sábado, 17 de dezembro de 2011

NOMES HEBRAICOS E SEUS SIGNIFICADOS

Até que ponto um nome pode influenciar uma vida?
(imagem para fins ilustrativos extraída da internet)
Todo nome traz em si um simbolismo, uma história, um passado. nome é o que primeiro identifica uma pessoa!
Hoje em dia, muitos não têm idéia do significado de seus nomes. Alguns pais escolhem um nome para seus filhos porque gostam da maneira como soa (é bonitinho), ou porque conheceram alguém importante e desejam dar aquele nome à criança ou, ainda,  juntando o nome do pai e o da mãe formando um nome único para o filho, como: Genivaldo = Geni+Osvaldo,  Ivandira = Ivan+Jandira e assim por diante. Quem não conhece pelo menos uma dessas derivações, sobretudo entre os brasileiros?
Normalmente, as culturas que têm uma ligação mais forte com a identificação tribal é que tendem a dar mais importância ao significado dos nomes de seus filhos. Entre os orientais e afro-asiáticos, por exemplo, há a crença de que o nome dado a uma pessoa vai ajudar a moldar o seu caráter. Na cultura israelita o nome de um menino é dado em conjunto com sua Brit Milá (circuncisão ao 8º dia) e o da menina  dentro do primeiro mês de vida. Os judeus sefaraditas da Espanha, África do Norte e América do Sul têm o costume de homenagear pessoas que admiram, colocando o nome no bebê. Já os Ashkenazitas (leste europeu) tendem a dar a seus filhos o nome de alguém que já partiu. 
Muitos nomes de origem hebraica são encontrados em diversas culturas por causa da herança comum que o cristianismo, islamismo e outras religiões compartilham, através do uso das Escrituras Sagradas. 
O nome de Daniel/Dani'el (דניאל) por exemplo; é bonito e forte. "Dan", em hebraico, significa "juiz", "Dani" significa "meu juiz" e "El" é um dos nomes Sagrados do Eterno. Portanto, quando as palavras são unidas, o nome de "Daniel" ganha o significado de "El é meu juiz". Outro nome muito comum extraído da Bíblia (1a. Crônica 26:7) é Rafael/Rafa'el (רָפָאֵל).  A palavra "Rafah" significa "cura", que unida a "El" fica "Rapha'el" e significa "El cura".
O nome Miguel/Micha'el (מִיכָאֵל) é o nome de um "malach"/anjo nas Escrituras e tem sido utilizado em diversas culturas. "Mi" em hebraico significa "quem", "cha" significa "como" e, como dito anteriormente, "El", um dos nomes Sagrados. Juntando-se as palavras temos "Micha'el", ou seja, "Quem é como El". 
Outro nome associado a um anjo/malach é Gabriel/Gabri'el (גַּבְרִיאֵל).  Esse nome aparece pela primeira vez no sefer/livro de Dani'el e também na Brit Chadashá, no livro de Lucas. Seu significado é "Enviado por El".
A partir dos exemplos acima é possível reconhecer um padrão, ou seja, no hebraico muitos nomes fazem referência a YHWH (יה-וה), especialmente os nomes bíblicos masculinos. A fixação "El" ou "Yah" (que também é um dos nomes sagrados) é muito utilizada. 
Vejamos, por exemplo, "Yechezk'el" (יְחֶזְקֵאל), nome do profeta cujo livro/sefer leva seu nome. Aqui a palavra "Yechezki" significa "Ele vai ser forte". Anexando-se "El", temos "Yechezk'el", que significa "El será forte", ou seja, "El" será forte na vida de alguém que recebe esse nome (certamente, esse foi o desejo de quem lhe deu esse nome). "Yechezk'el" anglicanizado torna-se Ezequiel. 
Outra maneira de se dizer a mesma coisa é "Chezkiyahu/Ezequias" (חִזְקִיָּהוּ). Aqui a raiz para forte "Chezki" inicia o nome e é seguido pelo "Yah" e o "hu", que significa "O Eterno, Ele", o nome inteiro significa "O Eterno, Ele é a minha força" ou "a minha força é o Eterno". Um outro nome que seria sinônimo destes é Uzi'el/Uzias, que significa "El é minha força". 
Mas, nem todos os nomes bíblicos estão ligados diretamente ao nome de YHWHnem todos exaltam aspectos positivos. "Yiov"/Jó (אִיּוֹב), por exemplo, significa "oprimido".  No livro de Ruth/Rute (1:1 a 6) os nomes dados aos dois filhos de Naomi/Noemi (נעמי) significam "doente" e "fraco" (Machlon e Kilyon) e vemos que, no curso da história os mesmos não sobreviveram. Poderíamos inferir, talvez, que os nomes verdadeiros tenham sido substituídos por esses adjetivos para designar o estado em que ambos se encontravam - "doente e fraco" (?!?) ou, até, especularmos se esses nomes não poderiam ter potencializado suas debilidades. 
Na história do primeiro rei de Israel o povo pede ao Eterno um rei terreno e Este, atendendo, enviou-lhes "Sha'ul"/Saul (Sh'muel Alef/1 Samuel 8:1-21). O nome "Sha'ul/Saul/Paulo" significa "pedido ou emprestado". Aqui está um jogo de palavras: "a seu pedido". Esse nome pode, também, ter outra conotação. "Sha'ul" pode significar "dado por El" mas, não exatamente como um presente (mas, por ter sido pedido); o nome cujo significado está mais relacionado a "presente/dádiva" é "Yehonatan"/Jonata (יוֹנָתָן), "presente de El". Nas Escrituras, Yehonatan é o filho do rei Saul/Sha'ul e grande amigo do David. 
Há outras formas de se dar um nome, como por exemplo, a partir de uma característica, do nome de uma cor, uma planta, animal ou outras criaturas. "David"/Davi (דוד), literalmente, significa  "amado, querido"; "Dov" (דּוֹב) significa "urso"; "Ari" (אֲרִי) significa "leão" ou "Ari'el",  "Leão de El"; "Devorah"/Débora/Debra (דְּבוֹרָה) significa "abelha"; "Shoshana"/Susana (שׁוֹשַׁנָּה), que significa "lírio". 
Existem também nomes que podem conter duplo significado. Um exemplo é o nome "Maryam/Maria" que pode significar tanto "amarga" como "louvada/elevada", obviamente, a intenção é sempre buscar o significado positivo. Há também o conceito do nome soar como alguma outra coisa.
A exemplo disto temos novamente o nome do rei "Sha'ul", que significa "pedido ou emprestado" e que, se mal pronunciado, pode soar como "sheol"/seol, cuja grafia no hebraico (sem as nekudot) é exatamente a mesma, pois não há vogais. "Sheol"/Seol, em hebraico, significa "poço/buraco" ou "inferno", o que não é uma boa associação. A grafia do nome "Sha'ul" também pode ser assemelhada a "Shu'al", que é a palavra para "raposa". Fazendo um trocadilho, Sha'ul precisa ser como uma "raposa" fora do "poço do inferno". Outra conjectura; terá esse dualismo influenciado nas lutas espirituais experimentadas por  Sha'ul haShaliach (Paulo o Emissário/apóstolo)?!
Certamente, a beleza ou profundidade de um nome não está limitada apenas a  uma concepção hebraica; algumas culturas, como mencionado, têm essa preocupação - a dar a seus filhos nomes que sejam expressivos e pelos quais possam ser representados
O que não podemos nos esquecer é que um nome hebraico, em sua essência, vem sempre carregado de simbologia e que cada uma das 22 letras do alef beit/alfabeto tem um significado especial e uma peculiaridade expressa em cada nome na Bíblia; é só buscarmos nas Escrituras os inúmeros exemplos (Bereshit/Gênesis 17:15; 35:18; Yeshaiyahu/Isaias 7:14, Sh'muel Alef/1 Samuel 1:20, etc ).
  • Em que circunstância os nomes hebraicos podem ser dados:
Normalmente, um nome passa a ser adotado nas seguintes circunstâncias: 
  1. Ao nascer, por escolha dos pais.
  2. Por ocasião de uma enfermidade grave (na cultura judaica); ou circunstâncias extremas, ex.: Benoni para Benyamim (Bereshit/ênesis 35:18). 
  3. Na teshuvah (retorno à fé Bíblica), substituindo os nomes pagãos ou aqueles cujos significados depreciam ou limitam nosso potencial. Geralmente, se um nome foi transliterado da Bíblia,  busca-se o original em hebraico. Ex.:  João passa a ser "Yochanan"; Tiago "Ya'akov"; Mateus "Matitiyahu'; Jonas "Yonah"; Isaias "Yeshaiyahu"; Samuel "Sh'muel"; Judite "Yehudit" (יהודית); Abigail "Av'gayil" (אֲבִיגַיִל); Ana "Chanah/Hannah" (חנה); Isabel "Elisheva" (אֱלִישֶׁבַע);  Eva "Chavah/Havah" (חוהe etc. 
Podemos dizer que o maior problema pelo enfrentado pelos dispersos da Casa de Israel não foi somente a assimilação, mas a ignorância. Embora muita coisa ainda persista, aqueles que têm procurado retornar à fé Bíblica (cumprimento das Mitzvot) tem buscado também restaurar alguns princípios, entre os quais, resgatar seu nome hebraico ou, através dos significados dos nomes hebraicos,  fortalecer traços de sua personalidade ou caráter.
Minha avó, por exemplo, se preocupou em me dar não só um nome Bíblico, mas dois. Todavia, a dualidade de um e o significado outro lamentavelmente tornou-o "pagão" ("Hoshia'anah Miriyam"/salva-nos Maria). 
Vi na Teshuvah uma oportunidade para adotar um novo nome de "Ya'el"/Jael (יהל) (Shoftim/Juízes 5:24). "Yahel"/Ya'el/Jael, que significa "HaShem é El". Ya'el foi uma cananita (mulher de Heber) que no período dos juízes de Israel (num momento de traições e revoltas), juntamente com Devorah (Débora) desbaratou o exército inimigo (Shoftim/Juízes 5:23 a 27).  É um nome tanto feminino quanto masculino e, dependendo da grafia - pode ganhar outro significado: "cabra da montanha". Apesar dessa dualidade, nesse tempo de teshuvah, busquei, através desse nome a força e a graça dada por YHWH àquela heroína bíblica diante das batalhas. 
  • Equívocos ao se buscar um nome Bíblico
Só porque um nome é encontrado na Bíblia não significa automaticamente que é de origem hebraica. Alguns, apesar de transliterados para o hebraico, podem ter origem pagã ou estrangeira (egípcia, babilônica, persa, grega e etc). Alguns exemplos disso são Sadraque, Mesaque e Abednego (nomes babilônicos dados a hebreus Ananias, Misael e Asarias no cativeiro ); Lucas, Filipe, Estevão, Eunice, Lídia (nomes gregos) de pessoas que se achegaram à fé em Yeshua e são mencionados na Bíblia; Assenat (Egípcio); Yitro (cananita) Yitro, também conhecido como Reu'el (רְעוּאֵל) do hebraico "amigo de El", e outros.  
Além disso, os nomes traduzidos nas Bíblias modernas não somente foram transliterados, como anglicanizad
os para se adaptarem ao idioma de cada país (Ex. Kefah/Pedro/Peter/Pierre; Miriyam/Maria/Mary/Marrie; Yochanan/João/John/Jean) e não basta transliterá-los para o hebraico, precisamos descobrir sua grafia original para que a essência não se perca.
  • Outro grande equívoco:- os nomes em iídiche 
O iídche é um dialeto indueuropeu, pertencente ao subgrupo germânico, adotado por judeus, particularmente da Europa Central e Oriental no segundo milênio, que o escrevem em caracteres hebraicos.  Íidiche não é hebraico!  O fato de transliterarmos um nome ou palavra para o hebraico, não torna esse nome ou palavra hebraica, apenas, a deixa "transliterada". Vejamos como exemplo uma palavra moderna, introduzida no idioma hebraico: Telefone = טלפון = (tet, lamed, fei, nun sofit).
  • Escolhendo o nome hebraico
Como vimos,  não basta apenas escolher um nome bonito, entendemos que conhecer o seu significado é fundamental, pois, o nome pelo qual uma pessoa é chamada é "um título" e pressupõe representar a sua "essência"; refletir seus traços particulares de caráter e os dons concedidos pelo Eterno.
A escolha do nome é, portanto, algo muito especial e deve ser bem pensada para que, no futuro, não traga constrangimentos na vida social. 
O site abaixo traz a origem e o significado de alguns nomes hebraicos e bíblicos e talvez possa servir de base de pesquisa para quem tem buscado um nome que o represente em sua teshuvah.


(nota): (A adoção de um nome israelita é um privilégio, muito mais do que uma necessidade. Em nosso meio, nunca forçamos ninguém a tal prática, e na realidade a maioria das pessoas é desejosa de fazer essa mudança. Alguns, inclusive, têm seu nome israelita como sua verdadeira identidade, muito mais do que o nome secular. 
Shavuah Tóv!

Nenhum comentário:

Postar um comentário