permitidos que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia”. Guilyana/Apocalipse 13:11-14.
“E da boca do dragão e da boca da besta e da boca do falso profeta vi saírem três espíritos imundos, semelhantes a rãs. Porque são espíritos de demônios, que fazem prodígios; os quais vão ao encontro dos reis da terra e de todo o mundo, para os congregar para a batalha, naquele grande dia do Elohim Todo-Poderoso”. Guilyana/Apocalipse 16:13-14.
Observe, portanto, que a proliferação de milagres, sinais e prodígios prevista na Bíblia é um instrumento do inimigo, num último gesto desesperado antes do seu fim, de enganar os habitantes da terra.
Se você gastar algum tempo lendo os capítulos por trás das citações – coisa que eu recomendo – verá que o engano promovido por Satan será quase que universal no fim dos tempos. Não é surpresa, portanto, que cada vez surjam mais e mais grupos religiosos arrebatando multidões às custas de supostos sinais e prodígios.
Pedro, o personagem de nosso exemplo, não é levado a estudar as Escrituras com profundidade e, portanto não conhece essa mensagem. Sua denominação utiliza apenas passagens descontextualizadas para justificar algumas práticas. Você, querido leitor, já tem recursos para não ser enganado, pois já aprendeu no passo quatro como ler a Bíblia de forma completa e dentro do seu contexto.
(continua...)
VI – Identificando os milagres de YHWH
para ver estudo completo visite:  www.torahviva.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário