quarta-feira, 28 de setembro de 2011

CICLO TRIENAL - SEDRAH 29 (Semana de 25 de setembro a )

Torah: Bereshit/Gênesis 33:17; 34:31
Tema(s): Ya'akov/Jacó em Shechem;  A violência à Dinah; A Vingança de Shimon/Simão e Levi
Haftarah: Chanoch/Enoque 46; Yeremiyahu/Jeremias 4; Esrah/Esdras 3
Tema(s): O Mashiach; Circuncisão e Pessach; Invasão do Norte 
Shirim u’Chochmah: Tehilim/Sal. 29; Mishlei/Prov. 29
Tema(s): O Poder de YHWH; O ímpio e o justo


PERGUNTAS 

1      texto: Bereshit 34:1-34. Diante dos fatos e do posicionamento de Ya’akov, a atitude de Shimon e Levi encontra suporte na Torah?

2   Lendo Chanoch/Enoque 46:10,11: “Eles condenarão as estrelas do céu, elevarão suas mãos contra o Altíssimo, caminham e habitam sobre a terra, exibindo todos os seus atos de iniquidade, mesmo suas obras de iniquidade Sua força estará em suas riquezas e sua fé nos bens que têm formado com suas próprias mãos. Eles negarão o Nome de YHWH das Hostes e O expulsarão de seus templos, nos quais eles se reúnem”. Em sua opinião, a que esse  que passuk/versículo remete?

3       Em Yehoshua/Josué 5:1-12, identifique:
a)    uma menção profética;
b)    cumprimento de pelo menos 3 mitzvot (mandamentos)

4       Dê a sua interpretação sobre Yehoshua/Josué 5:13-15.

Bom estudo e Lehitraot!

RECEITAS PARA SUKOT - A FESTA DAS CABANAS/PENTECOSTES

Estamos nos aproximando de  Chag Sukot, uma importante festa Bíblica com santa convocação (Shabat) no primeiro e oitavo dias!

Sukot é uma Festa de perigrinação (vide estudo sobre as Festas Bíblicas), à exemplo de Chag HaMatzot (Festa dos Pães Àzimos) e Chag Shavu'ot (Festa das Semanas ou Pentecostes).
Chag Sukot (ou Festa das Cabanas/Tabernáculos) é a sétima festa do Calendário Bíblico; ocorre no sétimo mês, cinco dias depois de Yom haKipurim e dura oito dias! 
"E tomareis para vós, no primeiro dia, o fruto da árvore formosa, palmas de palmeira, ramos de murta e de salgueiro das ribeiras, e vos alegrareis diante do Eterno, vosso Deus, durante sete dias". (Levítico, 23:40)
Sukot vem da palavra Sukah, popularmente traduzida como "tenda" ou "cabana", como abrigo contra as intempéries, tanto para homens, quanto para animais; algo "provisório" que pode ser desmontado.
Segundo as Escrituras Sagradas, durante uma semana devemos “habitar” nessa cabana ou sukah, inclusive (na medida do possível), fazendo as refeições e demais atividades. 
A sukah não é construída para ser um lugar de comodidade, mas um abrigo, lembrando que, nos tempos bíblicos as mesmas eram coberturas de ramos de palmeira ou outras folhagens que pudessem servir de cobertura. (Leia Nehemiyah/Neemias 8:14-18).
Contudo, não podemos nos esquecer que devemos empreender todo o esforço necessário para cumprir com cada Mitsvah (Mandamento), segundo as nossas forças, afinal, o que importa para YHWH é a kavanah (intenção verdadeira do coração).

E, como toda festa israelita termina sempre com uma boa refeição, seguem algumas receitinhas de salgados e doces, muito típicos dessa época.

CHARUTO DE REPOLHO/FOLHA DE UVA OU ACELGA
Ingredientes: 
1 repolho
Recheio de carne:
750 g de carne moída
1/2 xícara (de chá) de arroz cozido
2 ovos1/4 xícara de cebola picada
sal e pimenta a gosto.
Molho:
Refogue 1 colher (de sopa) de farinha de trigo no azeite.
Acrescente molho de tomate (1 lata)
alho poró à gosto
2 colheres (sopa) de açúcar
1 1/2 xícara (de chá) de água
2 folhas de louro, sal.

Modo de Preparar:
Lave bem as folhas do repolho, deixe-as inteiras.
Coloque as folhas de um repolho voltadas para cima
em meia panela com água.
Acrescente uma colher de bicarbonato na água, 
para que as folhas conservem a cor e percam o odor forte.
Cozinhe em fogo baixo durante cinco minutos até as folhas amolecerem.
Em seguida, retire-as da panela e mergulhe em água fria.
Coloque uma colher (de sopa) do recheio numa das extremidades da folha,
enrole no sentido do comprimento e dobre as duas pontas para dentro.
As folhas de repolho ficarão firmes se forem enroladas quando ainda quentes.
Coloque os rolinhos em uma forma tipo pirex, lado a lado.
Se a quantidade for grande, 
coloque os rolinhos em camadas, alternadas com o molho.
Deixe cozinhar em fogo brando por cerca de 2h.

TORTA DE VERDURAS PARA SUKOT
Ingredientes: 
1xícaras de cebola picada
1xícaras de salsão picado
1xícaras de cenoura picada
1xícaras de nozes modas
3 colheres (sopra) de óleo
1xícaras de farinha de rosca
2 ovos inteiros
sal, pimenta e orégano
1xícaras de caldo de frango
 Modo de fazer:
Refogue a cebola, o salsão e as cenouras no óleo por alguns minutos. 
Adicione os ingredientes restantes misturando muito bem. 
Coloque a massa em refratário (pirex) untado 
e, por cima,  polvilhe com queijo parmesão ou farinha de rosca.
Asse em temperatura moderada por 45 minutos.

BOLO PÃO DE MEL
Ingredientes:

3 xícaras e 1/2 (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de açúcar mascavo
1 xícara (chá) de maionese tradicional
(isso mesmo, a maionese - não pode ser a light!)
1 xícara (chá) de chocolate em pó
1 xícara (chá) de leite
1 ovo inteiro
2 doses de conhaque
1 colher (café) de canela em pó
2 cravos da índia
2 colheres (chá) de fermento em pó químico
1 xícara (chá) de mel ou glucose de milho (Karo)
Opcional: (nozes para enfeitas)
Modo de Preparar:
Bata todos os ingredientes no liquidificador, exceto o fermento.
Despeje em uma tigela e junte o fermento, misturando lentamente.
Coloque a massa em uma fôrma untada com formato de sua preferência. 
Leve ao forno médio por 15 minutos.
Antes de cortar para banhar, leve o bolo inteiro (na forma mesmo) à geladeira por 20 minutos;
fica mais fácil para cortar e a faca não gruda.
Cobertura:
400 g de chocolate hidrogenado ao leite ou meio amargo.
Derreter no micro-ondas por 30 segundos, mexendo mais 3 minutos. 


GELEIA DE CIDRA
1 etrog (cidra) grande
1 laranja
1 grapefruit
3 xícaras de açúcar

Modo de Preparo:
Lave as frutas, corte na metade e remova as sementes.
Corte-as em pedaços e coloque numa tigela com água suficiente para cobrir.
Cubra com filme plástico e deixe de molho por uma noite.
No dia seguinte, transfira as frutas e a água para uma panela.
Deixe ferver sem tampar por 30 minutos.
Escorra em peneira fina, 
e transfira as frutas para uma xícara de medida (cerca de 3 xícaras).
Coloque no processador e pulse por três a quatro vezes.
Transfira para a panela. 
Adicione uma xícara de açúcar para cada xícara da polpa.
Leve ao fogo, mexendo constantemente, até dissolver o açúcar.
Deixe ferver descoberto por 30 minutos, 
mexendo freqüentemente, até que a geléia engrosse.
Despeje em vidros esterilizados, cubra e após esfriar, coloque na geladeira.

Bet'avon v'Chag Sameach Sukot!

mais detalhes sobre a Festa de Shavuot: visite o site: www.torahviva.org

domingo, 25 de setembro de 2011

HERANÇA ISRAELITA (5) - "TRIBOS DE ZEVULUN (ZEBULOM) E YISACHAR (ISSACAR)

"A IDENTIDADE E O PAPEL DAS 12 TRIBOS NOS ÚLTIMOS DIAS"
Na postagem desta semana, estaremos falando sobre mais duas Tribos: Zevulun/Zebulom e Issachar/Issacar.
  • Tribo de Zevulun
Ya'akov: Bereshit/Gênesis 49:13: 

Zevulun habitará no porto dos mares, e será como porto dos navios, e o seu termo será para Tsidon”.

Moshe Rabeinu: Devarim/Deuteronômio 33:18
E de Zevulun disse: Zevulun, alegra-te nas tuas saídas (expedições)”.
Zevulun/Zebulom é o nome do sexto filho de Leah/Lia e décimo filho de Ya’akov/Jacó. HaShem me concedeu excelente dote. Desta vez meu marido me honrará”. (Bereshit/Gênesis 30:20)
Significado do nome Zevulun: dádiva”; “presente”; “honra”.
Pedra que a representa no peitoral do Cohen Gadol/Sumo Sacerdote: Yahalom/Diamante.

A tribo de Zevulun/Zebulom era a quarta maior tribo de Israel. (Bamidbar/Números 1:31; 26:26). Na sequência em que as 12 tribos são mencionadas na Torah, Zevulun normalmente segue Issachar (Bamidbar/Números 1:9; 2:7), mas, na bênção de Mosheh/Moisés, às Tribos, Zevulun é mencionada antecedentemente (Devarim / Deuteronômio 33:18). A Tribo de Zevulum era formada por três famílias, cujos patriarcas eram os três filhos de Zevulun, conforme descrito em Bamidbar/Números 26:26-27. Quando da divisão do território entre as 12 tribos, Zevulun recebeu a porção ao centro, ao sul da Galileia. A leste e a norte, fazia fronteira com a tribo de Naftali, ao sul com Issachar e Menasheh, e a oeste com Asher (Yehoshua/Josué 19:10-16). Não haviam cidades importantes nessa região, todavia, sua localização era estrategicamente privilegiada, ocupando a região de leste a oeste do Vale de Yiesreel. Tanto Bereshit/Gênesis 49:13 quanto Devarim/Deuteronômio 33:19, associam Zevulun com o mar. Talvez seja essa referência básica ao comércio entre o Mar Mediterrâneo e o Mar da Galiléia, que enriqueceu a tribo de Zevulun.

Seus guerreiros foram exaltados por sua bravura na vitória sobre Sísera, liderada por Barac e D’vorah/Débora contra os opressores Chabin e Hazor (Juízes 4:6-10 / 5:14-18). Foi também importante na batalha liderada por Gideão contra os midianitas (Juízes 6:35).
Quando Davi se tornou rei sobre todo Israel, Zevulun enviou-lhe um grande contingente de 50.000 soldados e amplas provisões (I Crônicas 12:33-34). Um grupo de zevulunitas aceitou o convite do rei Ezequias e celebrou o Pessach/Páscoa em Yerushalayim/Jerusalém (2Crônicas 30:10,11,18). Todavia, juntamente com as outras tribos do norte, Zevulun afastou-se de Yehudah/Judá e caiu na idolatria.
Zevulun foi uma das tribos que não conseguiu expulsar os cananeus de suas possessões (Juízes 1:30) mas, os manteve como servos.
A tribo de Zevulun sofreu muito nas guerras com a Síria e Assíria, mas o profeta Yeshayahu/Isaías previu uma compensação gloriosa através da luz messianica que brilharia no seu território. Mas, para os que estavam aflitos não haverá mais obscuridade. No passado ele tornou desprezível a terra de Zebulom e Naftali, mas nos últimos dias a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia das Nações. O povo que andava em trevas, viu uma grande luz; sobre os que habitam na região da sombra da morte resplandeceu a luz “Yeshua HaMashich” (Yeshayahu/Isaías 9:1,2). Juntamente com Naftali, a tribo de Zevulun é mencionada, como contemplada com a honra de receber “Yeshua HaMashiach” quando de seu advento, conforme Matitiyahu/Mateus 4:12-16. O profeta Yeheskiel/Ezequiel inclui a tribo de Zevulun entre as 12 tribos do Israel ideal (Yeheskiel/Ezequiel 48:33). A tribo é ainda citada em Guilyana/Apocalipse 7:8, quando do selamento dos 144.000. Não houve mais referências históricas à Tribo de Zevulun.
Quem é Zevulun hoje?
Aqueles dentre os israelitas que amam o mar e procuram se estabelecer próximos aos oceanos podem ser zevulunitas.
Os zevulunitas caracterizam-se por uma grande paixão pelas atividades relacionadas à água, ao comércio e ao lazer. Além disso, são freqüentemente pessoas com grande disposição em viajar e, portanto, tornam-se excelentes emissários das Boas Novas em outras localidades.
Quem ama viajar e falar a pessoas de diferentes regiões e culturas pode ser um descendente moderno da Tribo de Zevulun.
  • Tribo de Yissachar
Ya'akov: Bereshit/Gênesis 49:14-15: 

Yissachar é jumento de fortes ossos, deitado entre dois fardos. E viu ele que o descanso era bom, e que a terra era deliciosa e abaixou seu ombro para acarretar, e serviu debaixo de tributo.

Moshe Rabeinu: Dt. 33:18
"e tu, Yissachar, [alegra-te] nas tuas tendas".
E ainda 1 Crônicas 12:32:
"E dos filhos de Yissachar, duzentos de seus chefes, destros na sabedoria dos tempos, para saberem o que Israel devia fazer, e todos os seus irmãos seguiam suas ordens".

Issachar foi o nome dado ao nono filho de Ya’akov (quinto filho de Leah/Lia). “HaShem me recompensou, por ter dado minha serva ao me marido; e ela o chamou Issachar”. (Bereshit/Gênesis 30:17, 18).

Significado do nome Issachar/Issacar: “recompensa”; “salário”; “pagamento”.
Pedra que a representa no peitoral do Cohen Gadol/Sumo Sacerdote: Shapir/Safira.

A tribo de Issacar era formada pelos patriarcas de quatro famílias principais, de acordo com Bereshit/Gênesis 46:13 e Bamidbar/Números 26:23-25.

Quando foi repartida a Terra Prometida, Issacar foi a quarta tribo escolhida por sorte para receber sua herança, ficando situada no fértil vale de Yiezreel. Limitavam-se com Issacar ao norte a Tribos de Zevulun e de Naftali; a leste o rio Jordão; ao sul o território de Menasheh; e ao oeste parte da área consignada a Asher. O Monte Tabor/Har Tavor situava-se ao longo de sua fronteira norte com Zevulun, ao passo que a cidade de Meguido situava-se perto de seu limites sudoete, e Bete-Shean estava na direção de seus limites sudeste. Neste território situavam-se várias cidades cananéias e seus povoados dependentes. (Yehoshua/Josué 17:10; 19:17-23). Foi nesse vale, que a tribo de Issacar, segundo a bênção de Mosheh/Moisés, “alegrou-se nas suas tendas”. (Devarim/Deuteronômio 33:18).

Assemelhar Issachar, filho de Ya’akovJacó, a um “jumento de ossos fortes” evidentemente indicava uma qualidade também refletida na tribo que dele descendia (Bereshit/Gênesis 49:14, 15). A terra que lhes fora consignada era deveras “agradável”, uma parte fértil da Palestina, excelente para a agricultura. Issachar parece ter recebido de bom grado o trabalho árduo envolvido nessa tarefa. Seu ‘encurvar o ombro para levar fardos’ revela boa disposição. Assim, embora a tribo não se destaque por nada excepcional, merece ser reconhecida por assumir seu quinhão da carga de responsabilidade.
Issachar era terceira mais numerosa das Tribos de Yisrael. Quando o povo de Yisrael marchava pelo deserto, Issachar posicionava-se a leste do Mishkan/Tabernáculo. Essa posição era compartilhada por Yehudah/Judá e Zevulun/Zebulom (Bamidbar/Números 2:3-8).
O cântico triunfal de D’vorah/Débora menciona a tribo de Issachar, cujos homens participaram da batalha contra Sísera. Um dos benefícios conquistados nessa vitória foi a liberação da passagem entre os israelitas da região montanhosa de Efraim e os Israelitas que viviam na Galiléia.
Nos livros de Yeheskiel/Ezequiel 48:25, 26, 33 Issachar é alistado com as demais tribos e Guilyana/Apocalipse 7:7, quando do episódio do selamento dos 144.000.

Quem é Yissachar hoje?

Os Yissacharitas estão na linha de frente da restauração das Duas Casas de Israel no final dos tempos. A maioria dos líderes que ensinam e defendem a verdade sobre as Duas Casas e que não são judeus são yissacharitas.
Podemos dizer isso com confiança porque na profecia de Ya'akov/Jacó, Yissachar se deita entre dois fardos, isto é, o fardo duplo de reunir as 2 famílias/casas do Israel disperso. Servir debaixo de tributo significa que tais indivíduos se tornaram servos para carregarem este fardo duplo. Yissachar está disposto a servir como intermediário entre as Duas Casas porque ele vê a recompensa de Israel que resultará disso: um lugar de descanso e paz na terra agradável.
Os yissacharitas são aqueles dentre Israel que entendem os tempos da restauração em que vivemos (vide citação no livro de 1 Crônicas.), e estão dispostos a levar essa verdade adiante, por enxergarem o descanso que há adiante quando a nação for plenamente restaurada.
Por este motivo, os yissacharitas são ferozes combatentes das mentiras do dispensacionalismo, da teologia da substituição e da teologia das entidades separadas.
(parte final:  Tribos de Asher e  Gad)





quarta-feira, 21 de setembro de 2011

YOM HAKIPURIM - RECEITAS PARA O TÉRMINO DO JEJUM

Antes de passarmos à nossa receita, cabe uma pequena introdução a respeito do Yom HaKipurim (Dia das Expiações), uma das datas mais importantes e significativas das Escrituras Sagradas.  
O Yom haKipurim é um dia dedicado ao ato de afligir a alma (nefesh) e de jejuar. O jejum é um dos elementos fundamentais da celebração de Yom haKipurim, apesar de não se restringir a isso
De acordo com o Tanach (Primeiro Testamento), Jejum é a prática de abstinência total ou parcial de alimentos (líquidos e sólidos), e costuma ser acompanhado de pesar, reflexão, contrição e tefilah/oração. Dentro desse contexto, aquele que jejua - consciente de sua pequenez e da falibilidade diante da grandeza e justiça de HaShe - busca alcançar a Sua graça/chessed,  misericórdia/rachem e perdão sobre sua vida. 
(Para maiores esclarecimentos, visite o site: www.torahviva.org).
PRIMEIRA REFEIÇÃO APÓS O JEJUM
Quando se passa várias horas em abstinência de alimentos, o ideal é que a primeira refeição seja feita de forma contida, com algo suave, que hidrate o corpo e recomponha o organismo.
Para isso, sugerimos algo leve, como o Kreplach, um prato típico da Culinária Judaica (uma espécie de caldo de carne com Raviolli ou Capelletti) e, para os aficcionados em doce, um Arroz Doce Marroquino ... hummmm!!!
(nota) Recomenda-se àqueles que vão jejuar, fazer uma boa refeição no período que antecede ao Jejum, e àqueles que tenham problemas de saúde (glicemia, diabetes, pressão alta, etc.) que sigam as recomendações médicas, podendo fazer um jejum parcial  à base de legumes, frutas e verduras, como em Dany'El 10:2-3.

SALGADOS

KREPLACH
Ingredientes

Massa
2 ovos grandes
1 pitada de sal
200 g de farinha de trigo
Recheio
1 cebola pequena picadinha
1 dente de alho
2 colheres (sopa) de óleo ou azeite
180g de carne moída (frango, cogumelos ou ricota temperada)
Sal e pimenta à gosto
1 ovo
2 colheres (sopa) de salsa verde

Modo de fazer
Massa
  • Bata os ovos com o sal e, gradualmente, acrescente a farinha de trigo vá misturando aos poucos. Feito isso, com as duas mãos, trabalhe bem a massa, delicadamente, por 15 minutos, até ficar macia e elástica.
  • Se necessário, acrescente mais farinha ou algumas gotas de água (há variação em função da qualidade da farinha, assim como do tamanho dos ovos).
  • Divida a massa em duas porções e, numa superfície enfarinhada. com a mão ou com a ajuda de um rolo, abra cada porção da massa o mais fina possível, formando um retângulo. (Se preferir, pode abrir massa e cortar com a boca de um copo).
Recheio
  • Frite a cebola até que fique transparente e macia e acrescente o alho.
  • Adicione a carne, o sal e a pimenta e vá mexendo até que doure.
  • Deixe esfriar e, depois, acrescente o ovo e a salsa e misture tudo até que forme uma pasta (se preferir, utilize processador.
  • Coloque uma colher de sobremesa do recheio no meio da massa cortada e dobre, diagonalmente.
  • Aperte bem as extremidades para fechar (se preferir use o garfo para auxiliar).
  • Mergulhe os Kreplach em bastante água fervente salgada e cozinhe por 20 minutos em fogo lento. Escorra e reserve.
  • Na hora de servir, coloque-os no caldo de galinha.
    Obs: (Não é conveniente cozinhá-los no caldo de galinha/carne, pois este perderia sua transparência natural).
Dicas:
1- Pode se, também, substituir a carne moída por peito de franco, ricota e também por cogumelos tipo shiitake (nesse caso, os cogumelos devem ser previamente processados antes de serem refogados).
2- Se utilizar a carne do frango, adicionar a cebola frita, uma batata cozida e processar até que vire uma pasta, como na receita com a carne bovina.
3-  Para que o Caldo fique mais encorpado, doure uma cebola batidinha e 2 dentes de alho amassados, em 1 fio de azeite. Acrescente um tomate sem sementes e a seguir, coloque 1 cenoura média cortada em rodelas. Adicione o caldo (mais ou menos 2 litros) e deixe ferver até que a cenoura fique tenra.
Obs.: (Se preferir, pode usar a massa fresca de Raviolli ou Capelletti, à venda nos bons supermercados e rotisseries)

CUSCUZ DE FRANGO


Ingredientes:
1 peito de frango cozido e desfiado (ou sardinha em lata)
2 ovos cozidos e fatiados em rodelas
2 tomates (firmes) fatiados em rodelas
2 tomates picadinhos
1 lata de milho verde
4 xícaras (chá) farinha de milho em flocos
1.1/2 litro de água fervente
2 caldos de galinha
1 xícara (chá) de palmito cortado em cubinhos (ou ervilhas)
½ xícara (chá) pimentões em tiras
6 colheres (sopa) azeite
pimenta-do-reino, sal, cebola e alho a gosto
1 colher (sopa) colorau
2 colheres (sopa) de salsa verde

Modo de fazer:
  • Primeiramente, forre uma forma ou pirex de buraco com os ovos cozidos e o tomate cortados em rodelas, o palmito (ou ervilha) e a salsinha picadinha.
  • Em uma panela grande, coloque o azeite, a cebola, o alho e dourar e a seguir adicione o frango desfiado, os pimentões, os tomates picados e a colher de colorau.
  • Junte a água e corrija o sal e a pimenta, à gosto.
  • Adicionar as xícara de milho flocado, uma a uma, até encorpar.
  • Mexa por cerca de 3 ou 4 minutos até levantar bolhas.
  • Coloque na forma ou pirex de buraco já preparada; deixe esfriar e desenforme e sirva.
DOCES

ARROZ DOCE MARROQUINO

Ingredientes: 

2 xícara (chá) de arroz

2 litros de leite
Açúcar a gosto (1 pitada de sal)
Água de flor de laranjeira ou raspas de limão ou laranja
Canela em pau para decorar
Canela e em pó para polvilhar

Modo de Preparo:
  • Numa panela coloque o arroz (lavado rapidamente), o leite e deixe ferver.
  • Cozinhe em fogo brando, mexendo sempre, para que não grude no fundo da panela.
  • Quando o arroz estiver cozido, adoce-o a vontade e aromatize-o com um pouco de água de flor de laranjeira.
  • Despeje numa travessa e guarde na geladeira até servir.
  • (12 porções)
GELATINA COLORIDA

Ingredientes:
    5 caixas de gelatina com cores diferentes (dissolver conforme instruções da marca)
    1 sachê de gelatina em pó sem sabor
    1 lata de creme de leite sem soro
    1 vidro pequeno de leite de côco
    1 lata de leite condensado
    obs: (normalmente a marca Okter não tem gelatina suína, nem corante cochonilha; se usa outra marca observa os componentes na embalagem)
Modo de fazer
  • Preparar as gelatinas coloridas levando-as à geladeira, separadamente, em recipientes quadrados com cerca 3 cm de altura.
  • Dissolver a gelatina (verifique antes, se é à base de algas ou bovina) em 5 colheres (sopa) de água fria. Colocar o restante da água e levar ao fogo para aquecer.
  • A seguir, misture o leite condensado, o creme de leite e o leito de côco.
  • Num recipiente, coloque a gelatina cortada em cubos, alternando as cores e o creme, até completar.
  • Levar à geladeira (em taça ou travessa de vidro) para endurecer e servir.
    Bet'avon