domingo, 27 de novembro de 2011

OITO SENTIDOS DADOS AO TERMO "PALAVRA" EM TEHILIM/SALMOS 119

Shalom, chaverim/amigos,
Certamente, um dos maiores problemas encontrados na Bíblia são algumas palavras que, ao serem traduzidas, acabaram sendo deturpadas ou perdendo a sua essência. 
Abaixo, transcrevo parte de um texto sobre o sentido dado à "PALAVRA" em Tehilim/Salmos 119. Esse Tehilim (que deveríamos conhecer de cor) fala da Torah, a Palavra do Eterno, dada como "Manual de Instrução" aos Seus filhos e que se fez viva e verdadeira através da vinda do Mashiach.
(imagem para fins ilustrativos)
"Tehilim/Salmos 119 é geralmente lembrado por ser o capítulo mais longo da Bíblia e, também, por referir-se quase que exclusivamente à importância da Palavra de 'Elohim' para a vida (...). Confesso que, a exemplo de muitos irmãos, nunca havia me aventurado a meditar mais detidamente sobre o Salmo 119, já que as poucas vezes que o li, o fiz mais por obrigação do que por prazer. 

Entretanto, mergulhar no Salmo 119 é um ótimo e prazeroso exercício (...), buscando entender melhor o que ele ensina. Embora, por si só, o Salmo 119 sirva para inspirar um livro inteiro em 2 ou 3 volumes, alguns versículos merecem ser brevemente destacados. A estrutura do Salmo 119 é bem conhecida. 

É um salmo composto de 22 estrofes, uma para cada letra do alfabeto hebraico, de 'Alef a Tav', que corresponderia a de 'A a Z' no alfabeto ocidental, ou seja, é um poema em acróstico com as 22 letras do alfabeto hebraico compostas em estrofes. Cada estrofe é composta de 8 versos, que, no original hebraico, começam com a mesma letra a que se refere a estrofe. 

Oito também são os sinônimos em hebraico para as palavras que se referem à Palavra de 'Elohim', geralmente traduzidas em português por:

1) lei - תּורה - torah ;
2) testemunhos - עדוּת - edut ;
3) preceitos - פּקּוּד - pikud ;
4) estatutos - חקּה - chukah ;
5) mandamentos - מצוה - mitsvah ;
6) juízos - משׁפּט - mishpat ;
7) palavra - דּבר - dabar ;
8) ordenanças - מנּי - miney.

Importante esclarecer que há 19 ocasiões em que o termo hebraico traduzido por 'palavra' é אמרה - 'imrah'  que, embora seja sinônimo também de 'lei, pacto, tratado' tem nesse casos o sentido de 'promessa', como num dos versículos mais conhecidos do Salmo, o verso 11 'Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti'. Repare no contraste até certo ponto inusitado: não é exatamente a 'palavra' de 'Elohim' como 'lei', 'mandamento' que devemos esconder no coração para não pecar contra Ele, mas a Sua 'promessa'! Os outros versículos em que 'lei' como 'promessa' aparece são os vv. 38, 41, 50, 58, 67, 76, 82, 103, 116, 123, 133, 140, 148, 154, 158, 162, 170 e 172. 

Interessante também observar que, mesmo 'transcrevendo' para o grego, mais tarde Paulo (Sha'ul) manterá essa estreita ligação entre 'lei' e 'promessa', mais especificamente em Efésios 6:2 - 'Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com 'promessa'

Somente dois versículos (122 e 132) não contêm um desses termos sinônimos, nem se referem explicitamente à Palavra de 'Elohim'. Ao que parece, o escritor do Salmo, divinamente inspirado, quis compor um hino à beleza e à perfeição, procurando abranger num único poema a totalidade dos atributos da Palavra de 'Elohim'. Outra razão possível para essa estrutura peculiar e repetitiva é o fato de se poder ensinar a importância da Palavra aos jovens e às crianças, que teriam uma maneira mais fácil de aprender e memorizar o Salmo, pelo menos em partes, já que cada estrofe utiliza pelo menos 6 desses sinônimos e contém em si mesma um resumo de tudo o que o salmista quer dizer. 

A autoria do Tehilim/Salmo 119 é desconhecida (), embora alguns estudiosos a atribuam a Esdras (). Aqueles que atribuem a Esdras o Salmo 119 filiam-se à corrente de estudiosos que identifica indícios de sua composição após o exílio babilônico (). Esses indícios seriam as referências aos 'poderosos' do verso 23, ao falar "diante de reis" do verso 46, de ter o Senhor como 'herança' no verso 57, e de ser perseguido por 'governantes' no verso 161. De fato, existe uma considerável probabilidade de que os eventos que se sucederam ao retorno do exílio babilônico tenham motivado Esdras, Neemias e os Levitas/Levi'im a comporem o Salmo que prega exatamente a fidelidade à Lei de 'Elohim' e o arrependimento pelo fato do povo ter dela se desviado

Quando o capítulo 9 de Neemias narra a confissão coletiva do povo de Israel, termina com 'um firme concerto e o escrevemos; e selaram-no os nossos príncipes, os nossos levitas e os nossos sacerdotes' (verso 38). O capítulo 10 enumera as famílias dos que firmaram este pacto, que, segundo o verso 29, 'firmemente aderiram a seus irmãos, os mais nobres de entre eles, e convieram num anátema e num juramento, de que andariam na Lei de 'Elohim', que foi dada pelo ministério de Moisés, servo de 'Elohim'; e de que guardariam e cumpririam todos os mandamentos do SENHOR, nosso 'Adon', e os seus juízos e os seus estatutos, atitude corroborada pelo verso 106 do Salmo 119, em que o salmista proclama: 'Jurei e cumprirei que hei de guardar os teus justos juízos'

Repare que somente em Neemias 10:29 aparecem quatro termos diretamente associados à Palavra de 'Elohim': 'Lei', 'mandamentos', 'juízos' e 'estatutos'. Se já era típico do povo hebreu a repetição de termos para fixá-los ainda mais, este comportamento foi ainda reforçado após o retorno do exílio. 

Como Neemias 9:38 expressamente narra, aquele pacto foi 'escrito'. Logo, dada a sua forma única e, por assim dizer, extravagante de composição, o que lhe dá lugar de destaque no Saltério, supõe-se também que o Salmo 119 tenha sido - talvez - o único a ter sido originalmente composto por escrito, para depois ser lido ou recitado, cerimonialmente, enquanto os outros eram geralmente compostos inicialmente de forma verbal ou cantada, por serem obviamente mais simples e fáceis de memorizar. 

O texto-base para este estudo é a versão Almeida Revista e Corrigida, intercalado com outras versões ()."
................
Tehilim/Salmos 119 verso 9 diz que a melhor (ou única) maneira do jovem purificar o seu caminho é alinhando-o à Palavra de “Elohim”. E não só o jovem, mas todo aquele que busca uma vida alinhada à Palavra de "YHWH" deve observar Suas Mitzvot/Mandamentos, tendo-as como regra de vida e prática.
"Escondi a Tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti". (Tehilim/Salmos 119:11)
Se, hoje, ficássemos impedidos de estudar as Escrituras Sagradas, como o povo de Israel ficou, durante os vários períodos de perseguições, exílios, inquisições por que passaram, a "Palavra" de YHWH estaria em nossas bocas?  Se inquiridos sobre os mandamentos do Eterno, lembraríamos pelo menos do IV?  Se questionados sobre a nossa fé, teríamos nos lábios como Yeshua/Jesus, em Marcos 12:28 a 34: "Shemá Israel Adonai Eloheinu Adonai Echad./Ouve, Israel, o Senhor nosso Elohim é o único Senhor.
Nunca é tarde para revermos nossos conceitos!
Os sinais estão  aí ...
Shavuah Tóv!
(nota): os nomes pagãos do texto foram substituídos. 
fonte:  www.e-cristianismo.com.br (parcial)

Um comentário:

  1. Gostei muito desse estudo.
    Você é ótima em achar preciosidades!!

    Seu trabalho é maravilho!!! Parabéns!!!

    ResponderExcluir