segunda-feira, 13 de junho de 2011

PORCOS - DE AGENTES DE LIMPEZA A COMIDA, DESDE QUANDO?!

Shalom, queridos irmãos e amigos visitantes!

Esse artigo da "Suinocultura Industrial", trata da origem e utilização dos porcos na antiguidade e como estes passaram de "agentes de limpeza do meio ambiente", a comida em algumas culturas.


Os Porcos no Antigo Egito
Material histórico revela que os porcos já eram conhecidos no Antigo Egito e no Oriente, há mais de 4.000 anos. Possivelmente originários das regiões da Mesopotâmia ou da Turquia, espalharam-se pelo delta do rio Nilo, sendo utilizados também para puxar o arado, na preparação da lavoura, oferecendo, além da tração, a vantagem de fazerem, com os próprios pés, os orifícios no solo onde seriam depositadas as sementes do trigo.


Conta-se que na Babilônia, uma das cidades mais antigas do mundo, os porcos andavam soltos, com o objetivo de consumir os restos de alimentos, dejetos e o lixo depositado nas ruas.


O historiador grego Heródoto (484-425 a.C.) escreveu que os egípcios consideravam o porco um animal "impuro", uma vez que se alimentava de dejetos e excrementos. Os escravos responsáveis pela criação e pelo abate também eram proibidos de freqüentar templos e outros lugares sagrados.


Ainda nos dias de hoje, os porcos desfrutam de uma imagem bastante negativa em muitas culturas. Os motivos estão ligados, possivelmente, a idéia de "impureza" da espécie, que foi transmitida pela história.


Os Porcos na Bíblia 


Foi com a Bíblia que dos grandes mitos (?) em torno dos porcos passou a ser difundido, contribuindo para piorar a já péssima reputação dos animais, no Oriente.


no Velho Testamento, no 3° livro de Moisés são descritos os mandamentos para a pureza do homem. Entre eles, encontra-se a advertência contra o consumo de carne de animais considerados "impuros", entre eles, o porco.


..." também os porcos, porque as unhas são fendidas e as fendas das unhas divididas em duas, ... estes vos serão imundos. " (Lev. 11:7).


Hoje sabemos, através da história, que os porcos do Antigo Egito possivelmente sofriam com tênias, triquinas e outros parasitas. Moisés, com seus mandamentos, estabelecia também medidas de higiene para o povo, evitando verminoses e doenças transmitidas através da carne suína mal-cozida. Medidas estas que ainda hoje são recomendadas pelos sanitaristas.




No Novo Testamento encontramos vários registros nos quais a figura dos porcos é associada ao profano, àquilo que não é sagrado ou ao pecado humano.




"... Não dêem aos cães coisas santas, nem deites vossas pérolas aos porcos,pois voltando-se, eles as pisarão com os pés e as despedaçarão". 
Matitiyahu (Mateus) 7:6




Na segunda epístola de Pedro, o porco é retratado como um animal imundo, comparado àqueles que insistem em permanecer ao pecado:


"... pois aconteceu-lhe o que diz aquele provérbio verdadeiro, o cão retornou ao próprio vômito e o porco lavado, revolveu-se, de novo, no lamaçal". 
Kephah Bet (2 Pedro) 2:2

Os Porcos na Antigüidade Latina 


Os romanos, adeptos de grandes banquetes e de orgias gastronômicas, descobriram bem cedo que poderiam melhorar a qualidade e aumentar a quantidade da carne, se desenvolvessem técnicas adequadas de cuidado aos animais. 


Assim, as primeiras granjas e instalações de suínos da história remontam a Roma.
 
Presuntos, salames e carne suína sempre foram artigos indispensáveis nas mesas romanas, embora naquela época, a quantidade de gordura dos animais fosse muito maior do que a dos conhecidos atualmente.
 
Também provêm de Roma Antiga, os primeiros relatos de especulações sobre o aproveitamento dos dejetos suínos.

Agora já sabemos! Sim, "O HÁBITO DE COMER PORCO É HERANÇA DA CULTURA PROMÍSCUA DA ROMA ANTIGA!"



Shavuá Tóv!
mais sobre o temaPORCO - ABOMINAÇÃO A ELOHIM
visite:  www.torahviva.org

fonte: Suinocultura Industrial 
http://www.suinoculturaindustrial.com.br


Um comentário: