sexta-feira, 26 de agosto de 2011

PENSANDO NA COLHEITA - REFLEXÃO!

Cada um se fartará do fruto da sua boca, e da obra das suas mãos o homem receberá a recompensa.” (Mishlei/Provérbios 12:14)
(cardos)
O princípio evocado por Sh'lomo/Salomão é de grande importância para a nossa saúde espiritual. Nem sempre nos damos conta do quanto as nossas palavras podem influenciar as nossas vidas (e a vida dos outros), para o bem ou para o mal.

O princípio da reciprocidade, que na física é chamado de lei da ação e reação, é algo que a Bíblia atesta em inúmeros lugares, tais como:

Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto.”(Guilyana/Apocalipse 13:10)
Como esse princípio da reciprocidade, da ação e reação, se aplica às nossas palavras? É aí que entra a sabedoria de Shlomo (Salomão) que nos diz que seremos alimentados espiritualmente a partir das nossas palavras e ações.

Isso pode acender a luz amarela para alguns tipos de pessoa: O primeiro tipo é aquela pessoa que se ocupa de se preocupar com o andamento da vida do outro. Ocupa-se de dar palpites sobre a vida espiritual (e pessoal) de terceiros.

Saibam as pessoas que plantam palavras de conteúdo constrangedor e julgador, que em suas vidas espirituais colherão juízo e constrangimento. Isso significa que podem adoecer, sob o jugo da sua própria severidade, que se volta contra ele próprio.

O segundo tipo é aquele que se ocupa de falar da vida dos outros (lashon hará). O fruto que ele colherá de expor a vida do alheio é que sua própria vida será exposta, por consequência de suas próprias ações. E quando for exposto e cair na boca do povo, o que o livrará de colher o fruto daquilo que ele próprio plantou?
O mesmo vale para quem se ocupa de difamar os outros, ferindo sua reputação. Será ele próprio vítima do mesmo mal que planta. O que agride com lashon hará (língua má) será ferido por lashon hará. E isso é muito grave. (Vaycrah/Números 12)
O cuidado, portanto, com a própria língua não é apenas uma questão de justiça, é também uma questão de prudência. Não deixemos para nos lamentar, quando podemos prevenir.
Porque a contra-partida também é verdadeira: Aqueles que plantam palavras amorosas, misericordiosas e brandas, também colherão o amor, a misericórdia e a brandura.
Antes, portanto, de plantarmos nossas palavras, tomemos o cuidado de ter em mente aquilo que nós desejamos colher em nossas vidas.

Não se deixem enganar: de HaShem não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.” (Galutyah/Gálatas 6:7-8)
Shabat Shalom!
fonte: torahviva.org

Um comentário:

  1. SHALOM
    Achei ótimo essa postagem,é muito interessante,quando se trata de comportamentos que tem que começar de nos mesmos.Em provérbios 18:21 diz...A MORTE E A VIDA ESTÃO EM PODER DA LÍNGUA AQUELES QUE A ESCOLHEM COMERÃO DO SEU FRUTO.
    Shavuá Tov
    SARAH SHAROM

    ResponderExcluir