sábado, 27 de agosto de 2011

CICLO TRIENAL - RESPOSTAS DA SEDRAH 24


Torah: Bereshit/Gênesis 28:10 - 29:30
Tema(s): A visão de Ya'akov; Rachel e Le'ah
Haftarah:  Chanoch/Enoque 27 a39; Dany'el/Daniel 2 e 4
Tema(s): A visão dos anjos; Os sonhos de Nabucodonosor
B’rit Chadashah: Efeshayah/Efésios 5 
Tema(s): Imitando o Mashiach/Messias
Shirim u’Chochmah: Tehilim/Sal. 24; Mishlei/Prov. 24 
Tema(s): A entrada do Rei; Palavras dos tsadikim/sábios

COMENTÁRIOS E REFLEXÕES
por Yossef  Micha'el
  1. Qual o objetivo do sonho de Ya’akov/Jacó?

Resp.: Ya’akov havia deixado Be’er Sheva para ir a Charan para de lá tomar sua esposa, por ordem de seu pai Yits’chak. Tratava-se do início de sua jornada. Diferentemente de seu pai que não foi à casa de Lavan, mas sim seu servo, Ya’akov, por si só, deveria empreender esta jornada.
Interessante que Charan, provem da palavra Charar que, segundo a concordância Strong #02787, entre outros significados pode apresentar “queimar, estar quente, ser ressecado, ser carbonizado”.

Ou seja, ele estava em Be’er Sheva (Poço dos Sete Juramentos) e se viu obrigado a empreender esta jornada à Charan (um lugar quente, ressecado, carbonizado), para de lá tomar sua esposa. Se não bastasse isto, havia a questão da ira de seu irmão Essav... Será que já passamos por isto?

Neste contexto, de incertezas, de dificuldades, de temores, é dada a Ya’akov esta revelação. O intuito desta revelação, deste sonho, era mostrar a Ya’akov quem era o Elohim de seus pais, Avraham e Yits’chak, era de dar-lhe este “porto seguro”, para que ele soubesse quem estava no governo de sua vida, a partir do momento em que sua jornada fora iniciada

Bereshit 28:16-22, “Ya’akov, despertando de seu sono exclamou: ‘Em verdade, O Eterno está neste lugar e eu não o sabia’! E, cheio de pavor, ajuntou: ‘Quão terrível é este lugar! É nada menos que a casa de Elohim; é aqui, a porta do céu’. No dia seguinte, pela manhã, tomou Ya’akov a pedra: sobre a qual repousara a cabeça e a ergueu em pilar, derramando óleo sobre ela. Deu o nome de Beit’El a este lugar, que antes se chamava Luza. Ya’akov fez então este voto: ‘Se Elohim for comigo, se Ele me guardar durante esta viagem que empreendi e me der pão para comer e roupa para vestir e me fizer voltar em paz para a casa paterna, então O Eterno será o meu Elohim. Esta pedra da qual fiz pilar me será por casa de Elohim e pagarei o dízimo de tudo o que me derdes’”.

Foi assim que Ya’akov conheceu ao Mashiach Yeshua, a “pedra angular”, Aquele em Quem podemos repousar nossas cabeças... Ao ungir-Lhe, como Rosh, ele reconheceu Sua autoridade, como Melech Yeshua.

Se a Memra estivesse com ele em sua jornada, dando-lhe o necessário para que prosseguisse, se lhe fossem dadas algumas coisas, ele cumpriria seu voto. O que ele pediu? O pão, a Palavra, a Torah, sem a qual não é possível caminhar. A roupa para se vestir, talvez no sentido da proteção, o conforto em seu coração de que sua vida, sua caminhada estavam sendo governadas por Ele e, finalmente, garantir-lhe o retorno, sua Teshuvah para que pudesse alcançar as Veredas Antigas.
Ya’akov, através de seu sonho, reconheceu qual era a Porta do Céu, uma vida pautada na Torah e com o Testemunho do Mashiach Yeshua, como seu Adon v’Goel.
  1. Para quem são os "anjos de HaShem"? (Dica: Tehilim/Salmos 91:12)?
Resp.: Talvez a resposta esteja até um pouco antes... Tehilim 91:9-12, “Pois disseste: O Eterno é o meu refúgio. Fizeste do Elyon a tua morada. Nenhum mal te sucederá, praga nenhuma chegará à tua tenda. Porque aos Seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra”

Vemos que existe uma condição para sermos assistidos por Seus Malachim... Elegermos a YHWH como nosso refúgio, fazermos do El Elyon nossa morada. Interessante que a palavra morada, vem de uma raiz antiga, segundo a concordância strong #05772, עונה ̀ownah, que pode significar habitar junto, no sentido até mesmo conjugal. Dentro desta perspectiva, vemos todos os elementos necessários nestas condições para nossa Teshuvah e para que estes Malachim estejam conosco, por Sua Vontade.

Se estivermos dispostos a coabitar com Ele, tendo a Torah como nossa Ketubah, reconhecendo ao Mashiach Yeshua como nosso “noivo”, então nós, a “noiva”, Am Yisra’el, seremos por Ele assistidos, nossos caminhos serão guardados, para que em alguma “pedra de engano” não tropecemos!!!

Quando buscamos respostas nos originais vemos a grandiosidade das Escrituras, BH!!! A passagem “Eles te sustentarão nas suas mãos”, pode também ser traduzida como “Eles carregarão nas palmas de suas mãos as suas iniqüidades”, interessante não?
  1. Por quê "sobem e descem"? O que isso significa?
Resp.: Para tornar clara a necessidade de uma “escada”. סלם sullam, escada, vem da raiz antiga סלל salal, que, segundo a Concordância Strong #05549, pode significar, entre outras coisas, “elevar, erguer, exaltar”.

Podemos compreender que através desta escada, isto é, do próprio Mashiach Yeshua podemos alcançar aos Céus, isto é, nos “elevarmos” a ponto de nos aproximarmos efetivamente dEle.

Yochanan 14:6, “Respondeu-lhe Yeshua: Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida; ninguém vem ao Pai senão por Mim”

Já que entramos na resposta da 5ª pergunta, ao respondermos Quem é a “escada”, vamos tentar falar um pouco sobre o “subir e descer” e compreender o seu significado.

עלה ̀alah e ירד yarad, podem significar, respectivamente, “elevar-se” e “prostrar-se”, entre tantos significados possíveis. Assim podemos compreender que ao nos prostrarmos perante O Eterno, quando nos colocamos na condição de servos, reconhecendo-O como nosso Adon v’Goel e vivendo segundo Suas Leis, alcançamos a condição de filhos, de povo e então Seus Malachim passam a atuar em nosso favor, carregando-nos nas palmas de suas mão, através da única Escada, o Mashiach Yeshua, por Quem podemos nos elevar, alcançando Sua Misericórdia.
  1. Qual o objetivo dos sonhos nas Escrituras? (Use como referência Dany'el 2 e 4 e outros exemplos na Bíblia)
Resp.: Ao que tudo indica os sonhos nas Escrituras indicam profecias, o cumprimento da Vontade de Elohim. É o caso das passagens seguintes:

- Dany’el 2 e 4 com Nebuchadnetzar
- Bereshit 20 com Avimelech
- Bereshit 28 e 31 com Ya’akov
- Bereshit 37 com Yossef
- Bereshit 40 e 41 com Faraó etc...

Dentre tantas passagens que falam acerca de sonhos nas Escrituras, uma, em especial, me chamou a atenção, Yov 33:14-18, “Pelo contrário, El fala de um modo, sim, de dois modos, mas o homem não atenta para isso. Em sonho ou em visão de noite, quando cai sono profundo sobre os homens, quando adormecem na cama, então, lhes abre os ouvidos e lhes sela a Sua instrução, para apartar o homem do Seu desígnio e livrá-lo da soberba; para guardar a sua alma da cova e a sua vida de passar pela espada”.

Impressionante o que ocorre com o homem quando cai em sono profundo, תרדמה tardemah. Nestas condições, podemos sonhar, livres de nossa soberba, podendo agora ser “assaltados” por nossos sentimentos mais profundos, podendo nos revelar de uma maneira limpa, sem máscaras ao Criador... É nestes momentos, que Ele a nós Se revela, nos dá Sua instrução, pois Ele sabe que estas palavras ficarão guardadas em nosso subconsciente para nos “despertar” quando estivermos aproximando nossas almas da cova, quando estivermos agindo de forma contrária aos Seus Desígnios, segundo a má inclinação de nossos corações...

As Escrituras nos mostram que Ele nos fala, porém não atentamos para Suas Palavras... Que o Eterno, continue tendo Misericórdia de Sua criação...

Sha’ul HaShaliach nos fala em Efessayah 5:1-2, “Sede pois imitadores de Elohim, como filhos amados;
e andai em amor, como o Mashiach também vos amou e Se entregou a Si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Elohim em cheiro suave”.

Como podemos ser Seus imitadores, se sequer conseguimos ouvi-lO?!?!?! Como podemos andar em amor, se não O obedecemos, mas antes preferimos seguir os desígnios de nossos corações?!?!?! Como a nossa oferta pode se elevar como um “cheiro suave”, se a Ele estamos queimando o “incenso da rebeldia e da transgressão à Torah”?!?!?!

Vamos nos esforçar para ouvi-lO em nossos sonhos e corações, antes que seja tarde...
  1. Considerando Yochanan/João 1:47-51, quem representa a escada vista por Ya'akov?
Resp.: Interessante que a única passagem no Tanach em que aparece a palavra escada, סלם sullamII, é justamente esta, Bereshit 28... Todas as demais referências à escada no sentido de degraus, como em Yehezk’el 40, Nehemyah 3 e tantas outras, apresentam מעלה ma’alah, talvez para denotar o sentido físico destes degraus.

Ao fazer referência a Bereshit 28, o Mashiach Yeshua em Yochanan 1:47-51, está nos dizendo justamente isto... Não há outro caminho para o Pai, senão por Ele... Não poderia ser mais clara a mensagem... Todos os que se apresentam falsamente em Seu Nome, nada mais são, além de simples degraus... Que levam nada a lugar nenhum...

Ya’akov, provavelmente, teve as duas visões do Mashiach Yeshua, como Filho do Homem, como está em Yochanan 1 e também como o próprio Eterno como em Bereshit 28!!! BH!!!

Shabat Shalom a todos!!!

Chazak, Chazak, Venit Chazek!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário