segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

ARQUEÓLOGOS DESCOBREM ANTIGO SELO USADO NO TEMPLO DE YERUSHALAYIM

Reuters, Jerusalém, 26/jan/2012

Arqueólogos israelenses disseram neste domingo  ter descoberto um carimbo de argila de 2.000 anos, perto do Muro Ocidental, também conhecido como Muro das Lamentações, de Jerusalém, confirmando relatos escritos de rituais que eram realizados no templo sagrado judaico.
Mas o objeto do tamanho de um botão tem as palavras inscritas em aramaico "puro para Elohim", indicando que era usado para certificar alimentos e animais usados para cerimonias de sacrifício.
O Muro Ocidental faz parte de um complexo conhecido pelos judeus como o Monte do Templo e pelos muçulmanos como o Nobre Santuário, onde a mesquita islâmica al-Awsa e o Domo da Rocha estão localizados.
"Parece que o objeto era usado para marcar produtos ou objetos que eram trazidos para o Templo, e era imperativo que fossem puros segundo rituais", disse a Autoridade de Antiguidades de Israel, em comunicado para divulgar a descoberta.
A entidade disse acreditar ser a primeira vez que tal selo foi escavado, oferecendo uma prova arqueológica direta de rituais que eram realizados no templo e que eram descritas em textos antigos.
fonte: folha.com

sábado, 28 de janeiro de 2012

CICLO TRIENAL LE YELADIM - SEDRAH 46 (LEVANDO A TORAH AOS PEQUENINOS)

MOSHEH, O POVO E FARAÓ
(Shemot/Êxodo 4:26 a 6:1)
 
Após conversar com seu sogro, Mosheh tomou sua família e partiram, fazendo uma longa viagem de volta a Mitzraim/Egito, através do deserto de Midiã. 

A certa altura do caminho, seu irmão Aharon veio ao seu encontro. Ambos se abraçaram e se beijaram. Aharon disse a Mosheh:- "Elohim me enviou para ajudar você. Falarei aos anciãos do povo tudo o que você me disse e todas as maravilhas que YHWH fez e iremos juntos falar com o Faraó".

Depois disso, Mosheh, Aharon e os anciãos do povo foram ao Faraó do Egito com a seguinte mensagem: "YHWH diz: Deixa o Meu povo ir para que Me celebre uma festa no deserto. Faraó respondeu: Quem é esse Elohim para que eu o obedeça? Eu não O conheço. Saim daqui. Não deixarei ir israelitas".

Então, naquele mesmo dia, o Faraó mandou seus capatazes e os vigias do povo deixarem de dar a palha que os israelitas juntavam ao barro para fazer os tijolos,  tornando seu trabalho ainda mais difícil.

Todos os dias os obrigavam a ir procurar palha e exigiam que fizessem a mesma quantidade diária de tijolos  e, se não conseguiam,  chamava-os de preguiçosos e mandava açoitá-los.

O povo, não aguentava mais tanto sofrimento, pediu aos vigias para ir conversar com o Faraó e dizer a ele que estava muito difícil ter de procurar a palha e ainda fazer a mesma quantidade de tijolos. Mas o Faraó ficou ainda mais irritado e disse aos vigias:- “digam àqueles preguiçosos para trabalhar! Quero a mesma quantidade de tijolos. Aquele que não cumprir será açoitado”.

Ao sair do Palácio do Faraó os vigias encontraram Mosheh e Aharon os esperavam e foram logo dizendo:- Mosheh, por quê vocês fizeram o Faraó ficar tão irado conosco? Por quê vieram com essa conversa de mandar deixar o povo ir adorar a Elohim no deserto? Por causa disso estão sendo maltratados!”

Mosheh ficou muito triste e clamou a YHWH-:”Oh! Elohim de nossos pais, porque me enviaste a este povo? Por quê me mandaste dizer que os livraria? Desde que fui falar ao Faraó ele têm sido  mais e mais maltratados. Por quê Elohim ainda não os livrou?".

YHWH respondeu a Mosheh:- “Não se preocupe, Mosheh. Você verá o que vou fazer ao Faraó. Quando Eu mostrar a ele o Meu poder, ele não só deixará vocês partirem, como ficará muito feliz em mandar vocês embora".
(figura para ser ampliada e pintada)

Bom ... a Sedrah desta semana termina por aqui, mas, deixa-nos algumas perguntas:-


1.  O que você acha que vai acontecer ao Faraó?  
2.  Será que ele vai ser convencido a deixar o povo partir?  
3.  Se você estivesse no lugar de Mosheh, iria confiar na Palavra de Elohim? 
oooOooo

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

CICLO TRIENAL - SEDRAH 46 (Semana de 22 a 28 de janeiro de 2012)

Torah: Shemot/Êxodo  4:18 a 6:1
Tema(s): A Circuncisão do Filho de Mosheh; Mosheh e Aharon; Mosheh, o Povo e Faraó
Haftarah: IYov/Jó 10, 17 e 18; Yehesk'El/Ezequiel 32
Tema(s): Filipe; Shimon/Simão o Mago; O Homem era Sujeito ao Pecado
Shirim u’Chochmah: Tehilim/Salmos 46; Shir HaShirim/Cânticos dos Cânticos 3
Tema(s): Elohim Habita Conosco; A Vinda do Amado

PERGUNTAS
1.  Shemot/Êxodo 4:24 -  Por quê o Anjo de YHWH buscou Mosheh para matá-lo e o que isso representa? 
 
2.  Compare Yehesk'ElEzequiel 32:27 e 32:32 e responda: Que terror deveria ser temido na terra dos viventes?

 
3. "Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu impuser as mãos, receba a Ruach HaKodesh" (Atos 8:19). O fato de Shimom, o mago, ter concebido a idéia de que o poder da Ruach pudesse ser "adquirido" com dinheiro, mostra-nos o que?

4.  Complete a frase a seguir: Apesar do Tehilim 46 caracterizar-se como sendo um Salmo de _____________ o mesmo tempo, carrega um forte conteúdo de _______________ no ____________ de YHWH.

6.  Qual a principal mensagem  da Sedrah desta semana?
Lehitraot (até mais)!
  

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

LE YELADIM - A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS (1)

Shalom, chaverim v'chaverot!

Na última semana iniciamos a postagem das Sedrot para Crianças (Le Yeladim) - um dos novos projetos para 2012 - e, para "dar uma mãozinha aos contadores de história", abaixo, algumas dicas.

A arte de contar histórias

A arte de contar histórias é uma das habilidades mais antigas desenvolvidas pelo ser humano. 

Através de desenhos nas cavernas os homens primitivos puderam deixar registradas um pouco de sua história.


Contar histórias é uma forma muito eficiente de transmitir uma ideia e levar a novos conhecimentos. É um meio de resgatar a memória.

Para os Yeladim, as histórias têm um papel fundamental na formação da identidade simbólica. Através delas resgatam o significado, desenvolvem a imaginação, a sensibilidade, a criatividade,  o senso crítico,  a capacidade de fazerem suas próprias escolhas e acessar o sagrado.

Contar histórias pode ser terapêutico!

É por meio da fantasia  que envolve "a narrativa" que a criança aprende a lidar com as situações reais, a trabalhar as emoções, vencer os medos, inseguranças, tristezas e ansiedades.  

As histórias são fontes inesgotáveis de experiências! 

Através dos personagens a criança encontra respostas para suas dúvidas, busca exemplos que os ajudam na formação de valores, têm contato com o mundo exterior, conhece outros povos, culturas, se insere, se exclui ... enfim, reconhece a si mesma!

Geralmente, o primeiro contato que a criança tem com um conto é através de seus pais, avós, tios ou professores! Por isso, é importante entendermos a dinâmica desse "mundo encantado" que é o universo infantil.

Recomenda-se àqueles que estejam envolvidos nesse propósito que procurem conhecer ao máximo o conteúdo da história que vão contar; que  adentrem nesse mundo mágico, através da criança que existe em cada um de nós, buscando o tema e a linguagem apropriados para cada idade; munam-se de ferramentas que os ajudem a prender a atenção da criança, aguçar o interesse, a imaginação, o argumento.

A expressão corporal, a entonação da vóz, o ritmo, os gestos ... tudo isso fará com que a criança seja envolvida pela atmosfera da história e viaje através da mesma, como se desta fizesse parte.

Não é preciso ser especialista no assunto ... basta fazer com o coração! 

A escolha do ambiente também é muito importante. Procure um local tranquilo, descontraído, onde, após ouvir  história, a criança possa expressar o que apreendeu desenhando, pintando, modelando ou, simplesmente, peça-lhe para recontar a história com as suas palavras.

Lembre-se de que uma história contada com alma jamais será esquecida! Por isso a pedagogia do Mashiach foi tão eficaz!
por Ya'el bat Yossef

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

TESHUVÁ PASSO (4) - APRENDENDO A LER AS ESCRITURAS (Parte 1)

Quarto Passo:  Aprendendo a ler as Escrituras ( Parte 1)

 por Sha'ul Bentision

II -  Introdução ao Quarto Passo (Síntese)
Assim como um agricultor limpa o terreno antes de semear a nova plantação ou como um construtor limpa a área antes de iniciar a construção, assim também é fundamental que esses primeiros passos sejam de uma verdadeira higienização espiritual, para que se possa construir num terreno limpo.
Agora que você já purificou algumas coisas bastante importantes, vamos começar com um processo que é fundamental: o de desintoxicação do sistema religioso.
Se você chegou até aqui, já deu passos importantíssimos no sentido de deixar um sistema religioso construído por homens para de fato chegar à vontade de Elohim. Porém, é natural que você tenha uma forma de pensar e de agir que, por força hábito, esteja ainda associada a práticas antigas.
O quarto passo é bastante simples, porém, de fundamental importância: Você precisa aprender a ler a Bíblia. O que quero dizer com isso é que a forma de ler as Escrituras está contaminada pelo sistema religioso e que é preciso prestar muita atenção para o que se deve fazer com isso.
A condução que irei fazer abaixo com você, caro leitor, pode parecer bastante lógica e até mesmo de certa forma intuitiva, mas acredite, ela é fruto de muitos anos de depuração exatamente desse mesmo sistema religioso.
Vamos, portanto, à primeira etapa:
III - Justificando Qualquer Coisa na Bíblia
A primeira coisa que o leitor precisa se dar conta é do tamanho da Bíblia. Se fosse diagramada como um livro de romance de tamanho médio, a Bíblia teria mais de 3 mil páginas. Para efeito de comparação, um romance de tamanho médio teria entre 150 e200 páginas. Ou seja, a Bíblia poderia facilmente ser equiparada a uma coleção de uns 20 romances.
É por isso, caro leitor, que existem tantos grupos religiosos que se dizem fundamentados na Bíblia e cada um prega uma coisa. Claro, cada um tomará as partes das Escrituras que lhes convier e ignorará ou minimizará as partes que não lhes forem convenientes.
IV - Criando uma Distorção
Há uma antiga piada que diz que o primeiro teólogo das Escrituras foi Satan, quando afirmou: “E disse-lhe: Se tu és o Filho de Elohim, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra”. Matitiyahu/Mateus 4:6.
A graça da piada está justamente na semelhança entre o que Satan fez e o fato descrito acima. Observe que Satan usa o texto de Tehilim/Salmos 91:11 para provar aquilo que ele queria: Que Yeshua deveria se jogar de um lugar alto.
Evidentemente isso é uma distorção do que a passagem quer dizer. Peço agora a você que dê uma pausa neste artigo e leia o Salmo 91 por inteiro para captar a mensagem do salmo.
Com essa leitura, você perceberá que o Salmo 91 é um salmo que fala da segurança que tem aquele que confia no Eterno. Quando se lê o versículo citado por Satan no seu contexto original, a ideia fica muito clara.
Qual era a ideia de Satan? Basicamente era essa: Se Yeshua era o Filho de Elohim, então ele poderia por à prova o versículo de que os anjos iriam impedi-Lo de cair.
Como Satan construiu esse conceito? Ele adotou a seguinte estratégia:
1) Partiu de uma ideia pré-concebida: A de que um servo do Eterno poderia se arriscar e seria protegido mesmo assim. É claro que ele, Satan, sabia que isso não era verdade. Mas seria essa a ideia por ele defendida perante Yeshua?
2)  Encontrou uma frase na Bíblia que poderia dar respaldo a essa ideia;
3)  Isolou a frase do seu contexto;
4) Removeu a ideia da frase dentro daquele contexto e inseriu a sua ideia pré-concebida;
5)  Com isso, conseguiu ‘provar biblicamente’ a sua ideia.
O Eterno poderia ter inspirado os escritores das Boas Novas a apenas narrarem o episódio assim: Yeshua foi tentado por Satan e resistiu à sua tentação.
Vamos, então, juntos, ver como é possível nos defender disso. Para tanto, vamos contar uma história que, apesar de fictícia, poderia muito bem ser verdadeira.
V - Carlos, o ‘Novo Convertido’
Imagine a seguinte cena: Carlos é um novo convertido, que começa a frequentar uma comunidade religiosa que crê na Bíblia. Ele gosta muito das pessoas. Todas são muito simpáticas com ele. Afinal, existe o desejo de que Carlos lá permaneça. Ele assiste aos cultos, recebe as orações e está feliz por ter encontrado o que para ele é uma ‘segunda família’.
Quando começou a assistir aos cultos, Carlos recebeu um pequeno folheto intitulado ‘Nisto Cremos’ e com uma série de afirmações seguidas de várias referências de versículos bíblicos. Carlos ficou feliz, portanto, porque a comunidade que ele estava seguindo verdadeiramente era baseada na Bíblia.
Carlos também frequenta aulas de estudo bíblico para iniciantes. Nessas aulas, sempre existe um tema. Carlos pergunta: ‘O que é necessário para ser salvo’? O professor da aula afirma: ‘Nós cremos que o elemento XYZ é condição de salvação. Vamos ver porque na Bíblia’. Depois disso, o professor cita uma série de versículos que contribuem para pontuar as suas crenças.
Depois de se tornar oficialmente membro daquela denominação, Carlos começa a se deparar com temas mais complexos. Após os cultos, ele sempre procura o pastor e pergunta: ‘Pastor, o que nós cremos a respeito disso’? Ao que o pastor, pacientemente, lhe responde segundo a visão daquela denominação.
Sem estar ciente disso, Carlos já cometeu o maior erro que poderia cometer e se deixou cair numa armadilha que, talvez com a melhor das boas intenções, aquela comunidade religiosa armou para ele.
Como acontece com a maioria dos iniciantes, Carlos não aprendeu a ler a Bíblia e sim a encontrar na Bíblia as justificativas para as crenças daquela denominação.
A maior de todas as tentações que precisa ser resistida quando se lê o texto das Escrituras é justamente a de lê-lo com o objetivo de justificar uma crença. E isso deveria, caro leitor, ser justamente uma das primeiras coisas a serem ensinadas a qualquer pessoa que toma contato com a Bíblia.
VI - A Bíblia é um todo
A primeira forma de evitar isso é entender uma coisa muito simples: A Bíblia é um todo. Esse todo não deve ser lido ou estudado isoladamente.
Sem perceber, a denominação de Carlos repete o mesmo erro de Satan: parte de uma ideia pré-concebida e tenta justificá-la na Bíblia. É claro que, diferentemente de Satan, a denominação em questão não está mal intencionada. Mesmo assim, erra por não ler a Bíblia adequadamente.
Vamos imaginar que o pastor da denominação de Carlos afirmou que os membros nunca devem criticá-lo, porque a Bíblia diz: “Não toqueis os meus ungidos”.
Essa frase aparece em dois lugares na Bíblia: Tehilim/Salmos 105:15 e Divrei Hayamin Alef/1ºCrônicas 16:22. Vamos juntos ler o contexto dessas duas frases?
Aqui por razão de brevidade vamos colocar apenas os versículos imediatamente antes e/ou depois dessa frase, mas convido a você para abrir a Bíblia e ler o texto completo.
E confirmou o mesmo a Ya’akov por estatuto e a Yisra'El por aliança eterna, dizendo: A ti darei a terra de Kena’an, a região da vossa herança. Quando eram poucos homens em número, sim, mui poucos e estrangeiros nela; Quando andavam de nação em nação e de um reino para outro povo; Não permitiu a ninguém que os oprimisse e por amor deles repreendeu a reis, dizendo: Não toqueis os meus ungidos e não maltrateis os meus profetas. Chamou a fome sobre a terra, quebrantou todo o sustento do pão”. Tehilim/Salmos 105:10-16.
O qual também a Ya’akov confirmou por estatuto e a Yisra'El por aliança eterna, dizendo: A ti te darei a terra de Kena’an, quinhão da vossa herança. Quando eram poucos homens em número, sim, mui poucos e estrangeiros nela, quando andavam de nação em nação e de um reino para outro povo, a ninguém permitiu que os oprimisse e por amor deles repreendeu reis, dizendo: Não toqueis os meus ungidos e aos meus profetas não façais mal. Cantai a YHWH em toda a terra; anunciai de dia em dia a Sua salvação. Contai entre as nações a Sua glória, entre todos os povos as Suas maravilhas”. (Divrei HaYamim Alef/1ºCrônicas 16:17-24).
Observe que o contexto para “não toqueis nos meus ungidos” é a proteção que o Eterno dava ao seu povo – proteção física contra inimigos.
O texto não fala de líderes, nem sequer garante imunidade contra críticas a ninguém nem mesmo ao povo de Yisra'El, que por inúmeras vezes foi criticado pelos profetas. Mas Carlos ficou satisfeito com a justificativa do pastor, afinal ele citou a Bíblia! Porque Carlos nunca foi ensinado a pesquisar as Escrituras, a sondá-las como um todo, para encontrar a verdade.
Se Carlos tivesse sido ensinado a ler a Bíblia como um todo, ele poderia se perguntar: O que diz a Bíblia, como um todo, sobre os líderes do povo? Como devem proceder? Que poder ou autoridade eles detêm sobre o povo? O que é a unção bíblica?
Se tivesse feito isso, Carlos teria também percebido que as lideranças apontadas na Bíblia eram meramente cargos funcionais e que tais cargos e ocupações eram válidos enquanto os líderes andassem segundo as Escrituras. Em momento algum a Bíblia da respaldo para uma lealdade individual a um líder. A lealdade é para com o Caminho.
Mas espero que, da mesma forma, caro leitor, você também não acredite em mim, nem me coloque num pedestal imaginário, pois isso seria apenas mudar a pessoa ou o grupo e não romper com o sistema religioso. Peço, portanto, que o leitor procure analisar por si próprio. Pesquise na Bíblia sobre liderança, e tire suas próprias conclusões.

(continua...)
para ver estudo completo visite:  www.torahviva.org

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

CICLO TRIENAL LE YELADIM - SEDRAH 45 (LEVANDO A TORAH AOS PEQUENINOS)

O CHAMADO DE MOSHEH/MOISÉS 
(Shemot/Êxodo 3:1 a 4:17)
Mosheh/Moisés cuidava das ovelhas de seu sogro Yitro/Jetro. Certo dia, atravessou o deserto e levou o rebanho para o outro lado - até o monte Sinai.
Ali o Malach/Anjo de Elohim apareceu a ele no meio da chama em um espinheiro (sarça), porém, o espinheiro não se consumia.

E ele pensou: “Que estranho! Vou olhar mais de perto.”Quando YHWH viu que Mosheh se aproximava, ele o chamou do meio da sarça e disse:Mosheh! Mosheh!Estou aqui!- respondeu ele.YHWH disse:- Fique onde está e tire as sandálias, pois a terra/éretz que está pisando é sagrada / kadosh. E continuou:

—"Eu sou" o Elohim dos seus pais, o Elohim de Avraham, de Yitzchak e de Ya'akovEntão Mosheh, temendo olhar para Elohm, cobriu o  rosto.
Então Elohim disse:Tenho visto como o meu povo está sendo maltratado no Egito; tenho ouvido seu pedido de socorro; estão sofrendo.
Por i
sso desci para salvá-los das mãos dos egípcios e levá-los para uma terra boa e espaçosa; uma terra rica. Lá onde moram os Kena'anitas e outros povos.
Vou enviar você ao Faraó/Pharo para que liberte o meu povo, os israelitas.

Mosheh disse a YHWH:Quem sou eu, YHWH, para dizer para o Faraó deixar ir o povo de Yisra'El?
Elohim respondeu:Eu estarei com você! E quando estiverem livres, vocês virão me adorar neste monte; esta será a prova de que "Eu" o enviei.Então, Mosheh falou:Quando eu disser aos israelitas: “O Elohim dos seus pais me enviou a vocês, o que direi se eles perguntarem o Seu nome?Elohim disse: —"EHIYEH asher EHIYEH"/Eu Sou Aquele que Sou. E disse mais: —Você dirá:- Aquele que se chama EHIYEH/Eu Sou me enviou a vocês. Este é o Seu nome para sempre, e assim Ele será lembrado por todas as gerações.”Depois disse: Vá, reúna os chefes (anciãos) dos filhos de Yisra'El e diga que Eu, YHWH, o Elohim dos seus antepassados apareci a você e ordenei que lhes dissesse: “Eu vos visitei e vi o que os egípcios estão fazendo com vocês".
Eu resolvi tirá-los de Mitzrayim, onde estão sendo maltratados. E vou levá-los para uma terra boa e rica, a terra dos Kena'anitas/cananitas e de muitos outros povos.”
E continuou: —Eles  o ouvirão! Depois, vá com os chefes dos filhos de Yisra'El falar com o rei de Mitzrayim e digam a ele: “YHWH, o Elohim dos hebreus, apareceu a nós. Deixa-nos ir para o deserto, a uma distância de três dias de viagem para oferecermos sacrifícios a YHWH, nosso Elohim.”O rei do Egito não deixará vocês irem embora facilmente. Portanto, Eu vou usar o Meu poder e farei coisas terríveis contra os mitzraitas. Depois disso, o rei deles deixará vocês partirem.
—Eu farei com que os egípcios respeitem vocês. E, quando vocês saírem, não irão de mãos vazias.

Cada mulher israelita deverá pedir às mulheres egípcias suas vizinhas, ou àquelas que estiverem morando na casa dela que lhe dêem objetos de prata e de ouro e roupas com que vocês  vão vestir os seus filhos e as suas filhas. Dessa forma vocês tomarão as riquezas dos egípcios.
(figura para imprimir e pintar)



ATIVIDADE:

Perguntas:

1.  Onde Mosheh estava, quando foi chamado por HaShem? ____________________________
___________________________________
2. De que forma HaShem apareceu a Mosheh? ___________________________________
3. Que missão Mosheh recebeu do Eterno? ____
___________________________________

4. O que podemos aprender com a história desta semana? ____________________________

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

CICLO TRIENAL - SEDRAH 45 (Semana de 15 a 21 de Janeiro de 2012)

Torah: Shemot/Êxodo 3:1 a 4:17
Tema(s): O chamado de Mosheh/Moisés
Haftarah: Yirmiyahu/Jeremias 1; Yehesk'el/Ezequiel 3; Havakuk/Habacuque 1
Tema(s): O chamado de Yirmiyahu; O chamado de Yehesk'El; ração de Arrependimento; O Juízo de YHWH 
Shirim u’Chochmah: Tehilim/Salmos 45; Shir HaShirim/Cânticos dos Cânticos 2
Tema(s): Ode ao Mashiach; Cântico para a Amada (parte 2)
PERGUNTAS
1.  O capítulo 2 de Shemot/Êxodo termina falando como Mosheh saiu de Mitzraym/Egito e foi para a terra de Midiã, onde se casou e teve filhos. No capítulo 3:1 a 4: 17, Elohim se apresenta a ele com "um chamado": libertar Am'Yisrael/Povo de Israel de Mitzraym. Leia o capítulo 3 e responda: "Por quê O Eterno teria "escolhido" Mosheh para executar essa "missão"? 
 
2.  Analisando os chamados de Mosheh, Yirmiyahu e Yehesk'El (Jeremias 1 e Ezequiel 3): Como foi o chamado de cada um? Que semelhança(s) você pode observar?

5.  Qual a essência do Tehilim/Salmo 45?

6.  Quem é a "amada" mencionada em Shir Hashirim 2?
Lehitraot (até mais)!
   

domingo, 15 de janeiro de 2012

"OS DEZ MANDAMENTOS" / ASSERET HADIBROT


Asseret haDibrot (עשרת הדיברות)

Quando se menciona Assêret haDibrôt, algumas pessoas possuem uma falsa impressão de que existem Dez Mandamentos que foram separados como sendo os mais importantes da Torah/Bíblia, porém, na realidade a tradução correta de Assêret haDibrôt é "Dez Falas" ou "Dez Ditos", sendo que estes são dez princípios que incluem toda a Torah/Bíblia.


Assêret Hadibrot ou Decálogo são as “Dez Falas”, “Dez Ditos” ou simplesmente, "Os Dez Mandamentos" mencionados na Bíblia em Shemot/Êxodo 20:2-17.  

Amarás o Senhor teu Elohim de todo o teu coração, 
de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. 
Este é o primeiro e grande mandamento. 
(Matityahu/Mateus 22:37 / Devarim/Deuteronômio 6: 5) 

O segundo, semelhante a este, é:
 Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 
(Matityahu/Mateus 22: 39 / Levítico 19: 18)

Vejamos abaixo a ordem correta dos Dez Ditos, entregues à Mosheh pelo Altíssimo, para todo Am'Israel/Povo de Israel:

"1. Eu sou o Senhor, teu Elohim, que te libertou da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de minha presença. 

2. Não farás para ti imagem esculpida, nem nada semelhante ao que há nos céus acima, ou na terra embaixo, ou na água debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem os servirás; pois Eu Sou o Senhor, teu Elohim – um Elohim zeloso, que visita as iniqüidades dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração dos que aborrecem. Mas mostrarei bondade para centenas de gerações àqueles que Me amarem e cumprirem Meus mandamentos.

3. Não jurarás pelo nome do Senhor teu Elohim em juramento vão; pois Elohim não absolverá ninguém que use Seu nome em vão.

4. Lembra-te do dia de Shabat, para o santificá-lo. Por seis dias deverás trabalhar e cumprir todas tuas tarefas, mas o sétimo dia é Shabat de teu Elohim; não deves fazer nenhum trabalho – tu, teu filho, tua filha, teu servo, tua serva, teu animal, e o peregrino que estiver dentro de teus portões – pois em seis dias Elohim fez os ceus, a terra, o mar e tudo que neles está, e Ele descansou no sétimo dia. Por isso abençoou o dia de Shabat, e o santificou. 

5. Honrarás teu pai e tua mãe, para se prolonguem teus dias sobre a terra. 



6. Não assassinarás.

7. Não adulterarás.

8. Não furtarás.

9. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

10. Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, e seu servo, e sua serva, e seu boi, e seu asno, e tudo que seja teu próximo."

"Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama ..."
(João 14:21) 
COCLUINDO:
Quem ama a YHWH de todo o coração:

1) Tem por único Elohim a YHWH, isto é, o Elohim de Israel. 
2) Não faz ou adora ídolos. 
3) Não pronuncia indevidamente o nome de YHWH. 
4) Santifica o verdadeiro dia de repouso determinado por YHWH, o Shabat.

Quem ama o próximo como a si mesmo: 

1) Honra o pai e a mãe. 
2) Não mata/destroi a vida de uma pessoa.
3) Não pratica adultério/físico, mental ou virtual. 
4) Não furta/não toma para si o alheio. 
5) Não mente ou dá falso testemunho. 
6) Não cobiça os pertences dos outros. 

O nome de YHWH é pronunciado em vão (indevidamente) quando o mesmo é citado em anedotas (brincadeiras), juramentos falsos, etc.
"Aqui está a perseverança dos santos, 
daqueles que guardam os mandamentos de YHWH e a fé em Yeshua". 
Guilyana/Apocalipse14:12

fonte: http://www.torahweb.net/Asseret-Hadibrot (entre outras)

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

TESHUVÁ PASSO (3) - PURIFICANDO A ALIMENTAÇÃO (Parte 1)

Terceiro Passo:  Purificando a Alimentação ( Parte 1)

por Sha'ul Bentison

II - Introdução ao Terceiro Passo

            Caro leitor, se você chegou até aqui, já deve ter percebido que essa é uma jornada diferente, capaz de transformar radicalmente a sua vida. Fique firme! O Messias não veio simplesmente para que a sua vida continuasse a mesma e a ela fosse apenas agregado o hábito de passar duas horas por semana numa comunidade religiosa. A jornada bíblica é uma jornada que passa por muitas purificações e transformações.

            Você já deve ter percebido, porém, que ao dar esses passos, sua vida se aproxima de uma maior intimidade com o Criador. E o objetivo é exatamente esse. A teshuvah vem te trazer duas coisas: Uma melhor qualidade de vida e uma maior proximidade com Yeshua.

            Mas quando falamos de melhor qualidade de vida, estamos nos referindo à vida física ou espiritual? Na realidade, a ideia de que exista uma diferença entre corpo e espírito e, portanto, entre vida física e vida espiritual, vem da filosofia grega. No pensamento semita e, portanto, na Bíblia, não havia essa distinção.

III - A Bíblia se Preocupa com nossos Corpos

            E a Bíblia deixa claro que o Eterno se preocupa com o que fazemos com nossos corpos. Por exemplo, Sha’ul/Paulo afirma: 
“Ou não sabeis que o vosso corpo é o santuário da Ruach HaKodesh, que habita em vós, proveniente de Elohim e que não sois de vós mesmos”? 
(Curintayah Alef/1ªCoríntios 6:19)
            Não é à toa que encontramos na Bíblia até mesmo conselhos para a saúde, como por exemplo:
“Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, 
por causa do teu estômago e das tuas frequentes enfermidades”.
 (Timoteus Alef/1ªTimóteo 5:23)
“Achaste mel? come só o que te basta; 
para que porventura não te fartes dele e o venhas a vomitar”. 
(Mishlei/Provérbios 25:16)
Esse passo de nossa jornada de teshuvah passará por algo que trará não apenas o benefício de nos alinhar mais com a vontade de Elohim, mas também será algo que nos trará mais saúde e qualidade de vida.
IV - Um Best Seller de Dietas
Um dos livros de dieta mais vendidos nos EUA é uma obra chamada ‘The Maker’s Diet’. Nela, o autor propõe que a alimentação seja regulada por princípios bíblicos. Esse livro foi aclamado por ser um dos melhores livros de dieta até hoje escritos.
Evidentemente que nesse livro o autor vai muito além das instruções bíblicas e procura também imitar aspectos da alimentação dos israelitas. Porém, o principal benefício da obra é exatamente esse: Ao seguir as recomendações de alimentação do Criador, as pessoas melhoram sua saúde!
Você já se perguntou se é coincidência que muitos médicos, após uma cirurgia, proíbam seus pacientes de consumir carne de porco, exatamente como o faz a Bíblia?
A Bíblia, caro leitor, é o manual do nosso Criador para uma vida regrada, plena e abundante com Ele, com nossos próximos e mesmo conosco. Toda a fonte dos problemas da humanidade passa pelo fato de que esses preceitos são ignorados e até mesmo rejeitados por muitos.
E uma das coisas que são exatamente taxadas como ‘bobagem’ são as leis alimentícias dadas pelo Eterno nas Escrituras. Mas aí eu pergunto a você, caro leitor: Será que o Criador teria se dado ao trabalho de inspirar uma ‘bobagem’? Acaso Ele perderia tempo escrevendo algo que depois Ele próprio iria dizer ser besteira? Acaso Ele deseja que nós ignoremos Aquilo que Ele nos ensina?
V - O Novo Testamento Aboliu as Leis Alimentícias
Muita gente aponta para textos da B’rit Chadashah, o chamado ‘Novo Testamento’, de maneira descontextualizada, para justificar o fato de que o Eterno teria mudado de ideia quanto à alimentação.
É claro que este estudo não se propõe a abordar detalhadamente todas essas passagens, por uma questão de brevidade – embora tenhamos estudos mais aprofundados sobre cada uma delas.
Mas vamos, caro leitor, fazer juntos um breve exercício de pesquisa do contexto para verificar se tem procedência a alegação de que o Eterno mudou de ideia quanto às leis alimentícias:
1) Teria Yeshua purificado os alimentos?
Uma das afirmações mais taxativas de que Yeshua teria purificado aquilo que Ele mesmo havia declarado impuro procede da leitura equivocada de Marcos 7. Observe porém o início desse capítulo, caro leitor, que revela o contexto: “E, vendo que alguns dos seus discípulos comiam pão com as mãos impuras, isto é, por lavar, os repreendiam. Porque os p’rushim e todos os judeus, conservando a tradição dos antigos, não comem sem lavar as mãos muitas vezes”. Marcos 7:2-3.
Observe que não estava em discussão a questão de quais alimentos são lícitos ou não para serem consumidos e sim uma tradição extra bíblica de que é preciso lavar as mãos para não se contaminar comendo os alimentos.
Alguns dizem ainda que Yeshua deixou claro que o que contamina o homem é o que sai dele e não o que entra nele. É verdade: O que nos contamina quando comemos animais imundos é a desobediência que procede do nosso coração, muito mais do que o ato da ingestão propriamente dito.
2) A visão de Kefah/Pedro
Outro texto tirado de seu contexto é o de Ma’assei HaSch’lihim/Atos dos Emissários 10, onde Kefah/Pedro tem uma visão segundo a qual animais imundos são apresentados e ele ouve uma voz que diz que ele deveria levantar, matar e comer. Ao dizer que não faria isso, Kefah/Pedro ouve a seguinte explicação: “O que Elohim purificou não chames tu de impuro”.  Ma’assei HaSch’lihim/Atos dos Emissários 10:15.
Observe que Kefah/Pedro não saiu, após a visão e foi comer churrasco de bacon. Ele próprio dá a interpretação à visão: “Vós sabeis que é proibido a um judeu aproximar-se dum estrangeiro ou ir à sua casa. Todavia, Elohim me mostrou que nenhum homem deve ser considerado profano ou impuro”.  Ma’assei HaSch’lihim/Atos dos Emissários 10:28.
Havia, novamente, um costume extra bíblico entre os judeus da época de não se aproximarem de estrangeiros. A visão serviu para mostrar a Kefah/Pedro que ele não deveria proceder dessa maneira.
3) Entendendo Sha’ul/Paulo
Sha’ul/Paulo também pode ser facilmente compreendido quanto ao que ele se refere se houver boa vontade.            
Nós já vimos pelas histórias de Yeshua e de Kefah/Pedro que algumas facções dos judeus da época tinham muitos hábitos extra bíblicos. Na história de Yeshua, observa-se que esses hábitos também afetavam a alimentação.
Observe alguns desses acréscimos no Talmud, a mais importante obra do Judaísmo Farisaico: ‘Também foi ensinado semelhantemente: Sobre aquele que come carne e bebe vinho no Nono de Av, a Escritura diz: E suas iniquidades estão sobre seus ossos’.  b. Ta'anit 30b.
Comentário: A Bíblia jamais exige que se abstenha de alimento nesse dia e o texto a que o Talmud se refere é Yehesk'El/Ezequiel 32:27, que o leitor pode conferir que não tem nada a ver com a questão.
‘Os rabinos disseram a R. Assi: Este homem é um israelita não-observante que foi visto comendo carne não-judaica’. b. Guitin 47ª.
Comentário: A Bíblia jamais exige que, como demanda o costume judaico, que a carne seja preparada por um judeu para que seja considerada pura.
‘…a carne de ave [cozida] no leite é proibida pela lei da Torah’! b. Chulin 113ª.
Comentário: A Bíblia proíbe cozinhar um filhote de animal no leite de sua própria mãe, prática essa que era comum nos ritos de fertilidade cananeu. A Bíblia jamais proíbe que se coma aves cozidas no leite.
Além disso, havia algumas seitas – especialmente as de influência gnóstica – que defendiam o vegetarianismo como uma obrigação de todo aquele que desejasse seguir a Yeshua. Epifânio, por exemplo, em sua obra ‘Panarion’, cita o evangelho de um desses grupos, os ebionitas, da seguinte forma: ‘Acaso tenho desejo neste Pessach de comer carne convosco’? Panarion 30:22:4.
Observe, caro leitor, que nos tempos de Sha’ul/Paulo e dos primeiros seguidores de Yeshua, havia muitos grupos com muitos ensinamentos sobre alimentação completamente extra bíblicos!
Tenha isso em mente ao observar as passagens abaixo:
4) Romanos 14 contra as leis alimentícias?
Alguns afirmam com base em Ruhomayah/Romanos 14 que qualquer pessoa pode comer o que desejar, inclusive aquilo que a Bíblia proíbe.
Porém, se formos olhar para o contexto mais uma vez, encontramos o seguinte logo no princípio do capítulo: 
“Porque um crê que de tudo se pode comer e outro, que é fraco, come legumes”.
 (Ruhomayah/Romanos 14:2)
Lembre-se agora que pessoas que tenham tido contato com grupos como o dos ebionitas entendiam que Yeshua havia sido vegetariano e entendiam que eram obrigados a comer apenas vegetais. Sha’ul/Paulo os chama de fracos, mas pede para que eles não sejam julgados por coisas de menor importância, para que não viessem a se afastar das Boas Novas.
Mais uma vez, observa-se pelo contexto, que não havia nenhuma menção às leis alimentícias das Escrituras. Sha’ul/Paulo jamais mudaria aquilo que o Eterno já havia estabelecido.
5) Comendo de tudo do Açougue
Alguns afirmam com base em Curintayah Alef/1ªCoríntios 10 que se pode comer de tudo que se vende nos açougues de hoje em dia, sem nada perguntar. E se o açougue vende carne de animais biblicamente imundos, então, dizem esses, podemos ignorar a proibição bíblica e comer animais imundos.
Mais uma vez, o contexto mostra com o que não devemos nos preocupar: 
“Mas, se alguém vos disser: Isto foi sacrificado aos ídolos, não comais, 
por causa daquele que vos advertiu e por causa da consciência”. 
(Curintayah Alef/1ª Coríntios 10:28)
Lembra, caro leitor, da proibição da tradição judaica de comer carne que não fosse preparada por judeus? Justamente uma das preocupações é que os outros povos pudessem ter sacrificado os animais para seus deuses. Porém, Sha’ul/Paulo afirma que os deuses não têm poder algum e que só não devemos fazer isso por causa da consciência. Ou seja, não havia com o que se preocupar caso não se soubesse a origem da carne.
Como não existe nenhuma menção às leis alimentícias da Bíblia, não se pode imaginar aqui uma abolição delas.
6) Colossenses e o ‘Não Julgueis’
Alguns afirmam que em Colossayah/Colossenses 2:16-17 seria base para afirmar que não se deve julgar quem come animais imundos, logo isso significa que é permitido comer de tudo.
Porém, lembre o caro leitor, que as seitas da época tinham muito mais preceitos alimentares do que simplesmente as leis alimentícias bíblicas.
A Bíblia foi escrita com um objetivo principal: Apontar para o Messias prometido. Quando se toma por princípio criar todo um aparato de leis paralelas para ‘proteger’ as leis bíblicas, como faziam por exemplo algumas seitas judaicas, se está perdendo o foco no Messias e focando em tradições e preceitos humanos.
Para não deixar dúvida de que não está se referindo a preceitos bíblicos e sim acréscimos humanos, Sha’ul/Paulo afirma: “As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens”. Colossayah /Colossenses 2:20-22.
Certamente que Sha’ul/Paulo não consideraria como ‘doutrina de homem’ aquilo que o Eterno revelou, uma vez que, se afirmasse isso, Sha’ul/Paulo estaria desmerecendo a própria Bíblia! 
(continua...)
para ver estudo completo visite:  www.torahviva.org