quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O CAMINHO DE ELOHIM (PARTE 2)

O Monoteísmo dos Nomes Plurais
Retomemos a questão do politeísmo. Como vimos, os povos politeístas identificavam que as diferentes forças que regiam seu mundo eram, na realidade, diferentes divindades. Em seguida, constatamos que Israel tinha uma visão mais elaborada sobre YHWH. Afinal, os diferentes nomes, como vimos, referiam-se a diferentes aspectos do Seu Ser. Mas a questão vai além disto.
Não é à toa que alguns dos principais nomes e/ou títulos de YHWH são plurais. Os termos bíblicos “Elohim”, “Shadai” e “Adonai” não são termos singulares, e sim termos plurais:
Elohim: O termo “Elohim” é, na realidade, um plural da raiz “El”, que significa literalmente “poder” ou “força”. O termo plural torna a palavra superlativa, e podemos compreendê-la como “poder supremo”. Mas, por que, a palavra torna-se superlativa? Exatamente porque, diferentemente dos demais povos, Israel reconhecia que todos os “poderes” ou todas as “forças” que regiam as suas vidas vinham de um único Ser. Ou seja, Elohim é a somatória de todas as forças/poderes. Ele é o poder único e supremo. Se já não se houvesse formado uma cultura em torno da tradução deste nome, a melhor forma de traduzi-lo seria “Todo-Poderoso”.
Shadai: O termo “Shadai” também é, na realidade, o plural da raiz “shad”, que significa literalmente “espírito”, mas no sentido de uma aparição sobrenatural. É a mesma raiz que dá origem à palavra “shedim”, que muitas vezes traduzimos como “demônios”. O que então significa o termo Shadai? Significa que Israel compreendia que tudo o que acontecia de sobrenatural (evidentemente aí está implícito todo evento sobrenatural positivo) tinha sua raiz em YHWH. Em outras palavras, Ele é o “Senhor dos Espíritos”, aquele que enviava os seus mensageiros para dar visões e palavras ao povo.
Adonai: Mais uma vez, o termo “Adonai” também é a forma plural do termo “Adon”, que significa “senhor”. Em outras palavras, Israel reconhecia que todo “senhorio” na realidade pertencia a YHWH. Não havia, como os outros povos entendiam, vários “senhores”. Esses “senhores” – os poderes por trás do vento, das chuvas, e do governo de todas as coisas – na realidade eram unicamente um. “Adonai” é o “único senhor” ou, em sua forma estendida “Adonei haAdonim” (Senhor dos senhores).
Em suma, aqui Israel se diferencia das outras religiões, por reconhecer que todas as manifestações sobrenaturais na realidade eram regidas por Um Único Ser.
Resumindo o que temos até aqui: Um Único Ser que, por ser infinito e muito além da capacidade humana, não poderia ser percebido ou descrito de uma única forma, e que na realidade era Aquele que governava todas as coisas.
YHWH (O Eterno) comunica-se consigo mesmo
Não é difícil percebermos, pelo que vimos até aqui, o porquê é possível perceber manifestações duais, trinas, ou mais, de YHWH. Mas, será que achamos exemplos disso na Bíblia? Certamente, pelo que vimos até aqui, que todos os indícios apontam na direção de que Israel entendia tais coisas. Mas, para provarmos tal ponto, é preciso encontrarmos unicamente na Bíblia a confirmação desse fato.
Na realidade, a Bíblia não só está repleta de tais exemplos, como ainda mostra que, do ponto de vista do ser humano, YHWH parece comunicar-se consigo mesmo. Uma das principais críticas do arianismo é a de que supostamente as outras visões sobre a natureza de YHWH faziam com que o mesmo parecesse um ventríloquo ou um esquizofrênico, falando consigo mesmo. No entanto, a Bíblia mostra isso acontecendo sem qualquer sombra de dúvidas.
Esquecem-se os proponentes de tal vertente que a “comunicação” de YHWH consigo mesmo, é unicamente um antropomorfismo gerado unicamente por causa da nossa limitação de percepção. Será que quando a Bíblia diz que YHWH falou aos seus anjos, isto significa que Ele inspirou ar; expirou; vibrou suas cordas vocais; posicionou sua língua; gerou uma onda sonora que se propagou até os ouvidos dos anjos? E será que o tímpano dos anjos vibrou, traduzindo a onda sonora em impulso elétrico que trafegou pelo sistema nervoso dos anjos até os seus cérebros? Evidentemente que não podemos afirmar que foi isso que aconteceu. E, no entanto, a Bíblia nos diz que YHWH falou aos anjos. E falar é exatamente o fenômeno descrito acima. Podemos perceber que isso é um antropomorfismo: Uma forma de tentar explicar, em termos humanos, o que aconteceu.
Utilizamos antropomorfismos a todo momento, para explicar em termos que possamos entender, fenômenos que transcendem a nossa percepção imediata. Por exemplo: Seu cérebro se comunica com seu braço. E, nem por isso, braço e cérebro são distintos – na realidade, ambos fazem parte do mesmo ser. A própria classificação em “braço” ou “cérebro” é uma divisão arbitrária feita pela percepção do ser humano quanto à funcionalidade dos órgãos.
Semelhantemente, quando a Bíblia traz YHWH comunicando-se consigo mesmo, é por duas razões bastante simples: Primeiramente porque YHWH está se manifestando de tal forma que o ser humano o enxerga como mais de um – isso é devido ao limite humano (já falamos sobre isso nos exemplos da montanha e do relâmpago). E em segundo lugar, porque os escribas utilizaram de antropomorfismos para explicarem em termos que pudéssemos compreender.
1) “Então YHWH fez chover enxofre e fogo, de YHWH desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra.” (Bereshit/Gênesis 19:24)
Aqui podemos ver uma dupla-manifestação. YHWH havia estado com Avraham (Abraão), e manifestava-se como um homem na terra (vide capítulo 18). Em seguida, sua manifestação na terra faz chover enxofre de YHWH dos céus.
2) “Dá-me ouvidos, ó Ya'akov, e tu, ó Israel, a quem chamei; Eu sou o mesmo, eu o primeiro, eu também o último. Também a minha mão fundou a terra, e a minha destra mediu os céus a palmos; eu os chamarei, e aparecerão juntos. Ajuntai-vos todos vós, e ouvi: Quem, dentre eles, tem anunciado estas coisas? YHWH o amou, e executará a sua vontade contra babilônia, e o seu braço será contra os caldeus. Eu, eu o tenho falado; também já o chamei, e o trarei, e farei próspero o seu caminho. Chegai-vos a mim, ouvi isto: Não falei em segredo desde o princípio; desde o tempo em que Ela se fez eu estava ali, e agora Adonai YHWH me enviou a mim, e a sua Ruach. Assim diz YHWH, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou YHWH teu Elohim, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar.” (Yeshayahu/Isaías 48:12-17)
Podemos observar claramente que é YHWH quem está falando. Ele afirma que a Sua mão fundou a terra. E, no entanto, YHWH afirma que Adonai YHWH o enviou, e também enviou à Ruach Elohim (Espírito do Eterno). Ou seja, podemos ver que YHWH envia a YHWH e à Sua Ruach. Claramente vemos aqui não apenas o diálogo de YHWH para consigo mesmo, como ainda as Suas diferentes manifestações.
3) “E disse-lhe YHWH... Mas da casa de Yehudá me compadecerei, e os salvarei por YHWH seu Elohim, pois não os salvarei pelo arco, nem pela espada, nem pela guerra, nem pelos cavalos, nem pelos cavaleiros.” (Hoshea/Oséias 1:4-7)
Aqui vemos outra manifestação dual. YHWH, que é o interlocutor e o Salvador de Israel, diz que os salvará “por YHWH seu Elohim”.
4) “Porque assim diz YHWH Tseva'ot: Depois da glória ele me enviou às nações que vos despojaram; porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho. Porque eis aí levantarei a minha mão sobre eles, e eles virão a ser a presa daqueles que os serviram; assim sabereis vós que YHWH Tseva'ot me enviou. Exulta, e alegra-te ó filha de Tsiyon, porque eis que venho, e habitarei no meio de ti, diz YHWH. E naquele dia muitas nações se ajuntarão a YHWH, e serão o meu povo, e habitarei no meio de ti e saberás que YHWH Tseva'ot me enviou a ti.” (Zechariyah/Zacarias 2:8-11)
Aqui vemos dois personagens: O locutor, como podemos ver, é YHWH Tseva'ot (o Eterno dos Exércitos). Ora, esse mesmo locutor diz que YHWH Tseva'ot o enviou. Fica bem clara novamente a manifestação dual de YHWH.
5) “Mas YHWH disse a Satan: YHWH te repreenda, ó Satan, sim, YHWH, que escolheu Yerushalayim, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?” (Zechariyah/Zacarias 3:2)
Aqui podemos mais uma vez vermos uma dupla-manifestação. YHWH não diz “Eu te repreendo”, e sim “YHWH, que escolhe Yerushalayim, te repreenda”.
Acima vimos 5 casos em que YHWH manifesta-se como mais de um, inclusive comunicando-se consigo mesmo. Provavelmente há outros exemplos, mas estes já são suficientes para ilustrar a questão.
Propositadamente, os exemplos escolhidos foram do Tanach (o chamado “Antigo Testamento). Isso prova que a ideia é muito anterior à B'rit Chadashá (o chamado “Novo Testamento”) e que, portanto não é uma ideia que tem sua gênese no Cristianismo, ou na influência de algum tipo de paganismo, como alguns supõem.
Existe uma Trindade?
Mas, podemos então concluir que a doutrina da Trindade é correta, e que se trata de 3 pessoas em 1 único Ser? Na realidade não. A doutrina da Trindade também contém erros, que veremos mais adiante. O primeiro de que já podemos falar está na artificialidade de separar YHWH em três pessoas. Como vimos, não é YHWH que é separado, é o mundo que não é capaz de enxergá-Lo por inteiro. A separação é virtual, e não real.
A Trindade nega o aspecto feminino de YHWH
Em segundo, lugar, a doutrina da Trindade traz como problema o fato de que o termo “Ruach HaKodesh” (traduzido como Espírito Santo) é um termo feminino, e o dogma trinitário o coloca como masculino. Na realidade, a doutrina trinitária nega qualquer manifestação feminina de YHWH, embora a Bíblia esteja repleta delas, desde seu primeiro capítulo.
Há momentos inclusive muito claros, como por exemplo quando YHWH se manifesta como Mãe – fato associado à Shechiná:
Como alguém a quem consola sua mãe, assim eu vos consolarei; e em Yerushalayim vós sereis consolados.” (Yeshayahu/Isaías 66:13)
Não é à toa que, antes da doutrina da Trindade se firmar no meio cristão, o texto hebraico de Matitiyahu se referia à Ruach HaKodesh (Espírito Santo) como “Mãe de Yeshua”. Segundo Orígenes (com. de Jo. 2:12; com. de Jer. – homilia 15:4) e Jeronimo (com. de Mic. 7:6; com de Eze. 16:3; com. de Is. 40:9), o texto original de Matitiyahu/Mateus 4:1 no hebraico diz:
Então foi conduzido Yeshua pela Ruach HaKodesh ao deserto, para ser tentado pelo Acusador, conforme nos disse: “Assim minha mãe a Ruach HaKodesh me tomou por um de meus fios de cabelo,53 e me carregou até o grande monte Tabor.”
Equívoco sobre o termo K'numah
Em terceiro, a doutrina da Trindade partiu de uma compreensão equivocada do termo aramaico “k'numah”, defendido pelos nestorianos, que diziam que YHWH possuíam 3 k'numeh.
O entendimento nestoriano baseava-se no versículo abaixo citado, a partir do aramaico original de Yochanan/João:
Assim como o Pai tem vida em sua k'numah, assim ele deu também ao seu Filho a vida em sua k'numah.” (Yochanan/João 5:26)
O termo aramaico “k'numah” significa “aspecto, elemento, substância ou essência”. Não é difícil entendermos: o “Filho” não é o “Pai”, no mesmo sentido de que “Elyon” (Altíssimo) não é “Shechiná” (Presença). Cada termo se refere a um tipo de manifestação distinta de determinado aspecto/essência (aramaico: k'numah) de YHWH.
Infelizmente, Roma entendeu que o termo “k'numah” poderia ser entendido como “pessoa”. Para maiores informações, vide nosso material sobre a origem da doutrina da Trindade.
Manifestações Artificialmente Afixadas
Em quarto, a doutrina da Trindade fixa as manifestações de YHWH em Pai, Filho e Espírito. Na realidade, YHWH pode manifestar-se de diferentes formas. Os nomes/títulos que Ele recebe nas Escrituras, por exemplo, poderiam ser vistos como diferentes manifestações dEle.
Os que defendem a Trindade apontam para a imersão de Yeshua como prova de que Pai, Filho e Espírito Santo são distintos. Ao fazê-lo, acertam. Todavia, como vimos, nem sempre YHWH se manifesta como Pai, Filho e Espírito Santo.
YHWH manifesta-se como a Sua Presença (Shechiná), como o Senhor dos Espíritos (Shadai), como o Guerreiro (YHWH Tseva'ot), ou mesmo de formas mais simples como o Anjo de YHWH, a sarça ardente, os pilares de nuvem/fogo, entre outros.
A razão pela qual a Bíblia se refere a tantas formas de YHWH se manifestar é muito simples: YHWH é infinito, e o ser humano é muito limitado. O principal, todavia, é reconhecermos que, como diz o principal axioma do Judaísmo: Shemá Israel YHWH Eloheinu YHWH Echad. (Ouve, oh Israel, YHWH nosso Elohim, YHWH é UM).
Número de Manifestações Artificialmente Afixado
E, por fim, a doutrina da Trindade fixa o número de manifestações de YHWH em até três. Como veremos mais adiante, há situações nas Escrituras em que YHWH se manifesta como mais de três.
Por exemplo, YHWH chega a manifestar-se até mesmo de 8 formas de uma única vez. Isso pode ser visto com clareza em Guilyana (Apocalipse):
Yochanan, às sete kehilot que estão na Ásia: Graça e shalom seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da das Sete Ruchot que estão diante do seu trono.” (Guilyana/Apocalipse 1:4)
E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são as sete Ruchot de Elohim enviadas a toda a terra.” (Guilyana/Apocalipse 5:6)
Em ambos os casos, vemos YHWH manifestando-se na forma do Cordeiro, e das 7 Ruchot (Espíritos) que estão diante do trono. Evidentemente, a doutrina da Trindade não tem como explicar o acima.
Até porque a manifestação de YHWH enquanto 7 Ruchot (Espíritos) não é novidade alguma, pois aparece no Tanach (o chamado “Antigo Testamento”) de forma bastante clara:
E repousará sobre ele a Ruach YHWH, a Ruach de sabedoria e de entendimento, a Ruach de conselho e de fortaleza, a Ruach de conhecimento e de temor de YHWH.” (Yeshayahu/Isaías 11:2)
Também não é em Yeshayahu (Isaías) que as 7 Ruchot (Espíritos) aparecem pela primeira vez. Chanoch (Enoque) já havia escrito a respeito delas:
E Àquele abençoaram com suas primeiras palavras. E exaltaram e louvaram com sabedoria, e se mostraram sábios no falar e na Ruach Chayim. E YHWH Tseva'ot colocou o Escolhido no trono da glória. E Ele julgará todas as obras dos santos acima no céu, e na balança suas obras serão pesadas. E quando Ele erguer a Sua face para julgar seus caminhos secretos conforme a Palavra do Nome de YHWH Tseva'ot, e o seu caminho conforme o caminho do juízo reto de YHWH Tseva'ot, então todos eles com uma voz falarão e abençoarão, e glorificarão e exaltarão e santificarão o Nome de YHWH Tseva'ot. E Ele convocará todas as hostes celestiais, e todos os santos acima, e a hoste de Elohim: os k'ruvim, serafim, ofanim, e todos os anjos de poder, e todos os anjos dos principados, e o Escolhido, e os outros poderes na terra e sobre a água naquele dia levantarão uma voz, e abençoarão e glorificarão e exaltarão na Ruach da fé, e na Ruach da sabedoria, e na Ruach da longanimidade, e na Ruach da graça, e na Ruach do juízo e do shalom, e na Ruach da bondade, e todos dirão em uma voz: “Bendito é Ele, e que o Nome de YHWH Tseva'ot seja bendito para todo o sempre.” (Chanoch/Enoque 61:7-11)
Não apenas temos no final a menção às 7 Ruchot (Espíritos) de Elohim, como se considerarmos o trecho como um todo, vemos ainda que Elohim se manifesta ainda como Ruach Chayim (Espírito da Vida), como YHWH Tseva'ot (YHWH dos Exércitos) e como o Escolhido, isto é, o Mashiach. Em outras palavras, temos nada menos do que 10 diferentes formas de YHWH se manifestar.
Isso para nós não deveria ser surpresa alguma. Se um relâmpago, como vimos no exemplo, é capaz de nos dar a impressão de que são 2 manifestações distintas, o que diremos de um Ser infinito e ilimitado. Muitas vezes, uma única manifestação não é suficiente para explicar toda a intensidade da mensagem a ser transmitida.
Por fim, vale ressaltar que em momento algum as Escrituras chamam Pai, Filho e Ruach de “pessoas distintas”, assim como não chama YHWH, Elohim, Shadai, Shechiná, Elyon, Eloach, etc. de pessoas distintas. Se o Tanach (chamado de “Antigo Testamento”) nos ensina algo é que YHWH todas estas são formas de enxergar alguns dos atributos de Elohim.
Outros Erros
À primeira vista, a descrição dada pode parecer para alguns superficialmente semelhante ao Modalismo, ou Sabelianismo – nome dado em razão dessa doutrina ter sido defendida pelo monge Sabélio antes do dogma da Trindade ser fixado por Roma.
Na realidade, existem algumas diferenças básicas para com o Modalismo: A saber, o fato de que o Modalismo entende que as diferentes manifestações de Elohim são unicamente diferentes formas de Elohim se revelar. Não é bem assim: Na realidade, são diferentes percepções que temos de diferentes k'numeh (aspectos ou essências) de Elohim. Embora a diferença possa parecer semântica, não é. Tertuliano, por exemplo, acertadamente criticou o Modalismo por seu “Patripassianismo”, isto é, por executar o Pai no madeiro, ao invés do Filho. De fato, no Modalismo não há nenhuma distinção real entre Pai e Filho. Todavia, podemos perceber que na visão bíblica, há uma clara distinção, devido às diferentes k'numeh – assim como Elyon não é Shadai, no sentido de que são aspectos diferentes de YHWH ou, pelo menos, aspectos percebidos por nós como sendo diferentes devido à nossa limitação de percepção.
O erro de Sabélio, e dos demais Modalistas, foi um erro que é bastante comum no Cristianismo: Ignorar o que dizia o Tanach (chamado “Antigo Testamento”) e tentar construir uma doutrina quase que unicamente neo-testamentária, ignorando as bases anteriores do Judaísmo.
Outra visão equivocada, como podemos perceber, é o Arianismo, ou a doutrina que diz que o Pai e o Filho são seres distintos. Já percebemos que manifestações plurais, que o Arianismo nega, são plenamente bíblicas e abundantes. Também já vimos anteriormente que Yeshua é de fato YHWH feito carne. Assim, o que simboliza o Arianismo? Um retrocesso ao politeísmo. Ao dividir Pai e Filho, criam dois poderes celestiais, quando as Escrituras nos afirmam que há somente UM Elohim. Tal doutrina destaca-se das demais porque além de equivocada é bastante perigosa, no sentido de que viola a principal mitsvá (mandamento) da Torah:
Eu sou YHWH teu Elohim, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim.” (Shemot/Êxodo 20:2-3)
Este é também o perigo, na prática, da doutrina da Trindade, pois a idéia de 3 pessoas compondo um único ser também é perigosamente próxima a de um panteão. Porém, tudo depende de como na prática isso ocorre. Há grupos modernos que chegam ao ponto de invocarem separadamente Filho e Espírito, por exemplo. Ao fazerem isso, chegam a um politeísmo prático, mesmo que filosoficamente a doutrina trinitária se diga monoteísta.
Todavia, como a doutrina da Trindade é demasiadamente complexa e sem qualquer paralelo na percepção humana, a grande maioria dos trinitários é, na realidade, um “modalista na prática”. A maioria deles, ao ser abordado com uma descrição do Modalismo, sem saber o que é, concorda com sua definição e declara pensar dessa forma. E o Modalismo, embora cometa o equívoco apontado por Tertuliano, é uma doutrina que não oferece nenhum tipo de “perigo teológico”, chamemos assim, por não ferir nem a unicidade de YHWH, nem tampouco deixar de reconhecer que Yeshua é YHWH feito carne.
Conclusão
Como podemos perceber, a questão da natureza de YHWH não é trivial, mas é bem mais simples quando olhamos unicamente para as Escrituras, e o fazemos como um todo. A falta de sentido das diversas vertentes teológicas explica-se em dois fatores: O ignorar as bases, ou o partir de ideias preconcebidas ao invés de deixar que as Escrituras falem por si próprias.
OooOOOooo
fonte: torahviva.org

11 comentários:

  1. shalom,
    me chamo DIOGO gostei muito desse artigo minha visão é parecida,é um erro colocar Yeshua como uma criatura pois ele é o proprio verbo de DEUS ou emanação da sua vontade e o Espirito é sua propagação, nisso eu creio ,diferentes partes do mesmo DEUS.

    ResponderExcluir
  2. Shalom, Diogo!
    Exatamente ... um Único Elohim e muitas formas de se "revelar" ao homem! Maravilhoso, não?!
    Ya'el

    ResponderExcluir
  3. Khaled ben vieirajunho 07, 2013 12:51 AM

    Shalom chaver gostaria de mais estudos sobre o feminino dentro do Tanach,onde eu creio que tenha sim,digamos uma Deusa que isso não caia numa compreensão de mitos dos deuses do passado.

    ResponderExcluir
  4. Shalom, Khaled
    O Eterno é Um! Certamente, com várias formas de Se manifestar, todavia, Um Único. Quando falamos de "feminino ou masculino" em relação ao Eterno, estamos falando simplesmente de características compreensíveis ao ser humano, não de "um deus ou uma deusa".
    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  5. Sei que foge um pouco do tema proposto, no entanto tenho procurado respostas e nenhuma satisfatória: Como você harmonizaria o fato de Yeshua ter que nascer do sêmen de Yosef (para cumprir o TANAKH)com o relato da B'rit Hadasha em Mattiyyah cap. 1, onde diz que ele nasceu de uma virgem? Não posso deixar de ressaltar: Ótima reflexão! Shalom!!!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Shalom, Marcos. Os textos originais trazem as palavras "betulah e almah", erroneamente traduzidas por "virgem". A primeira pode significar "jovem casada" (Yoel, Ester) e a segunda por "jovem em idade de casar", mas, não "virgem" no conceito ocidental da palavra. Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado raver! Quando puder me indique estudos sobre essa questão! Não posso mais uma vez deixar de ressaltar! Melhor explicação que já li sobre o assunto sobre a essência e manifestações do Eterno!

      Excluir
  8. Então que dizer quando os escritores das escrituras fazem distinção de Yeshua e Kadosh Baruch e Ruach Kadosh e etc. é na verdade nós que percebemos como algo distinto.
    Eli, Eli, lemá sabachtháni - Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste Mateus 27,46 e Marcos 15,34.
    - “eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus” [João 20:17.
    Jesus também tem um Deus? É verdade; Está na Bíblia? Disse: Jesus meu Deus e vosso Deus. JOÃO 20: 16 e 17 Disse: Jesus meu Pai e vosso Pai.
    JOÃO 20 : 16 e 17

    16 Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni (que quer dizer, Mestre).

    17 Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.

    “A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.” (Apocalipse 3 : 12)

    “Ouvistes que eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis porque eu disse: Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.” (João 14 : 28)
    Desculpe minha ingnorãncia! Achei muito bom este estudo! Mas o que diria quanto essas e outras passagens? Muito obrigado!Shalom!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom, chaver. Observando as Escrituras podemos ver que essa questão da humanização de HaShem foi potencializada no Novo Testamento. E não só em Yeshua foram projetadas as várias naturezas de YHVH, mas também em seus seguidores e em nós, rs. Veja o que diz os versos (1 Cor. 3:16-17; 2 Coríntios 6:16; 1 Pe 1.15, 16; Romanos 8:11 e muitos outros).
      “Então NÃO quer dizer que os escritores do Novo Testamento fizeram distinção entre Yeshua, o Kadosh Baruch e Ruach Kadosh. Afinal, não são eles mesmos que mencionam em seus escritos que “somos filhos do Altíssimo, somos habitação da Ruach haKodesh” e que os mesmos prodígios feitos por Yeshua poderiam ser feitos por nós, até em maior escala? Na verdade, o que buscaram demonstrar em seus textos e cartas é que o que nos diferencia são as nossas ações; são elas que nos aproximam ou afastam de HaShem e podemos ter como exemplo Yeshua - um rabino (Mestre), que mais do que ensinar a Torah, buscava vive-la.
      Dito isto, podemos concluir que o Novo Testamento é cheio de metáforas, mas, hoje, de posse do conhecimento das línguas que o originaram, de uma melhor compreensão da Torah e, com a ajuda da tecnologia – que nos coloca à disposição uma série de estudos e manuscritos históricos e arqueológicos – nos é possível desmistificar muitos textos mal traduzidos, conhecer seus verdadeiros significados e contextualizar tudo segundo a cultura e tradições da época.
      Agradeço sua participação. Espero ter ajudado.
      Shavuá Tóv.

      Excluir