sexta-feira, 25 de março de 2011

RECEITAS DE PESSACH (Páscoa Bíblica)

(imagem extraída da internet)
MATZAH ou Pão Ázimo (tradicional)


Ingredientes:
1 kg de farinha de trigo comum ou integral (sem fermento)
água o quanto baste para dar liga
½ copo de azeite
sal a gosto

Modo de preparo:
Junte todos os ingredientes. Amasse bem e separe em pequenas porções. Com o auxílio de um rolo, abra a massa deixando-a bem fina; quase transparente
Coloque-a em uma forma levemente untada e, com a ponta de uma faca, risque delicadamente formando quadrados - isso facilita ao partir.  Se preferir, use cortador para massa redondo ou quadrado (cerca de 15 cm). Leve para assar em fogo médio (180 graus), até dourar.

Opcionais:- Para obter outros sabores, pode-se acrescentar à massa: orégano, parmesão, alecrim, desidratados (manjericão, cheiro verde, cebola, alho, etc), aveia, sementes de papoula, linhaça, coentro (levemente triturados), etc.

MATZAH ou Pão Ázimo (Hillel)

Ingredientes:
1 kg de semolina de trigo
1 copo de azeite de oliva (
canola ou girassol)
1 colher de sopa (rasa) de sal
1 colher de chá de cominho (opcional)
água morna o suficiente para dar liga

Modo de preparo:
Coloque a semolina, o azeite , o sal e o cominho numa vasilha grande. Vá adicionando a água morna aos pouco até que obtenha uma textura de massa pra ser aberta (como massa de pão). Abra com rolo, para deixar o mais fino possível. Faça furinhos com garfo, pra que evite a formação de bolhas de ar.

Coloque as matzot numa forma e leve ao forno bem quente até que endureça e fique com textura de biscoito!

(imagem extraída da internet)
CHAROSSET (tradicional)


Ingredientes:
1 kg maçãs vermelhas sem casca e sem sementes (cerca de 6 maçãs grandes)
2 xícaras de nozes trituradas
1 colher (sopa) de açúcar
4 colheres (sopa) de mel (*)
½ colher (chá) de canela em pó
½ xícara de vinho tinto doce
(*) se tiver intolerância ao mel, substitua por mais 2 colheres de açúcar)

Modo de fazer:
Ralar ou picar as maçãs.(Para não escurecerem, coloque algumas gotas de limão).
Triture as nozes e misture todos os ingredientes, até obter uma leve pasta. Sirva a seguir.


rendimento: cerca de 10 porções
Bete'avon!
(Bom apetite)

quarta-feira, 23 de março de 2011

TIRANDO O CHAMETZ E FAZENDO TSEDAKAH (Justiça ao Necessitado)

(imagem extraída da internet)

De acordo com as Escrituras Sagradas, nos dias que antecedem ao Pessach devemos retirar de nossas casas tudo o que possa conter Chametz (fermentação por levedura).

SHEMOT (Êxodo) 13
7Sete dias se comerá pães ázimos, e o levedado não se verá contigo, nem ainda fermento será visto em todos os teus termos.

SHEMOT (Êxodo) 12
19Por sete dias não se ache nenhum fermento nas vossas casas; porque qualquer que comer pão levedado, aquela alma será cortada da congregação de Israel, assim o estrangeiro como o natural da terra.20Nenhuma coisa levedada comereis; em todas as vossas habitações comereis pães ázimos". Shemot (Êxodo 12)

Esses dias que antecedem a Pessach também representam uma ótima oportunidade para exercermos uma outra miztvah (mandamento)  a TSEDAKAH, ou seja, a "justiça social", ajuda aos necessitados, órfãos e viúvas!

A palavra "tsedakah" vem da mesma raiz das palavras "tsedek/integridade-justiça" e "tsadik/justo-íntegro".

Mishley/Provérbios 11:25a nos diz que "A alma generosa prosperará ...". A generosidade é um ato voluntário e somente aqueles que têm gratidão ao Eterno é capaz de exerce-la com o coração, não esperando pela recompensa, mas, ciente de que nada nos pertence; tudo pertence ao Eterno; aqui, somos apenas Seus administradores.

TEHILIM (Salmos) 82

3Fazei justiça ao pobre e ao órfão; justificai o aflito e o necessitado.

Passo 1
Com a devida antecedência, retire de sua despensa "fermento biológico, fermento químico", bem como alimentos que contenham chametz (fermento) em sua composição como pães, bolos; ou que "inflam" em contato com o fogo como biscoitos de polvilho, pão de queijo, etc). (Vide post anterior sobre o significado do chametz)

Passo 2
Verifique se algum dos alimentos está com prazo de validade vencida (parece óbvio?!) e descarte-o; não o doe a ninguém.

Passo 3
Separe os alimentos próprios para consumo e leve-os a uma instituição beneficente (Asilo, Orfanato, Fundo Social) ou deixe na porta de uma família carente. (Segundo as Escrituras Sagradas, quanto mais "em secreto" for esse ato, mais agradável perante a HaShem).

Shalom u'vrachah!

terça-feira, 22 de março de 2011

PESSACH (A PÁSCOA BÍBLICA) - UMA ORDENANÇA PERPÉTUA!

Estamos em contagem regressiva para Pessach, uma das Festas mais importantes do Calendário Bíblico do Povo de Israel.
(imagem do filme "O Príncipe do Egito")


É comum nos perguntarem por quê comemorar os Moadim (as Festas Bíblicas), se estamos na Galut (Diáspora).

Vejamos o que as Escrituras dizem, por exemplo, sobre PESSACH (Passagem ou Páscoa) e CHAG HAMATZOT (Festa dos Pães Ázimos/sem fermento):
VAYCRAH (Levítico) 23:5 a 7
(O Pessach e Chag HaMatzot) 5 No primeiro mês, no décimo quarto dia do mês, ao crepúsculo, é a páscoa (Pessach) para HaShem.6E, no décimo quinto dia desse mês é a festa dos pães ázimos (Chag HaMatzot) para HaShem. Durante sete dias comereis pães sem fermento (ázimos). No primeiro dia tereis santa assembleia; nenhum trabalho servil fareis  (). No sétimo dia, dia de santa assembleia, não fareis nenhuma obra servil”. (Bíblia de Jerusalém)

FESTA DOS PÃES ÁZIMOS (sem fermento) ou “CHAG HAMATZOT”

SHEMOT (Êxodo) 12:15 a 20
15 Sete dias comereis pães ázimos; ao primeiro dia tirareis o fermento das vossas casas; porque qualquer que comer pão levedado, desde o primeiro até ao sétimo dia, aquela alma será cortada de Israel. 16 E ao primeiro dia haverá santa convocação; também ao sétimo dia tereis santa convocação; nenhuma obra se fará neles, senão o que cada alma houver de comer; isso somente aprontareis para vós. 17 Guardai pois a festa dos pães ázimos, porque naquele mesmo dia tirei vossos exércitos da terra do Egito; pelo que guardareis a este dia nas vossas gerações por estatuto perpétuo. 18 No primeiro mês, aos catorze dias do mês, à tarde, comereis pães ázimos até vinte e um do mês à tarde. 19 Por sete dias não se ache nenhum fermento nas vossas casas; porque qualquer que comer pão levedado, aquela alma será cortada da congregação de Israel, assim o estrangeiro como o natural da terra20 Nenhuma coisa levedada comereis; em todas as vossas habitações comereis pães ázimos".

OBSERVÂNCIAS BÁSICAS

Durante os sete dias da Festa dos Ázimos (Chag Hamatzot), portanto, não devemos ter em nossas casas quaisquer alimentos que contenham "chametz" (levedos) ou seja, levem fermento em sua composição, nos abstendo de alimentos como pães, massas fermentadas, ou cujo preparo  "tenham uma aparência crescida/inflada" (pão de queijo, biscoito de polvilho, etc.).

A palavra “chametz/fermento” aparece pelo menos uma dúzia de vezes na Brit Chadashá (Aliança Renovada ou Novo Testamento) como substantivo (comentário 2219, Strong’s) e algumas outras como verbo (2220, Strong’s). Podemos também encontrá-la fazendo referência aos “pães azimos/pães não fermentados” (106, Strong’s).

"Vede e acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus" (Matityahu/Mateus 16:6). Ao exortar seus "talmidim/discípulos" se utilizando da palavra "chametz/fermento", Yeshua se apoiou em milhares de anos de significado simbólico dessa palavra. Ao entendemos o uso deste termo nas Escrituras, podemos também compreender a profundidade de seu simbolismo e sua aplicação prática em nossas vidas.

A natureza do "chametz/fermento", tanto literal quanto figurativa, está relacionada àquilo que "faz crescer"; que "aumenta"; dá aparência de maior; mais grandioso. Entretanto, esse "crescimento" é "apenas aparente". A massa não está maior, apenas "inflada" mas, sem substância. 

Nos dias que antecedem ao Pessach, devemos ser zelosos em retirar de nossas casas tudo o que possa conter chametz, pois, aquilo que restar - segundo as Escrituras - deve ser "queimado" até o dia anterior à Festa.

A segunda observância básica está no fato de que tanto o primeiro dia da Festa, quanto o último são Shabatot e, portanto, à semelhança do Shabat semanal, não devemos trabalhar (ou permitir que outros trabalhem por nós ou para nós) e nem comercializar (comprar ou vender). Todavia, nesses dois Shabatot é permitido acender fogo para o preparo das refeições.

A terceira observância é contarmos a História (Hagadá) de Pessach, recordando o Êxodo e a libertação do povo de Israel, conforme Shemot/Êxodo 12, na primeira noite de Pessach, durante o Seder (palavra hebraica que significa “ordem” e se refere à refeição ritualística feita pelas famílias).

De acordo com as Escrituras, “todos os israelitas” - sejam estes judeus, efraimitas ou aqueles que se “achegaram”
ao povo - devem observar os preceitos bíblicos, entre os quais, os Moadim (Festas), estejam onde estiverem (e na medida do possível, é claro), pois estes são estatutos permamentes (Shemot/Êxodo 12:14 e 17 e Vaycrah/Levítico 23).

Pergunto:- "se não é para observarmos os Moadim (as Festas) tal como ordena a Bíblia, então, por quê será que o Mashiach/Messias e os seus talmidim/discípulos os observavam? (Vide Matituyahu/Mateus 26:19)

Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua Palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender melhor do que a gordura de carneiros.” 
(I Sh'muel 15:22).

Você quer ter verdadeiramente as bençãos do Eterno?
Então, viva a Sua Torah!


quarta-feira, 16 de março de 2011

“ E CONHECEREIS A VERDADE ...”

Certamente, uma das coisas mais difíceis na teshuvah é tentar explicar às pessoas que “não negamos Yeshua - O Mestre dos Mestres - cuja pedagogia teve por finalidade nos fazer retornar aos Caminhos da completa restauração de nosso relacionamento com O Abba, através da Torah”.
Se perguntarmos a qualquer pessoa:- “quem é Jesus”? Indubitavelmente, todos, de todas as línguas e credos, terão uma resposta. E, se perguntarmos:- “quem foi Yeshua”? Quantos dirão prontamente:- o Mestre da Torah?! Muitos franzirão a testa com desdém ou nos darão as costas.
Durante muito tempo fomos “protestantes (termo usado para identificar aqueles que, havendo deixado o catolicismo romano, enveredaram pelos ensinamentos de Lutero), acreditando que, ao romper com Roma, estavamos “retornando às origens da fé bíblica”.
Quem foi Martinho Lutero?
Essa pergunta nos levou ao século XVI e ao padre que iniciou a reforma da igreja católica.  Quando começamos a nos aprofundar nas origens do cristianismo, chegamos ao século III (quando as heresias estavam permeando a fé), ao Concílio de Nicéia e ao reinado do Imperador Constantino (o primeiro a aderir ao cristianismo e a declará-lo “religião oficial”).
O que eram os "Concílios"?
Nessa época, os “Concílios” eram grandes convocações, cujo objetivo era reunir os líderes (bispos) de todas as igrejas (*) para discutir e deliberar sobre assuntos administrativos ou doutrinários com o propósito de dar um “rumo comum” à fé. Foi num desses “Concílios”, por exemplo, que se transferiu a Dia de Observância do Sábado para o Domingo e em outro se fundamentou a base da crença na Trindade (*).

Foi assim que descobrimos, ironicamente, o significado de:- “Todos os caminhos levam a Roma”!
As doutrinas da igreja, os ensinamentos , tudo aquilo que havíamos aprendido nos Seminários Cristãos, vinha dos “pais da igreja de Constantino” (São Clemente, São Gregório, Sto. Agostinho, São Tomás de Aquino” e assim por diante). 
Como poderíamos “falar de salvação” se nem ao menos conhecíamos o verdadeiro significa bíblico dessa palavra? Ignorávamos nossa origem israelita/judaica, não cumpríamos os preceitos Bíblicos; só conhecíamos o nome pagão de nosso Elohim!? Até o credo que professávamos era o “Credo Atanasiano” (um bispo católico?!). Visto por esse ângulo, “não passávamos de católicos reformados”.
Quanto mais nos aprofundávamos nos estudos e na pesquisa Bíblica, mais nos conscientizávamos de que não conhecíamos a origem de nossa fé. É triste, mas, a cegueira espiritual é mais letal do que a cegueira real! 
A partir do momento que nos afastamos dos ensinamentos Sagrados, ficamos à mercê de nossa própria ignorância e da anomia. Isso, sim, é "Cair da Graça"!
Tiradas as escamas de nossos olhos, não conseguimos mais continuar aceitando o esteriótipo criado por Roma e Constantino - que nega a origem e a essência da fé num Elohim Único (Echad), rejeita o povo escolhido – Israel (os judeus e os de todas as outras tribos espalhadas pelas nações) e que aboliu a Lei do Eterno (a Torah).
Shalom u'vrachá!
(Paz e Benção)
(*) Concílios

(**)Credo de Atanásio (Quicumque vult), subscrito pelos três principais ramos da Igreja Cristã (Católicos Romanos, Católicos Ortodoxos e Protestantes)

terça-feira, 8 de março de 2011

ESHET CHAYIL -MISHLEI/PROV. 31 - UMA HOMENAGEM ÀS MULHERES!

Eshet Chayil
(Mulher de valor, quem a achará?)
(tela de Vladimir Vogolev)

"Eshet chayil mi yimtza michrah mip'ninim v'rachok
Uma mulher de valor, quem poderá encontrá-la? - Muito além de pérolas é seu valor.

bah Batach lev ba'lah yechsar lo v'shalal
O coração do seu marido confia nela, e 
ele não terá falta de ganho.
G'malathu tov v'lo ra kol y'mei chayeiha
Ela lhe faz bem e não mal, todos os dias da sua vida.

tzemer Darshah vata'as ufishtim b'chefetz kapeiha
Ela busca lã e linho, e trabalha com as mãos de bom grado.

ko'oniyot Haitah lachmah mimerchak Socher tavi
Ela é como os navios mercantes, de longe 
ela traz o seu pão.
Vatakom b'od teref Lailah vatiten l'v'chok vetah l'na'aroteiha
Ela se levanta quando ainda é noite, e dá mantimento à sua casa e uma parte de seu servas.

Zam'mah vatikachehu Sadeh mip'ri chapeiha karem nat'ah
Ela avalia um campo e adquire-o; com o fruto das suas mãos planta uma vinha.

Chagrah v'oz motneiha vat'ametz zro'oteiha
Cinge os seus lombos de força, e faz os seus braços fortes.

Ta'amah ki tov sachrah lo nerah balailah yichbeh
Ela sabe que sua mercadoria é rentável; sua lâmpada não se apaga de noite.

shilchah Yadeha vakishor felech tamchu v'chapeiha
Ela coloca as mãos na roca, e mantém o eixo em suas mãos.

parsah Kapah le'ani la'evyon shil'chah v'yadeiha
Ela abre sua mão ao pobre, e estende as suas mãos aos necessitados.

Lo tira l'vetah mishaleg shanim lavush ki chol Betá
Ela não teme o inverno por sua família, porque toda a sua família está agasalhada.

astah Marvadim v'argaman shesh lah l'vushah
Faz para si mesma cobertas; é o seu vestido de linho fino e púrpura.

Noda im b'shivto bash'arim ba'lah ziknei aretz
Seu marido é conhecido nas portas, quando se assenta entre os anciãos da terra.

astah Sadin vatimkor natnah lak'na'ani vachagor
Ela faz roupas de linho fino e vende-as; ela fornece cintos ao mercador.

Oz v'hadar l'vatischak vushah l'Acharon yom
A força e a honra são seus vestidos e ela sorri para o futuro.

Piha v'torat v'chochma patchah chesed et l'shonah
Abre a boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua.

halichot Tzofi'ah Betá v'lechem tochel lo atzlut
Administra bem a sua casa, e não come o pão da preguiça.

Kamu vaneha vay'hal'lah ba'lah vay'ash'ruha
Seus filhos se levantam para elogiá-la, seu marido, também, a ela elogia.

Banot Rabot v'at chayil asu kulanah al alit
Muitas mulheres têm procedido virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas.

Sheker hachen v'hevel hayofi ishah yir'at tit'halal Hashem oi
Enganosa é a graça, e vã é a formosura, mas a mulher que teme a HaShem (O Eterno), essa será louvada.

lah T'nu mip'ri yadeiha ma'aseha vihal'luha vash'arim
Dai-lhe do fruto das suas mãos, e deixe seus trabalhos louvá-la nas portas." 
Mishlei (Provérbios) 31
 
Eishet Chayil 
(transliterado)
Eshet chayil mi yimtza verachok mipeninim michrá
Uma mulher de valor, quem poderá encontrá-la? - Muito além de pérolas é seu valor
Batach ba lev baalá veshalal lo yechsar
O coração do seu marido confia nela, e ele não terá falta de ganho
Gemalathu tov velo ra kol yemei chayeiha
Darshá tzemer ufishtim vataas bechefetz kapeiha
Haitah kooniyot socher mimerchak tavi lachmah
Vatakom beod laila vatiten teref levetah vechok lenaaroteiha
Zammah sade vatikachehu mipri chapeiha nata karem
Chagrá veoz motneiha vatametz zrooteiha
Taamá ki tov sachrá lo yichbe balaila nerá
Yadeha shilchá vakishor vechapeiha tamchu felech
Kapá parsá leani veyadeiha shilchá laevyon
Lo tira levetah mishaleg ki chol betah lavush shanim
Marvadim astah lah shesh veargaman levushá
Noda bashearim balah beshivto im ziknei aretz
Sadin astá vatimkor vachagor natnah lakenaani
Oz vehadar levushah vatischak leyom acharon
Piha patchah vechochma vetorat chesed al leshoná
Tzofiah halichot betah velechem atzlut lo tochel
Kamu vaneha vayashruha balaá vayehalelah
Rabot banot asu chayil veat alit al kulaná
Sheker hachen vahevel hayofi ishah yirat Hashem hi tithalal
Enganosa é a graça, e vã é a formosura, mas a mulher que teme a HaShem (O Eterno), essa será louvada
Tnu lá mipri yadeiha vihaleluha vashearim maaseha

אֵשֶׁת חַיִל
(Eishet Chayil music)
 אֵשֶׁת חַיִל מִי יִמְצָא. וְרָחק מִפְּנִינִים מִכְרָהּ: 
בָּטַח בָּהּ לֵב בַּעְלָהּ. וְשָׁלָל לא יֶחְסָר: 
גְּמָלַתְהוּ טוב וְלא רָע. כּל יְמֵי חַיֶּיהָ: 
דָּרְשָׁה צֶמֶר וּפִשְׁתִּים. וַתַּעַש בְּחֵפֶץ כַּפֶּיהָ: 
הָיְתָה כָּאֳנִיּות סוחֵר. מִמֶּרְחָק תָּבִיא לַחְמָהּ: 
וַתָּקָם בְּעוד לַיְלָה. וַתִּתֵּן טֶרֶף לְבֵיתָהּ וְחק לְנַעֲרתֶיהָ: 
זָמְמָה שדֶה וַתִּקָּחֵהוּ. מִפְּרִי כַפֶּיהָ נָטְעָה כָּרֶם: 
חָגְרָה בְעוז מָתְנֶיהָ. וַתְּאַמֵּץ זְרועתֶיהָ: 
טָעֲמָה כִּי טוב סַחְרָהּ. לא יִכְבֶּה בַלַּיְלָה נֵרָהּ: 
יָדֶיהָ שִׁלְּחָה בַכִּישׁור. וְכַפֶּיהָ תָּמְכוּ פָלֶךְ: 
כַּפָּהּ פָּרְשה לֶעָנִי. וְיָדֶיהָ שִׁלְּחָה לָאֶבְיון: 
לא תִירָא לְבֵיתָהּ מִשָּׁלֶג. כִּי כָל בֵּיתָהּ לָבֻשׁ שָׁנִים: 
מַרְבַדִּים עָשתָה לָּהּ. שֵׁשׁ וְאַרְגָּמָן לְבוּשָׁהּ: 
נודָע בַּשְּׁעָרִים בַּעְלָהּ. בְּשִׁבְתּו עִם זִקְנֵי אָרֶץ: 
סָדִין עָשתָה וַתִּמְכּר. וַחֲגור נָתְנָה לַכְּנַעֲנִי: 
עז וְהָדָר לְבוּשָׁהּ. וַתִּשחַק לְיום אַחֲרון: 
פִּיהָ פָּתְחָה בְחָכְמָה. וְתורַת חֶסֶד עַל לְשׁונָהּ: 
צופִיָּה הֲלִיכות בֵּיתָהּ. וְלֶחֶם עַצְלוּת לא תאכֵל: 
קָמוּ בָנֶיהָ וַיְּאַשְּׁרוּהָ. בַּעְלָהּ וַיְהַלְלָהּ: 
רַבּות בָּנות עָשוּ חָיִל. וְאַתְּ עָלִית עַל כֻּלָּנָה: 
שֶׁקֶר הַחֵן וְהֶבֶל הַיּפִי. אִשָּׁה יִרְאַת ה' הִיא תִתְהַלָּל: 
תְּנוּ לָהּ מִפְּרִי יָדֶיהָ. וִיהַלְלוּהָ בַשְּׁעָרִים מַעֲשיהָ


"Shir L'Adonai Ki Tov"