sábado, 1 de outubro de 2011

VIDEO - "BESHUV HASHEM" (QUANDO O ETERNO TROUXE DO CATIVEIRO)

"Quando O Eterno trouxe do cativeiro os que voltaram a Tzion,
estávamos como os que sonham."

video
Tehilim/Salmos 126:1
"beshuv Hashem et shivat Tzion 
hayinu kecholmim"
O que As Escrituras nos ensinam sobre teshuvá (retorno) e qual é mesmo o significado de retornar?
Começamos buscando na raiz da palavra as definições que podem nos ajudar nessa caminhada. A palavra que no hebraico é usada para dar uma idéia de retorno é “Teshuvá.” Se formos a fundo ao que é dito acerca dessa palavra, temos informações importantes:
Teshuvá é como recomeçar no Jardim do Eden, é como mergulhar naquilo que verdadeiramente somos espiritualmente, e fazer do Reino de HaShem domínio e poder totais para a sua vida; (RENDELMAN, R. D. (2006)). 12;
Teshuvá é um empreendimento que sintoniza toda a criação. Teshuvá é a expressão do desejo existencial do mundo de aproximar-se do Eterno. (SANSON, D., & FISHMAN, T. (2004) ) 13;
Teshuvá é a forma de ser feliz, criativo, e viver em harmonia com HaShem e com o universo. (SANSON, D., & FISHMAN, T. (2004)) 14;
Teshuvá é um retorno à fonte, à raiz de cada um, ao mais profundo do interior do indivíduo. (KOOK, 2004)) 15;
Teshuvá é a força que compele todos os mundos espirituais e físicos em direção à plenitude. (KOOK, 2004)16
A profundidade da palavra "teshuvá" é algo que impressiona, pois passa bem distante daquele ato de levantar a mão e aceitar o apelo emocionante de um missionário.
Diante da aliança inicial e da renovação feita através dos tempos conseguimos entender que a teshuvá é o retorno à videira, é “em sua base, um movimento para voltar a originalidade, à fonte da vida e da existência superior em sua forma completa.” (KOOK, 2004)17.
Quando ficamos apenas no ato da aceitação, isso nada significa. A teshuvá passa pelo buscar o ensino da “Videira Verdadeira” (a Torah do Mashiach) de forma integral. O caule, isto é, a aceitação em fazer parte da comunidade de Yisra'el por meio do sacrifício do Mashiach Yeshua, significa principalmente ser moldado para ter o caráter dEle, e, que através de Sua Palavra (novamente, a Torah), passa-se a ser alimentado por esta seiva pura afim de produzir frutos bons.
A teshuvá é um processo, e cada um tem suas próprias experiências e limitações, não existindo, portanto, um padrão. Porém, quando a teshuvá atinge níveis importantes na vida da pessoa, transforma espírito, alma e corpo por meio da ação da Ruach Elohim (Espírito de Elohim).
A teshuvá, quando se completa, produz um relacionamento direto do nosso espírito com a Ruah de  HaShem/O Espírito do Eterno, e nos coloca dentro da aliança e de seus propósitos originais.
Conclusão
Estar ligado à Verdade é a garantia de produzir bons frutos, ter nossa família e gerações futuras vivendo ao lado do Todo-Poderoso, sabendo que HaShem é fiel para cumprir Suas promessas. 
A aliança e as promessas são para todos que aceitam as Escrituras sem reservas, que buscam viver através da fé em Yeshua e da prática de Seus ensimamentos (Torah) - que, na verdade, está ligada à fé, pois fé sem obediência é crendice e não fé.
Assim sendo, Ele próprio, Yeshua, se oferece para viver como exemplo e morrer como expiação, mesmo sabendo que nem todos desejariam se ligar a essa Videira, e que optariam por viver em inimizade com Ele.
Partindo da aliança com Avraham (Abraão) e da perpetualidade dessa aliança surge uma nação que deveria ser um exemplo de ligação à Videira, de produção de bons frutos. 
O afastamento do caminho gerou repreensão e divisão, mas, nunca uma desistência por parte de HaShem, especialmente em virtude da recordação da "aliança eterna" feita com Avraham (Abraão). HaShem  usa de Sua sabedoria e até mesmo de Sua presença física no mundo (como HaShem Yeshua) para alertar aos israelitas de sua missão e dos termos dessa aliança, bem como de Suas promessas, e que levam os dispersos da Casa de Israel ao retorno (teshuvá) à Videira Verdadeira, ao reconhecimento de Yeshua como o Mashiach (Messias) e restaurador do Mishkan (tabernáculo) de David. 
O mais importante é entender que YHWH não desistiu da família Yisra'el, pois firmou com ela uma aliança perpétua, e jamais criou ou escolheu outro corpo para substituí-la, o que poria em dúvida o compromisso com a verdade por parte de HaShem.
E a chave de toda a verdade bíblica está na “Unidade”: um só Rosh/Cabeça, uma só liderança e um só legislador, Um Eterno, um Caminho, uma Torah, uma família (Yisra'el). A chave de toda mentira do inimigo está na criação de divisões, separando Yeshua de HaShem (como se houvesse dois poderes celestiais); dois Caminhos (um Antigo e um Novo); duas alianças (uma Nova e uma Antiga), ou duas Leis (uma para judeus e outra para “gentios”), e mais de um corpo (Yisra'el físico e “Yisra'el espiritual”).
“E os filhos de Yehudá e os filhos de Yisra'el juntos se congregarão, e constituirão sobre si uma só cabeça” (Hoshea/Oséias 1:11)
“Há um só corpo e uma só Ruach, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só YHWH, uma só fé, um só mikveh; um só Elohim e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos.” (Efessayah (Efésios) 4:6)
“O Mashiach é o Cabeça da Kehilah” (Efessayah/Efésios 5:23) e essa Kehilah (congregação) é formada por “judeus + efraimitas + estrangeiros" que se ligam à "Videira" para produzirem bons frutos, conforme os planos de HaShem desde a criação do homem. 

(baseado no estudo: TESHUVÁ - A CHAVE PARA A RESTAURAÇÃO DE NOSSA IDENTIDADE ESPIRITUAL -  torahviva.org)

Nenhum comentário:

Postar um comentário