terça-feira, 24 de janeiro de 2012

LE YELADIM - A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS (1)

Shalom, chaverim v'chaverot!

Na última semana iniciamos a postagem das Sedrot para Crianças (Le Yeladim) - um dos novos projetos para 2012 - e, para "dar uma mãozinha aos contadores de história", abaixo, algumas dicas.

A arte de contar histórias

A arte de contar histórias é uma das habilidades mais antigas desenvolvidas pelo ser humano. 

Através de desenhos nas cavernas os homens primitivos puderam deixar registradas um pouco de sua história.


Contar histórias é uma forma muito eficiente de transmitir uma ideia e levar a novos conhecimentos. É um meio de resgatar a memória.

Para os Yeladim, as histórias têm um papel fundamental na formação da identidade simbólica. Através delas resgatam o significado, desenvolvem a imaginação, a sensibilidade, a criatividade,  o senso crítico,  a capacidade de fazerem suas próprias escolhas e acessar o sagrado.

Contar histórias pode ser terapêutico!

É por meio da fantasia  que envolve "a narrativa" que a criança aprende a lidar com as situações reais, a trabalhar as emoções, vencer os medos, inseguranças, tristezas e ansiedades.  

As histórias são fontes inesgotáveis de experiências! 

Através dos personagens a criança encontra respostas para suas dúvidas, busca exemplos que os ajudam na formação de valores, têm contato com o mundo exterior, conhece outros povos, culturas, se insere, se exclui ... enfim, reconhece a si mesma!

Geralmente, o primeiro contato que a criança tem com um conto é através de seus pais, avós, tios ou professores! Por isso, é importante entendermos a dinâmica desse "mundo encantado" que é o universo infantil.

Recomenda-se àqueles que estejam envolvidos nesse propósito que procurem conhecer ao máximo o conteúdo da história que vão contar; que  adentrem nesse mundo mágico, através da criança que existe em cada um de nós, buscando o tema e a linguagem apropriados para cada idade; munam-se de ferramentas que os ajudem a prender a atenção da criança, aguçar o interesse, a imaginação, o argumento.

A expressão corporal, a entonação da vóz, o ritmo, os gestos ... tudo isso fará com que a criança seja envolvida pela atmosfera da história e viaje através da mesma, como se desta fizesse parte.

Não é preciso ser especialista no assunto ... basta fazer com o coração! 

A escolha do ambiente também é muito importante. Procure um local tranquilo, descontraído, onde, após ouvir  história, a criança possa expressar o que apreendeu desenhando, pintando, modelando ou, simplesmente, peça-lhe para recontar a história com as suas palavras.

Lembre-se de que uma história contada com alma jamais será esquecida! Por isso a pedagogia do Mashiach foi tão eficaz!
por Ya'el bat Yossef

Nenhum comentário:

Postar um comentário